FULL

TEXT



experiência

4147275 matching pages

Results 1-100

http://cnpq.br/
  CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado CACHE

CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ‹ › Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Notícias Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Pesquisa do dia Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seg, 22 Jan 2018 16:03:00 -0200 Pesquisa desenvolve citros resistentes à seca Sabe-se que as plantas desenvolvem mecanismos de 'memória' para melhor se adaptarem às condições adversas, estresses bióticos e abióticos. Pensando nisso, o pesquisador da Embrapa e bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seg, 22 Jan 2018 16:03:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Sabe-se que as plantas desenvolvem mecanismos de 'memória' para melhor se adaptarem às condições adversas, estresses bióticos e abióticos. Pensando nisso, o pesquisador da Embrapa e bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Abelmon da Silva Gesteira , estudou alterações epigenéticas de dois porta-enxertos - tangerineira 'Sunki Maravilha' e o limoeiro 'Cravo' em combinação com laranjeira 'Valencia' - que foram induzidas por sucessivos déficits hídricos, ou seja, a irrigação foi cortada. Epigenética é um termo usado na biologia para se referir a características de organismos unicelulares e multicelulares, como as modificações de cromatina e DNA que são estáveis ao longo de diversas divisões celulares mas que não envolvem mudanças na sequência de DNA do organismo. Gesteira explica que após sucessivos ciclos de déficit hídricos, a combinação laranjeira 'Valencia'/'Sunki Maravilha' apresentou características de aclimatação que permitem uma maior tolerância ao déficit hídrico, o que, por sua vez, pode facilitar a sobrevivência da planta. Além de trazer informações relevantes da interação copa/porta-enxerto a sucessivos ciclos de déficit hídrico, o estudo traz o primeiro conjunto de dados que demonstra que alterações epigenéticas induz uma melhor tolerância à seca a esta cultura. 'As informações obtidas poderão ser utilizadas para o desenvolvimento de uma técnica de manejo com aplicação direta na cadeia citrícola', afirma. O pesquisador da Embrapa informa ainda que o cultivo dos citros no Brasil se dá predominantemente sem irrigação e por isso é desejável que se usem combinações copa/porta-enxerto que mostrem, entre outras características de interesse agronômico, a tolerância à seca, devido à ocorrência de déficits hídricos temporários em várias regiões citrícolas. 'As plantas cítricas apresentam uma série de adaptações morfológicas e fisiológicas à deficiência hídrica, entre as quais se citam a conformação de copa e a morfologia foliar', esclarece. Estes atributos, segundo Gesteira, são influenciados pela combinação copa/porta-enxerto, sendo que a tolerância à seca é também uma das características para seleção e melhoramento de porta-enxertos, existindo grande variação desta resposta, determinada especialmente pela condutividade hidráulica do sistema radicular. Intitulado 'Estudos de alterações epigenéticas induzidas pelo déficit hídrico em citros', Gesteira destaca que a proposta é inovadora e sem relatos na literatura, além de apresentar potencial para o desenvolvimento de uma técnica de manejo com aplicação direta na cadeia citrícola. 'Vale ressaltar que, caso seja comprovado que plantas cítricas submetidas a déficits hídricos sucessivos apresentam adaptações que resultam em uma maior tolerância à seca, as plantas matrizes, doadoras das borbulhas para enxertia, poderão ser submetidas a déficits hídricos prévios, visando aumentar o nível de tolerância ao estresse em questão', finaliza. A pesquisa foi publicada no periódico Scientic Reports 7, doi:10.1038/s41598-017-14161-x com o título 'Recurrent water deficit causes epigenetic and hormonal changes in citrus plants'. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais pesquisa do dia Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Resultados e impactos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. IF Goiano/Divulgação Ter, 20 Fev 2018 09:42:00 -0300 Pesquisa apoiada pelo CNPq gera primeira tese resultante da verticalização dos institutos federais O Instituto Federal Goiano (IF Goiano) concedeu, em 2017, o título de doutor ao primeiro estudante da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica a concluir, em uma mesma instituição, os ensinos técnico, graduação, mestrado e doutorado. A trajetória contou com apoio do CNPq Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 20 Fev 2018 09:42:00 -0300 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O Instituto Federal Goiano (IF Goiano) concedeu, em 2017, o título de doutor ao primeiro estudante da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica a concluir, em uma mesma instituição, os ensinos técnico, graduação, mestrado e doutorado. Quando criados, os Institutos Federais de Educação Profissional, Científica e Tecnológica tinham como um dos fundamentos a verticalização do ensino, promovendo a atuação dos docentes nos mais diversos níveis, do curso técnico ao doutorado. No ano passado, pela primeira vez, um estudante cumpriu esse ritual, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás A pesquisa desenvolvida pelo estudante Nelmício Furtado da Silva e intitulada ¿ Otimização de fontes e doses de nitrogênio ( 15 n) na cana-de-açúcar irrigada no cerrado ¿ contou com aporte financeiro do CNPq via Chamada MCTI/CNPQ/Universal 14/2014 - Faixa C - até R$ 120.000,00, sob a coordenação do Prof. Dr. Marconi Batista Teixeira, bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Nelmício (sexta da esquerda para a direita) e grupo docente do Instituto Federal Goiano A pesquisa promoveu a integração entre o setor público (IF Goiano, CNPq, CENA/USP, CAPES e FAPEG) e o setor privado (Usina Raízen ¿ Unidade Jataí ¿ GO). Ao final do experimento, foi realizada reunião com a equipe técnica da Usina Raízen, pesquisadores envolvidos no projeto e a diretoria de forma a demonstrar os resultados obtidos em campo. O estudo empregou a técnica da diluição isotópica, com uso do isótopo estável 15 N, tanto na forma de ureia como de nitrato de amônio, o que permitiu determinar com maior precisão o aproveitamento do N nas distintas doses das fontes fertilizante mineral pela cana-de-açúcar, bem como a dose que proporciona maior viabilidade sob os aspectos técnicos e econômicos. A equipe Técnica da Usina demonstrou interesse pelos resultados apresentados, que poderão nortear tomadas de decisão sobre doses e fontes a aplicar em lavouras da Usina, com uma expectativa de economia na compra desse insumos da ordem de R$ 3 milhões para a próxima safra. Os resultados da pesquisa também contribuíram com a transferência destas informações aos fornecedores terceirizados (produtores) de cana-de-açúcar para a Usina. Os resultados estão sendo divulgados e publicados em Anais Eventos Científicos e Periódicos Nacionais e Internacionais. Nas condições experimentais do estudo, a aplicação de 120 kg ha -1 de N, tanto na forma de nitrato de amônio como de ureia, associada à irrigação proporcionou maior viabilidade econômica e financeira no cultivo da cana-de-açúcar irrigada na Região Sudoeste Goiás. Considerando-se os dados de produtividade de colmos de cana-de-açúcar, independentemente das variedades estudadas, a prática da irrigação associada ao incremento da dose de N proporcionou aumento de rendimento de colmos e de ponteiros, que foi muito superior à média nacional (aproximadamente 74 t ha -1 de colmos). Ao mesmo tempo, houve também influência na qualidade tecnológica (industrial) da cana-de-açúcar. A fonte nitrato de amônio contribuiu com maior parte da QNppf (quantidade nitrogênio proveniente do fertilizante) no colmo em comparação com a ureia, diferentemente do que ocorreu no ponteiro, onde a fonte ureia contribuiu para uma maior quantidade de N. O aproveitamento do N residual do fertilizante aplicado à cana-planta pela primeira soqueira subsequente foi, em média, menor do que 5% da quantidade aplicada inicialmente à cana-planta, o que demonstra que a maior parte do N residual do fertilizante, possivelmente, interagiu com o N orgânico do solo, além de a ocorrência de possíveis perdas no sistema solo-planta. Isto sugere que, com a adoção destas práticas de manejo, as recomendações de doses de nitrogênio, sobretudo para cultivos irrigados, precisam ser aprimoradas, em especial, para a região de Cerrado, cujos solos são de baixa fertilidade natural e abrange a principal fronteira para a expansão de cultivo da cana-de-açúcar. Além disso, o estudo possibilitou a integração e formação de recursos humanos de alunos de iniciação científica, graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado e contribuiu com as expectativas do setor privado, que busca parcerias com o setor público as respostas para atuar de forma competitiva, visando a crescente demanda e o compromisso de gerar energia de forma sustentável. Ou seja, a pesquisa desenvolvida com fomento do CNPq conseguiu atender a demanda da parceria público-privada, estimulando o setor privado a também dar sua contrapartida, que no caso específico dessa pesquisa contou com área concedida pela Usina, sistema de irrigação do tipo pivô central, maquinários para plantio e colheita, e um supervisor de área que acompanhou toda a execução do projeto. Também permitiu a qualificação de recursos humanos por meio da verticalização e geração de conhecimento. Nelmício Furtado da Silva, que é rio-verdense (GO), iniciou seus estudos no Campus Rio Verde, em 2008, quando ingressou no curso Técnico em Agropecuária. No mesmo ano, deu início ao bacharelado em Agronomia, formando-se em 2013. Durante o curso superior, foi bolsista PIBIC/CNPq durante dois anos, e fez estágios em outras instituições de ensino, como a Universidade de São Paulo (USP). Finalizando seus estudos na graduação, ingressou no curso de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias - Agronomia. Em 2014, após a defesa de sua dissertação, iniciou seu doutorado no mesmo programa com bolsa da CAPES e aporte financeiro do CNPq para desenvolver sua pesquisa. Com o doutorado concluído, o recém-doutor já foi absorvido pelo setor privado, sendo contratado para atuar na área de pesquisa na empresa Tecno Nutrição Vegetal e Biotecnologia Ltda, que atua na área de nutrição de plantas na região centro-oeste do Brasil, para trabalhar como pesquisador. Além disso, foi convidado a fazer parte do quadro de professores da Faculdade Objetivo, para ministrar aulas na área de irrigação e Drenagem e desenvolver projetos de iniciação científica. A verticalização do ensino permitiu ao estudante acesso à educação de qualidade em sua própria região e absorção pelo mercado de trabalho de forma a contribuir para o desenvolvimento regional. O reitor do Instituto, Vicente Pereira de Almeida, que participou da defesa da tese, reforça que o caso de Nelmício consolida também a interiorização da pós-graduação no Estado de Goiás. 'Ver nosso aluno finalizando seu doutorado no IF Goiano, após ter entrado no ensino técnico, mostra que estamos colhendo bons frutos de um trabalho de sucesso da nossa Instituição', afirma. Coordenação de Comunicação Social Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais resultados e impactos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. CNPQ EM AÇÃO Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Ter, 30 Ago 2016 16:35:00 -0300 Chamadas PELD: CNPq e Conselho Britânico esclarecem principais dúvidas Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 30 Ago 2016 16:35:00 -0300 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O CNPq lançou recentemente duas Chamadas Públicas relacionadas com o Programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração - PELD. Ambas continuam abertas para envio de propostas: a Chamada CNPq/Capes/FAPs/BC-Fundo Newton/PELD nº 15/2016 foi lançada pelo CNPq para seleção de sítios PELD, e receberá propostas até a data-limite de 15/09/2016. e a Chamada Institutional Links CNPq Pesquisa Ecológica de Longa Duração foi lançada pelo Conselho Britânico, para seleção de projetos de cooperação Brasil-Reino Unido no âmbito dos sítios PELD brasileiros, a data-limite para envio de propostas é até 19/09/2016. Para sanar as principais dúvidas, o CNPq criou um conjunto de Perguntas e Respostas , com as principais dúvidas apresentadas até então, que seguem ao final. Além disso, para a Chamada em parceria com o Conselho Britânico, haverá, nesta quarta-feira, 31, das 10h às 12h, um hangout com representantes das duas instituições para esclarecer os pontos mais importantes do edital e sobre como apresentar sua candidatura . Participam deste hangout: Diana Daste, do British Council, e Fernando Pinheiro e Marcia Brito, do CNPq. O link para os espectadores é: No Google Plus: https://plus.google.com/events/c163aea49dcp0rqsk7s23ja2s7s No YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=1X7hF540TlA Para os usuários do Twitter , as perguntas podem ser feitas diretamente ao @CNPq_Oficial com a hashtag #PELD2016 . Na sexta-feira, dia 2, a partir das 10h, as perguntas selecionadas serão respondidas. As Chamadas As duas chamadas estão vinculadas entre si, como descrito a seguir: Para dar continuidade aos trabalhos de um sítio já existente ou criar um novo sítio PELD, é necessário enviar proposta à chamada do CNPq. Para obter apoio a um projeto de cooperação Brasil/Reino Unido relacionado a um sítio PELD, é necessário encaminhar proposta para a chamada do British Council. Mas isso não pode ser feito de forma isolada, é preciso que haja correspondência com uma proposta de sítio PELD. O projeto de cooperação só poderá ser aprovado caso seja aprovada também a proposta de sítio PELD parceiro. Mais informações sobre o componente Fundo Newton de cooperação internacional podem ser encontradas no Anexo II que acompanha a Chamada 15/2016 disponível no portal do CNPq. PERGUNTAS E RESPOSTAS 1) O que é um sítio PELD? Um sítio PELD pode ser definido como o conjunto de locais de amostragem de um projeto PELD, que define uma área (ou sítio) de referência para a pesquisa a ser desenvolvida. Como os projetos PELD possuem uma forte referência aos ambientes/ecossistemas que são os seus objetos de estudos, o termo ¿sítio¿ é utilizado para denominar o projeto de pesquisa como um todo. Assim, um sítio PELD é um projeto de pesquisa aprovado pelo CNPq no âmbito do programa PELD. 2) Como faço para criar um sítio PELD Neste momento, para criar um Sítio PELD o pesquisador deverá concorrer e ter sua proposta de pesquisa aprovada na Chamada CNPq/Capes/FAPs/BC-Fundo Newton/PELD nº 15/2016. 3) Preciso submeter proposta em um dos sítios existentes ou posso enviar uma proposta de sítio novo? A Chamada é aberta para propostas de novos sítios, assim como para propostas de sítios já existentes. 4) A minha instituição é elegível? Para ser elegível, a instituição deve ser pública ou privada sem fins lucrativos, ter na sua missão/objetivos o desenvolvimento de pesquisa científica, e ser cadastrada no Diretório de Instituições do CNPq. Para saber se a sua instituição já é cadastrada ou solicitar inclusão, acessar o Diretório de Instituições na Plataforma Lattes, disponível no portal do CNPq. 5) É possível enviar proposta apenas na Chamada do Conselho Britânico? Não. Neste caso, para concorrer aos recursos do Conselho Britânico, é necessário ter enviado proposta também para a chamada do CNPq. 6) Desejo submeter proposta prevendo participação da FAP do meu estado no financiamento do projeto. O que devo colocar no orçamento específico para a FAP? Para elaborar o orçamento específico, é importante que o proponente se informe junto à FAP sobre quais itens são financiáveis neste cofinanciamento. Deve-se observar que existe um valor máximo a ser respeitado para o orçamento da FAP, de R$ 200.000,00. O orçamento deve ser acompanhado de uma justificativa da importância dos recursos adicionais do ponto de vista do desenvolvimento da pesquisa e das contribuições técnico-científicas para o estado, conforme item 4.2 da Chamada. 7) Há a obrigatoriedade do envolvimento de algum Programa de Pós-graduação? Sim, podendo ser um programa lato ou stricto sensu . 8) Qual o prazo mínimo e máximo para a duração dos projetos? O prazo de execução dos projetos é de 48 meses. Vale observar que os recursos devem ser desembolsados pelo CNPq em quatro parcelas anuais, conforme disponibilidade orçamentária. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais CNPq em ação Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Prêmios Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Sex, 09 Fev 2018 17:05:00 -0200 Feita em tempo recorde, pesquisa que associou Zika vírus e microcefalia é premiada Coordenação de Comunicação Social do CNPq Sex, 09 Fev 2018 17:05:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Atualmente, existem mais de um milhão de casos de Zika vírus no mundo, sendo 210 mil no Brasil Levantamento inédito que comprovou a associação do surto de Zika vírus com os bebês nascidos com microcefalia na região nordeste do Brasil é o vencedor da 17ª edição do Prêmio Péter Murányi , conforme decisão do júri realizado ontem (8). O trabalho, coordenado pela doutora Celina Turchi e indicado pela Fundação Oswaldo Cruz, apontou, ainda, a relação do vírus com o aumento da mortalidade de fetos. O estudo epidemiológico, o primeiro que estabeleceu a associação entre microcefalia e infecção pelo vírus da Zika, acompanhou, de janeiro a novembro de 2016, a gestação de mulheres atendidas em oito maternidades públicas do Recife. Durante o período, 32 recém-nascidos foram diagnosticados com microcefalia. Testes laboratoriais apontaram a presença de infecção por Zika vírus em 13 deles. De acordo com Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi, entidade organizadora da premiação, estudos como esse mostram a importância do trabalho dos pesquisadores brasileiros para preservar o futuro das próximas gerações. 'Essa votação foi uma das mais emocionantes que já participei, devido ao nível dos finalistas. Todos são muito impactantes. Era impossível não pensar no tamanho do benefício que os trabalhos ofereciam à população, conforme íamos analisando os três estudos', relata. Vera sinalizou também que essa perplexidade para escolher a colocação de cada concorrente é motivo de orgulho, afinal, significa que cumpriram, com louvor, os critérios de avaliação. A mesma opinião é compartilhada pelo diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Marcelo Marcos Morales. ¿Trabalhos como esse são de extrema importância, pois mostram a capacidade da ciência brasileira em resolver problemas nacionais e também mundiais¿, afirma. O CNPq é um dos apoiadores do prêmio e participa da comissão julgadora. Os resultados apontados pelo grupo de estudos chefiado pela doutora Celina permitiram que fossem criadas medidas de combate ao mosquito transmissor do Zika vírus por parte do poder público, como a distribuição de repelentes para grávidas moradoras de áreas de risco para a doença e o acompanhamento das crianças portadoras de microcefalia. Bem como, auxiliou na análise clínica das infecções. 'É uma doença que gerou intensa comoção social e isso evidencia a gravidade desses eventos ligados à saúde reprodutiva da mulher, o desconhecimento sobre a causa e transmissão da infecção e dos possíveis fatores de risco expostos. Podemos dizer que esse estudo, realizado por pesquisadores brasileiros, moveu a fronteira do conhecimento científico e, hoje, é referência nos guias de manejo da síndrome do Ministério da Saúde e também é utilizado como fonte de orientação para os EUA', relata Celina. Reconhecimento internacional O trabalho resultou na inclusão de sua coordenadora, a médica epidemiologista Celina Turchi, entre as 100 pessoas mais influentes do mundo eleitas em 2017 pela revista norte-americana Time. A cientista brasileira foi a responsável por formar uma rede internacional, com cerca de 30 profissionais de diversas especialidades e instituições, reunidos no Microcephaly Epidemic Research Group (Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia), que conseguiu, em apenas três meses, identificar como o vírus Zika e a microcefalia estavam associados - os estudos começaram em janeiro de 2016, e, em abril, já havia fortes indícios dessa relação. Recorde de inscrições para a edição 2018 Para esta edição, focada em saúde, o Prêmio Péter Murányi recebeu 225 trabalhos, vindos de toda a América Latina, recorde de inscritos em toda a história da premiação. O trabalho vitorioso foi selecionado por um júri composto por representantes de entidades nacionais e internacionais ligadas à área da saúde, integrantes de universidades federais, estaduais e privadas, personalidades de renome e membros da sociedade. O Prêmio Péter Murányi é realizado anualmente, com temas que se alternam a cada edição: Saúde, Ciência & Tecnologia, Alimentação e Educação ¿ cada tema é revisitado a cada quatro anos. O valor total é de R$ 250 mil, divididos entre o vencedor (R$ 200 mil), o segundo (R$ 30 mil) e o terceiro colocados (R$ 20 mil). A entrega ocorrerá em abril, durante a festa de premiação. A premiação conta com o apoio das seguintes entidades, além do CNPq: CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola). Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras). SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). Aciesp(Academia de Ciências do Estado de São Paulo). ABC (Academia Brasileira de Ciências), Aconbras (Associação dos Cônsules no Brasil). Fonte: Assessoria de Comunicação Fundação Péter Murányi Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais prêmios Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. CT&I POR AÍ Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Qua, 21 Fev 2018 11:17:00 -0300 Canadá: anuidade menor para estrangeiros Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 21 Fev 2018 11:17:00 -0300 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet A Universidade de Toronto (UfT), a maior do Canadá e uma das 50 mais prestigiosas do mundo, segundo ranking de entidades globais de desempenho da pesquisa e do ensino superior (tais como a 'Times Higher Education'), anunciou a decisão de equiparar o valor das anuidades de estudantes e pesquisadores de doutorado estrangeiros às cobradas de nacionais canadenses. A decisão acarretará substancial redução dos custos para os cursos de doutorado na UofT, de parte de estrangeiros, uma vez que, enquanto o nacional canadense desembolsa entre $7.030 e $10.440 anuais (entre R$ 17.575,00 e R$ 26.100), dependendo do curso frequentado, o estrangeiro deve arcar com anuidades de entre $20.530 e $28.320 (R$ 51.310 e R$ 70.800). Os novos valores entrarão em vigor a partir do próximo ano acadêmico, a iniciar no mês de setembro deste ano. A decisão não terá impacto significativo nas receitas da universidade, uma vez que, dos seus 58.406 estudantes e pesquisadores, apenas cerca de 1.500 estão matriculados em cursos de doutorado - com menos da metade, entre esses, correspondendo a estrangeiros. O principal intuito da medida é o de reter na instituição pesquisadores estrangeiros altamente qualificados, de diversas áreas e origens, uma vez que muitos entre esses optam por frequentar cursos em outros países, com anuidades mais acessíveis. A UofT pretende, assim, que cientistas e pesquisadores de alto gabarito não deixem de se matricular, por não disporem das quantias até agora exigidas. Para o Coordenador Geral de Cooperação Internacional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Lelio Fellows Filho, isso significa uma boa economia para os doutorandos brasileiros com interesse no Canadá. 'Além disso, esse tipo de acerto, proveniente de decisão unilateral das Universidades ou de acordo prévio, pode se traduzir em significativa economia para o CNPq', aponta Lelio. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais CT&I por aí Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas Recentes Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas recentes Abertas Encerradas Resultados Nenhuma chamada aberta. Todas as chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 CHAMADA PÚBLICA Nº 31/2017 - APOIO À INSERÇÃO DE PESQUISADORES NAS EMPRESAS INCUBADAS Chamada CNPq/MCTIC/BRICS 29/2017 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 14/2017 - PROSPECÇÃO DE ENSAIOS CLÍNICOS E PRÉ-CLÍNICOS Todas as chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 CHAMADA PÚBLICA Nº 31/2017 - APOIO À INSERÇÃO DE PESQUISADORES NAS EMPRESAS INCUBADAS INCUBADORAS DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PARA CAPACITAÇÃO NO USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO Todas as chamadas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Agenda Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Agenda 19 Mar Workshop discute os desafios da ciência na agricultura e na produção de ali 15 Mar Integração da Pesquisa Pública com Cana de Açúcar no Brasil 13 Mar Fenicafé - Feira Nacional de Irrigação em Cafeicultura será realizada em Ar 27 Fev 2º Seminário: Políticas públicas e desigualdades no Brasil do século XXI: t Mais eventos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Oportunidades Externas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. USP e UFSCar oferecem oportunidade de pós-doutorado em estatística USP e UFSCar oferecem oportunidade de pós-doutorado em estatística Programa oferecido em parceria pelas duas universidades recebe inscrições até 25 de fevereiro Se você tem título de doutor em estatística ou áreas afins pode se candidatar a uma oportunidade de pós-doutorado no Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Estatística (PIPGEs). Oferecido em parceria pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, e pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o Programa estará com inscrições abertas, até 25 de fevereiro, para os candidatos interessados em receber uma bolsa do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O valor mensal da bolsa é de R$ 4,1 mil e o recebimento da primeira mensalidade está previsto para acontecer em abril. As inscrições deverão ser efetuadas pessoalmente ou por terceiros, mediante a apresentação de procuração simples, junto à secretaria do PIPGEs na UFSCar, localizada na área norte do campus São Carlos da Universidade. Serão aceitas também inscrições por meio do e-mail pipges@ufscar.br , desde que os candidatos enviem os documentos solicitados digitalizados. A lista completa dos documentos requeridos pode ser conferida no edital disponível no site do Programa: icmc.usp.br/e/dc0cc . Nesse endereço também estão disponíveis os modelos do formulário de inscrição e do projeto de pesquisa, bem como do plano de trabalho a ser desenvolvido durante o estágio pós-doutoral. Texto: Assessoria de Comunicação do ICMC ¿ com informações da Assessoria de Comunicação da UFSCar Mais informações Site do PIPGEs: www.pipges.ufscar.br Telefone: (16) 3351-8292 ou (16) 3351-8241 E-mail: pipges@ufscar.br HRAC-USP abre processo seletivo para vagas remanescentes da Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia Inscrições serão recebidas no Hospital no período de 19 de fevereiro a 5 de março O Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP torna pública a abertura de processo seletivo para preenchimento de seis vagas remanescentes do curso de Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia , voltado a pessoas com graduação em Odontologia. A Especialização tem duração de dois anos, de 23 de março de 2018 a fevereiro de 2020, com 24 horas semanais de atividades. A seleção será realizada em duas etapas: prova de conhecimentos específicos em Radiologia Odontológica e prova de Inglês, no dia 13 de março. e análise curricular, no dia 16 de março. As inscrições serão recebidas no período de 19 de fevereiro a 5 de março , das 8h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30, na Seção de Apoio Acadêmico do HRAC-USP. Inscrições via correio deverão conter a documentação exigida e será considerada como data de inscrição a data da postagem no correio. O Hospital fica na Rua Sílvio Marchione, 3-20, Vila Universitária, Bauru (SP), CEP 17012-900. O edital completo e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.hrac.usp.br/processos-seletivos/extensao . Mais informações pelo e-mail saac@usp.br ou telefone (14) 3235-8420. Atuante na área de ensino há mais de duas décadas, o HRAC-USP é reconhecido como Hospital de Ensino pelos Ministérios da Saúde e da Educação, e já titulou, no total, mais de 1.400 mestres, doutores e especialistas USP em São Carlos recruta voluntários para ministrar curso de alemão O Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação (SEL) da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP está recrutando voluntários para ministrar um minicurso introdutório de alemão. Os selecionados serão responsáveis por 15 aulas oferecidas gratuitamente para a comunidade interna e externa da Universidade e receberão um certificado de participação ao final do trabalho. O curso será divido em três módulos que abordarão temas básicos da língua como alfabeto, números, pronúncia, comidas típicas, como se apresentar para uma pessoa, pedidos em restaurantes e pequenos diálogos, tudo baseado em situações e cenários da cultura alemã. As aulas serão semanais e ministradas na EESC, ainda com data de início e horários a definir. Podem se candidatar voluntários com vivência na Alemanha, sejam jovens que realizaram intercâmbio no país europeu, professores da língua, nativos que estudam no Brasil, entre outros. O conteúdo oferecido será adaptado de um livro utilizado na própria Alemanha para o ensino da língua. Promovido desde 2016 pelo SEL, o curso tem o objetivo de despertar nas pessoas o interesse pela língua, dando-lhes uma boa base para aprofundarem seus conhecimentos em escolas especializadas no futuro. Os interessados em atuar como ministrantes devem enviar um e-mail para departamento.eletrica@eesc.usp.br com o assunto ¿Curso Alemão¿, contando qual a experiência que possui com a língua e deixando seus contatos para eventual retorno. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais oportunidades Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



http://www.cnpq.br/
  CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado CACHE

CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ‹ › Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Ter, 02 Jan 2018 11:50:00 -0200 Grupo da Unicamp divulga questionário para identificar pesquisadores negros e indígenas O Grupo de Estudos Feminismos Negros da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) criou questionário para mapeamento que servirá de base para um catálogo de pesquisadores negros, negras e indígenas que atuam no campo das Ciências Sociais Brasileiras. O trabalho é um desdobramento das atividades do grupo, até então realizadas, com o objetivo de intensificar diálogos com pesquisadores de outras instituições. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 02 Jan 2018 11:50:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O Grupo de Estudos Feminismos Negros da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) criou questionário para mapeamento que servirá de base para um catálogo de pesquisadores negros, negras e indígenas que atuam no campo das Ciências Sociais Brasileiras. O trabalho é um desdobramento das atividades do grupo, até então realizadas, com o objetivo de intensificar diálogos com pesquisadores de outras instituições. Nesse primeiro momento, a pesquisa delimita o recorte de titulação mínima de mestre com, ao menos em uma das etapas da formação acadêmica - graduação, mestrado ou doutorado - em Antropologia, Arqueologia, Ciência Política, Ciências Sociais, Relações Internacionais e Sociologia. A pesquisadora Stephanie Lima , bolsista de doutorado do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e uma das integrantes do grupo, explica que a ideia do catálogo surgiu com o objetivo de criar um local de busca para jovens pesquisadores terem conhecimento sobre as pesquisas em desenvolvimento por parte de pesquisadores negras, negros e indígena. ' Infelizmente, esse grupo ainda representa uma parcela muito pequena no total de pesquisadores do país', lamentou. Os dados obtidos pelo questionário buscam gerar informações ainda inexistentes, mas fundamentais para adensar às reflexões a respeito da visibilização de produções intelectuais de pesquisadores e cientistas negras, negros e indígenas no país atualmente. O grupo da UNICAMP foi criado em agosto de 2016 por uma demanda dos alunos da pós-graduação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp por um espaço de debates de intelectuais negras. ¿Durante essa primeira experiência organizamos uma emenda com textos e debatíamos semanalmente textos selecionados por nós, com alunos da pós e da graduação¿, lembra Stephanie. 'Por sermos apenas 3 pessoas na organização, resolvemos limitar, inicialmente, para Ciências Sociais. Contudo, o interesse do catálogo é chegarmos a um grande número de cadastros e, assim, podermos entrar com um pedido de financiamento para criarmos um tipo de plataforma online, onde possa reunir pesquisadores negros, negras e indígenas de todas as áreas', completou a pesquisadora. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Qua, 03 Jan 2018 06:00:00 -0200 Nova tecnologia identifica presença de mercúrio no ar Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 03 Jan 2018 06:00:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Uma pesquisa conduzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Socioambiental (ISA) constatou que algumas aldeias indígenas chegam a ter 92% de sua população contaminada por mercúrio. Neste caso, boa parte da contaminação se dá pela água, por meio da presença do metal em peixes consumidos pelos indígenas. Contudo, os pesquisadores lembram que o mercúrio presente no ar também é um agravante para a situação. E foi com foco nesse mercúrio no ar que pesquisadores da Unicamp, em parceria com a Universidade de Victoria (Canadá) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), desenvolveram um amostrador capaz de medir a quantidade de mercúrio presente no ar e, assim, verificar se uma determinada área está contaminada com o metal. Enriquecido com nanopartículas de ouro em vidro poroso, o dispositivo tem o tamanho de um botão e, em contato com o mercúrio, tem sua coloração modificada. O professor Ítalo Odone Mazali , do Instituto de Química (IQ) da Unicamp e pesquisador de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é um dos responsáveis pelos estudos. Ele diz que embora o foco da tecnologia seja a contaminação presente no ar, ela poderia ser utilizada, por exemplo, para avaliar a exposição ao mercúrio de populações que vivem ao redor do Rio Xingu, na região Amazônica. 'Eles não estão explorando o ouro, mas estão em uma área próxima da exploração e o mercúrio acaba chegando lá'. Já a pesquisadora estrangeira, também do IQ da Unicamp, Anne Helene Fostier , informa que a população mais exposta ao mercúrio gasoso são os garimpeiros. 'Mas esse mercúrio lançado no ar vai ser depositado à curta, média ou longa distância, a milhares de km. Quando o mercúrio é depositado na água, ele acaba sendo incorporado à cadeia alimentar', conta a professora. A tecnologia pode auxiliar no controle da saúde da população que reside no entorno de regiões onde há mineração de ouro. A ideia é que os trabalhadores do setor de mineração passem a utilizar o dispositivo acoplado a suas roupas. A pesquisa foi divulgada, no último dia 28 de novembro, pelo periódico científico Scientific Reports , publicação do grupo Nature . Colocado à prova, o sensor já foi testado por trabalhadores de uma mineração e mostrou ser bastante eficiente. Os testes comprovaram que a exposição ao mercúrio gasoso era superior à quantidade estabelecida pela OSHA (Occupational Safety and Health Administration). De acordo com o órgão, o limite máximo de exposição permitida para o vapor de mercúrio é de 0,1 mg/m3 de ar. Em campo, a pesquisa constatou a presença de 30 a 555 nanogramas de mercúrio, número bem superior ao estipulado pela OSHA. Com participação do professor Elias de Barros Santos , da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e ex-bolsista do CNPq, durante seu projeto de pós-dourado pela Universidade de Victoria, os testes foram realizados em uma mina de Burkina Faso, na África, em um ambiente bem contaminado. Durante a extração artesanal de ouro, os mineiros usam mercúrio como amalgamador (utilizado na separação de ligas metálicas). 'Depois disso, para separar o ouro da amálgama, é preciso que essa mistura seja aquecida a 400 graus Celsius. Esse aquecimento faz com que o mercúrio evapore e seja inalado pelos trabalhadores', afirma Santos. Os docentes salientam que a situação precária e insalubre a que os profissionais da mineração são expostos, sem nenhum tipo de preparo para lidar com a exposição ao mercúrio, é um problema mundial. 'A estimativa é que existam 20 milhões de pessoas, espalhadas pela América Latina, África e Ásia, trabalhando nessas condições. O ambiente é bem inóspito. Além disso, tem famílias com crianças que vivem nesses garimpos e que estão expostas a esse ambiente', alerta Santos. Dentre os problemas de saúde ocasionados pela contaminação por mercúrio, estão o nervosismo, ansiedade, irritabilidade, mudanças de humor, agressividade, confusão mental, insônia, lapsos de memória, enxaqueca, alucinações, tendência a cometer suicídio, tontura e labirintite. Hoje em dia não há tecnologia semelhante no mercado. 'Os sistemas que medem o mercúrio na atmosfera, hoje, são muito mais sofisticados, mais caros e que precisam de uma fonte de energia fixa e de gases especiais para funcionar, permitindo uma única medida naquele momento', completa Anne Helene Fostier. Além de ser um amostrador portátil e que permite obter resultados em poucos minutos, a tecnologia tem como diferencial o fato de ser barata e reutilizável. Os responsáveis pelos estudos estimam o custo para obtenção do dispositivo em menos de 2 dólares. 'O sensoriamento é fácil, sendo necessário apenas um celular e um programa que faça convolução em RGB, permitindo acompanhar o nível de exposição total', afirma Mazali. Coordenação de Comunicação Social do CNPq, com informações do Jornal da Unicamp Sex, 29 Dez 2017 18:11:00 -0200 Prospecção de ensaios clínicos: resultado preliminar e novas datas Coordenação de Comunicação Social do CNPq Sex, 29 Dez 2017 18:11:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq divulgou, nesta sexta-feira, o resultado preliminar do Chamamento Público nº 14/2017 - Prospecção de Ensaios Clínicos e Pré-Clínicos . A chamada buscou identificar ensaios pré-clínicos concluídos, ou em fase de conclusão, e ensaios clínicos fases I, II ou I/II, em andamento ou finalizados, que apresentem potencial de desenvolvimento de tecnologias em saúde estratégicas para o SUS e que contribuam com o complexo industrial da saúde, para eventual financiamento. Foi anunciado, também, um novo calendário para as próximas fases do edital: Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qui, 28 Dez 2017 17:25:00 -0200 CNPq antecipa pagamento de bolsas Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qui, 28 Dez 2017 17:25:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Em um esforço do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação - MCTIC, que antecipou os valores a serem repassados em janeiro de 2018, os bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq receberam pagamento antecipado que deveria ser efetuado no início de janeiro de 2018. O repasse soma por volta R$ 100 milhões Os beneficiários de bolsa no país receberam um montante aproximado de 82 milhões, nas diversas modalidades. As bolsas no exterior, com pagamento realizado no início de cada trimestre, receberam os valores referentes a esses vencimentos, que somam R$ 17 milhões. Dessa forma, o CNPq contemplou aproximadamente 90 mil bolsistas que já têm assegurados a mensalidade de janeiro referente ao mês de dezembro. O Presidente do CNPq em tom de brincadeira faz o alerta aos bolsistas 'Não é décimo terceiro, apenas um adiantamento do CNPq com votos de Feliz 2018. Após um ano de incertezas, os bolsistas merecem', comentou o presidente do CNPq, Mario Neto Borges, brincando ao lembrar que as normas de bolsas não preveem pagamento de 13º. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 27 Dez 2017 17:52:00 -0200 CNPq paga segunda parcela do Universal 2016 Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 27 Dez 2017 17:52:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Com o repasse de R$ 65 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), realizado este mês pela FINEP, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) efetuará o pagamento da segunda parcela aos projetos aprovados pela Chamada Universal 2016 . Os valores complementam os R$ 50 milhões já pagos pelo CNPq totalizando mais da metade dos recursos previstos pela Chamada. O pagamento será feito, prioritariamente, às propostas contempladas na Faixa A, de até R$ 30 mil. Isso significa que todos os projetos dessa faixa receberão integralmente os valores aprovados. Ao todo, serão quitados 2.295 projetos aprovados, mais da metade dos 4.514 contemplados pelas três faixas da Chamada. 'Decidimos priorizar a Faixa A porque, assim, conseguiríamos concluir o pagamento integral à maioria dos projetos aprovados, refletindo a preocupação em garantir a continuidade das pesquisas contratadas, proporcionando ao pesquisador a tranquilidade necessária para executar seu projeto', explicou o presidente do CNPq, Mario Neto Borges. Para o professor da Universidade de Brasília (UnB), do Departamento de Serviço Social, Reginaldo Guiraldelli , coordenador do projeto Condições de trabalho e saúde de assistentes sociais na sociedade contemporânea , aprovado na Faixa A, os recursos do Universal são fundamentais para a execução de pesquisas acadêmicas e científicas. 'O apoio é imprescindível para jovens pesquisadores, se fazendo necessária sua manutenção e ampliação, no sentido de contemplar as demandas e contribuir para o avanço da ciência no país', completou. A médica Angelica Amato , do Laboratório de Farmacologia Molecular da UnB, também reforça que esse aporte de recursos financeiros será essencial ao andamento dos projetos de pesquisa já contemplados, especialmente considerando a situação financeira atual do País e o período de tempo entre a elaboração do projeto de pesquisa, o resultado da seleção e a disponibilização do recurso. 'Além disso, deste recurso depende a continuidade da formação dos estudantes de pós-graduação', finalizou. A Chama Universal de 2016 prevê um total de R$ 200 milhões, sendo R$ 50 milhões do CNPq e R$ 150 milhões do FNDCT. As propostas foram contemplas em três faixas: além da A. a Faixa B, para projetos de até R$ 60 mil. e a Faixa C, para projetos de até R$ 120 mil. Os resultados foram divulgados em dezembro de 2016. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais notícias Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas recentes Abertas Encerradas Resultados CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 CHAMADA PÚBLICA Nº 31/2017 - APOIO À INSERÇÃO DE PESQUISADORES NAS EMPRESAS INCUBADAS Todas as chamadas Chamada CNPq/MCTIC/BRICS 29/2017 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 14/2017 - PROSPECÇÃO DE ENSAIOS CLÍNICOS E PRÉ-CLÍNICOS INCUBADORAS DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PARA CAPACITAÇÃO NO USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO Todas as chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 INCUBADORAS DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PARA CAPACITAÇÃO NO USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO PESQUISA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA CAATINGA E MATA ATLÂNTICA Todas as chamadas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Agenda Mais eventos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Oportunidades externas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 6º Ciclo Internacional de Desenvolvimento de Executivos da Administração Pública Federal - Formação de Outono/Inverno 2018 Sobre o curso Ementa Ciclo Internacional de Desenvolvimento de Executivos da Administração Pública Federal - 6ª Edição - Formação de Outono/Inverno 2018 Programa Voltado para Altos Executivos federais (dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário), este programa avançado de capacitação tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento de competências com foco na gestão de organizações complexas, no desenho de políticas públicas de modo inovador e no mapeamento de novos instrumentos para tomada de decisão. Contempla atividades no Brasil e no exterior, baseadas em metodologia prático-reflexiva, onde a experiência do sujeito é fonte de produção de conhecimentos a partir do diálogo como instigador da reflexão sobre a práxis. Ao longo desse Ciclo, em paralelo à aquisição de novas habilidades de liderança, gestão e formulação, o participante será instado a identificar um desafio crítico que enfrenta em sua atividade profissional real e contará com o acompanhamento de um coach para elaborar e colocar em prática um plano para enfrentamento desse desafio. O programa privilegia a interação entre pares, proporcionando a discussão coletiva dos desafios, além de agregar as metodologias e capacidades de Educação para Executivos Públicos da mundialmente renomada John F. Kennedy School of Government (ou Harvard Kennedy School), escola de governo da Universidade de Harvard. As atividades serão realizadas na Enap (em Brasília) e na Harvard Kennedy School (nos EUA). O investimento é da ordem de US$ 8.500,00 mais as despesas de viagem do participante, e deverá ser custeado pelo órgão do participante. O Ciclo Internacional envolve três etapas: 1. Três oficinas na Enap, em 15, 22 e 29 de março de 2018 (sempre de 14:30h às 17:30h). 2. Uma Etapa Internacional nos EUA, envolvendo a participação em uma dentre três opções de curso de Educação Executiva no campus da Harvard Kennedy School, de uma semana de duração (opções disponíveis: A. curso Mastering Negotiation: Building Agreements Across Boundaries, de 08 a 13 de abril de 2018. B. curso Leading Successful Programs: Using Evidence to Assess Effectiveness, de 29 de abril a 04 de maio de 2018. C. curso Women and Power: Leadership in a New World, de 29 de abril a 04 de maio de 2018). 3. De volta ao Brasil, será realizada uma Oficina de Retorno, em 17 de maio de 2018 (de 14:30 às 17:30h), e então o participante terá um período de três meses para implementar em sua atividade de trabalho um projeto de intervenção visando solucionar algum desafio crítico que enfrenta no mundo real. O Ciclo se encerrará com um Encontro Final de socialização das experiências dos participantes, em 30 de agosto de 2018 (de 08:00h às 18:00h). Público-alvo: Secretários-executivos, assessores especiais, secretários nacionais, diretores, assessores e servidores em posições de liderança de ministérios e da Presidência da República, de autarquias, fundações, agências, empresas públicas e de economia mista. bem como altos dirigentes dos Poderes Legislativo e Judiciário. Requisito: Inglês fluente. e perfil adequado ao público-alvo. Mais informações: CLIQUE AQUI para ver o folder completo sobre o programa. Oportunidade: pós-doutorado em aprendizado de máquina com bolsa da FAPESP O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, está com uma vaga aberta para pós-doutorado na área de aprendizado de máquina e mineração de dados com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O prazo de inscrição termina em 31 de janeiro. O bolsista irá trabalhar no projeto intitulado Armadilhas e sensores inteligentes: uma abordagem inovadora para controle de insetos peste e vetores de doenças , que tem como pesquisador responsável o professor Gustavo Batista, do ICMC. Os interessados devem enviar e-mail para gbatista@icmc.usp.br com o assunto post-doctoral application ¿ machine learning , contendo currículo e carta de apresentação com nomes e informações para contato de dois profissionais que possam recomendar o candidato, ambos em formato PDF. É necessário que o candidato tenha o título de doutor em ciência de computação ou áreas afins, com experiência em aprendizado de máquina e mineração de dados, além de ter finalizado seu doutorado nos últimos cinco anos. O valor da bolsa para pós-doutor da FAPESP é de R$ 7.174,80. O pesquisador trabalhará com as técnicas de aprendizado de máquina aplicadas a fluxos de dados para classificação e quantificação. A oportunidade está publicada no site da FAPESP no link icmc.usp.br/e/62b89 . Saiba mais sobre o projeto: Cientistas criam sensor para ajudar no combate ao Aedes aegypti Tecnologia inovadora desenvolvida no ICMC contribui para combater dengue, malária e pragas agrícolas Modelo criado no ICMC faz reconhecimento automático de espécies de inseto e pode ser aplicado a várias áreas do conhecimento BRAMA programa capacitação à distância em gestão da pesquisa Nos dias 13 e 20 de dezembro, das 11 às 12 horas, a Associação Brasileira de Gestores de Pesquisa promoverá um encontro para associados e aberto aos interessados em geral para discussão sobre o tema ¿Administração e Gestão da Pesquisa Científica no Brasil¿. O propósito do encontro é divulgar os objetivos da associação e promover uma interação entre os administradores de pesquisa no Brasil. A Associação ainda pretende, nessas datas, coletar temas de interesse para incluir na grade de palestras do curso de capacitação e aperfeiçoamento que será oferecido somente para os Associados durante o ano de 2018. Tanto o benchmarking como o curso de capacitação será realizado via Plataforma MConf ( http://mconf.org/ ). O link para acessar a conferência dos dias 13 e 20 de dezembro é: https://mconf.org/webconf/brama . Dúvidas ou outras informações poderão ser obtidas por meio do endereço bramabrazil@gmail.com . Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. MAIS OPORTUNIDADES Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



http://www.cnpq.br
  CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado CACHE

CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ‹ › Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Ter, 02 Jan 2018 11:50:00 -0200 Grupo da Unicamp divulga questionário para identificar pesquisadores negros e indígenas O Grupo de Estudos Feminismos Negros da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) criou questionário para mapeamento que servirá de base para um catálogo de pesquisadores negros, negras e indígenas que atuam no campo das Ciências Sociais Brasileiras. O trabalho é um desdobramento das atividades do grupo, até então realizadas, com o objetivo de intensificar diálogos com pesquisadores de outras instituições. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 02 Jan 2018 11:50:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O Grupo de Estudos Feminismos Negros da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) criou questionário para mapeamento que servirá de base para um catálogo de pesquisadores negros, negras e indígenas que atuam no campo das Ciências Sociais Brasileiras. O trabalho é um desdobramento das atividades do grupo, até então realizadas, com o objetivo de intensificar diálogos com pesquisadores de outras instituições. Nesse primeiro momento, a pesquisa delimita o recorte de titulação mínima de mestre com, ao menos em uma das etapas da formação acadêmica - graduação, mestrado ou doutorado - em Antropologia, Arqueologia, Ciência Política, Ciências Sociais, Relações Internacionais e Sociologia. A pesquisadora Stephanie Lima , bolsista de doutorado do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e uma das integrantes do grupo, explica que a ideia do catálogo surgiu com o objetivo de criar um local de busca para jovens pesquisadores terem conhecimento sobre as pesquisas em desenvolvimento por parte de pesquisadores negras, negros e indígena. ' Infelizmente, esse grupo ainda representa uma parcela muito pequena no total de pesquisadores do país', lamentou. Os dados obtidos pelo questionário buscam gerar informações ainda inexistentes, mas fundamentais para adensar às reflexões a respeito da visibilização de produções intelectuais de pesquisadores e cientistas negras, negros e indígenas no país atualmente. O grupo da UNICAMP foi criado em agosto de 2016 por uma demanda dos alunos da pós-graduação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp por um espaço de debates de intelectuais negras. ¿Durante essa primeira experiência organizamos uma emenda com textos e debatíamos semanalmente textos selecionados por nós, com alunos da pós e da graduação¿, lembra Stephanie. 'Por sermos apenas 3 pessoas na organização, resolvemos limitar, inicialmente, para Ciências Sociais. Contudo, o interesse do catálogo é chegarmos a um grande número de cadastros e, assim, podermos entrar com um pedido de financiamento para criarmos um tipo de plataforma online, onde possa reunir pesquisadores negros, negras e indígenas de todas as áreas', completou a pesquisadora. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Qua, 03 Jan 2018 06:00:00 -0200 Nova tecnologia identifica presença de mercúrio no ar Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 03 Jan 2018 06:00:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Uma pesquisa conduzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Socioambiental (ISA) constatou que algumas aldeias indígenas chegam a ter 92% de sua população contaminada por mercúrio. Neste caso, boa parte da contaminação se dá pela água, por meio da presença do metal em peixes consumidos pelos indígenas. Contudo, os pesquisadores lembram que o mercúrio presente no ar também é um agravante para a situação. E foi com foco nesse mercúrio no ar que pesquisadores da Unicamp, em parceria com a Universidade de Victoria (Canadá) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), desenvolveram um amostrador capaz de medir a quantidade de mercúrio presente no ar e, assim, verificar se uma determinada área está contaminada com o metal. Enriquecido com nanopartículas de ouro em vidro poroso, o dispositivo tem o tamanho de um botão e, em contato com o mercúrio, tem sua coloração modificada. O professor Ítalo Odone Mazali , do Instituto de Química (IQ) da Unicamp e pesquisador de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é um dos responsáveis pelos estudos. Ele diz que embora o foco da tecnologia seja a contaminação presente no ar, ela poderia ser utilizada, por exemplo, para avaliar a exposição ao mercúrio de populações que vivem ao redor do Rio Xingu, na região Amazônica. 'Eles não estão explorando o ouro, mas estão em uma área próxima da exploração e o mercúrio acaba chegando lá'. Já a pesquisadora estrangeira, também do IQ da Unicamp, Anne Helene Fostier , informa que a população mais exposta ao mercúrio gasoso são os garimpeiros. 'Mas esse mercúrio lançado no ar vai ser depositado à curta, média ou longa distância, a milhares de km. Quando o mercúrio é depositado na água, ele acaba sendo incorporado à cadeia alimentar', conta a professora. A tecnologia pode auxiliar no controle da saúde da população que reside no entorno de regiões onde há mineração de ouro. A ideia é que os trabalhadores do setor de mineração passem a utilizar o dispositivo acoplado a suas roupas. A pesquisa foi divulgada, no último dia 28 de novembro, pelo periódico científico Scientific Reports , publicação do grupo Nature . Colocado à prova, o sensor já foi testado por trabalhadores de uma mineração e mostrou ser bastante eficiente. Os testes comprovaram que a exposição ao mercúrio gasoso era superior à quantidade estabelecida pela OSHA (Occupational Safety and Health Administration). De acordo com o órgão, o limite máximo de exposição permitida para o vapor de mercúrio é de 0,1 mg/m3 de ar. Em campo, a pesquisa constatou a presença de 30 a 555 nanogramas de mercúrio, número bem superior ao estipulado pela OSHA. Com participação do professor Elias de Barros Santos , da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e ex-bolsista do CNPq, durante seu projeto de pós-dourado pela Universidade de Victoria, os testes foram realizados em uma mina de Burkina Faso, na África, em um ambiente bem contaminado. Durante a extração artesanal de ouro, os mineiros usam mercúrio como amalgamador (utilizado na separação de ligas metálicas). 'Depois disso, para separar o ouro da amálgama, é preciso que essa mistura seja aquecida a 400 graus Celsius. Esse aquecimento faz com que o mercúrio evapore e seja inalado pelos trabalhadores', afirma Santos. Os docentes salientam que a situação precária e insalubre a que os profissionais da mineração são expostos, sem nenhum tipo de preparo para lidar com a exposição ao mercúrio, é um problema mundial. 'A estimativa é que existam 20 milhões de pessoas, espalhadas pela América Latina, África e Ásia, trabalhando nessas condições. O ambiente é bem inóspito. Além disso, tem famílias com crianças que vivem nesses garimpos e que estão expostas a esse ambiente', alerta Santos. Dentre os problemas de saúde ocasionados pela contaminação por mercúrio, estão o nervosismo, ansiedade, irritabilidade, mudanças de humor, agressividade, confusão mental, insônia, lapsos de memória, enxaqueca, alucinações, tendência a cometer suicídio, tontura e labirintite. Hoje em dia não há tecnologia semelhante no mercado. 'Os sistemas que medem o mercúrio na atmosfera, hoje, são muito mais sofisticados, mais caros e que precisam de uma fonte de energia fixa e de gases especiais para funcionar, permitindo uma única medida naquele momento', completa Anne Helene Fostier. Além de ser um amostrador portátil e que permite obter resultados em poucos minutos, a tecnologia tem como diferencial o fato de ser barata e reutilizável. Os responsáveis pelos estudos estimam o custo para obtenção do dispositivo em menos de 2 dólares. 'O sensoriamento é fácil, sendo necessário apenas um celular e um programa que faça convolução em RGB, permitindo acompanhar o nível de exposição total', afirma Mazali. Coordenação de Comunicação Social do CNPq, com informações do Jornal da Unicamp Sex, 29 Dez 2017 18:11:00 -0200 Prospecção de ensaios clínicos: resultado preliminar e novas datas Coordenação de Comunicação Social do CNPq Sex, 29 Dez 2017 18:11:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq divulgou, nesta sexta-feira, o resultado preliminar do Chamamento Público nº 14/2017 - Prospecção de Ensaios Clínicos e Pré-Clínicos . A chamada buscou identificar ensaios pré-clínicos concluídos, ou em fase de conclusão, e ensaios clínicos fases I, II ou I/II, em andamento ou finalizados, que apresentem potencial de desenvolvimento de tecnologias em saúde estratégicas para o SUS e que contribuam com o complexo industrial da saúde, para eventual financiamento. Foi anunciado, também, um novo calendário para as próximas fases do edital: Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qui, 28 Dez 2017 17:25:00 -0200 CNPq antecipa pagamento de bolsas Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qui, 28 Dez 2017 17:25:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Em um esforço do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação - MCTIC, que antecipou os valores a serem repassados em janeiro de 2018, os bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq receberam pagamento antecipado que deveria ser efetuado no início de janeiro de 2018. O repasse soma por volta R$ 100 milhões Os beneficiários de bolsa no país receberam um montante aproximado de 82 milhões, nas diversas modalidades. As bolsas no exterior, com pagamento realizado no início de cada trimestre, receberam os valores referentes a esses vencimentos, que somam R$ 17 milhões. Dessa forma, o CNPq contemplou aproximadamente 90 mil bolsistas que já têm assegurados a mensalidade de janeiro referente ao mês de dezembro. O Presidente do CNPq em tom de brincadeira faz o alerta aos bolsistas 'Não é décimo terceiro, apenas um adiantamento do CNPq com votos de Feliz 2018. Após um ano de incertezas, os bolsistas merecem', comentou o presidente do CNPq, Mario Neto Borges, brincando ao lembrar que as normas de bolsas não preveem pagamento de 13º. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 27 Dez 2017 17:52:00 -0200 CNPq paga segunda parcela do Universal 2016 Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qua, 27 Dez 2017 17:52:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Com o repasse de R$ 65 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), realizado este mês pela FINEP, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) efetuará o pagamento da segunda parcela aos projetos aprovados pela Chamada Universal 2016 . Os valores complementam os R$ 50 milhões já pagos pelo CNPq totalizando mais da metade dos recursos previstos pela Chamada. O pagamento será feito, prioritariamente, às propostas contempladas na Faixa A, de até R$ 30 mil. Isso significa que todos os projetos dessa faixa receberão integralmente os valores aprovados. Ao todo, serão quitados 2.295 projetos aprovados, mais da metade dos 4.514 contemplados pelas três faixas da Chamada. 'Decidimos priorizar a Faixa A porque, assim, conseguiríamos concluir o pagamento integral à maioria dos projetos aprovados, refletindo a preocupação em garantir a continuidade das pesquisas contratadas, proporcionando ao pesquisador a tranquilidade necessária para executar seu projeto', explicou o presidente do CNPq, Mario Neto Borges. Para o professor da Universidade de Brasília (UnB), do Departamento de Serviço Social, Reginaldo Guiraldelli , coordenador do projeto Condições de trabalho e saúde de assistentes sociais na sociedade contemporânea , aprovado na Faixa A, os recursos do Universal são fundamentais para a execução de pesquisas acadêmicas e científicas. 'O apoio é imprescindível para jovens pesquisadores, se fazendo necessária sua manutenção e ampliação, no sentido de contemplar as demandas e contribuir para o avanço da ciência no país', completou. A médica Angelica Amato , do Laboratório de Farmacologia Molecular da UnB, também reforça que esse aporte de recursos financeiros será essencial ao andamento dos projetos de pesquisa já contemplados, especialmente considerando a situação financeira atual do País e o período de tempo entre a elaboração do projeto de pesquisa, o resultado da seleção e a disponibilização do recurso. 'Além disso, deste recurso depende a continuidade da formação dos estudantes de pós-graduação', finalizou. A Chama Universal de 2016 prevê um total de R$ 200 milhões, sendo R$ 50 milhões do CNPq e R$ 150 milhões do FNDCT. As propostas foram contemplas em três faixas: além da A. a Faixa B, para projetos de até R$ 60 mil. e a Faixa C, para projetos de até R$ 120 mil. Os resultados foram divulgados em dezembro de 2016. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais notícias Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas recentes Abertas Encerradas Resultados CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 CHAMADA PÚBLICA Nº 31/2017 - APOIO À INSERÇÃO DE PESQUISADORES NAS EMPRESAS INCUBADAS Todas as chamadas Chamada CNPq/MCTIC/BRICS 29/2017 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 14/2017 - PROSPECÇÃO DE ENSAIOS CLÍNICOS E PRÉ-CLÍNICOS INCUBADORAS DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PARA CAPACITAÇÃO NO USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO Todas as chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 INCUBADORAS DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PARA CAPACITAÇÃO NO USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO PESQUISA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA CAATINGA E MATA ATLÂNTICA Todas as chamadas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Agenda Mais eventos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Oportunidades externas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 6º Ciclo Internacional de Desenvolvimento de Executivos da Administração Pública Federal - Formação de Outono/Inverno 2018 Sobre o curso Ementa Ciclo Internacional de Desenvolvimento de Executivos da Administração Pública Federal - 6ª Edição - Formação de Outono/Inverno 2018 Programa Voltado para Altos Executivos federais (dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário), este programa avançado de capacitação tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento de competências com foco na gestão de organizações complexas, no desenho de políticas públicas de modo inovador e no mapeamento de novos instrumentos para tomada de decisão. Contempla atividades no Brasil e no exterior, baseadas em metodologia prático-reflexiva, onde a experiência do sujeito é fonte de produção de conhecimentos a partir do diálogo como instigador da reflexão sobre a práxis. Ao longo desse Ciclo, em paralelo à aquisição de novas habilidades de liderança, gestão e formulação, o participante será instado a identificar um desafio crítico que enfrenta em sua atividade profissional real e contará com o acompanhamento de um coach para elaborar e colocar em prática um plano para enfrentamento desse desafio. O programa privilegia a interação entre pares, proporcionando a discussão coletiva dos desafios, além de agregar as metodologias e capacidades de Educação para Executivos Públicos da mundialmente renomada John F. Kennedy School of Government (ou Harvard Kennedy School), escola de governo da Universidade de Harvard. As atividades serão realizadas na Enap (em Brasília) e na Harvard Kennedy School (nos EUA). O investimento é da ordem de US$ 8.500,00 mais as despesas de viagem do participante, e deverá ser custeado pelo órgão do participante. O Ciclo Internacional envolve três etapas: 1. Três oficinas na Enap, em 15, 22 e 29 de março de 2018 (sempre de 14:30h às 17:30h). 2. Uma Etapa Internacional nos EUA, envolvendo a participação em uma dentre três opções de curso de Educação Executiva no campus da Harvard Kennedy School, de uma semana de duração (opções disponíveis: A. curso Mastering Negotiation: Building Agreements Across Boundaries, de 08 a 13 de abril de 2018. B. curso Leading Successful Programs: Using Evidence to Assess Effectiveness, de 29 de abril a 04 de maio de 2018. C. curso Women and Power: Leadership in a New World, de 29 de abril a 04 de maio de 2018). 3. De volta ao Brasil, será realizada uma Oficina de Retorno, em 17 de maio de 2018 (de 14:30 às 17:30h), e então o participante terá um período de três meses para implementar em sua atividade de trabalho um projeto de intervenção visando solucionar algum desafio crítico que enfrenta no mundo real. O Ciclo se encerrará com um Encontro Final de socialização das experiências dos participantes, em 30 de agosto de 2018 (de 08:00h às 18:00h). Público-alvo: Secretários-executivos, assessores especiais, secretários nacionais, diretores, assessores e servidores em posições de liderança de ministérios e da Presidência da República, de autarquias, fundações, agências, empresas públicas e de economia mista. bem como altos dirigentes dos Poderes Legislativo e Judiciário. Requisito: Inglês fluente. e perfil adequado ao público-alvo. Mais informações: CLIQUE AQUI para ver o folder completo sobre o programa. Oportunidade: pós-doutorado em aprendizado de máquina com bolsa da FAPESP O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, está com uma vaga aberta para pós-doutorado na área de aprendizado de máquina e mineração de dados com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O prazo de inscrição termina em 31 de janeiro. O bolsista irá trabalhar no projeto intitulado Armadilhas e sensores inteligentes: uma abordagem inovadora para controle de insetos peste e vetores de doenças , que tem como pesquisador responsável o professor Gustavo Batista, do ICMC. Os interessados devem enviar e-mail para gbatista@icmc.usp.br com o assunto post-doctoral application ¿ machine learning , contendo currículo e carta de apresentação com nomes e informações para contato de dois profissionais que possam recomendar o candidato, ambos em formato PDF. É necessário que o candidato tenha o título de doutor em ciência de computação ou áreas afins, com experiência em aprendizado de máquina e mineração de dados, além de ter finalizado seu doutorado nos últimos cinco anos. O valor da bolsa para pós-doutor da FAPESP é de R$ 7.174,80. O pesquisador trabalhará com as técnicas de aprendizado de máquina aplicadas a fluxos de dados para classificação e quantificação. A oportunidade está publicada no site da FAPESP no link icmc.usp.br/e/62b89 . Saiba mais sobre o projeto: Cientistas criam sensor para ajudar no combate ao Aedes aegypti Tecnologia inovadora desenvolvida no ICMC contribui para combater dengue, malária e pragas agrícolas Modelo criado no ICMC faz reconhecimento automático de espécies de inseto e pode ser aplicado a várias áreas do conhecimento BRAMA programa capacitação à distância em gestão da pesquisa Nos dias 13 e 20 de dezembro, das 11 às 12 horas, a Associação Brasileira de Gestores de Pesquisa promoverá um encontro para associados e aberto aos interessados em geral para discussão sobre o tema ¿Administração e Gestão da Pesquisa Científica no Brasil¿. O propósito do encontro é divulgar os objetivos da associação e promover uma interação entre os administradores de pesquisa no Brasil. A Associação ainda pretende, nessas datas, coletar temas de interesse para incluir na grade de palestras do curso de capacitação e aperfeiçoamento que será oferecido somente para os Associados durante o ano de 2018. Tanto o benchmarking como o curso de capacitação será realizado via Plataforma MConf ( http://mconf.org/ ). O link para acessar a conferência dos dias 13 e 20 de dezembro é: https://mconf.org/webconf/brama . Dúvidas ou outras informações poderão ser obtidas por meio do endereço bramabrazil@gmail.com . Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. MAIS OPORTUNIDADES Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



https://pt.wikipedia.org/wiki/Proje%C3%A7%C3%A3o_da_consci%C3%AAncia
  Projeção da consciência – Wikipédia, a enciclopédia livre Projeção da consciência Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2011) . Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas. Projeção da consciência (PC) (ou experiência fora-do-corpo (EFC) ) [ outros sinônimos ] descreveria ... estabelecidas. Projeção da consciência (PC) (ou experiência fora-do-corpo (EFC) ) [ outros sinônimos ... 'dimensão extrafísica' como plano espiritual . A experiência fora-do-corpo (do inglês out-of-body ... , [ 8 ] [ 9 ] experiência de quase-morte , deprivação sensorial, estimulação elétrica do giro ... experiência fora-do-corpo e outros estados alterados de consciência . Índice 1 Teorias 2 Projeções 2.1 ... Experimentos 5 Sinonímia da Projeção da Consciência 6 Sinonímia da Experiência Fora do Corpo 7 Relatos CACHE

Projeção da consciência – Wikipédia, a enciclopédia livre Projeção da consciência Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2011) . Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas. Projeção da consciência (PC) (ou experiência fora-do-corpo (EFC) ) [ outros sinônimos ] descreveria um suposto fenômeno paranormal : a “saída” da consciência do corpo humano e uma suposta 'manifestação' em uma 'dimensão extrafísica'. [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] O Espiritismo denomina esta 'dimensão extrafísica' como plano espiritual . A experiência fora-do-corpo (do inglês out-of-body experience ) pode ser caracterizada também como sendo a sensação de saída ou escape do corpo físico, sendo possível observar a si próprio e ao mundo afora de uma outra perspectiva. [ 5 ] A alma deixando o corpo (ilustração de L. Schiavonetti, 1808). Tais experiências seriam realizadas por qualquer pessoa, por meio do sono, via meditação profunda, técnicas de relaxamento, [ 6 ] ou involuntáriamente, durante episódios de paralisia do sono, [ 7 ] trauma, variações abruptas da atividade emocional e estresse , [ 8 ] [ 9 ] experiência de quase-morte , deprivação sensorial, estimulação elétrica do giro angular direito do cérebro, [ 10 ] estimulação eletromagnética, experiências de ilusão de óptica controladas, [ 11 ] e através de efeitos neurofisiológicos por indução de drogas . A Projeciologia , fundamentada nos experimentos pessoais de projetores conscientes e sistematizações destas autopesquisas, esboçada por Sylvan Muldoon , Hugh Callaway (Oliver Fox), Robert Monroe, Johannes Hohlemberg, Marcel Louis Fohan, Robert Crookall, dentre outros, e sistematizada por Waldo Vieira , relata que durante a projeção, quando lúcida, o indivíduo está ciente de que se encontra fora do próprio corpo físico, projetado por meio do psicossoma ( corpo astral , perispírito ), que é uma entidade imaterial. Por intermédio da projeção da consciência é possível conhecer supostas dimensões extra-físicas. A projeção da consciência com frequência é associada ao esoterismo e o movimento da Nova Era . Paralelamente, desde os anos 1960 o fenômeno é alvo de interesse da ciência acadêmica, devido principalmente as pesquisas sobre o assunto feitas por Charles Tart naquela época. [ 12 ] [ 13 ] Explicações científicas que seguem o princípio da parcimônia fazem previsões suficientes e pontuais acerca do fenômeno de experiência fora-do-corpo e outros estados alterados de consciência . Índice 1 Teorias 2 Projeções 2.1 Níveis de lucidez 2.2 Tipos de projeções 3 Fenomenologia das experiências extracorpóreas 4 Experimentos 5 Sinonímia da Projeção da Consciência 6 Sinonímia da Experiência Fora do Corpo 7 Relatos bíblicos 8 Ver também 9 Referências 10 Bibliografia adicional 11 Ligações externas Teorias [ editar | editar código-fonte ] Imagem alegórica da projeção de consciência. Existem diversos relatos de projeções conscientes, inclusive publicados em forma de diário. Por exemplo as publicações dos autores estadunidenses Robert Monroe (“Viagens Fora do Corpo” de 1971) e William Buhlman (“Out of Body” de 1996). como também dos brasileiros Waldo Vieira (“Projeções da Consciência” de 1979), Moisés Esagüi e Wagner Borges . Tais autores fundariam posteriormente instituições dedicadas ao estudo e pesquisa do fenômeno descrito, entre outras atividades. A exemplo o Monroe Institute , [ 14 ] o IIP (porteriormente IIPC ), [ 15 ] o CEC [ 16 ] e o IPPB . [ 17 ] Os céticos acerca das projeções da consciência veem tais fenômenos como alucinações . Essa hipótese é apoiada em experimentos nos quais há a indução do estado quase-morte (EQM) por medicações anestésicas como a quetamina, [ 18 ] pela indução de hipóxia cerebral, [ 19 ] estimulação elétrica do giro angular direito do cérebro [ 20 ] e outros cenários de alteração neurofisiológica e cognitiva, como suportados por experimentos. A hipótese de alucinação segue a Navalha de Occam , o princípio da parcimônia, pois não há nenhum estudo que sustente a existência de um plano não-físico, não-mensurável, onde há interação de substância não-físicas com substâncias físicas ( causalidade ) , devido, pontualmente, ao caráter não-mensurável e estritamente subjetivo, onírico e possivelmente alucinógeno das experiências. Não há resistência por parte de pesquisadores céticos para o estudo de fenômenos, basta que uma análise de caso faça surgir uma teoria científica . Uma teoria científica segue o método científico para tentar descrever um fenômeno com austeridade e realizar previsões com alto grau de precisão. Uma teoria com proposições acerca de elementos não-mensuráveis (não detectados) que são por definição não-físicos não conseguem descrever a realidade, situação em que a teoria é descartada porque se torna irrefutável ( falseabilidade ). Todos os centros de pesquisa científicos seguem o naturalismo biológico como posicionamento filosófico capaz de descrever o mundo com precisão e gerar conhecimento confiável. Se um fenômeno não pode ser detectado por aparatos físicos, ou seja, por aparatos científicos, então muitos fenômenos podem existir de maneira aleatória e nenhum tem relevância maior porque não podem ser detectados por mais que o pesquisador espiritual insista no caráter particular, privado e introspectivo do fenômeno. Vale lembrar que inúmeros danos cerebrais também sustentam experiências subjetivas, privadas, mas nenhuma se traduz como confiável para descrever a realidade. Sonhos podem ter seu conteúdo cognitivo visualizado através de aparatos neurocientíficos, onde o pesquisador consegue montar quadros dos esquemas audio-visuais que o paciente está experienciando. [ 21 ] Uma mesma aproximação de estudo já criou uma máquina capaz de ler os pensamentos de maneira rudimentar. [ 22 ] A projeção da consciência é uma experiência tipicamente subjetiva, descrita muitas vezes como próxima a sensação corporal de estar flutuando como um balão , e, em alguns casos, conforme relatos, havendo a possibilidade de estar vendo o próprio corpo físico, olhando-o sob o ponto de vista de um observador, fora do seu próprio corpo ( autoscopia ). Estatisticamente, uma em cada dez pessoas afirma ter tido algum tipo de experiência fora do corpo em suas vidas . [ 23 ] Segundo Vieira , quando o metabolismo e as ondas cerebrais diminuem, durante o sono , os laços energéticos que seguram o corpo astral ao corpo físico se soltariam, então a pessoa, através deste, seria projetada para fora do corpo humano. Dependendo do estado de lucidez, são relatados posteriormente como sonhos , sonho lúcido ou uma experiência extracorpórea totalmente lúcida. Durante a projeção propriamente dita o laço entre corpo astral e o corpo físico é mantido pelo chamado “ cordão de prata ”. Este romperia apenas no momento da morte biológica. Vieira também insiste em ressaltar o aspecto evolutivo da projeção consciente afirmando que “ sair do corpo humano, com lucidez, é a mais preciosa e prática fonte de esclarecimentos e informações prioritárias acerca dos mais importantes problemas da vida, elucidando-nos sobre quem somos, de onde viemos e para onde vamos ”. [ 24 ] O seu tratado Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano (1986) foi escrito com a proposta de chancelar a pesquisa científica sobre o tema. [ 25 ] Segundo a concepção espírita , o desdobramento [ 26 ] trata-se de um processo de exteriorização do perispírito do corpo físico. O perispírito, durante este processo, sempre permanece ligado ao corpo por uma espécie de cordão umbilical fluídico . É um estado de relativa liberdade perispiritual, análogo ao sono, em que podemos agir semelhantemente a um desencarnado , podendo nos afastar a distâncias consideráveis de nosso corpo físico. O desdobramento pode ser inconsciente (caso em que ao retornar ao corpo, a pessoa não lembra da experiência), semiconsciente (caso em que ao retornar ao corpo, a pessoa lembra apenas veladamente da experiência) ou consciente (caso em que ao retornar ao corpo, a pessoa lembra claramente da experiência) e, esse último caso pode ser iniciado através de operadores encarnados ou desencarnados (benfeitores ou obsessores). Também pode ser parcial, que é quando o perispírito não deixa o corpo físico totalmente (situação na qual as faculdades psíquicas são muito ampliadas) ou total, quando o perispírito deixa o corpo físico. Essa faculdade também pode ser desenvolvida através de exercícios metódicos. Também é chamado de emancipação da alma, desdobramento astral, projeção astral ou exteriorização. O Livro dos Espíritos de Allan Kardec trata bastante do assunto, em sua parte 2, 'Capítulo VIII - Emancipação da Alma'. O pesquisador espírita italiano Ernesto Bozzano escreveu sobre o assunto em uma série de obras notórias, como 'Dei fenomeni di bilocazione' (1934). [ 12 ] Projeções [ editar | editar código-fonte ] Existiriam alguns tipos de projeções e níveis de lucidez: Níveis de lucidez [ editar | editar código-fonte ] Projeção inconsciente: ocorreria quando o projetor sairia do corpo totalmente inconsciente. Seria um 'sonâmbulo extrafísico'. A maioria absoluta da população do planeta faria esta projeção durante o sono ou cochilo e estas seriam posteriormente relatadas como sonhos . Projeção semiconsciente: ocorreria quando o grau de consciência é intermediário, e a pessoa ficaria sonhando acordado fora do corpo, totalmente iludido por suas ideias oníricas. Conhecido também como sonho lúcido . Projeção consciente: ocorreria quando o projetor sairia do corpo e manteria a sua consciência durante todo o transcurso da experiência extracorpórea. São poucos que dominariam esta projeção. Tipos de projeções [ editar | editar código-fonte ] Alegoria que representa uma projeção consciente em tempo-real realizada por São Ranieri (obra produzida em 1444 por Stefano di Giovanni ) Projeção em tempo-real : quando o projetor projetar-se-ia para fora do corpo físico e cairia num suposto plano mais próximo ao plano físico , vivenciando tudo ao seu redor. Quem conseguiria este tipo de projeção, poderia supostamente relatar acontecimentos do cotidiano, naturais e extrafísicos. Supostamente, dependendo o nível do projetor, seria possível interagir com o plano físico. Projeção involuntária : ocorreria com a maioria das pessoas que acordariam dentro dos sonhos sem sua própria vontade. Experiência quase-morte : seria a experiência ocorrida quando, devido a uma doença grave ou acidente, a pessoa sofre o chamado ' estado de quase morte '. O coração e todos sinais vitais, inclusive as ondas cerebrais detectadas por aparelhos, parariam e a morte clínica do paciente estaria atestada pelos médicos. Nessas situações, acredita-se que o suposto 'espírito' não se desligaria do 'corpo físico' e o paciente 'milagrosamente' ressuscitaria, ou seja, apenas que a experiência subjectiva se mantém porque o sistema nervoso ainda apresenta atividade ínfima, pois o processo de necrose (morte celular não-programada) não se instalou. Após o retorno de consciência, cerca de 11% [ 27 ] dos pacientes relatam experiências detalhadas a cerca de como podem supostamente descrever com detalhes aconteceu enquanto estava 'morto', pois, na interpretação dualista, manteriam a consciência ou espírito no suposto plano astral, fora do corpo físico, enquanto tinham a sensação de pairar sobre o corpo. Para o psicólogo e parapsicólogo espiritualista Titus Rivas , a EQM não pode ser completamente explicada por causas fisiológicas ou psicológicas, pois a consciência funcionaria indepedentemente da atividade cerebral. [ 28 ] Projeção voluntária : este tipo de experiência poderia ser induzida através de técnicas projetivas, meditação , amparo de supostas entidades extrafísicas, entre outras. Segundos os praticantes de Yoga , Teosofia , algumas correntes filosóficas e escolas de estudos do pensamento a 'projeção consciente' poderia ocorrer com qualquer pessoa, esteja ela consciente do fato ou não. Isto quer dizer que uma pessoa poderia 'projetar sua consciência' sem saber que está realizando esta ação, no entanto, seu subconsciente está plenamente ciente da condição existencial que está sendo vivenciada. Projeção lúcida : ver Projeção consciente . Fenomenologia das experiências extracorpóreas [ editar | editar código-fonte ] Ballonnement - sensação de abaloamento ou inchaço. Catalepsia projetiva - estado em que a consciência ou experiência subjectiva se encontra no corpo, mas sem domínio sobre este. é comum no começo e principalmente no fim da experiência extracorpórea, normalmente durando poucos instantes. estado de paralisia astral passível de ocorrer durante a projeção, normalmente com praticantes iniciantes espiritualistas. Estado vibracional - sensação de estado vibracional interior. Ruídos intracranianos - ruídos naturais que podem ocorrer no momento do deslocamento do psicossoma (ou corpo astral) para fora do corpo físico. Toda fenomenologia está inserida na experiência, seja ela de cunho espiritualista (durante a meditação ou prática de atividade espiritual), experimentação científica controlada como as patrocinadas pela ASPR ( American Society for Psychical Research ) no século passado, ou durante episódios de paralisia do sono, traumas, EQM, estimulação elétrica do giro angular direito do cérebro [ 10 ] e outras experiências de ilusão de óptica controladas, [ 11 ] etc. Experimentos [ editar | editar código-fonte ] A projeção da consciência na sua ontologia dualista não sustenta nenhuma teoria científica , ou seja, não possui um modelo de síntese consistente de hipóteses e previsões testáveis, sendo assim classificada como pseudociência pela ciência tradicional. Uma teoria falseável ( falseabilidade ) faz predições suficientemente precisas para que a teoria possa ser suficientemente refutada. Embora existam muitas interpretações sobre os chamados veículos espirituais ou astrais, nenhum apresenta hipóteses e previsões testáveis através de medições 'físicas'. Seu caráter subjetivo torna imprescindível a 'autoexperimentação'. Segundo alguns pesquisadores, o escritor Honoré de Balzac em sua obra parcialmente autobiográfica 'Lois Lambert' (1832), na qual relata um caso de projeção da consciência, foi o primeiro a propor a estruturação de uma nova ciência para o estudo desse fenômeno e suas implicações. [ 13 ] O cientista Charles Tart , que é um dos maiores defensores de que a consciência realmente se projeta para fora do corpo humano, fez vários experimentos sobre o assunto, como mostra por exemplo o seu artigo Psychophysiological Study of Out of Body Experiences in a Selected Subject (Estudos Psicofisiológicos de Experiências Fora do Corpo em Sujeito Selecionado), [ 29 ] publicado originalmente no Journal of the American Society for Psychical Research . Nos anos 60, ele se tornou o pioneiro na pesquisa da projeção da consciência em experimentos laboratoriais controlados, tendo documentado que durante os períodos relatados pelos projetores enquanto estiveram 'fora do corpo humano', seus padrões de ondas cerebrais foram diferente dos padrões do sono, do sonho, da sonolência e de outros estados alterados da consciência (expressão proposta pelo próprio Tart), e diferente até mesmo da vigília física ordinária (estado acordado). É bastante famoso o experimento conduzido em um Laboratório do Sono na Universidade da Califórnia pelo Dr. Charles Tart (com apoio do Dr. Arthur Hastings) tendo como objeto de estudo a jovem apelidada de 'Miss Z', no qual a mesma, segundo Tart, obteve sucesso ao realizar a projeção da consciência e observar um conjunto aleatório de cinco algarismos presentes em outra sala próxima ao laboratório em que seu corpo estava, com sua atividade cerebral monitorada. [ 30 ] Outro experimento famoso foi conduzido em 1972 pelo cientista Karlis Osis (o então diretor de pesquisas da American Society for Psychical Research) tendo como objeto de estudo o pintor Ingo Swann . Durante o experimento, oito objetos-alvo diferentes foram escondidos da visão física de Swann em uma plataforma suspensa na sala em que ele estava para que ele, com eletrodos colocados em seu corpo, tentasse fazer uma projeção consciente e descobrir quais eram os objetos. O pintor descreveu verbalmente e com ilustrações os objetos e um psicólogo que não sabia do experimento associou corretamente as descrições de Swann com todos os objetos-alvo usados no experimento. [ 31 ] [ 32 ] Alguns estudos alegam que algumas pessoas aparentaram terem sido capazes de induzir a projeção da consciência de maneira ponderada, através de visualizações enquanto dispostas em um estado meditativo , descontraído, ou em sonhos-lúcidos. Em experimento conduzido por Henrik Ehrsson em 2007 no Institudo de Neurologia na University College London , Ehrsson alegou que com o uso de óculos estereoscópicos 3D foi possível reproduzir a percepção de experiências fora do corpo nos voluntários do estudo. [ 33 ] [ 34 ] Os participantes alegaram que experimentaram a sensação de estarem sentados ao lado de seus corpos físicos mediante ilusão ótica. Mas na área das ciências, tal estudo não é uma evidência científica de que a fenomenologia de experiência fora-do-corpo possa ser explicada por uma alucinação . Estudos em áreas correlatas indicam que a fenomenologia de pacientes que passaram por quase-morte são análogas às de pessoas que vivenciam experiência fora-do-corpo. Há espaço para interpretações espiritualistas e modelos teóricos que considerem a delineação de espíritos ou substâncias imateriais, embora nenhuma tenha sido apresentado aos moldes de uma teoria científica refutável. Sinonímia da Projeção da Consciência [ editar | editar código-fonte ] 'A separação do corpo espiritual' em The Secret of the Golden Flower , clássico manual chinês sobre alquimia e meditação . Durante os séculos , a projeção da consciência foi recebendo diversos nomes por cientistas, doutrinas orientais e ocidentais, pesquisadores, projetores e outros grupos: Ao contrário do que pode-se pensar à primeira vista, o fenômeno é vivenciado por muitas pessoas. Uma em cerca de dez pessoas afirmam já ter sentido experiências fora do corpo. [ 34 ] A experiência fora do corpo (EFC) é abordada de acordo com o nível de lucidez da consciência que pode variar devido a fatores psicológicos, emocionais, somáticos (orgânicos), dentre outros. É objeto de estudo da moderna Parapsicologia [ 35 ] e da Projeciologia , proposta por Waldo Vieira apesar de já ser citada em literaturas seculares no contexto histórico sociocultural mundial ainda que em contexto hermético e esotérico. AKE: Außerkörperliche Erfahrung ( alemão ) apopsiquia autodesincorporação autodiplosia* aventura extracorpórea centro móvel da consciência deambulação astral deambulação espiritual desancoramento da consciência descoincidência desconexão descorporificação desdobramento desdobramento astral ( gnose ) desdobramento da consciência desdobramento da pessoa desdobramento espiritual ( espiritismo ) desdobramento natural da personalidade desdobramento parapsíquico desdobramento perispiritual desdobramento provisório desdobramento vivo desdobramento voluntário desencarnação provisória desincorporação temporária desligamento do corpo deslocamento da consciência 'despersonalização auto-induzida' desprendimento de pessoa viva desprendimento espiritual ( espiritismo ) desprendimento voluntário disjunção dissociação duplicação astral EEC (experiência extracorporal) EFDC (experiência fora do corpo) ecsomação 'elevação ao céu' emancipação da alma ( kardecismo ) ensaio da morte episódio fora do corpo ESC (experiência de saída do corpo humano) escapada para o astral escapada perispirítica estado ecsomático estado de emancipação consciencial excarnação temporária excursão anímica excursão parapsíquica experiência assomática experiência astral experiência de outro mundo experiência de saída do corpo experiência ecsomática experiência exterior ao corpo humano EFC: experiência fora-do-corpo ( parapsicologia ) experiência não-intermediada experiência parassomática experiência projetiva exteriorização exteriorização da psique exteriorização do astrossoma externalização extrusão do duplo psíquico extrusão do psicossoma homoprojeção jornada astral jornada da alma jornada extrafísica libertação da consciência libertação existencial meia-morte migração anímica migração astral miniférias extrafísicas minimorte morte prévia morte provisória morte temporária OOBE ou OBE (Out-of-Body Experience) ( inglês ) OBP ou OOBP (out-of-body projection) (inglês) passeio no Além pequena morte peregrinação astral prapti pré-experiência da morte pré-desencarnação projeção astral ( teosofia ) projeção da alma projeção consciente do eu projeção da consciência ( projeciologia , conscienciologia ) projeção do corpo psíquico ou emocional ( rosa-cruz ) projeção do eu projeção do segundo corpo projeção espiritual projeção extracorpórea projeção extrafísica projeção fora-do-corpo projeção heteróloga projeção hominal projeção humana projeção interdimensional projeção psíquica relocação da sede consciencial saída astral saída da consciência fora da coincidência saída consciente da matéria ( TFCA ) saída da matéria ( TFCA ) saída consciente do corpo físico ( TFCA ) saída sideral separação astral sonho astral sonho flutuante sonho lúcido sono desperto telemetria astral teste extracorpóreo trailer da morte transe onírico transporte pelo espírito transvazamento de consciência via de acesso extrafísico viagem anímica viagem astral ( esoterismo , ocultismo ) viagem clarividente viagem da alma ( eckankar ) viagem da consciência viagem espiritual viagem extracorpórea viagem extrafísica viagem extra-sensorial viagem mística viagem no corpo de sonho viagem pela eternidade viagem perispirítica videha ( Índia ) voo anímico voo astral voo sideral voo xamânico. Sinonímia da Experiência Fora do Corpo [ editar | editar código-fonte ] Estela com o nome de Kaa . As experiências fora do corpo receberam diversas denominações ao longo das últimas décadas: Keshara: Termo sânscrito empregado pelos hindus. Delog: Termo empregado pelos tibetanos. Desdobramento: Termo oriundo do espiritismo. Viagem astral: Termo criado pelo pesquisador estadunidense Robert Crookal. Arrebatamento: Termo empregado em igrejas protestantes. Projeção da Consciência: Termo técnico usado por pesquisadores e OBE: Out-of-Body Experience, termo da língua inglesa. Ao longo da história, pessoas individualmente ou em grupos, de uma forma ou de outra, vivenciaram estados alterados de consciência. No antigo Egito , por exemplo, acreditava-se que, após a morte do corpo físico, o espírito, livre do corpo, continuava a existir. O espírito livre ( Ba ) era representado na forma de uma ave semelhante ao falcão sobrevoando o corpo que morreu (veja a figura apresentada a seguir). Relatos bíblicos [ editar | editar código-fonte ] Na Bíblia é possível encontrar passagens que são interpretadas como saídas do corpo por muitos dos escritores sobre projeção da consciência: II Reis , capítulo 6 versículo 8 a 12. Eclesiastes , Capítulo 12 versículo 6 a 7. Ezequiel Capítulo 3 versículo 12 a 14. I Coríntios , Capítulo 15 versículo 35 a 44. II Coríntios , Capítulo 12 versículo 2 a 4. Apocalipse de João, Capítulo 1 versículo 10. Ver também [ editar | editar código-fonte ] A Wikipédia possui o portal: Magnetismo animal A Wikipédia possui o Portal do Ocultismo A Wikipédia possui o Portal do Espiritismo Alvo mental projetivo Apometria Bilocação Paraprojeção consciente Visão remota Paralisia do sono Referências ↑ Alvarado, Carlos S.. Fenômenos psíquicos e o problema mente-corpo: notas históricas sobre uma tradição conceitual negligenciada . Rev. psiquiatr. clín. vol.40 no.4 São Paulo 2013. ↑ IIPC — Projeção consciente ou experiência fora do corpo . Página visitada 28/03/2014. ↑ CEC — O que é Projeção Astral? . Página visitada 28/03/2014. ↑ Skeptic's Dictionary — astral projection (em Inglês). Página visitada 28/03/2014. ↑ Skeptic's Dictionary — out-of-body experience (OBE) (em Inglês). Página visitada 28/03/2014. ↑ Irwin, H.J. (1985). Flight of Mind: a psychological study of the out-of-body experience. Metuchen, New Jersey: The Scarecrow Press. ↑ Oswald, I. (1962). Sleeping and Waking: Physiology and Psychology. Amsterdam: Elsevier. ↑ McCreery, C. (1997). Hallucinations and arousability: pointers to a theory of psychosis. In Claridge, G. (ed.): Schizotypy, Implications for Illness and Health . Oxford: Oxford University Press. ↑ McCreery, C. (2008). Dreams and psychosis: a new look at an old hypothesis. Psychological Paper No. 2008–1 . Oxford: Oxford Forum. Online PDF ↑ a b Blanke, O., & Arzy, S. (2005). The out-of-body experience: Disturbed self-processing at the temporo-parietal junction. Neuroscientist , 11(1), 16–24 ↑ a b Ehrsson, H.H. 2007. The Experimental Induction of Out-of-Body Experiences. Science 317:1048 DOI: 10.1126/science.1142175 ↑ a b Alvarado, Carlos S.. Trends in the Study of Out-of-Body Experiences: An Overview of Developments Since the Nineteenth Century . Journal of Scientific Exploration. Vol. 3, No. I, 1989. ↑ a b Balona, Málu (2010). «Projeciologia, o estudo da projeção consciente» (online) . Revista Psique (48) . Consultado em 4 de dezembro de 2013 ↑ The History of Research at the Monroe Institute . Página visitada 2013-12-03. ↑ «IIPC (Histórico)» . Consultado em 22 de julho de 2013 ↑ CEC: O fundador . Página visitada 2013-12-03. ↑ IPPB: Sobre o IPPB . Página visitada 2013-12-03. ↑ Jansen, K The Ketamine Model of the Near Death Experience: A Central Role for the NMDA Receptor [1] ↑ Dr. James E. Whinnery The Trigger of Gravity ↑ Pearson, Helen Electrodes trigger out-of-body experience News@Nature (16 Sep 2002) News ↑ Danielle Demetriou (11 dez 2008). «Scientists develop software that can map dreams» . The Telegraph (em inglês) . Consultado em 4 de dezembro de 2013 ↑ «Thoughts read' via brain scans» . BBC News . 07 ago 2005 . Consultado em 4 de dezembro de 2013 Verifique data em: |data= ( ajuda ) ↑ Marnie Chesterton (2005). «Out-of-body or all in the mind?» . BBC News . Consultado em 2 de novembro de 2007 ↑ Vieira, Waldo (MD) (2012). «1». Nossa Evolução 3ª ed. Foz do Iguaçu-PR: Editares. p. 9. 169 páginas. ISBN 978-85-98966-58-8 ↑ ROCHA, Cristina. VÁSQUEZ, Manuel A. (editors). The Disapora Of Brazilian Religions , pp. 339-362 (Chapter 'The Niche Globalization of Projectiology: Cosmology and Internationalization of a Brazilian Parascience', by Anthony D’Andrea). Koninklijke Brill NV, 2013. ISBN 978 90 04 23694 3 ↑ Vocabulário Espírita - Revista O Consolador (online). Página visitada em 31/01/2014. ↑ Parnia, S.. Waller, D. G.. Yeates, R.. Fenwick, P. (2001). «A qualitative and quantitative study of the incidence, features and aetiology of near death experiences in cardiac arrest survivors» (PDF) . Elsevier. Resuscitation (em inglês). 48 (2): 149-56. PMID 11426476 . Consultado em 11 de dezembro de 2013 A referência emprega parâmetros obsoletos |coautores= ( ajuda ) ↑ Rivas T. (2003). The Survivalist Interpretation of Recent Studies into the Near-Death Experience . Journal of Religion and Psychical Research, 26, 1, 27-31. ↑ Tart, C. T.. A Psychophysiological Study of Out-of-the-Body Experiences in a Selected Subject . Journal of the American Society for Psychical Research , 1968, vol. 62, no. 1, pp. 3-27. ↑ Tart, Charles T. «Dr. Charles Tart's Study of Verified Perception in Out-of-Body Experiences» ( near-death.com ) . Journal of the American Society for Psychical Research . Consultado em 4 de dezembro de 2013 ↑ Osis, Karlis. New ASPR Search on Out-of-the Body Experiences. Journal of the American Society for Psychical Research , No. 14-Summer 1972. ↑ Melon, J. Gordon (1996). Encyclopedia of Occultism and Parapsychology . 4ª ed. Gale Group. ↑ «First Out-of-body Experience Induced In Laboratory Setting» . Science News. 24 de agosto de 2007 . Consultado em 2 de novembro de 2007 ↑ a b «Visores enganam o cérebro e induzem experiência fora do corpo» . Folha On-line. 23 de agosto de 2007 . Consultado em 2 de novembro de 2007 ↑ VARVOGLIS, Mario. Out-Of-Body Experiences (OBE or OOBE ) . The Parapsychology Association (online). Página visitada em 31/01/2014. Bibliografia adicional [ editar | editar código-fonte ] Por ordem alfabética de autor: BIANCA (pseud. de: Maria da Aparecida de Oliveira). 'A Filosofia da Técnica Física para a Conquista da Autoconsciência: Vivenciação no Mundo Extrafísico (Mundo Espiritual)' , Brasília, Edição do Autor, 2008 BIANCA (pseud. de: Maria da Aparecida de Oliveira). 'As possibilidades do infinito: de um contato do 3. grau a conquista da auto-consciência' , São Paulo, ed. Kópion, 1987, Download BLANKE, Olaf. LANDIS, Theodor. SPINELLI, Laurent. SEECK, Margitta. Brain Advance Access . (December 8, 2003). Brain - a Journal of Neurology CALDERON, Saulo. 'Um iniciante na viagem astral' , Recife, 2011 ESAGUI,Moisés Leão. 'projeção da Consciência: Uma Ferramenta Evolutiva' / Moisés Leão Esagui. - reimpressão - Osasco, SP: editora 21, 2009. ISBN 978-85-89944-01-4 MACHADO, Cesar. ' Experiências Fora do Corpo - Fundamentos ' , Brasília, 2008 MONDINI, Fabian. 'Atravessando o Portal- técnicas de projeção astral' , São Paulo , editora Madras MONROE, Robert A. 'Viagens fora do corpo', tradução de Almira B. Guimarães, 11ª edição, editora Record. título original norte-americano: journeys out of the body. RADUGA, Michael. ' Escola de Viagens Fora do Corpo. Um Guia Prático ' , 2012 RANDI, James. ' Flim-Flam! Psychics, ESP, Unicorns and other Delusions' , Prometheus Books, 1982 ROQUE, Dalton. 'Viagem Astral (CD Multimídia)' , Instituto de Sensibilização Consciencial, ed. ISC., 2009 ( ISBN 85-904090-2-3 ) ROQUE, Dalton. ' Técnicas e Práticas Projetivas e Bioenergéticas ' , E-book Amazon - Instituto de Sensibilização Consciencial, ed. ISC., 2009 (ASIN: B00IHPPW62) SALAMANCA, Pablo de. 'Experiências Extrafísicas' , Rio de Janeiro, 2008 SALAMANCA, Pablo de. 'Faces da projeção astral' , Rio de Janeiro, 2012 VIEIRA, Waldo (MD). 'Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano' , 900 p., ilus., 1986 ( ISBN 8586019585 ) Ligações externas [ editar | editar código-fonte ] Experiências fora do corpo: aspectos históricos e neurocientíficos por José Felipe Rodriguez de Sá e Sérgio Arthuro Mota-Rolim 'Out-of-Body Experiences: In Search of the Truth' por Graham Nicholls Treatsie on Astral Projection (em inglês ) por Robert Bruce Outro autor relacionado ao tema de Projeção Astral 'Bibliografia das EFCs - Minerando Dados na Projeciologia' por Cesar S. Machado Projeções da Consciência: Diário de Experiências Fora do Corpo Humano (pdf p/ download) por Waldo Vieira (1979) livro sobre projeção, disponível para leitura por Wagner Borges Obtida de ' https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Projeção_da_consciência&oldid=49950835 ' Categorias : Espiritualidade Ocultismo Fenomenologia Parapsicologia Projeciologia Extrassensorialidade Categorias ocultas: !CS1 inglês-fontes em língua (en) !Páginas com erros CS1: datas !Páginas que usam referências com parâmetros depreciadas !Páginas que usam links mágicos ISBN !Artigos precisando de wikificação desde setembro de 2011 Menu de navegação Ferramentas pessoais Não autenticado Discussão Contribuições Criar uma conta Entrar Domínios Artigo Discussão Variantes Vistas Ler Editar Editar código-fonte Ver histórico Mais Busca Navegação Página principal Conteúdo destacado Eventos atuais Esplanada Página aleatória Portais Informar um erro Loja da Wikipédia Colaboração Boas-vindas Ajuda Página de testes Portal comunitário Mudanças recentes Manutenção Criar página Páginas novas Contato Donativos Imprimir/exportar Criar um livro Descarregar como PDF Versão para impressão Ferramentas Páginas afluentes Alterações relacionadas Carregar ficheiro Páginas especiais Hiperligação permanente Informações da página Elemento Wikidata Citar esta página Noutros idiomas Afrikaans العربية Azərbaycanca Български Čeština Dansk Deutsch Ελληνικά English Español Euskara فارسی Suomi Français עברית Hrvatski Bahasa Indonesia 日本語 Македонски Монгол Română Slovenčina Српски / srpski Svenska Türkçe Українська اردو 中文 Editar ligações Esta página foi editada pela última vez à(s) 20h43min de 25 de setembro de 2017. Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) . pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso . Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais Programadores Declaração sobre cookies Versão móvel



http://cnpq.br
  CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado CACHE

CNPq - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ‹ › Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Ascom/MCTIC Qui, 08 Fev 2018 17:56:00 -0200 Regulamentado o Marco Legal da Ciência e Inovação Depois de dois anos de trabalho coletivo envolvendo entidades públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação, foi concluído o decreto que regulamenta o Marco Legal do setor, sancionado em 2016. Publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira, 8, o Decreto 9.283 estabelece as novas regras que desburocratizam as atividades de pesquisa e inovação e criam novos mecanismos para integrar instituições científica e tecnológicas. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Qui, 08 Fev 2018 17:56:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Depois de dois anos de trabalho coletivo envolvendo entidades públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I), foi concluído o decreto que regulamenta o Marco Legal do setor, sancionado em 2016. Publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira, 8, o Decreto 9.283 estabelece as novas regras que desburocratizam as atividades de pesquisa e inovação e criam novos mecanismos para integrar instituições científica e tecnológicas (ICTs). O anúncio da nova legislação foi feito no Palácio do Planalto e contou com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab. o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mario Neto Borges, além de representantes das outras agências públicas de financiamento de pesquisa e entidades sociais e privadas de apoio à CT&I. No evento, Mario Neto Borges lembrou do início das discussões do Marco Legal, em 2011, durante uma reunião do Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência Tecnologia e Inovação (Consecti), com órgãos de fiscalização dos governos federal e estadual. 'Na época, chamamos de 'Código Nacional' e a ideia foi abraçada pelo então Deputado Federal, Sibá Machado, relator da proposta na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara', apontou Mario Neto. E celebrou: 'Essa regulamentação publicada hoje marca um divisor de águas na ciência brasileira'. O ministro Kassab também ressalta que a medida vai alavancar a ciência e a pesquisa no país. 'O Marco Legal dará transparência, segurança jurídica para se fazer importações, convênios ou subvenção para uma empresa, além de segurança para aquilo que se está querendo beneficiar. Temos a oportunidade de dar uma contribuição decisiva para conferir clareza a essas atividades', apontou. Para a presidente de honra da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, um dos grandes destaques de todo o processo de elaboração da regulamentação foi o ineditismo de ter a ciência básica, a ciência aplicada, a tecnologia e a iniciativa privada 'andando de mãos dadas em nome da nação'. O atual presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, também enfatizou a construção coletiva do decreto, mas ressaltou que a regulamentação legal precisa vir acompanhada de mais recursos para o setor. Segundo o procurador-chefe do CNPq, Leopoldo Muraro, que atuou diretamente nas discussões de elaboração do decreto, ele 'agora, surge uma nova etapa, cabendo a cada um trabalhar para dar efetividade aos dispositivos legais em vigor e alavancar o desenvolvimento científico e tecnológico do País'. As novas regras O Decreto regulamenta o arcabouço jurídico iniciado com a Emenda Constitucional nº 85/15 e a Lei nº 13.243/16, que ficou conhecida como o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação. Dentre as facilidades implementadas com o Marco Legal, está a prestação de contas dos instrumentos que financiam as atividades de pesquisa, permitindo, às agências de fomento, transferir recursos para o desenvolvimento de soluções inovadoras. Além disso, a regulamentação estimula a mobilidade do pesquisador público nos processos de inovação tecnológica, bem como a sua participação nos ganhos econômicos e sociais resultantes. Outros benefícios previstos são: a simplificação na celebração de convênios para a promoção da pesquisa pública. maior facilidade para a internacionalização de ICTs. aumento da interação entre ICTs e empresas. incremento de incentivos para a promoção de ecossistemas de inovação. diversificação de instrumentos financeiros e de apoio à inovação. maior compartilhamento de recursos entre atores públicos e privados. simplificação de procedimentos de importação de bens e insumos para pesquisa. novos estímulos para a realização de encomendas tecnológicas. e flexibilidade no remanejamento entre recursos orçamentários. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Sex, 09 Fev 2018 17:05:00 -0200 Feita em tempo recorde, pesquisa que associou Zika vírus e microcefalia é premiada Coordenação de Comunicação Social do CNPq Sex, 09 Fev 2018 17:05:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet Atualmente, existem mais de um milhão de casos de Zika vírus no mundo, sendo 210 mil no Brasil Levantamento inédito que comprovou a associação do surto de Zika vírus com os bebês nascidos com microcefalia na região nordeste do Brasil é o vencedor da 17ª edição do Prêmio Péter Murányi , conforme decisão do júri realizado ontem (8). O trabalho, coordenado pela doutora Celina Turchi e indicado pela Fundação Oswaldo Cruz, apontou, ainda, a relação do vírus com o aumento da mortalidade de fetos. O estudo epidemiológico, o primeiro que estabeleceu a associação entre microcefalia e infecção pelo vírus da Zika, acompanhou, de janeiro a novembro de 2016, a gestação de mulheres atendidas em oito maternidades públicas do Recife. Durante o período, 32 recém-nascidos foram diagnosticados com microcefalia. Testes laboratoriais apontaram a presença de infecção por Zika vírus em 13 deles. De acordo com Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi, entidade organizadora da premiação, estudos como esse mostram a importância do trabalho dos pesquisadores brasileiros para preservar o futuro das próximas gerações. 'Essa votação foi uma das mais emocionantes que já participei, devido ao nível dos finalistas. Todos são muito impactantes. Era impossível não pensar no tamanho do benefício que os trabalhos ofereciam à população, conforme íamos analisando os três estudos', relata. Vera sinalizou também que essa perplexidade para escolher a colocação de cada concorrente é motivo de orgulho, afinal, significa que cumpriram, com louvor, os critérios de avaliação. A mesma opinião é compartilhada pelo diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Marcelo Marcos Morales. ¿Trabalhos como esse são de extrema importância, pois mostram a capacidade da ciência brasileira em resolver problemas nacionais e também mundiais¿, afirma. O CNPq é um dos apoiadores do prêmio e participa da comissão julgadora. Os resultados apontados pelo grupo de estudos chefiado pela doutora Celina permitiram que fossem criadas medidas de combate ao mosquito transmissor do Zika vírus por parte do poder público, como a distribuição de repelentes para grávidas moradoras de áreas de risco para a doença e o acompanhamento das crianças portadoras de microcefalia. Bem como, auxiliou na análise clínica das infecções. 'É uma doença que gerou intensa comoção social e isso evidencia a gravidade desses eventos ligados à saúde reprodutiva da mulher, o desconhecimento sobre a causa e transmissão da infecção e dos possíveis fatores de risco expostos. Podemos dizer que esse estudo, realizado por pesquisadores brasileiros, moveu a fronteira do conhecimento científico e, hoje, é referência nos guias de manejo da síndrome do Ministério da Saúde e também é utilizado como fonte de orientação para os EUA', relata Celina. Reconhecimento internacional O trabalho resultou na inclusão de sua coordenadora, a médica epidemiologista Celina Turchi, entre as 100 pessoas mais influentes do mundo eleitas em 2017 pela revista norte-americana Time. A cientista brasileira foi a responsável por formar uma rede internacional, com cerca de 30 profissionais de diversas especialidades e instituições, reunidos no Microcephaly Epidemic Research Group (Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia), que conseguiu, em apenas três meses, identificar como o vírus Zika e a microcefalia estavam associados - os estudos começaram em janeiro de 2016, e, em abril, já havia fortes indícios dessa relação. Recorde de inscrições para a edição 2018 Para esta edição, focada em saúde, o Prêmio Péter Murányi recebeu 225 trabalhos, vindos de toda a América Latina, recorde de inscritos em toda a história da premiação. O trabalho vitorioso foi selecionado por um júri composto por representantes de entidades nacionais e internacionais ligadas à área da saúde, integrantes de universidades federais, estaduais e privadas, personalidades de renome e membros da sociedade. O Prêmio Péter Murányi é realizado anualmente, com temas que se alternam a cada edição: Saúde, Ciência & Tecnologia, Alimentação e Educação ¿ cada tema é revisitado a cada quatro anos. O valor total é de R$ 250 mil, divididos entre o vencedor (R$ 200 mil), o segundo (R$ 30 mil) e o terceiro colocados (R$ 20 mil). A entrega ocorrerá em abril, durante a festa de premiação. A premiação conta com o apoio das seguintes entidades, além do CNPq: CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola). Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras). SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). Aciesp(Academia de Ciências do Estado de São Paulo). ABC (Academia Brasileira de Ciências), Aconbras (Associação dos Cônsules no Brasil). Fonte: Assessoria de Comunicação Fundação Péter Murányi Sex, 09 Fev 2018 08:01:00 -0200 Divulgação científica é tema de simpósio no Rio de Janeiro Coordenação de Comunicação Social do CNPq Sex, 09 Fev 2018 08:01:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet A divulgação científica como atividade prática vem, há algumas décadas, conquistando importância e espaço no Brasil. A interface acadêmica do campo, no entanto, embora atraia atenção crescente, ainda é emergente no país e precisa enfrentar dificuldades e desafios para se estabelecer como área de conhecimento independente. O simpósio A ciência da divulgação científica II: a construção de um campo acadêmico , que vai acontecer de 5 a 7 de março, no Museu da Vida/COC/Fiocruz, visa justamente contribuir para o fortalecimento dessa interface da divulgação científica. O evento é uma realização da Fiocruz e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia voltado para a Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, que conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnologico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Com a participação de diversos especialistas no campo, do Brasil e de outros cinco países, o evento abordará uma série de temas relevantes nos estudos da divulgação científica, entre eles a inserção da ciência na cultura, a percepção pública da ciência e tecnologia e pesquisas em museus de ciências. O simpósio é organizado pela coordenação do Mestrado Acadêmico em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde e da Especialização em Divulgação e Popularização da Ciência e do Museu da Vida, vinculados à Casa de Oswaldo Cruz, com apoio da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz. Veja a programação em: http://museudavida.fiocruz.br/index.php/noticias/13-educacao/894-evento-no-museu-da-vida-discute-estudos-da-divulgacao-cientifica Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 06 Fev 2018 18:12:00 -0200 Presidente do CNPq profere aula inaugural no IME Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 06 Fev 2018 18:12:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mario Neto Borges , proferiu, nessa segunda-feira, 05, aula Inaugural no Instituto Militar de Engenharia (IME), no Rio de Janeiro (RJ) com o tema 'Ações Governamentais para o Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Brasil'. Além dos alunos e professores do IME, autoridades civis e militares prestigiaram a palestra, evento que marca o início do ano acadêmico de 2018. O presidente do CNPq destacou a importância da participação do CNPq nessa ocasião, que, anualmente, conta com destaques da engenharia e da CT&I: 'Proferir a Aula Inaugural no IME é uma honra e um privilégio, considerando que este Instituto é a mais antiga escola de engenharia do País, tendo, atualmente, todos seus cursos avaliados com nota máxima pelo MEC', ressaltou Mario Neto, destacando, ainda, a importância do Exercito Brasileiro quanto à contribuição para o desenvolvimento nacional não só na formação de recursos humanos altamente qualificados como também na garantia da soberania nacional. 'São valores também explícitos na Missão do CNPq. Foi uma grande oportunidade para estreitarmos os laços e unir esforços em prol do Brasil', concluiu. O IME é um estabelecimento de ensino do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) responsável, no âmbito do Exército Brasileiro, pelo ensino superior de Engenharia e pela pesquisa básica. Ministra cursos de graduação, pós-graduação e extensão universitária para militares e civis. Insere-se no Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército, cooperando com os demais órgãos, por meio da prestação de serviços e pela execução de atividades de natureza técnico-científicas. O Instituto coopera, pelo ensino e pela pesquisa, também para o desenvolvimento científico-tecnológico do País. Coordenação de Comunicação Social do CNPq Fotos: IME/Divulgação Ter, 06 Fev 2018 10:14:00 -0200 O CNPq lamenta o falecimento do Prof. Dr. Nestor Schor Coordenação de Comunicação Social do CNPq Ter, 06 Fev 2018 10:14:00 -0200 Imprimir Comunicar erro Compartilhar Tweet É com pesar que recebemos a informação do falecimento do professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Nestor Schor, no dia 03 de fevereiro deste ano. Paulista, filho do médico romeno Hirsch Schor e de Tuba Laser Schor, Nestor teve uma trajetória de reconhecido mérito para a medicina e para a ciência. Graduado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo em 1972, fez doutorado em Nefrologia pela Universidade Federal de São Paulo-UNIFESP em 1977, a seguir Pós-Doutorado na Harvard Medical School entre 1978 e 80 e na Cornell Medical School em 1993. Livre-docente pela Unifesp, em 1989, foi aprovado em concurso, três anos depois, para a função de Professor Titular dos cursos de Graduação e Pós-graduação do Departamento de Medicina. Foi Chefe da Disciplina de Nefrologia, Chefe do Departamento de Medicina, Presidente da Fundação Oswaldo Ramos/Hospital do Rim e Hipertensão e Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da UNIFESP. No início de 1990, desenvolveu o Laboratório de Biologia Celular. Foi Presidente da Sociedade Paulista de Nefrologia, da Sociedade Brasileira de Investigação Clínica e da Sociedade Brasileira de Nefrologia. Em 2007 foi Presidente do Congresso Mundial de Nefrologia. Era Professor Titular da Universidade Federal de São Paulo e Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Medicina. Atuava como professor, pesquisador e palestrante em diversos temas, como hemodinâmica glomerular e microcirculação renal, fisiopatologia renal, insuficiência renal aguda, litíase renal, nefrotoxicidade, infecção urinária, produtos naturais, biologia celular e molecular de células mesangiais glomerulares e células tronco e rim. Fazia parte do corpo editorial de 40 periódicos, dentre eles o American Journal of Kidney Diseases, Clinical Jounal of American Society of Nephrology, Current Opinion in Nephrology and Hypertension, Renal Failure, Kidney International, Einstein e International Brazilian Journal of Urology dentre outros. Publicou mais de 200 artigos em revistas científicas, mais de 280 capítulos em livros e foi editor principal em mais de 50 livros. Teve mais de mil resumos publicados em canais de congresso. Recebeu dezenas de prêmios, sendo os mais recentes: Melhor Artigo Científico da Einstein (2006), do Instituto de Ensino Pesquisa Albert Einstein. o Best Basic Science Abstract (2005), concedido pela International Continence Society. o primeiro lugar da categoria de trabalhos originais (2005). Award and Title of 'Comendador' of National Order for Scientific Merit from Science and Technology Minister and from the Republic President (2002). International Medal from National Kidney Foundation-USA (2003). Lifetime Achievement Award for 'Recognition of Outstanding Lifetime Contributions to the Field of Urolithiasis Research' (2012). Prêmio do Presidente da Sociedade Latino-americana de Nefrologia e Hipertensão Arterial (2014). Prêmio Lide Saúde 2015: 'Grandes Nomes da Medicina Brasileira' (2015), etc. Formou dezenas de mestres e doutores e foi homenageado em 2017 pelo seu legado à Nefrologia Sulamericana. Coordenação de Comunicação Social do CNPq (Com informações da Sociedade Brasileira de Nefrologia) Foto: Currículo Lattes Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Mais notícias Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas recentes Abertas Encerradas Resultados Nenhuma chamada aberta. Todas as chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 CHAMADA PÚBLICA Nº 31/2017 - APOIO À INSERÇÃO DE PESQUISADORES NAS EMPRESAS INCUBADAS Chamada CNPq/MCTIC/BRICS 29/2017 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 14/2017 - PROSPECÇÃO DE ENSAIOS CLÍNICOS E PRÉ-CLÍNICOS Todas as chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 INCUBADORAS DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PARA CAPACITAÇÃO NO USO E MANEJO DE ANIMAIS DE LABORATÓRIO PESQUISA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA CAATINGA E MATA ATLÂNTICA Todas as chamadas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Agenda 19 Mar Workshop discute os desafios da ciência na agricultura e na produção de ali 15 Mar Integração da Pesquisa Pública com Cana de Açúcar no Brasil Mais eventos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Oportunidades externas Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. USP em São Carlos recruta voluntários para ministrar curso de alemão O Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação (SEL) da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP está recrutando voluntários para ministrar um minicurso introdutório de alemão. Os selecionados serão responsáveis por 15 aulas oferecidas gratuitamente para a comunidade interna e externa da Universidade e receberão um certificado de participação ao final do trabalho. O curso será divido em três módulos que abordarão temas básicos da língua como alfabeto, números, pronúncia, comidas típicas, como se apresentar para uma pessoa, pedidos em restaurantes e pequenos diálogos, tudo baseado em situações e cenários da cultura alemã. As aulas serão semanais e ministradas na EESC, ainda com data de início e horários a definir. Podem se candidatar voluntários com vivência na Alemanha, sejam jovens que realizaram intercâmbio no país europeu, professores da língua, nativos que estudam no Brasil, entre outros. O conteúdo oferecido será adaptado de um livro utilizado na própria Alemanha para o ensino da língua. Promovido desde 2016 pelo SEL, o curso tem o objetivo de despertar nas pessoas o interesse pela língua, dando-lhes uma boa base para aprofundarem seus conhecimentos em escolas especializadas no futuro. Os interessados em atuar como ministrantes devem enviar um e-mail para departamento.eletrica@eesc.usp.br com o assunto ¿Curso Alemão¿, contando qual a experiência que possui com a língua e deixando seus contatos para eventual retorno. Inscrições abertas para Prêmio Gutierrez 2018 de melhor tese em matemática Estão abertas, até 31 de março, as inscrições para o Prêmio Professor Carlos Teobaldo Gutierrez Vidalon 2018. A iniciativa reconhece a melhor tese de doutorado na área de matemática defendida no Brasil no ano anterior. Organizada pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, em parceria com a Sociedade Brasileira de Matemática, a premiação concede R$ 3 mil ao vencedor. A cerimônia de premiação será realizada no dia 27 de agosto, às 14 horas, no auditório Fernão Stella Rodrigues Germano do ICMC. Para se inscrever, o autor ou orientador do trabalho deve enviar o arquivo em formato PDF da tese defendida e aprovada, bem como artigos provenientes, para o e-mail premiogutierrez@icmc.usp.br . Também é necessário enviar um texto, de até 25 linhas, que defenda e justifique, com base em padrões científicos de qualidade, por que a tese merece receber o prêmio. O edital completo está disponível no link: icmc.usp.br/e/cbf5d . O vencedor do Prêmio Gutierrez 2017 foi Felipe Ferreira Gonçalves , por sua tese Extremal Problems, Reconstruction Formulas and Approximations of Gaussian Kernels . Nascido no Rio de Janeiro, Felipe formou-se Bacharel em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010, concluiu o mestrado no Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) em 2012 e o doutorado em 2016, na mesma instituição, sob a orientação do professor Emanuel Carneiro. Atualmente, é professor assistente na University of Alberta , em Edmonton, Canadá. Sobre o Prêmio ¿ o Prêmio Gutierrez foi criado para homenagear o pesquisador peruano Carlos Teobaldo Gutierrez Vidalon (1944-2008). O objetivo é reconhecer a melhor tese defendida e aprovada na área de matemática no Brasil, no ano anterior ao ano da premiação, considerando os quesitos originalidade e qualidade. Gutierrez chegou ao Brasil em 1969 para estudar no IMPA, onde se titulou mestre e doutor em matemática. Nessa instituição, na qual trabalhou até 1999, começou como professor assistente e chegou à posição de titular. Durante o período, visitou vários importantes centros em matemática como a University of California , em Berkeley, e o California Institute of Technology . Após deixar o IMPA, ele atuou como professor titular no ICMC, contribuindo com a fundação e organização do grupo de pesquisa em Sistemas Dinâmicos. Em sua carreira, publicou mais de 70 artigos, orientou sete alunos de doutorado e 20 de mestrado. Mais informações Link do edital: icmc.usp.br/e/cbf5d Serviço de Pós-Graduação do ICMC: (16) 3373.9638 E-mail: posgrad@icmc.usp.br Processo seletivo para projetos de pesquisa colaborativa (CRP- Collaborative Research Programme) e Early Career Return Grants 2018 Prazo para submissão no Brasil: 30 de abril de 2018 Está aberto o processo seletivo para projetos de pesquisa colaborativa. De acordo com o regulamento do ICGEB, as propostas de projeto de pesquisa colaborativa devem ser encaminhados pelo pesquisador brasileiro por e-mail (documento pdf) simultaneamente para o Liaison Officer do ICGEB no Brasil (luiz.canto@mctic.gov.br e icgeb@mctic.gov.br) com ¿cópia carbono¿ (cc:) para o ICGEB (crp@icgeb.org) até o dia 30 de abril de 2018. Após análise das propostas pelo Comitê Científico do Brasil, instituído pela Portaria SEPED n° 1.022 de 6 de março de 2017, o Liaison Officer do ICGEB no Brasil poderá apoiar até 3 propostas de projeto de pesquisa colaborativa (CRP) e 2 propostas de Early Career Return Grants . As propostas endossadas pelo Liaison Officer do ICGEB no passarão por um processo seletivo liderado pelo ICGEB de Trieste (IT). Para maiores informações sobre a chamada CRP, acesse os links abaixo: http://www.icgeb.org/research-grants.html Para dicas de como elaborar uma proposta para o ICGEB : http://www.icgeb.org/writing-an-icgeb-grant-proposal.html Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. MAIS OPORTUNIDADES Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



http://www.cnpq.br/web/guest/feiras-estaduais/
  Feiras Estaduais - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite CACHE

Feiras Estaduais - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Popularização da Ciência / Feiras e Mostras de Ciência / Feiras Estaduais / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Feiras Estaduais Feiras Estaduais de Popularização da Ciência apoiadas pelo CNPq. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Norte Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. XXIII FEICIMA ( Feira de Ciências do Município de Abaetetuba) I FERCIBAT (Feira Regional do Baixo Tocantins) - PA CPAD/CCIA Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Nordeste Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. I e II Feiras de Ciência da Paraíba - PB UFPB - Universidade Federal da Paraíba Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Centro-Oeste Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Feira de Ciência na Escola - MT UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Sudeste Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 4a. Mostra Paulista de Ciências e Engenharia - MOP 2014 - SP USP - Universidade de São Paulo Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Sul Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 4ª FECIMES - Feira de Ciências, Matemática e Mais Saberes do Rio Grande do Sul - RS IFSUL - Instituto Federal Sul Rio Grandense Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



https://pt.wikipedia.org/wiki/Experi%C3%AAncia_%28filosofia%29
  Experiência (filosofia) – Wikipédia, a enciclopédia livre Experiência (filosofia) Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa A experiência é parcialmente derivada de observação e da sociedade daqueles que já são sábios A Wikipédia possui o: Portal de Filosofia Em epistemologia , experiência é o contato epistêmico (geralmente perceptual ) direto e característico com aquilo ... Experiência (filosofia) – Wikipédia, a enciclopédia livre Experiência (filosofia) Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa A experiência é parcialmente derivada de ... epistemologia , experiência é o contato epistêmico (geralmente perceptual ) direto e característico com ... que se dá a qualquer uma dessas faculdades é experiência (embora ele não utilize essa palavra, mas sim a palavra pensamento ). A experiência não é produto do seu conteúdo ou insumo, o experimentado, nem CACHE

Experiência (filosofia) – Wikipédia, a enciclopédia livre Experiência (filosofia) Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa A experiência é parcialmente derivada de observação e da sociedade daqueles que já são sábios A Wikipédia possui o: Portal de Filosofia Em epistemologia , experiência é o contato epistêmico (geralmente perceptual ) direto e característico com aquilo que se apresenta a uma fonte cognitiva de informações (faculdades mentais como a percepção, a memória , a imaginação e a introspecção ). Para alguns filósofos ( Descartes , por exemplo) aquilo que se dá a qualquer uma dessas faculdades é experiência (embora ele não utilize essa palavra, mas sim a palavra pensamento ). A experiência não é produto do seu conteúdo ou insumo, o experimentado, nem se reduz à experimentação do experimentado. Ela é o contato direto com certo conteúdo no modo característico de se dar à experiência desse conteúdo. Ao olhar para a tela do computador , cada um tem a experiência característica de uma tela de computador. Ao olhar para a grama , experiência característica de grama. Ao tomar vinho , experiência característica de vinho. Wilhelm Dilthey ( Estudos sobre os fundamentos da ciências do espírito , 1883 e Teoria das concepções do mundo, 1910 ) e Hans-Georg Gadamer ( Verdade e Método , 1960 ) discutem esta questão a partir de dois distintos termos da língua alemã ( Erlebnis ) e ( Erfahrung ) para o termo experiência. Erlebnis seria a experiência imediata e vivida na qualidade de realidade unitária. Erfahrung seria a experiência refletida. Índice 1 O conteúdo da experiência 2 Epistemologia da experiência 3 Metafísica da experiência 4 Receptividade cognitiva e involuntariedade 5 Experiência e identificação do conteúdo mental 6 Moralidade 7 Ver também 8 Bibliografia O conteúdo da experiência [ editar | editar código-fonte ] Experiências também têm, algumas vezes, um conteúdo . O conteúdo de uma experiência é aquilo que ela representa . O conteúdo da experiência visual de uma parede branca é a parede branca, de uma parede azul, a parede azul.Todavia, há experiências que não têm conteúdo. A escuta de uma sinfonia também não parece ser uma experiência na qual alguma coisa seja representada. A interpretação que antecede é o que se costuma chamar de interpretação cientificista analítica redutora da experiência. Vale-se de uma leitura da filosofia calcada na dualidade rígida entre sujeito e mundo. De fato, segundo Kant, não existem experiências sem conteúdo (ver Crítica da razão pura , Estética Transcendental. Após Hegel, o conteúdo da experiência se dá no caminho que a consciência faz no seu próprio aparecer, desvelando-se em história (ver a Introdução da Fenomenologia do Espírito). Epistemologia da experiência [ editar | editar código-fonte ] Em sentido primário, a experiência está ligada às sensações e à percepção . No entanto, algumas vezes as ilusões e alucinação também são consideradas experiências. O critério para o tratamento de algo como experiência é, muitas vezes, a interpretação da noção de conteúdo. Um filósofo como Gareth Evans diz que ao alucinarmos nós não pensamos , pois pensamentos requerem objetos dados pela experiência. Um filósofo como Descartes , por sua vez, trata ilusões e alucinações como experiências, visto que as mesmas são estados mentais e fornecem um conteúdo à mente , conteúdo esse que ele chama de realidade objetiva . A realidade objetiva é a existência da coisa na mente, e difere-se da realidade formal , a existência da coisa fora da mente. Em um sentido terciário, experiências místicas também são experiências. Mas essas não são estudadas pela filosofia, embora os exercícios espirituais , seus parentes próximos, sejam. Veja também: Realidade Metafísica da experiência [ editar | editar código-fonte ] Experiências representam um conteúdo, e possuem um caráter. Uma coisa não se confunde com a outra. A experiência de um quadrado vermelho representa algo que é quadrado e vermelho, mas não é, ela mesma, quadrada ou vermelha. A experiência tem um modo de ser próprio. Ela é um estado mental do indivíduo. Sendo um estado (metafísica) , ela é algo que se dá de maneira contingente mas causalmente determinada. Sempre que está consciente o indivíduo experimenta algo. Em certo sentido, o experimentar é uma das notas definidoras da consciência. Todavia, embora estar consciente seja, entre outras coisas, experimentar, e ter consciência seja quase necessariamente experimentar, aquilo que se experimenta, o conteúdo da experiência, é contingente. Estados são configurações de um indivíduo em determinado momento. Não é necessário que no momento atual eu esteja lendo. Eu poderia estar fazendo outra coisa. Nem foi necessário que eu tomasse vinho na noite anterior. Eu poderia ter feito outra coisa. Assim, ter consciência parece ser necessariamente experimentar, mas aquilo que se experimenta é contingente. O fato do conteúdo da experiência ser contingente não significa que o mesmo seja aleatório . Na noite anterior tive experiência de vinho porque tomei vinho. Houve uma relação causal entre a ingestão de vinho e a experiência de vinho. Eu poderia ter tomado vinho e não ter tido experiência alguma - por estar bêbado ao ponto da insensibilidade, por exemplo. Mas daí não teria tido a experiência do vinho por causa da minha configuração corporal, assim como a teria caso tivesse bebido menos. Assim, o conteúdo da experiência é contingente, mas pode ser causalmente determinado. Receptividade cognitiva e involuntariedade [ editar | editar código-fonte ] Uma experiência é algo que acontece a um indivíduo , não algo que ele faz . Ao experimentar o indivíduo é passivo. Experiência é, nesse sentido, uma paixão . Isso significa que, ao experimentar, o indivíduo não exerce sua vontade . A experiência se dá ao indivíduo quer ele queira, quer não. Isso é bastante claro nas experiências de dor . Experiência e identificação do conteúdo mental [ editar | editar código-fonte ] Apesar do indivíduo ser receptivo e passivo no experimentar, isso não significa que ele seja capaz de identificar e discriminar cada elemento da sua experiência. O indivíduo pode ter recebido informações que é incapaz de descrever ou reconhecer. No jargão de Kant , o indivíduo pode ter intuições e carecer dos conceitos adequados para expressá-los. Para ilustrar a situação de alguém que tem uma intuição mas carece do conceito apropriado Kant criou o experimento mental do selvagem da Nova Holanda . Kant pede que imaginemos um não-europeu sem informações sobre a Europa chegando na Europa e vendo uma casa. Onde esse não-europeu vive não há casas. O não-europeu vê a casa, e nesse sentido tem uma experiência de casa, mas não vê uma casa , pois não tem o conceito de casa. Diante desse quadro, podemos perguntar se esse não-europeu teve a experiência de casa. Não será preciso ter o conceito de casa para ter a experiência de casa? A situação fictícia do experimento do selvagem da Nova Holanda é bastante comum, e nada tem a ver com o preconceito em relação a não-europeus. Em ' A Ciência do Concreto ', capítulo de O Pensamento selvagem , Claude Lévi-Strauss relata a situação de cultos europeus formados em biologia e botânica que vão para campo com nativos locais catalogar novas plantas. Comumente tais estudiosos coram ante a riqueza do vocabulário dos nativos, mesmo crianças, e da capacidade dos mesmos de descrever os menores aspectos de uma ampla gama de plantas locais. Em tais situações os estudiosos são os 'selvagens da Nova Holanda'. São eles que veem, tocam, cheiram e saboream o que não podem descrever. Tais estudiosos experimentam o que não podem descrever ou conceitual deficientemente? A resposta mais plausível é: sem dúvida . Experimentar é uma coisa, ser capaz de descrever ou hábil para conceitualizar o experimentado é outra coisa. De acordo com essa resposta, a experiência é pré-conceitual. Tal seria a resposta kantiana segundo o filósofo João Carlos Brum Torres em seu artigo ' Kant e o Selvagem da Nova Holanda '. Essa é a resposta mais plausível porque a resposta contrária nos levaria a ter que admitir, por exemplo, que uma pessoa que nunca ouviu falar em orgasmo não experimenta orgasmos. Isso é no mínimo implausível. Moralidade [ editar | editar código-fonte ] Há questões morais ligadas à experiência. Como a experiência não é fruto da vontade , o indivíduo não pode ser responsabilizado pela mesma. Não há falta , erro ou pecado vinculado ao mero experimentar. Em consequência, não deveria haver culpa . Todavia, várias sociedades, inclusive a nossa, responsabilizam o indivíduo, em certas situações, caso ele voluntariamente degrade a qualidade da sua experiência e coloque-se em certas situações onde pode agir mal em decorrência disso. São fatores que degradam a qualidade da experiência a drogadição e a dor, por exemplo. Mas a responsabilização não se aplica quando a degradação da experiência é involuntária. Vejamos alguns casos envolvendo experiência e moralidade. Um indivíduo que se alcooliza ou se droga entra, em caso de excesso no consumo, em um estado alterado da consciência . Nesse estado ele pode ter experiências que o levam a certas atitudes. Ele pode, por exemplo, alucinar que é uma laranja, e saltar da janela do segundo andar quando vê seu amigo entrar, pois o que vê, sua experiência, é uma faca para descascar laranjas. Esse indivíduo morre por causa da queda. Ele é responsável pela própria morte? Somente indiretamente. Ele é diretamente responsável apenas pelo abuso de substâncias que alteram drasticamente sua experiência. Mas, como aquilo que está sob sua responsabilidade direta possibilita aquilo que está sob sua responsabilidade indireta, parece plausível concluir que ele é responsável pela própria morte. A mesma seria o resultado de uma ação errada, não de uma fatalidade. Um policial político tortura um preso político para obter informações. A dor e o medo da dor fazem o preso fornecer todas as informações extraídas. O preso é responsável pela traição dos seus camaradas? Não, pois a responsabilidade moral requer voluntariedade. Em uma situação de tortura o indivíduo tem experiências de extremo sofrimento que não deixam espaço para sua vontade. Em resumo, se a qualidade da experiência é fruto de algum tipo de decisão ou ato da vontade, então o indivíduo é responsável pelo que segue da mesma. Mas, se a qualidade da experiência não é fruto de algum tipo de decisão ou ato da vontade do próprio indivíduo, então ele não é responsável pelo que segue da mesma. Assim, o alcoolista é responsabilizável pelo que faz embriagado, mas o torturado não é responsável pelo que faz sob tortura. Ver também [ editar | editar código-fonte ] Wilhelm Dilthey Hermenêutica Friedrich Daniel Ernst Schleiermacher Hans-Georg Gadamer Bibliografia [ editar | editar código-fonte ] Pendlebury, Michael 'Experience, Theories Of.' In A Companion to Epistemology , editado por Jonathan Dancy e Ernest Sosa. Malden (MA, EUA) e Oxford: Blackwell, 2005 [1992] O Wikiquote possui citações de ou sobre: Experiência Obtida de ' https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Experiência_(filosofia)&oldid=49788494 ' Categorias : Fontes de conhecimento Epistemologia Ética Conceitos metafísicos Percepção Consciência Menu de navegação Ferramentas pessoais Não autenticado Discussão Contribuições Criar uma conta Entrar Domínios Artigo Discussão Variantes Vistas Ler Editar Editar código-fonte Ver histórico Mais Busca Navegação Página principal Conteúdo destacado Eventos atuais Esplanada Página aleatória Portais Informar um erro Loja da Wikipédia Colaboração Boas-vindas Ajuda Página de testes Portal comunitário Mudanças recentes Manutenção Criar página Páginas novas Contato Donativos Imprimir/exportar Criar um livro Descarregar como PDF Versão para impressão Noutros projetos Wikiquote Ferramentas Páginas afluentes Alterações relacionadas Carregar ficheiro Páginas especiais Hiperligação permanente Informações da página Elemento Wikidata Citar esta página Noutros idiomas العربية Asturianu Azərbaycanca Català کوردی Čeština Dansk Deutsch Ελληνικά English Esperanto Español Eesti فارسی Suomi Français Galego हिन्दी Hrvatski Bahasa Indonesia Ido Íslenska Italiano 日本語 ಕನ್ನಡ 한국어 Latina Lëtzebuergesch Limburgs मराठी Bahasa Melayu नेपाल भाषा Nederlands Norsk Polski Română Русский Sicilianu Scots Srpskohrvatski / српскохрватски Simple English Slovenčina Српски / srpski Svenska தமிழ் తెలుగు Тоҷикӣ ไทย Tagalog Türkçe Українська Oʻzbekcha/ўзбекча Tiếng Việt ייִדיש 中文 Bân-lâm-gú 粵語 Editar hiperligações Esta página foi editada pela última vez à(s) 02h56min de 7 de setembro de 2017. Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) . pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso . Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais Programadores Declaração sobre cookies Versão móvel



http://www.wengo.com.br/consultas/?payload%5Bpage%5D=consultas-por-email
  Vidência por E-mail I Astrocentro ENTRAR | Inscrever-se Bem-vindo %%login%% Seu e-mail Senha Permanecer conectado (desmarque essa opção se estiver usando um computador público ou compartilhado) Senha Espaço cliente Sair N°1 em aconselhamento por profissionais online Mais de 6 245 296 consultas realizadas Ensino Informática Psicologia Negócios Lazer Terapias Tarot Saiba sobre o futuro Nossos esotéricos ... mediunidade, tarot 23 anos de experiência 97.4% 18072 consultas « Eu fiz uma consulta pois estava muito ... anos de experiência 97.3% 12120 consultas « Realmente sem palavras para agradecer, estava descontrolada ... $30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Luca Tarólogo tarot, terapeuta 11 anos de experiência ... rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mara Taróloga Sensitiva, Vidente 37 anos de experiência 98.6% 4632 ... A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Yshmah Hamed tarot, 38 anos de experiência CACHE

Vidência por E-mail I Astrocentro ENTRAR | Inscrever-se Bem-vindo %%login%% Seu e-mail Senha Permanecer conectado (desmarque essa opção se estiver usando um computador público ou compartilhado) Senha Espaço cliente Sair N°1 em aconselhamento por profissionais online Mais de 6 245 296 consultas realizadas Ensino Informática Psicologia Negócios Lazer Terapias Tarot Saiba sobre o futuro Nossos esotéricos Como funciona? Quanto custa? Previsões 2016 Amor Simpatias para o amor Tarot do Amor Compatibilidade de signos Infidelidade e traição Reacender a chama Numerologia do amor Dinheiro Numerologia Tarot Feng-Shui da prosperidade Simpatias Trabalho e empresa Astrologia Empresarial Simpatias para conquistar um emprego Tarot do trabalho Numerologia Empresarial Feng Shui no trabalho Sorte e proteção Pedras e talismãs Simpatias para ter sorte Arcanjos Números da sorte Tarot dos Anjos Rituais para afastar o azar Outras dúvidas Numerologia do nome Futuro do casamento Harmonia na familia Salmos Ansiedade e depressão Sabedoria das Runas Videntes e médiuns Médiuns desvendam futuro Carmas e vidas passadas Interpretação de sonhos Videntes poderosos Sensitivos Runólogos Tarólogos Baralho Cigano Tarot do Amor Tarot dos Anjos Tarot Egípcio Tarot de Marselha Astrólogos Sinastria astral Signos e ascendentes Influência dos planetas Fases e energia da Lua Numerólogos Calcule seu ano pessoal Empresas e negócios Numerologia do nome Amor e casamento Terapeutas e Bem-estar Balanço energético Aromaterapia e florais Radiestesistas Feng Shui Mestres Reiki Pedras e cristais Cromoterapia 1. Como escolher seu esotérico? - (vídeo) 2. Entenda o perfil dos esotéricos - (vídeo) 3. Iniciar sua consulta - (vídeo) Consulta livre Telefone a partir de R$3,99 / min. Chat a partir de R$2,99 / min. Email a partir de R$25 Oferta novos clientes: 15 min. de consulta por um preço especial Cadastre-se neste link e receba imediatamente a ligação do esotérico da sua escolha Pacotes de minutos por telefone 20 minutos por R$65 40 minutos por R$125 > Ver todos os pacotes Página inicial Tarot - Videncia Especialidades Esotéricas Tarot de Marselha Tarot dos Anjos Cartomancia Baralho Cigano Quiromancia Mapa Astral Significado dos sonhos Cristais Mágicos Radiestesia Jogo de Búzios Anjos Mesa Radiônica Runas Banhos de Ervas Feng Shui Fases da Lua Numerologia Temas Amor Carreira Dinheiro Classificar por Novos Especialistas Os Mais Consultados Melhores Preços Como consultar? Vidência por Telefone Vidência por Chat Vidência por E-mail Blog Espaço cliente Espaço cliente Pagamento MBway Transferência bancária Perguntas frequentes Últimos comentários 07:10 : Querida Hannah Gratidão pelo seu ombro amigo. Gratidão por me ajudar com... Cliente : cleoni / Cigana Hannah 05:48 : Surpresa com atendimento. Muito obrigada acalmou minha mente, visão muito boa... Cliente : s01984 / Cigano Itálo 03:25 : Douglas é abencoado por Deus! Passa informações claras e com muito carinho.... Cliente : maggie / Douglas Sonza 00:10 : Amo falar com o Henrique! Sempre muito certeiro e atencioso. Expõe tudo com... Cliente : silene / Henrique Libório te A correria do dia-a-dia não permite a você fazer uma consulta por telefone ou chat? Não tem problema. Nossos profissionais estão disponíveis para lhe atender através do e-mail e esperam por sua mensagem. Tenha uma consulta detalhada e sigilosa com um Tarólogo, Cartomante, Vidente ou Astrólogo, e encontre respostas para suas dúvidas sobre a vida, trabalho ou relacionamento. Envie suas perguntas a um especialista e receba suas respostas em até 4 horas ! Yaskara Taróloga mediunidade, tarot 23 anos de experiência 97.4% 18072 consultas « Eu fiz uma consulta pois estava muito triste sobre um assunto particular, depois da consulta eu estou mais ... » Há 17 h . Ver mais comentários A partir de R$45 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Jorge Purgly mediunidade, tarot 53 anos de experiência 97.3% 12120 consultas « Realmente sem palavras para agradecer, estava descontrolada, mas o atendimento carinhoso, claro e objetivo,... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Luca Tarólogo tarot, terapeuta 11 anos de experiência 92% 6782 consultas « Obrigada querido Luca pela nossa conversa. Foi muito direta e assertiva sobre a situação e pessoas envolvid... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$59.90 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mara Taróloga Sensitiva, Vidente 37 anos de experiência 98.6% 4632 consultas « A Mara como sempre não me decepciona .Rápida , certeira e amiga 🌹🙏🏼🌹🙏🏼🌹🙏🏼🌹🙏🏼🙏🏼🌹🌹🙏🏼🌹🌹🙏🏼🙏🏼🙏🏼🌹🙏🏼🌹🙏🏼🙏🏼🙏🏼🌹🙏🏼🙏🏼🌹🙏... » Há 6 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Yshmah Hamed tarot, 38 anos de experiência 89.2% 3793 consultas « De acordo com o registro no meu celular a chamada durou 1h10min sendo que 20min seria cobrado R$ 50 pela pr... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$95 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Místico Rhuan Fran Amor, Tarot 16 anos de experiência 97.8% 2542 consultas « Tenho muita gratidão por seu atendimento, por suas consultas. Você realmente mostra ser muito atencioso e à... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$149 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Elisa Tarologa Tarot, Numerologia 23 anos de experiência 79.3% 1943 consultas « Atendimento excelente com palavras que trazem conforto e precisão nas informações 😍 É muito bom quando a ge... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Fábio Ludovina Tarot, Astrologia 23 anos de experiência 90.3% 864 consultas « Está foi a primeira vez que me consulto com Fábio. Considero-me uma pessoa que tem experiência em consultas... » Há 4 meses . Ver mais comentários A partir de R$69 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Eva Melikk Tarot, Meddium spirite 18 anos de experiência 100% 568 consultas « Descreveu bem a situação e foi bastante atenciosa ......................................... .................. » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Nyle Navar Amor, Tarot 11 anos de experiência 97.8% 8201 consultas « quanto chororô você ouviu hoje né Nyle, posso dizer que hoje já se tornou uma amiga que mora aqui no meu p... » Há 16 h . Ver mais comentários A partir de R$149 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Daiana Tarologa mediunidade, tarot 48 anos de experiência 99.2% 25483 consultas « Obrigado anjo de luz! Trouxe paz e tranquilidade para mim com suas palavras. Pode deixar que seguirei tudo ... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$70 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Sacerdote Piero Jogo de Buzios, baralho cigano 24 anos de experiência 99.7% 12734 consultas « Qdo a gente passa a confiar numa pessoa mesmo sem conhecê-la pessoalmente, pois é isso que acontece com o ... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$89.90 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Johara Taróloga mediunidade, tarot 18 anos de experiência 98.5% 12120 consultas « Acho ela incrível. Acredito fielmente em tudo o q fala, pq por diversas vezes as coisas ocorreram, portant... » Há 18 h . Ver mais comentários A partir de R$60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigana Ísis mediunidade, tarot 47 anos de experiência 98.4% 11425 consultas « Muito bom ouvir a Isis, parece ser uma pessoa pronta a ajudar mesmo que distante. Excelente ouvinte. Estava... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$140 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Lamia Taróloga Numerologia, Tarot 25 anos de experiência 99.3% 10755 consultas « Adorei a consulta! Sincera, honesta e direta, porém carinhosa e sempre mostrando um outro lado que podemos ... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$85 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Ely Tarologa tarot, NUMEROLOGIA 41 anos de experiência 98.1% 8556 consultas « Gostei muito da consulta , certeira , direta , rápida e objetiva. Com poucas informações ela consegue te da... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$45.99 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Ânia Taróloga Numerologia, Tarot 36 anos de experiência 97.4% 7961 consultas « Tenho me consultado com a Ania há uns meses e ela é maravilhosa, tem me ajudado muito a passar por um momen... » Há 3 dias . Ver mais comentários A partir de R$189 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Fernando Tarólogo e Terapeuta tarot, amor 13 anos de experiência 99.3% 7520 consultas « Fernando,só posso ser grata por ter encontrado você aqui. Clareou e clareia as questões da minha vida,coloc... » Há 4 semanas . Ver mais comentários A partir de R$98 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigana Hannah Amor, Terapeuta Emocional 30 anos de experiência 99.6% 7294 consultas « Querida Hannah Gratidão pelo seu ombro amigo. Gratidão por me ajudar com as coisas do coração e todas as... » Há 1 h . Ver mais comentários A partir de R$62 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mistica Perola Tarot, Mediunidade 23 anos de experiência 98.6% 7186 consultas « Já me consultei com a Pérola algumas vezes. Sempre muito querida, atenciosa e clara. Vamos seguir na certez... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Ametista Taróloga tarot, baralho cigano 28 anos de experiência 95% 6493 consultas « Ela é uma pessoa linda e atende com muita atenção aos seus problemas. A leitura dela acertou em cheio, e el... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Sacerdote Claudio Búzios, mediunidade 26 anos de experiência 97.8% 6096 consultas « FOI A MINHA PRIMEIRA CONSULTA COM O CLÁUDIO, ADOREI UM PROFISSIONAL QUE ORIENTA, DA CONSELHOS. AGORA VAMOS ... » Há 10 h . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Luciene Sulamita Tarot, Mediunidade 28 anos de experiência 98.2% 5985 consultas « Minha primeira consulta com a Luciene, como sempre ouço, o passado trazendo consequências para o presente e... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$71 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Fabiana Viegas Baralho Cigano, Tarot 18 anos de experiência 96.8% 5810 consultas « Apesar de ser uma resposta ruim em relação ao meu problema sentimental, gostei muito da profissionalidade e... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$55 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mãe Ieda buzios, tarot 47 anos de experiência 98.5% 4650 consultas « Uma profissional muito direta e sem rodeios. Já consultei outras vezes e foi muito assertiva e atenciosa. G... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL CÍNTIA DOULA Tarot, Numerologia 38 anos de experiência 97.2% 4633 consultas « Primeira vez que consulto com a Cintia e achei ela bastante coerente no que falou. Gostei da atenção dela e... » Há 3 dias . Ver mais comentários A partir de R$65 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Vanessa Friggo Tarot, astrologia 28 anos de experiência 98.8% 4619 consultas « Querida Vanessa. Agradeço a nossa conversa e a sua leitura sempre muito assertiva e condizente com tudo que... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$150 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Gitana Mystica Tarot, Baralho Cigano 21 anos de experiência 97.6% 4386 consultas « Te agradeço querida Gitana pela nossa conversa. Muito rapida e assertiva na situação e pessoas envolvidas. ... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Luciana Brites Barallho cigano, Taro Mitológico 18 anos de experiência 97.5% 4276 consultas « Me consulto há bastante tempo com a Lu. Ela é uma querida... Passa calma tranquilidade e fala sobre o que r... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Thalita Peixoto Tarot, Baralho Cigano 11 anos de experiência 100% 3943 consultas « Já disse que mil vezes, mas vai mais uma: amo as consultas da Thalita! Ela lê o presente como ninguém!! Sai... » Há 12 h . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Vik Médium e Tarólogo Mediunidade, Paranormalidade 23 anos de experiência 100% 3876 consultas « O Vik se tornou um amigo para mim! Sempre que estou confusa e preciso de uma ajuda para seguir o melhor cam... » Há 19 h . Ver mais comentários A partir de R$89.90 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigana Lolah Tarot, Terapeuta Holistica 33 anos de experiência 99.6% 3861 consultas « A Cigana Lolah realiza um trabalho muito sério, é uma pessoa que te coloca pra cima, é sincera na leitura e... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$77 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Malu Rensi Tarot, Sensitiva 35 anos de experiência 97.7% 3786 consultas « Ela é muito rápida, aconselha e ainda ensina algumas coisas, ela é ótima. Responde sobre tudo que eu pergu... » Há 11 h . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Sara Bat Sara Tarot, Terapia Holística 36 anos de experiência 97.7% 3656 consultas « Sara mais uma vez muito obrigada pelas suas palavras e por me ajudar a atravessar esse momento difícil que ... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$44 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Carol Carol mediunidade, tarot 24 anos de experiência 93.9% 3604 consultas « A Carol é ótima!!!! Foi uma boa ouvinte... Desde o início foi muito clara em tudo que me disse... Me deixou... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$82 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Danusa Tula astrologia, Tarot 31 anos de experiência 81% 3545 consultas « Gratidão, mais uma vez, pelo cuidado e detalhamento na minha consulta. Me apaixonei pelo meu primeiro mapa... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$100 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Flávio Cartomante Tarot, baraho cigano 22 anos de experiência 97.4% 3525 consultas « Já fiz algumas consultas com o Flavio. E ajuda bastante. Não julga nada, não faz drama na situação. É calm... » Há 5 dias . Ver mais comentários A partir de R$60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL CIGANA SOL baralho cigano, Amor 9 anos de experiência 99.6% 3290 consultas « O que mais me surpreendeu na consulta da Cigana Sol, foi ela responder além do que foi perguntado, se mostr... » Há 12 h . Ver mais comentários A partir de R$30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Dréa Rodriguez Tarot Egípcio, 29 anos de experiência 95.2% 3178 consultas « Adorei a consulta, muito objeiva e clara nas respostas. Ela realmente não é daquelas pessoas que fala o que... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Rose Pellegrino Tarot, Terapias Holísticas 15 anos de experiência 99.4% 3013 consultas « Que pessoa maravilhosa meu deus... só agradeço pela sua paciência e por conversar comigo e sempre me ajudar... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$150 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Adara Fernanda Quirologia(MÃO), tarot 14 anos de experiência 97.3% 2873 consultas « Venho buscando não perder a fé no que espero tantos anos, Adara reforçou boas notícias que já recebi de out... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$44 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Terra Torres Astrologia, Tarot 10 anos de experiência 97.3% 2855 consultas « Calma aí, que caiu o chat, mas já já eu chamo de novo, para continuarmos a leitura! Gente, o que falar da ... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$98 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Safira Tarologa Tarot, Baralho Cigano 20 anos de experiência 99.3% 2764 consultas « Como sempre Safira tem se mostrado muito especial tentando ajudar nas dificuldades que a gente enfrenta na... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Zoë Taróloga Tarot, Tarot do amor 27 anos de experiência 92.6% 2706 consultas « Zoe é leve e descontraída. Adoro falar com ela :D Faz ótimas leituras. » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Ana Maria Olis Tarologa sensitiva, Baralho cigano 28 anos de experiência 95.8% 2562 consultas « Só tenho que te agradecer pelas diversas vezes em que me escutou, direcionou, enfim já sao muitos anos que ... » Há 2 semanas . Ver mais comentários A partir de R$30 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Sarita do Oriente Tarot, Numerologia 19 anos de experiência 98.8% 2525 consultas « Adorei tudo foi clara objetiva e me orientou dizendo coisas acertivas estou grata e retornarei daqui para ... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$62 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Viviane Thomas Médium Clarividencia, clariaudiência 45 anos de experiência 99.7% 2387 consultas « Vi sempre assertiva , transparente e clara me direcionando e orientando é incrível como ela conduz a consul... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$75 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL DEYSI PREVIATO Tarot, Petit Lenormand 9 anos de experiência 99% 2316 consultas « Uma amiga que já mora no meu s2!!! Sempre fico muuuuuiiito feliz por conseguir falar com a Deysi e matar a ... » Há 3 dias . Ver mais comentários A partir de R$89.99 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Ananda Tarittas tarot, numerologia 36 anos de experiência 96.5% 2249 consultas « Obrigada, minha querida! Por nunca desistir de mim e por me apoiar sempre, nos bons e maus momentos. Sempr... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$35 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigana Luanna Tarot, Baralho Cigano 26 anos de experiência 96.8% 2183 consultas « simplesmente amo todas as vezes que me consulto com a Luana. Assertiva,carinhosa,objetiva,iluminada.profis... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$67 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Kalila Cigana Baralho Cigano, numerologia 18 anos de experiência 98.9% 2166 consultas « Olha!!!! Muito educada e atenciosa na consulta. Mostrando com calma as melhores opções a seguir. Gostei mu... » Há 5 dias . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Sonia Espiritualista Tarot, Baralho Cigano 20 anos de experiência 95.4% 2014 consultas « Sabe quando você pensa mil coisas na sua cabeça e vem alguém lhe mostrando a direção? Posso dizer que a con... » Há 5 dias . Ver mais comentários A partir de R$40 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Umbra Tarot Taro, Tarot 18 anos de experiência 96.4% 1937 consultas « Já havia me consultado e ele é serio, compenetrado. Todos são, nao posso falar de ninguém. Aqueles que tem... » Há 2 meses . Ver mais comentários A partir de R$65 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigano Luigi Taro, Baralho cigano 22 anos de experiência 99.4% 1933 consultas « Houve veracidade em todo momento, com certeza irei consultar novamente!!! Eu desejo que eu tivesse conhecid... » Há 18 h . Ver mais comentários A partir de R$119.99 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Aparecido de Sant Anna tarot, VIDA AMOROSA FINANCEIRA E TRABALHO 18 anos de experiência 93.6% 1845 consultas « Aparecido, como você já me disse algumas vezes o que eu não queria ouvir, quando escuto o que eu quero ouvi... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$40 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Jacque Taróloga Tarot, Baralho Cigano 12 anos de experiência 99.1% 1744 consultas « A Jacque me trás luz e paz espiritual sempre! Agradeço a forma tão plena e sensitiva de iluminar minha ment... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Aritanis Cigana Taro Cigano, Vidente 28 anos de experiência 99.4% 1730 consultas « Super direta e sem rodeios. Espero que foi me colocado se concretize. Tudo que revelou é bem como é. Orien... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$120 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Viviane Galves mediunidade, tarot 10 anos de experiência 100% 1654 consultas « Adorei nossa consulta por e-mail, foi bem direta e clara! Agora aguardar para que tudo dê certo. Ainda se o... » Há 14 h . Ver mais comentários A partir de R$62 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Alex Tarólogo Vidêncida, Cartas Ciganas e Tarot Marselha 8 anos de experiência 96.6% 1578 consultas « Muito satisfeita,parece que ele me conhecia a anos ,direto,ótimo profissional,vi veracidade em suas palavra... » Há 6 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigana Zaira Baralho Cigano, Cartas ciganas 17 anos de experiência 98% 1547 consultas « Quero agradecer muitooooooo o atendimento, atenção e dedicação durante a consulta. Só de consultar com ela ... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Narjara Taróloga Tarot, Casos amorosos 25 anos de experiência 87.7% 1469 consultas « Foi a única que deu uma resposta 'ruim' em minhas consultas, mas acertou em cheio, diferente dos outros. Q... » Há 3 semanas . Ver mais comentários A partir de R$70 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Flavia Ramires Tarot, amor 28 anos de experiência 98.3% 1464 consultas « Pessoa extremamente atenciosa e competente A recomendo com louvor principalmente pela paciência e competê... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$56 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Leonard Tarólogo Cromoterapia, Tarot 8 anos de experiência 99% 1433 consultas « Leo, seu lindo! Mais uma vez recorri a você para tranquilizar meu coração e ver se estou agindo da melhor m... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Tarologo Osni Baralho Cigano, Tarot 11 anos de experiência 96.1% 1394 consultas « Obrigada pela paciência, Osni. Tiro dúvidas até sobre os pingos nos is. E ele me responde sem nunca perde... » Há 17 h . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Madalena Taróloga Tarot, baralho cigano 18 anos de experiência 97.4% 1373 consultas « Eu estava com muitas dúvidas, triste mas ela me ajudou a entender as dificuldades... Muito sincera e delica... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$40 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Esmeralda Taróloga mediunidade, Tarot 16 anos de experiência 96.6% 1282 consultas « a esmeralda é ótima... muito objetiva, atenciosa, e certeira!!! estou aguardando pelos acontecimentos.... j... » Há 2 meses . Ver mais comentários A partir de R$39 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Natalia Dos Anjos Cartomante, Videncia 37 anos de experiência 99.4% 1276 consultas « Foi muito bom conversar com a Natalia. Falou comigo com paciência e tranquilidade e soube me acalmar. Esper... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$68 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cibelly Munhoz tarot, terapeuta 19 anos de experiência 96% 1263 consultas « Agradeço pela orientação. Vou refletir bastante no que disse. Fico muito agradecida pela sua atenção e disp... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$55 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Adriana Brites Terapeuta Floral, baralho cigano 16 anos de experiência 96.7% 1260 consultas « Adriana, descreveu toda a minha situação atual e não falei absolutamente nada, mesmo que sendo questionada,... » Há 13 h . Ver mais comentários A partir de R$60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Felipe Beckmann Clarividente Mediunidade, Amor 14 anos de experiência 99.6% 1255 consultas « Essa é a terceira vez que me consulto com Felipe e pra mim ele é um dós melhores, sincero, assertivo e muit... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$100 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Lara Flor Tarot, Amor 12 anos de experiência 97.6% 1216 consultas « Super indico, muito boa e atenciosa, me deu ótimo conselhos, falou tudo que eu queria saber.,................. » Há 5 dias . Ver mais comentários A partir de R$75 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Slauka Cigana tarot, Mapa da Personalidade 23 anos de experiência 96.2% 1207 consultas « Objetiva e suas orientações são muito importantes e necessárias. Muito obrigada pelo cuidado, atenção e or... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$54.60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Lala Morgana Baralho Cigano, Tarot 9 anos de experiência 96.4% 1149 consultas « Lala é um amor,e está sempre me ajudando nas minhas questões pessoais.Além de ser uma ótima profissional e ... » Há 21 h . Ver mais comentários A partir de R$98 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Melinda Mystica Sensitiva, Vidente 28 anos de experiência 98.2% 1148 consultas « A Melinda é um anjo....Assertiva demais, confirmou realmente o que eu suspeitava e me tranquilizou afirman... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$70 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Olga tarot, numerologia 43 anos de experiência 91.6% 1054 consultas « ela foi bem objetiva, e me pediu informações para analisar melhor, se preocupou em me dar uma análise legal... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Pérola Taróloga Tarot, Senstiviva 7 anos de experiência 97.9% 968 consultas « Achei a pérola bastante agradável para se consultar, foi atenciosa e direta. Vou aguardar para ver se as pr... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Tarólogo Joaquim Baralho Cigano, Dados 9 anos de experiência 100% 911 consultas « Já me consultei algumas vezes com o Joaquim e recomendo! Ele é bom ouvinte e sempre disposto a ajudar e ori... » Há 2 semanas . Ver mais comentários A partir de R$40 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Gitana Dahra Baralho Cigano, Baralho Maria Padilha 18 anos de experiência 100% 863 consultas « Eu estava muito ansiosa e agoniada com uma questão, chorando a dias e só de ouvir a voz dela tive uma paz i... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Taróloga e Psicanalista Jupit Baralho Cigano, Amor 22 anos de experiência 100% 777 consultas « Sabe aquele nr do telefone. ? Deixe para mim tá!cxxxxcxx Jupiter muito boa!xxxxxxxxçxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx... » Há 5 dias . Ver mais comentários A partir de R$48.80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Kelly Pino baralho cigano, Tarot 18 anos de experiência 100% 722 consultas « Muito esclarecedor e de grande ajuda. Kelly é um doce e me deixou mais tranquila. Agora é aguardar e vê co... » Há 3 min . Ver mais comentários A partir de R$62 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Douglas Cigano Baralho Cigano e Magia Cigana, 18 anos de experiência 97.8% 678 consultas « O Especialista Douglas é muito atencioso , objetivo nas resposta e muito acertivo . Deixa calma e tranquil... » Há 6 dias . Ver mais comentários A partir de R$75 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Dagma Morgana Runas, Tarot 18 anos de experiência 98% 667 consultas « Miga como é bom falar com vc. É uma pessoa iluminada sabia que é muito bom ter vc por perto. Suas palavras... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigana Grazzy Sensitiva, Médium 24 anos de experiência 100% 653 consultas « Amo tanto, que tudo que venha a dizer é pouco pra transmitir o real sentimento.... Ela já acompanha minha ... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$89.90 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigano Ravier Tarot, Búzios Africanos 14 anos de experiência 97.2% 652 consultas « Querido Ravier. Sempre muito bom te escutar...e sua leitura sempre muito coerente e assertiva a fatos e pes... » Há 2 semanas . Ver mais comentários A partir de R$116 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Paulo Joan Tarin Numerologia, Tarot 12 anos de experiência 97.7% 646 consultas « Que delícia conversar com o Paulo! Ele sempre nos recebe com tanta atencao, carinho, calmaria...e vai comb... » Há 3 semanas . Ver mais comentários A partir de R$75.50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mahila Villar Sensitiva, Tarot 14 anos de experiência 97.5% 631 consultas « Acabei de fazer q consulta a algum tempo atrás e me estou uma dúvida, vc conseguiu ver nos dois morando jun... » Há 3 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Denise Médium, Cartomante, T mediunidade, cartomancia 18 anos de experiência 95.6% 570 consultas « Conheci a Denise num momento de extrema dificuldade em que eu me encontrava. Ela foi a minha luz. Já não le... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cartomante Flor Baralho Cigano, Tarot 17 anos de experiência 94.4% 542 consultas « Gostei bastante da Flor. Super recomendo. Esclareceu as minhas dúvidas, de forma clara e objetiva, e me dei... » Há 4 semanas . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Val cartomante tarot, lenormand 22 anos de experiência 100% 541 consultas « Extremamente assertiva, pontual, e franca! Se consultem com a certeza de que ela expressa honestamente o qu... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL SIMONE GALVÃO QUIROLOGIA, BARALHO CIGANO 24 anos de experiência 85.4% 518 consultas « Simone tem serenidade e calma para pontuar os questionamentos. Foi muito atenciosa em responder dúvidas ap... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mãe Rosana D'Oya Jogo de buzios, oráculo de Patewó Nigeriano 21 anos de experiência 94.6% 462 consultas « Querida Mae Rosana, uma vez mais foi muito bom te escutar...uma conversa onde sua leitura sempre é muito as... » Há 2 semanas . Ver mais comentários A partir de R$62 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Karen Pisciotti Tarot, Astrologia 16 anos de experiência 100% 442 consultas « Amei conversar com vc! Pena q acabou o tempo e não consegui saber dos sentimentos dele. Vc é maravilhosa..... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$53 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Marcia Conte Tarot, Vidência 26 anos de experiência 93.3% 436 consultas « É precisa e objetiva e da bons conselhos. Recomendo pra quem quer uma pessoa que joga bem. O meu assunto é ... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$35 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Leda D´Ambrosio Tarot, Baralho Cigano 23 anos de experiência 82.4% 419 consultas « Superou minhas expectativas. A consulta foi rápida mas respondeu o que eu desejava saber e sanou as minhas ... » Há 5 meses . Ver mais comentários A partir de R$85 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mateus Cordeiro tarot, baralho cigano 5 anos de experiência 100% 406 consultas « Foi a segunda vez que me consultei com o Mateus e eu voltei porque ele acertou a primeira previsao. Ele eh ... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Luna Gitana Baralho cigano, banhos 15 anos de experiência 100% 327 consultas « Num momento de ansiedade em que me encontrava ela foi direta, clara e me tranquilizou. Com respostas objeti... » Há 1 dia . Ver mais comentários A partir de R$45 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Henrique Libório Tarot, baralho cigano 8 anos de experiência 92.1% 323 consultas « Amo falar com o Henrique! Sempre muito certeiro e atencioso. Expõe tudo com muita coerência. Me transmite m... » Há 8 h . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Lunna Morganna Rituais, Tarot 18 anos de experiência 100% 293 consultas « Muito clara e carinhosa me trouxe paz num momento muito escuro da minha vida . Que Deus abençoe esse Dom... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$60 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Ragk Tarólogo Tarot, baralho cigano 17 anos de experiência 95.7% 291 consultas « Sempre me consulto com o Ragk, ele eh um amigo que sempre me orienta da melhor forma. Sempre me responde no... » Há 1 semana . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Taróloga Sandra Luna Reiki, Tarot 6 anos de experiência 100% 266 consultas « Ela é bem esclarecedora, porém explica tanto o ponto de vista que chega a cansar... poderia falar menos.. m... » Há 3 semanas . Ver mais comentários A partir de R$70 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Mestre Arun Tarot, Feng Shui 18 anos de experiência 100% 228 consultas « Assim me senti, mais calma, com mais rumo! Eu pensava em tomar uma atitude no problema em questão e realmen... » Há 4 dias . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Lizzie tarologa tarot do amor, tarot dos relacionamentos 17 anos de experiência 81.3% 160 consultas « Lizzie, mostrou ser dona de um equilibrio gigantesco, embora eu vomitasse as minhas angustias em ti, se man... » Há 2 dias . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Dara Cristina crystal tarot, mediunidade 33 anos de experiência 92.3% 101 consultas « Calma, tranquila, explica bem e ótima ouvinte. Recomendo!!!!❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️.......................... » Há 5 dias . Ver mais comentários A partir de R$55 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Cigano Itálo Baralho Cigano, Tarot de Marselha 15 anos de experiência 100% 77 consultas « Surpresa com atendimento. Muito obrigada acalmou minha mente, visão muito boa sobre as coisas de maneira ma... » Há 2 h . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Diego Cigano do Oriente Mediunidade, Tarot 6 anos de experiência 100% 46 consultas « Diego me respondeu com muita veracidade, me acalentou num momento de muita angústia. Foi assertivo e pôde m... » Há 1 mês . Ver mais comentários A partir de R$50 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Pai Alexandre Jogo de Búzios, Terapia Holistica 9 anos de experiência 100% 38 consultas « O pai Alexandre é muito especial! Excelente profissional com sabedoria e cohecimento além, de ser uma pesso... » Há 6 dias . Ver mais comentários A partir de R$80 Pergunta rápida ENVIAR PERGUNTA POR E-MAIL Quem somos? | Nossos 5 compromissos | A equipe | Aviso legal | Parceiros | Termos de uso Ser Especialista | Fale conosco | Atendimento | Como funciona? © 2013 - WENGO.COM.BR - Uma empresa do grupo



http://www.cnpq.br/web/guest/prestacao-de-contas1/
  Prestação de contas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não CACHE

Prestação de contas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Bolsas e Auxílios / Prestação de contas / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Prestação de Contas - Relatório técnico Para atender aos procedimentos legais e constitucionais, o CNPq esclarece que é obrigatória a Prestação de Contas dos auxílios concedidos, até 60 dias do final do prazo de vigência. Desta forma, estamos apresentando as etapas de cobrança das prestações de contas, o cronograma e a legislação pertinente. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Relatório técnico e prestação de contas Cadastro de representantes da prestação de contas Relatório técnico e prestação de contas de bolsas Relatório técnico e prestação de contas de projetos de pesquisa, eventos e editoração Formulário para devolução de recursos financeiros ao CNPq (guia de recolhimento - GR) Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Formulários de utilização durante vigência do projeto de pesquisa, evento e editoração Modelo para declaração de diárias Modelo para recibo de diárias de terceiros Modelo para recibo de prestação de serviços - pessoa-física Modelo para encaminhamento de notas fiscais para registro de termo de depósito Modelo para recibo de bolsa exclusivo para modalidade Pesquisador Visitante Especial - PVE do programa Ciência sem Fronteiras - CsF/CNPq Modelo para recibo de Aux. Instalação exclusivo para modalidade Atração de Jovem Talento - BJT do programa CsF/CNPq Modelo para recibo de 1ª mensalidade de bolsa exclusivo para modalidade Atração de Jovem Talento - BJT do programa CsF/CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Roteiros de Prestações de Contas Legislação básica Contato Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Acompanhamento da Execução de Projetos Manual do Acompanhamento da Execução de Projetos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



https://pt.wikipedia.org/wiki/Filosofia
  Filosofia – Wikipédia, a enciclopédia livre Filosofia Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Nota: Para outros significados, veja Filosofia (desambiguação) . Filosofia O pensador , de Auguste Rodin , representação clássica de um homem imerso em pensamentos. Origem do nome Φιλοσοφία, grego Origem Grécia , séc. VII a.C., Tales de Mileto Influências mitologia Influenciados ... a situar a investigação filosófica nos limites do que pode ser avaliado pela experiência. Segundo ... operam não são adequadamente derivadas da experiência. De maneira análoga, Kant , ao elaborar sua ... chamado de 'experiência de pensamento') é a elaboração de uma situação puramente hipotética – geralmente ... transcendentais – foi concebido por Kant, e consiste em tomar como dados os fatos da experiência, e ... pura do espaço é uma das condições necessárias pressupostas pela experiência dos objetos externos CACHE

Filosofia – Wikipédia, a enciclopédia livre Filosofia Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Nota: Para outros significados, veja Filosofia (desambiguação) . Filosofia O pensador , de Auguste Rodin , representação clássica de um homem imerso em pensamentos. Origem do nome Φιλοσοφία, grego Origem Grécia , séc. VII a.C., Tales de Mileto Influências mitologia Influenciados arte , ciência , política , direito , ética , teologia , religião Principais nomes Heráclito · Confúcio · Demócrito · Sócrates · Platão · Aristóteles · Epicuro · Agostinho · Avicena · Aquino · Escoto · Ockham · Maquiavel · Bacon · Descartes · Vico · Leibniz · Espinoza · Hobbes · Berkeley · Locke · Montesquieu · Hume · Rousseau · Voltaire · Burke · Kant · Hegel · Kierkegaard · Schopenhauer · Mill · Marx · Nietzsche · Peirce · Husserl · Definição é o estudo de questões fundamentais relacionadas à existência , ao conhecimento , à verdade , aos valores morais e estéticos , à mente e à linguagem . Conhecida por estimular o pensamento lógico e crítico Pretende construir concepções abrangentes de mundo Divide-se em Filosofia ocidental , Filosofia oriental Ramificações epistemologia , ontologia , ética , metafísica , filosofia social , filosofia política , estética , lógica Filosofia (do grego Φιλοσοφία, philosophia, literalmente «amor pela sabedoria» [ 1 ] [ 2 ] ) é o estudo das questões gerais e fundamentais relacionadas com a natureza da existência humana . do conhecimento . da verdade . dos valores morais e estéticos . da mente . da linguagem , bem como do universo em sua totalidade. [ 3 ] O termo foi cunhado por Pitágoras (570 – 495 a.C). Ao examinar tais questões, a filosofia se distingue da mitologia e da religião por sua ênfase em argumentação racional. por outro lado, diferencia-se também das pesquisas científicas por geralmente não recorrer a procedimentos empíricos em suas investigações. Entre seus métodos, estão a argumentação racional , a análise conceitual , a dialética , a hermenêutica , a fenomenologia , as experiências de pensamento e outros métodos investigativos a priori . A Filosofia é o saber mais abrangente – na medida em que ocupa-se com os grandes temas da humanidade. A partir dela, são fundamentadas e desenvolvidas teorias , metodologias , pesquisas , projetos educacionais , bem como elabora-se, inclusive, a própria fundamentação racional das instituições do conhecimento humano, i.e., as instituições científicas , artísticas , religiosas e culturais . Por razões de conveniência e especialização, as disciplinas filosóficas foram classificadas em várias subáreas temáticas ou campos de estudo e investigação, entre os quais destacam-se principalmente a Metafísica (cujo ramo basilar é conhecido como Ontologia ). a Epistemologia , a Lógica , a Ética (ou filosofia moral ), a Estética (ou filosofia da arte ), filosofia da mente , filosofia das ciências naturais e sociais , filosofia da religião , filosofia da matemática , filosofia da linguagem , filosofia da física e filosofia política . Índice 1 Definição de filosofia 1.1 Etimologia 1.2 Conceito de filosofia 2 Métodos da filosofia 3 Disciplinas filosóficas 4 Cronologia 5 História 5.1 Pensamento mítico e pensamento filosófico 5.2 Filosofia antiga 5.2.1 Babilônia 5.2.2 Grécia Antiga 5.2.3 Império Romano 5.3 África 5.4 Filosofia oriental 5.4.1 China 5.4.2 Índia 5.5 Filosofia medieval 5.5.1 Europa 5.5.2 Oriente Médio 5.6 Filosofia do Renascimento 5.7 Filosofia moderna 5.8 Filosofia do século XIX 5.9 Filosofia do século XX 5.10 Movimentos filosóficos da atualidade 5.10.1 Filosofia clínica 6 Ver também 7 Referências 8 Bibliografia 9 Ligações externas Definição de filosofia Etimologia Filósofo em Meditação , detalhe de Rembrandt , 1632, no Museu do Louvre A palavra 'filosofia' (do grego ) é uma composição de duas palavras: philos (φίλος) e sophia (σοφία). A primeira é uma derivação de philia (φιλία) que significa amizade, amor fraterno e respeito entre os iguais. a segunda significa sabedoria ou simplesmente saber. Filosofia significa, portanto, amizade pela sabedoria, amor e respeito pelo saber. e o filósofo, por sua vez, seria aquele que ama e busca a sabedoria, tem amizade pelo saber, deseja saber. [ 4 ] A tradição atribui ao filósofo Pitágoras de Samos (que viveu no século V a.C. ) a criação da palavra. Conforme essa tradição, Pitágoras teria criado o termo para modestamente ressaltar que a sabedoria plena e perfeita seria atributo apenas dos deuses. os homens, no entanto, poderiam venerá-la e amá-la na qualidade de filósofos. [ 4 ] A palavra philosophía não é simplesmente uma invenção moderna a partir de termos gregos, [ 5 ] mas, sim, um empréstimo tomado da própria língua grega. Os termos φιλοσοφος ( philosophos ) e φιλοσοφειν ( philosophein ) já teriam sido empregados por alguns pré-socráticos [ 6 ] ( Heráclito , Pitágoras e Górgias ) e pelos historiadores Heródoto e Tucídides . Em Sócrates e Platão, é acentuada a oposição entre σοφία e φιλοσοφία, em que o último termo exprime certa modéstia e certo ceticismo em relação ao conhecimento humano. Conceito de filosofia Para os eruditos o conceito de 'filosofia' sofreu, no transcorrer da história, várias alterações e restrições em sua abrangência. As concepções do que seja a filosofia e quais são os seus objetos de estudo também se alteram conforme a escola ou movimento filosófico. Essa variedade presente na história da filosofia e nas escolas e correntes filosóficas torna praticamente impossível elaborar uma definição universalmente válida de filosofia. Definir a filosofia é realizar uma tarefa metafilosófica . Em outras palavras, é fazer uma filosofia da filosofia. O sociólogo e filósofo alemão Georg Simmel ressaltou esse ponto ao dizer que um dos primeiros problemas da filosofia é o de investigar e estabelecer a sua própria natureza. Talvez a filosofia seja a única disciplina que se volte para si mesma dessa maneira. O objeto da física não é, certamente, a própria ciência da física, mas os fenômenos ópticos e elétricos , entre outros. A filologia ocupa-se de registros textuais antigos e da evolução das línguas, mas não se ocupa de si mesma. A filosofia, no entanto, move-se neste curioso círculo: ela determina os pressupostos de seu método de pensar e os seus propósitos através de seus próprios métodos de pensar e propósitos. Não há como apreender o conceito de filosofia fora da filosofia. pois somente a filosofia pode determinar o que é a filosofia. [ 7 ] Platão e Aristóteles concordam em caracterizar a filosofia como uma atividade racional estimulada pelo assombro ou admiração. Mas, para Platão, o assombro é provocado pela instabilidade e contradições dos seres que percebemos pelos sentidos. A filosofia, no quadro platônico, seria a tentativa de superar esse mundo de coisas efêmeras e mutáveis e apreender racionalmente a realidade última, composta por formas eternas e imutáveis que, segundo Platão, só podem ser captadas pela razão . Para Aristóteles, ao contrário, não há separação entre, de um lado, um mundo apreendido pelos sentidos e, de outro lado, um mundo exclusivamente captado pela razão. A filosofia seria uma investigação das causas e princípios fundamentais de uma única e mesma realidade . O filósofo, segundo Aristóteles, “conhece, na medida do possível, todas as coisas, embora não possua a ciência de cada uma delas por si”. [ 8 ] A filosofia almejaria o conhecimento universal, não no sentido de um acúmulo enciclopédico de todos os fatos e processos que se possam investigar, mas no sentido de uma compreensão dos princípios mais fundamentais, dos quais dependeriam os objetos particulares a que se dedicam as demais ciências, artes e ofícios. Aristóteles considera que a filosofia, como ciência das causas e princípios primordiais , acabaria por identificar-se com a teologia , pois Deus seria o princípio dos princípios. [ 9 ] As definições de filosofia elaboradas depois de Platão e Aristóteles separaram a filosofia em duas partes: uma filosofia teórica e uma filosofia prática . Como reflexo da busca por salvação ou redenção pessoal, a filosofia prática foi gradativamente se tornando um sucedâneo da fé religiosa e acabou por ganhar precedência em relação à parte teórica da filosofia. A filosofia passa a ser concebida como uma arte de viver, que forneceria aos homens regras e prescrições sobre como agir e como se portar diante das inconstâncias do mundo. Essa concepção é muito clara em diversas correntes da filosofia helenística, como, por exemplo, no estoicismo e no neoplatonismo . [ 9 ] As definições de filosofia formuladas na Antiguidade persistiram na época de disseminação e consolidação do cristianismo , mas isso não impediu que as concepções cristãs exercessem influência e moldassem novas maneiras de se entender a filosofia. As definições de filosofia elaboradas durante a Idade Média foram coordenadas aos serviços que o pensamento filosófico poderia prestar à compreensão e sistematização da fé religiosa. e, desse modo, a filosofia passa a ser concebida como “serva da teologia” ( ancilla theologiae ). [ 9 ] Segundo São Tomás de Aquino , por exemplo, a filosofia pode auxiliar a teologia em três frentes: (1) ela pode demonstrar verdades que a fé já toma como estabelecidas, tais como a existência de Deus e a imortalidade da alma . (2) pode esclarecer certas verdades da fé ao traçar analogias com as verdades naturais. e (3) pode ser empregada para refutar ideias que se oponham à doutrina sagrada . [ 10 ] Os medievais também mantiveram a acepção de filosofia como saber prático, como uma busca de normas ou recomendações para se alcançar a plenitude da vida. Santo Isidoro de Sevilha , ainda no século VII, definia a filosofia como “o conhecimento das coisas humanas e divinas combinado com uma busca pela vida moralmente boa” [ 11 ] Frontispício da Instauratio Magna , de Francis Bacon , 1620. Na parte inferior está escrito: Multi pertransibunt et augebitur scientia ('Muitos passarão, e o conhecimento aumentará'). As colunas representam as limitações da filosofia antiga e medieval. Tanto na Idade Média como em qualquer outra época da história ocidental, a compreensão do que é a filosofia reflete uma preocupação com questões essenciais para a vida humana em seus múltiplos aspectos. As concepções de filosofia do Renascimento e da Idade Moderna não são exceções. Também aí as noções do que seja a filosofia sintetizam as tentativas de oferecer respostas substantivas aos problemas mais inquietantes da época. O advento da era moderna fez ruir as próprias bases da sabedoria tradicional. e impôs aos intelectuais a tarefa de encontrar novas formas de conhecimento que pudessem restabelecer a confiança no intelecto e na razão. Para Francis Bacon - um dos primeiros filósofos modernos - a filosofia não deveria se contentar com uma atitude meramente contemplativa, como queriam os antigos e medievais. ao contrário, deveria buscar o conhecimento das essências das coisas a fim de obter o controle sobre os fenômenos naturais e, portanto, submeter a Natureza aos desígnios humanos. [ 12 ] Para Descartes , a filosofia, na qualidade de metafísica , é a investigação das causas primeiras, dos princípios fundamentais. Esses princípios devem ser claros e evidentes, e devem formar uma base segura a partir da qual se possam derivar as outras formas de conhecimento. É nesse sentido, entendendo-se a filosofia como o conjunto de todos os saberes e a metafísica como a investigação das primeiras causas, que se deve ler a famosa metáfora de Descartes: “Assim, a Filosofia é uma árvore, cujas raízes são a Metafísica, o tronco a Física, e os ramos que saem do tronco são todas as outras ciências”. [ 13 ] Após Descartes, a filosofia assume uma postura crítica em relação a suas próprias aspirações e conteúdos. Os empiristas britânicos, influenciados pelas novas aquisições da ciência moderna, dedicaram-se a situar a investigação filosófica nos limites do que pode ser avaliado pela experiência. Segundo a orientação empirista, argumentos tradicionais da filosofia, como as demonstrações da existência de Deus, da imortalidade da alma e de essências imutáveis seriam inválidos, uma vez que as ideias com que operam não são adequadamente derivadas da experiência. De maneira análoga, Kant , ao elaborar sua doutrina da filosofia transcendental , rejeita a possibilidade de tratamento científico de muitos dos problemas da filosofia tradicional, uma vez que a adequada solução deles demandaria recursos que ultrapassam as capacidades do intelecto humano. O empirismo britânico e o idealismo de Kant acentuam uma característica frequentemente destacada na filosofia: a de ser um 'pensar sobre o pensamento' [ 14 ] ou um 'conhecer o conhecimento'. [ 15 ] Essa concepção reflexiva da filosofia, do pensamento que se volta para si mesmo, influenciará vários autores e escolas filosóficas, tanto do século XIX como do século XX. A fenomenologia , por exemplo, considerará a filosofia como um empreendimento eminentemente reflexivo. Segundo Edmund Husserl - o fundador da fenomenologia - a filosofia é uma ciência rigorosa dos fenômenos tal como nos aparecem, ou seja, tal como é a nossa consciência deles. Para descrevê-los, o filósofo deve pôr entre parênteses todas as suas pressuposições e preconceitos (até mesmo a certeza de que os objetos existem) e restringir-se apenas aos conteúdos da consciência. Com a virada linguística do início do século XX, muitos filósofos passam a considerar a filosofia como uma análise de conceitos. Para Wittgenstein , os problemas filosóficos tradicionais são todos resultantes de confusões linguísticas. e a tarefa do filósofo seria a de esclarecer o modo como os conceitos são empregados a fim de explicitar tais confusões. Numa abordagem mais positiva sobre a atividade filosófica, Strawson considera que a filosofia é análoga à gramática: assim como os estudiosos da gramática explicitam as regras que os falantes inconscientemente empregam, a filosofia explicitaria conceitos-chave que, na construção de nossas concepções e argumentos, adotamos sem ter plena consciência de suas implicações e relações. [ 16 ] A lista de concepções da filosofia propostas ao longo de sua história pode ser estendida indefinidamente. Sua variedade é tão grande que dificilmente se pode encontrar um elemento que perpasse todas as concepções em todas as épocas. Mas não se pode esquecer que as antigas concepções de filosofia tornaram-se algo obsoleto frente ao avanço de outras disciplinas que antes se abrigavam à sombra, excessivamente vasta, da filosofia. As concepções de autores antigos e medievais, e mesmo de alguns modernos, consideravam indiscriminadamente como filosóficas investigações que hoje denominamos simplesmente de científicas. Assuntos como as leis do movimento, a estrutura da matéria e o funcionamento dos processos psicológicos – que hoje consideramos como temas da física, da química e da psicologia, respectivamente – eram todos reunidos na noção de filosofia natural . Após a revolução científica do século XVII, as investigações da filosofia natural foram gradualmente se desvencilhando da filosofia e se constituíram em domínios específicos e independentes de pesquisa. De certa forma, os problemas clássicos da filosofia formam hoje um conjunto de assuntos elusivos que não se dobraram à metodologia indutiva e experimental das ciências. [ 17 ] Mas isso não implica dizer que a filosofia atual seja mero resíduo do processo de crescimento e consolidação da ciência moderna. Dizer isso seria esquecer o aspecto profundamente dinâmico e reflexivo da filosofia. A reflexão filosófica não é algo que ocorra num limbo intelectual: ela acompanha de perto a evolução das ciências, da política, da religião e das artes. [ 9 ] Essa evolução tende a apresentar novos problemas e desafios que, por escaparem ao estrito domínio da disciplina em que surgiram, podem ser chamados de 'filosóficos'. Talvez não haja uma resposta categórica à pergunta “O que é filosofia?”. [ 9 ] Os filósofos divergem entre si sobre o que fazem, os problemas filosóficos ramificam-se indefinidamente e os métodos variam conforme a concepção do que seja o trabalho filosófico. Talvez a afirmação de Simmel de que só é possível entender a filosofia no âmbito da filosofia possa ser tomada como uma advertência quando contrastada com o amplo espectro de conceitos sobre a sua natureza: ao adotar uma das diferentes orientações filosóficas, tratamos de determinados problemas e adotamos determinados métodos para tentar esclarecê-los. mas, dado que há outras concepções, conforme outros métodos e conforme outras finalidades, devemos modestamente reconhecer que essas concepções alternativas têm o mesmo direito de ostentar o título de “filosofia” que a nossa concepção. Métodos da filosofia Discussão noite adentro , de William Blades : o debate franco de ideias, conforme os padrões da argumentação lógica, é uma das características centrais da atividade filosófica. Os trabalhos filosóficos são realizados mediante técnicas e procedimentos que integram os cânones do pensamento racional. Tradicionalmente, a filosofia destaca e privilegia a argumentação lógica, em linguagem natural ou em linguagem simbólica, como a ferramenta por excelência da apresentação e discussão de teorias filosóficas. A argumentação lógica está associada a dois elementos importantes: a articulação rigorosa dos conceitos e a correta concatenação das premissas e conclusões , de modo que essas últimas sejam derivações incontestáveis das primeiras. Toda a ideia filosófica relevante é inevitavelmente submetida a escrutínio crítico. e a presença de falhas na argumentação ( falácias , sofismas , etc.) é frequentemente o primeiro alvo das críticas. Desse modo, o destino de uma tese qualquer que não esteja amparada por argumentos sólidos e convincentes será, frequentemente, severamente rejeitada por parte da comunidade filosófica. Embora a reflexão sobre os princípios e métodos da lógica só tenha sido realizada pela primeira vez por Aristóteles, a ênfase na argumentação lógica e na crítica à solidez dos argumentos é uma característica que acompanha a filosofia desde os seus primórdios. A própria ruptura entre o pensamento mítico-religioso e o pensamento racional é assinalada pela adoção de uma postura argumentativa e crítica em relação às explicações tradicionais. Quando Anaximandro rejeitou as explicações de seu mestre – Tales de Mileto – e propôs concepções alternativas sobre a natureza e estrutura do cosmos , o pensamento humano dava seus primeiro passos em direção ao debate franco, público e aberto de ideias, orientado apenas por critérios racionais de correção, como forma destacada de se aperfeiçoar o conhecimento. e abandonava, assim, as narrativas tradicionais sobre a origem e composição do universo, apoiadas na autoridade inquestionável da tradição ou em ensinamentos esotéricos. [ 18 ] Mas não se podem restringir os métodos da filosofia apenas à ênfase geral na argumentação lógica e na crítica sistemática às teorias apresentadas. Nas grandes tradições da história da filosofia, podem ser identificadas duas orientações bem abrangentes, cujos objetivos e técnicas tendem a diferir radicalmente: existem as escolas que privilegiam uma abordagem analítica dos problemas filosóficos e aquelas que optam por uma abordagem predominantemente sintética ou sinóptica . [ 3 ] Kant deduzindo coisas que não são passíveis de ser experienciadas. Trabalho artístico de Friedrich Hagermann , 1801 A orientação analítica é exemplificada nos trabalhos filosóficos que se dedicam à decomposição de um conceito em suas partes constituintes e ao exame criterioso das relações lógicas e conceptuais explicitadas pela análise. O exemplo clássico é a análise do conceito de conhecimento . A reflexão sobre a natureza do conhecimento levou os filósofos a decompor a noção de conhecimento em três noções associadas: crença , verdade e justificação . Para que algo seja conhecimento é imprescindível que seja antes uma crença – em outras palavras, o conhecimento é uma espécie diferenciada do gênero mais abrangente da crença. A pergunta óbvia que essa primeira constatação sugere é: o que diferencia, então, o conhecimento das demais formas de crença? Nesse ponto, o exame do conceito conduz a duas noções distintas. Em primeiro lugar, à noção de verdade. Intuitivamente separamos as crenças falsas das verdadeiras. É por isso que mantemos a crença de que Papai Noel existe num patamar diferente da crença de que a Lua gira em torno da Terra – quem sustenta a primeira, tem apenas uma crença. quem sustenta a última, provavelmente sabe algo sobre o sistema solar, pois exprime uma crença verdadeira. Mas, para que seja promovida à condição de conhecimento, a crença precisa de algo mais: ela precisa ser apoiada por alguma espécie de justificação. Além de sustentar uma crença verdadeira, o sujeito deve ser capaz de apresentar os meios ou as fontes, consideradas universalmente legítimas, que lhe propiciaram chegar à crença em questão. Feito esse exame, a conclusão é a célebre fórmula: o conhecimento é crença verdadeira justificada . [ 19 ] Nesse e em muitos outros casos envolvendo noções filosoficamente relevantes, o trabalho de análise é capaz de explicitar pressupostos importantes implicitamente presentes no uso dos conceitos. A outra orientação – a sintética – percorre o caminho oposto ao da análise. Os adeptos dessa orientação buscam elaborar uma síntese de várias noções relevantes e apresentá-las como um todo harmônico. [ 3 ] Às vezes chamada de “filosofia especulativa”, essa orientação filosófica pretende revelar princípios universais que possam reunir organicamente vários elementos díspares, que aparentemente não guardam relações relevantes entre si. [ 20 ] Um caso paradigmático dessa orientação é a filosofia hegeliana, cujo fito é integrar numa dinâmica panteísta a evolução das mais diversas formas de manifestação da cultura humana – artes, leis, governos, religiões, ciências e filosofias. Desde o surgimento da ciência moderna, vários filósofos buscaram separar a investigação filosófica da investigação científica por meio de uma caracterização dos métodos peculiares à filosofia. Como as ciências especiais privilegiam a investigação empírica, especialmente por adoção de métodos experimentais, defendeu-se que a adoção de métodos a priori (isto é, de métodos que antecedem a investigação empírica ou são dela independentes ) seria o traço definidor do trabalho filosófico. Nos casos da argumentação lógica, da análise conceptual e da síntese compreensiva não há necessidade de observação dos fenômenos para que se decida se uma conclusão é ou não é logicamente correta, se um conceito está sendo ou não corretamente empregado ou se uma visão sinóptica é ou não é incoerente. Isso não implica um divórcio entre a ciência e a filosofia. Ao contrário, implica que os filósofos estão aptos a analisar os conceitos e argumentos das ciências especiais, e, nesse domínio, podem prestar um serviço relevante ao aperfeiçoamento das teorias científicas. O dilema do bonde é um experimento mental para ilustrar e colocar à prova distintas teorias éticas Além das orientações metodológicas acima explicadas, há outras duas estratégias que podem ser caracterizados como métodos a priori . Os experimentos mentais e os argumentos transcendentais . Um experimento mental (às vezes também chamado de 'experiência de pensamento') é a elaboração de uma situação puramente hipotética – geralmente impossível de ser construída na prática – por meio da qual o filósofo testa os limites de determinados pressupostos ou conceitos. O experimento mental mais famoso da história da filosofia é a hipótese do Gênio Maligno concebida por Descartes: ao imaginar um deus onipotente que se dedica a ludibriá-lo, Descartes leva o ceticismo ao seu extremo a fim de identificar uma certeza inabalável capaz de superar até mesmo a hipótese do Gênio Maligno. (Essa hipótese recebeu uma roupagem moderna na elaboração de outro experimento mental – o cérebro numa cuba ). [ 21 ] O outro método – o dos argumentos transcendentais – foi concebido por Kant, e consiste em tomar como dados os fatos da experiência, e deduzir coisas que não são passíveis de ser experienciadas, mas que constituem a própria condição de possibilidade daqueles fatos. Com essa espécie de argumento, Kant concluiu, por exemplo, que a forma pura do espaço é uma das condições necessárias pressupostas pela experiência dos objetos externos, pois sem ela tal experiência seria impossível. [ 22 ] Embora o emprego da lógica formal, da análise conceptual e dos experimentos mentais sejam constantes na filosofia contemporânea, predomina hoje, sobretudo na tradição analítica, a orientação que se convencionou chamar de naturalismo filosófico . Essa orientação tem suas origens nos trabalhos do filósofo americano Willard Van Orman Quine (1908-2000) que criticam a distinção entre questões conceptuais e empíricas. Os adeptos do naturalismo rejeitam a suposição de que a filosofia se diferencie das ciências por um conjunto de métodos próprios: os problemas filosóficos e os científicos pertencem a uma única e mesma esfera e, portanto, os métodos científicos, historicamente bem-sucedidos, devem também ser aplicados à problemática filosófica. Disciplinas filosóficas Ver artigo principal: Áreas da filosofia A filosofia é geralmente dividida em áreas de investigação específica. Em cada área, a pesquisa filosófica dedica-se à elucidação de problemas próprios, embora sejam muito comuns as interconexões. As áreas tradicionais da filosofia são as seguintes: Metafísica : ocupa-se da elaboração de teorias sobre a realidade e sobre natureza fundamental de todas as coisas. O objetivo da metafísica é fornecer uma visão abrangente do mundo – uma visão sinóptica que reúna em si os diversos aspectos da realidade. Uma das subáreas da metafísica é a ontologia (literalmente, a ciência do 'ser'), cujo tema principal é a elaboração de escalas de realidade. Nesse sentido, a ontologia buscaria identificar as entidades básicas ou elementares da realidade e mostrar como essas se relacionam com os demais objetos ou indivíduos - de existência dependente ou derivada. [ 23 ] Epistemologia ou teoria do conhecimento : é a área da filosofia que estuda a natureza do conhecimento , sua origem e seus limites. Dessa forma, entre as questões típicas da epistemologia estão: “O que diferencia o conhecimento de outras formas de crença?”, “O que podemos conhecer?”, “Como chegamos a ter conhecimento de algo?”. [ 23 ] Lógica : é a área que trata das estruturas formais do raciocínio perfeito – ou seja, daqueles raciocínios cuja conclusão preserva a verdade das premissas. Na lógica são estudados, portanto, os métodos e princípios que permitem distinguir os raciocínios corretos dos raciocínios incorretos. [ 24 ] Ética ou filosofia moral : é a área da filosofia que trata das distinções entre o certo e o errado, entre o bem e o mal. Procura identificar os meios mais adequados para aprimorar a vida moral e para alcançar uma vida moralmente boa. Também no campo da ética dão-se as discussões a respeito dos princípios e das regras morais que norteiam a vida em sociedade, e sobre quais seriam as justificativas racionais para adotar essas regras e princípios. [ 23 ] Filosofia política : é o ramo da filosofia que investiga os fundamentos da organização sociopolítica e do Estado. São tradicionais nessa área, as hipóteses sobre o contrato original que teria dado início à vida em sociedade, instituído o governo , os deveres e os direitos dos cidadãos . Muitas dessas situações hipotéticas são elaboradas no intuito de recomendar mudanças ou reformas políticas aptas a aproximar as sociedades concretas de um determinado ideal político. [ 23 ] Estética ou filosofia da arte : entre as investigações dessa área, encontram-se aquelas sobre a natureza da arte e da experiência estética, sobre como a experiência estética se diferencia de outras formas de experiência, e sobre o próprio conceito de belo . [ 23 ] Metafilosofia : é a 'filosofia da filosofia'. Procura determinar, entre outras coisas, o que é, suas limitações e o objetivo da filosofia enquanto ramo do saber humano. Cronologia Ver artigo principal: Cronologia da filosofia História Ver artigo principal: História da filosofia A filosofia ocidental surgiu na Grécia antiga no século VI a.C. A partir de então, uma sucessão de pensadores originais – como Tales , Xenófanes , Pitágoras , Heráclito e Protágoras – empenhou-se em responder, racionalmente, questões acerca da realidade última das coisas, das origens e características do verdadeiro conhecimento, da objetividade dos valores morais, da existência e natureza dos deuses (ou de Deus ). Muitas das questões levantadas por esses antigos pensadores são, ainda, temas importantes da filosofia contemporânea . [ 25 ] Durante as Idades Antiga e Medieval , a filosofia compreendia praticamente todas as áreas de investigação teórica. Em seu escopo figuravam desde disciplinas altamente abstratas – em que se estudavam o 'ser enquanto ser' e os princípios gerais do raciocínio – até pesquisas sobre fenômenos mais específicos – como a queda dos corpos e a classificação dos seres vivos . Especialmente a partir do século XVII , vários ramos do conhecimento começam a se desvencilhar da filosofia e a se constituir em ciências independentes com técnicas e métodos próprios (priorizando, sobretudo, a observação e a experimentação). [ 26 ] Apesar disso, a filosofia atual ainda pode ser vista como uma disciplina que trata de questões gerais e abstratas que sejam relevantes para a fundamentação das demais ciências particulares ou demais atividades culturais. A princípio, tais questões não poderiam ser convenientemente tratadas por métodos científicos. [ 27 ] Por razões de conveniência e especialização, os problemas filosóficos são agrupados em subáreas temáticas: entre elas as mais tradicionais são a metafísica , a epistemologia , a lógica , a ética , a estética e a filosofia política . Platão , 427-347 a.C. cópia romana em mármore de um original grego do último quarto do século IV a.C., nos Museus Vaticanos As atividades a que nos dedicamos cotidianamente pressupõem a aceitação de diversas crenças e valores de que nem sempre estamos cientes. Acreditamos habitar um mundo constituído de diferentes objetos, de diversos tamanhos e cores. Acreditamos que esse mundo organiza-se num espaço tridimensional e que o tempo segue a sua marcha inexorável numa única direção. Acreditamos que as pessoas ao redor são em tudo semelhantes a nós, vêem as mesmas coisas, têm os mesmos sentimentos e sensações e as mesmas necessidades. Buscamos interagir com outras pessoas, e encontrar alguém com quem compartilhar a vida e, talvez, constituir família, pois tudo nos leva a crer que essa é uma das condições para a nossa felicidade . Periodicamente reclamamos de abusos na televisão, em propagandas e noticiários, na crença de que há certos valores que estão sendo transgredidos por puro sensacionalismo . Em todos esses casos, nossas crenças e valores determinam nossas ações e atitudes sem que eles sequer nos passem pela cabeça. Mas eles estão lá, profundamente arraigados e extremamente influentes. Enquanto estamos ocupados em trabalhar, pagar as contas ou divertir-nos, não vemos necessidade de questionar essas crenças e valores. Mas nada impede que, em determinado momento, façamos uma reflexão profunda sobre o significado desses valores e crenças fundamentais e sobre a sua consistência. É nesse estado de espírito que formularemos perguntas como: “O que é a realidade em si mesma?”, “O que há por trás daquilo que vejo, ouço e toco?”, “O que é o espaço? E o que é o tempo?”, “Se o que aconteceu há um centésimo de segundo já é passado, será que o presente não é uma ficção?”, “Será que tudo o que acontece é sempre antecedido por causas ?”, “O que é a felicidade? E como alcançá-la?”, “O que é o certo e o errado?”, “O que é a liberdade ?”. De onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? por Paul Gauguin , 1897/98, no Museu de Belas Artes de Boston Essas perguntas são tipicamente filosóficas e refletem algo que poderíamos chamar de atitude filosófica perante o mundo e perante nós mesmos. É a atitude de nos voltarmos para as nossas crenças mais fundamentais e esforçar-nos por compreendê-las, avaliá-las e justificá-las. Muitas delas parecem ser tão óbvias que ninguém em sã consciência tentaria sinceramente questioná-las. Poucos colocariam em questão máximas como “Matar é errado”, “A democracia é melhor que a ditadura ”, “A liberdade de expressão e de opinião é um valor indispensável”. Mas, a atitude filosófica não reconhece domínios fechados à investigação. Mesmo em relação a crenças e valores que consideramos absolutamente inegociáveis, a proposta da filosofia é a de submetê-los ao exame crítico, racional e argumentativo, de modo que a nossa adesão seja restabelecida em novo patamar. Em outras palavras, a proposta filosófica é a de que, se é para sustentarmos certas crenças e valores, que sejam sustentados de maneira crítica e refletida. Muitos autores identificam essa atitude filosófica com uma espécie de habilidade ou capacidade de se admirar com as coisas, por mais prosaicas que sejam. Na base da filosofia, estaria a curiosidade típica das crianças ou dos que não se contentam com respostas prontas. Platão , um dos pais fundadores da filosofia ocidental, afirmava que o sentimento de assombro ou admiração está na origem do pensamento filosófico: A admiração é a verdadeira característica do filósofo. Não tem outra origem a filosofia. — Platão, Teeteto . [ 28 ] Na mesma linha, afirmava Aristóteles : Os homens começam e sempre começaram a filosofar movidos pela admiração. — Aristóteles, Metafísica , I 2. [ 29 ] Embora essa capacidade de admirar-se com a realidade possa estar na origem do pensamento filosófico, isso não significa que tal admiração provoque apenas e tão somente filosofia. O sentimento religioso, por exemplo, pode igualmente surgir dessa disposição: a aparente perfeição da natureza , as sincronias dos processos naturais, a complexidade dos seres vivos podem causar profunda impressão no indivíduo e levá-lo a indagar se o responsável por tudo isso não seria uma Inteligência Superior. Uma paisagem que a todos parecesse comum e sem atrativos poderia atrair de modo singular o olho do artista e fazê-lo criar uma obra de arte que revelasse nuances que escaparam ao olhar comum. Analogamente, embora a queda de objetos seja um fenômeno corriqueiro, se nenhum cientista tivesse considerado esse fenômeno surpreendente ou digno de nota, não saberíamos nada a respeito da gravidade . Esses exemplos sugerem que, além de certa atitude em relação à nossa experiência da realidade, há um modo de interpelar a realidade e nossas crenças a seu respeito que diferenciariam essa investigação da religião , da arte e da ciência . Ao contrário da religião, que se estabelece entre outras coisas sobre textos sagrados e sobre a tradição, a filosofia recorre apenas à razão para estabelecer certas teses e refutar outras. Como já mencionado acima a filosofia não admite dogmas . Não há, em princípio, crenças que não estejam sujeitas ao exame crítico da filosofia. Disso não decorre um conflito irreconciliável entre a filosofia e a religião. Há filósofos que argumentam em favor de teses caras às religiões, como, por exemplo, a existência de Deus e a imortalidade da alma . Mas um argumento propriamente filosófico em favor da imortalidade da alma apresentará como garantias apenas as suas próprias razões: ele apelará somente ao assentimento racional, jamais à fé ou à obediência . [ 30 ] Os artistas assemelham-se aos filósofos em sua tentativa de desbanalizar a nossa experiência do mundo e alcançar assim uma compreensão mais profunda de nós mesmos e das coisas que nos cercam. Mas a forma em que apresentam seus resultados é bastante diferente. Os artistas recorrem à percepção direta e à intuição . [ 30 ] enquanto a filosofia tipicamente apresenta seus resultados de maneira argumentativa, lógica e abstrata. Mas, se essa insistência na razão diferencia a filosofia da religião e da arte, o que a diferenciaria das ciências, uma vez que também essas privilegiam uma abordagem metódica e racional dos fenômenos? A diferença é que os problemas tipicamente filosóficos não podem ser resolvidos por observação e experimentação . [ 30 ] Não há experimentos e observações empíricas que possam decidir qual seria a noção de “ direitos humanos ” mais adequada do ponto de vista da razão. O mesmo vale para outras noções, tais como “liberdade”, “justiça” ou “falta moral”. Não há como resolver em laboratório questões como: “quando tem início o ser humano?”, “os animais podem ser sujeitos de direitos?”, “em que medida o Estado pode interferir na vida dos cidadãos?”, “As entidades microscópicas postuladas pelas ciências têm o mesmo grau de realidade que os objetos da nossa experiência cotidiana (pessoas, animais, mesas, cadeiras, etc.)?”. Em resumo, quando um tópico é defendido ou criticado com argumentos racionais, e essa defesa ou ataque não pode contar com observações e experimentos para a sua solução, estamos diante de um debate filosófico. Pensamento mítico e pensamento filosófico Como em muitas outras sociedades antigas, as narrativas míticas desempenhavam uma função central na sociedade grega. Além de estabelecer marcos importantes na vida social, os mitos gregos promoviam uma concepção de mundo de natureza religiosa que propiciava respostas às principais indagações existenciais que desde sempre inquietaram o espírito humano. Os eventos históricos, os fenômenos naturais e os principais eventos da vida humana (nascimento, casamento, doença e morte) eram entrelaçados às histórias tradicionais sobre conflitos entre deuses , intercâmbios entre deuses e homens e feitos memoráveis de semideuses . Originalmente, a palavra grega mythos significava simplesmente palavra ou fala. [ 31 ] mas o termo remetia também à noção de uma palavra proferida com autoridade. [ 32 ] As histórias épicas de Homero , permeadas de intervenções sobrenaturais, ou a teogonia de Hesíodo eram mythos no sentido de serem anúncios revestidos de autoridade, dignos de crédito e reverência. Gradualmente, o termo foi assumindo outro sentido e já à época de Platão e Aristóteles o mythos era empregado para caracterizar histórias fictícias ou absurdas que se afastariam do logos - isto é, do discurso racional. [ 33 ] Aristóteles, por exemplo, considerava a filosofia como um empreendimento intelectual completamente distinto das elaborações mitológicas. Na Metafísica , ao tratar do problema da incorruptibilidade, Aristóteles menciona Hesíodo e, logo em seguida, descarta peremptoriamente suas opiniões, pois, segundo ele, “não precisamos perder tempo investigando seriamente as sutilezas dos criadores de mitos.” [ 34 ] Pode-se dizer que a filosofia surge como uma espécie de rompimento com a visão mítica do mundo. Enquanto os mitos se organizavam em narrações, imagens e seres particulares, a filosofia inaugurava o discurso argumentativo, abstrato e universal. Além disso, ao contrário dos autores de mitos, os filósofos gregos tentaram com afinco elaborar concepções de mundo que fossem isentas de contradições e imperfeições lógicas. Desse modo, não é sem razão que muitos autores enfatizam o caráter de ruptura e divergências ao comparar o advento da filosofia com a tradição mítica da Grécia antiga . Mas, embora sejam inegáveis as diferenças, mais recentemente vários estudiosos têm apontado os pontos de continuidade e semelhança entre as primeiras elucubrações filosóficas dos gregos e as suas concepções mitológicas. [ 35 ] Para esses autores, as peculiaridades da tradição mítica grega favoreceram o surgimento da filosofia grega e os primeiros filósofos empenharam-se numa espécie dessacralização e despersonalização das narrativas tradicionais sobre o surgimento e organização do cosmos. Filosofia antiga Ver artigo principal: Filosofia antiga e Filosofia clássica Babilônia Ver artigo principal: Filosofia babilônica Grécia Antiga Ver artigos principais: Pré-socráticos , Filosofia da Grécia Antiga e Lista de filósofos platônicos antigos A filosofia antiga teve início no século VI a.C. e se estendeu até a decadência do império romano no século V d.C. Pode-se dividi-la em quatro períodos: (1) o período dos pré-socráticos . (2) um período humanista, em que Sócrates e os sofistas trouxeram as questões morais para o centro do debate filosófico. (3) o período áureo da filosofia em Atenas , em que despontaram Platão e Aristóteles. (4) e o período helenístico . Às vezes, se distingue um quinto período, que compreende os primeiros filósofos cristãos e os neoplatonistas. [ 36 ] Os dois autores mais importantes da filosofia antiga em termos de influência posterior foram Platão e Aristóteles. Os primeiros filósofos gregos, geralmente chamados de pré-socráticos, dedicaram-se a especulações sobre a constituição e a origem do mundo. O principal intuito desses filósofos era descobrir um elemento primordial, eterno e imutável que fosse a matéria básica de todas as coisas. Essa substância imutável era chamada de physis (palavra grega cuja tradução literal seria natureza, mas que na concepção dos primeiros filósofos compreendia a totalidade dos seres, inclusive entidades divinas), [ 37 ] e, por essa razão, os primeiros filósofos também foram conhecidos como os physiologoi (literalmente “fisiólogos”, isto é, os filósofos que se dedicavam ao estudo da physis ). [ 38 ] A questão da essência material imutável foi a primeira feição assumida por uma inquietação que percorreu praticamente toda a filosofia grega. Essa inquietação pode ser traduzida na seguinte pergunta: existe uma realidade imutável por trás das mudanças caóticas dos fenômenos naturais? Já os próprios pré-socráticos propuseram respostas extremas a essa pergunta. Parmênides de Eleia defendeu que a perene mutação das coisas não passa de uma ilusão dos sentidos, pois a razão revelaria que o Ser é único, imutável e eterno. [ 39 ] Heráclito de Éfeso , por outro lado, defendeu uma posição diametralmente oposta: a própria essência das coisas é mudança, e seriam vãos os esforços para buscar uma realidade imutável. [ 40 ] Tais especulações, que combinavam a oposição entre realidade e aparência com a busca de uma matéria primordial, culminaram na filosofia atomista de Leucipo e Demócrito . Para esses filósofos a substância de todas as coisas seriam partículas minúsculas e invisíveis – os átomos – em perene movimentação no vácuo. E os fenômenos que testemunhamos cotidianamente são resultado da combinação, separação e recombinação desses átomos. A teoria de Demócrito representou o ápice da filosofia da physis , mas também o seu esgotamento. As transformações sociopolíticas, especialmente em Atenas, já impunham novas demandas aos sábios da época. A democracia ateniense solicitava novas habilidades intelectuais, sobretudo a capacidade de persuadir. É nesse momento que se destacam os filósofos que se dedicam justamente a ensinar a retórica e as técnicas de persuasão – os sofistas. O ofício dessa nova espécie de filósofos trazia como pressuposto a ideia de que não há verdades absolutas. O importante seria dominar as técnicas da boa argumentação, pois, dominando essas técnicas, o indivíduo poderia defender qualquer opinião, sem se preocupar com a questão de sua veracidade. De fato, para os sofistas, a busca da verdade era uma pretensão inútil. A verdade seria apenas uma questão de aceitação coletiva de uma crença, e, a princípio, não haveria nada que impedisse que o que hoje é tomado como verdade, amanhã fosse considerado uma tolice. [ 41 ] O contraponto a esse relativismo dos sofistas foi Sócrates. Embora partilhasse com os sofistas certa indiferença em relação aos valores tradicionais, Sócrates dedicou-se à busca de valores perenes. Sócrates não deixou nenhum registro escrito de suas ideias. Tudo o que sabemos dele chegou-nos através do testemunho de seus discípulos e contemporâneos. Segundo dizem, Sócrates teria defendido que a virtude é conhecimento e as faltas morais provêm da ignorância. [ 42 ] O indivíduo que adquirisse o conhecimento perfeito seria inevitavelmente bom e feliz. Por outro lado, essa busca simultânea do conhecimento e da bondade deve começar pelo exame profundo de si mesmo e das crenças e valores aceitos acriticamente. Segundo contam, Sócrates foi um inquiridor implacável e fez fama por sua habilidade de levar à exasperação os seus antagonistas. Ao concidadão que se dizia justo, Sócrates perguntava “O que é a justiça?”, e depois se dedicava a demolir todas as tentativas de responder à pergunta. A Morte de Sócrates , Jacques-Louis David , 1787, no Metropolitan Museum of Art A atitude de Sócrates acabou por lhe custar a vida. Seus adversários conseguiram levá-lo a julgamento por impiedade e corrupção de jovens. Sócrates foi condenado à morte – mais especificamente, a envenenar-se com cicuta . Segundo o relato de Platão, o seu mais famoso discípulo, Sócrates cumpriu a sentença com absoluta serenidade e destemor. Coube a Platão levar adiante os ensinamentos do mestre e superá-los. Platão realiza a primeira grande síntese da filosofia grega. Em seus diálogos , combinam-se as antigas questões dos pré-socráticos com as urgentes questões morais e políticas, o discurso racional com a intuição mística, a elucubração lógica com a obra poética, os mitos com a ciência. Segundo Platão, os nossos sentidos só nos permitem perceber uma natureza caótica, em que as mudanças e a diversidade aparentam não obedecer a nenhum princípio regulador. mas a razão, ao contrário, é capaz de ir além dessas aparências e captar as formas imutáveis que são as causas e modelos de tudo o que existe. A geometria fornece um bom exemplo. Ao demonstrar seus teoremas os geômetras empregam figuras imperfeitas. Por mais acurado que seja o compasso , os desenhos de círculos sempre conterão irregularidades e imperfeições. As figuras sensíveis do círculo estão sempre aquém de seu modelo – e esse modelo é a própria ideia de círculo, concebível apenas pela razão. O mesmo ocorre com os demais seres: os cavalos que vemos são todos diferentes entre si, mas há um princípio unificador – a ideia de cavalo – que nos faz chamar a todos de cavalos. Com os valores, não seria diferente. As diferentes opiniões sobre questões morais e estéticas devem-se a uma visão empobrecida das coisas. Os que empreenderem uma busca sincera alcançarão a concepção do Belo em si mesmo e do Bem em si mesmo. Ao contrário do que o termo 'ideias' possa sugerir, Platão não as considera como meras construções psicológicas. ao contrário, ele lhes atribui realidade objetiva. As ideias constituem um mundo suprassensível – ou seja, uma dimensão que não podemos ver e tocar, mas que podemos captar como os “olhos” da razão. Essa é a famosa teoria das ideias de Platão. Ele a ilustra numa alegoria igualmente célebre – a alegoria da caverna . Platão nos convida a imaginar uma caverna em que se acham vários prisioneiros. Eles estão amarrados de tal maneira que só podem ver a parede do fundo da caverna. Às costas dos prisioneiros há um muro da altura de um homem. Por trás desse muro, transitam várias pessoas carregando estátuas de diversas formas – todas elas são réplicas de coisas que vemos cotidianamente (árvores, pássaros, casas etc.). Há também uma grande fogueira, atrás desse muro e dos carregadores. A luz da fogueira faz com que as sombras das estátuas sejam projetadas sobre o fundo da parede. Os barulhos e falas dos carregadores reverberam no fundo da caverna, dando aos prisioneiros a impressão de que são oriundos das sombras que eles veem. Nessa situação imaginária, os prisioneiros pensariam que as sombras e os ecos constituem tudo o que existe. Como nunca puderam ver nada além das sombras projetadas na parede da caverna, acreditam que apenas as sombras são reais. Após apresentar esse cenário, Platão sugere que, se um desses prisioneiros conseguisse se libertar, veria, com surpresa, que as estátuas que sempre estiveram atrás dos prisioneiros são mais reais do que aquelas sombras. Ao sair da caverna, a luz o ofuscaria. mas, após se acostumar com a claridade, veria que as coisas da superfície são ainda mais reais do que as estátuas. Esse prisioneiro que se liberta é o filósofo, e a sua jornada em direção à superfície representa a o percurso da razão em sua lenta ascensão ao conhecimento perfeito. A Escola de Atenas representa os mais importantes filósofos, matemáticos e cientistas da Antiguidade por Rafael , 1509, nos Museus Vaticanos Aristóteles, discípulo de Platão e preceptor de Alexandre, o Grande , rejeitou a teoria das ideias. Para ele, a hipótese de uma realidade separada e independente, constituída apenas por entidades inteligíveis, era uma duplicação do mundo absolutamente desnecessária. [ 43 ] Na visão de Aristóteles, a essência de uma coisa não consiste numa ideia suplementar e separada, mas numa forma que lhe é imanente. Essa forma imanente é o que dá organização e estrutura à matéria, e propicia, no caso dos organismos vivos, o seu desenvolvimento conforme a sua essência. Aristóteles também divergiu de Platão sobre o valor da experiência na aquisição do conhecimento. Enquanto na filosofia platônica, há uma perene desconfiança em relação ao saber derivado dos sentidos, na filosofia aristotélica o conhecimento adquirido pela visão, audição, tato etc. é considerado como o ponto de partida do empreendimento científico. Aristóteles foi um pesquisador infatigável, e seus interesses abarcavam praticamente todas as áreas do conhecimento. Foi o fundador da biologia . e o criador da lógica como disciplina. Fez contribuições originais e duradouras em metafísica e teologia, ética e política, psicologia e estética. Além de ter contribuído nas mais diversas disciplinas, Aristóteles realizou a primeira grande sistematização das ciências, organizando-as conforme seus métodos e abrangência. Em cada uma das disciplinas que criou, ou ajudou a criar, Aristóteles cunhou uma terminologia que até hoje está presente no vocabulário científico e filosófico: como exemplos, podem-se mencionar as palavras substância, categoria, energia, princípio e forma. [ 44 ] Na transição do século IV para o século III a.C. , durante o período helenístico, formam-se duas escolas filosóficas cujos ensinamentos representam uma clara mudança de ênfase em relação à Academia de Platão e à escola peripatética de Aristóteles. Sua preocupação é principalmente a redenção pessoal. Tanto para Epicuro (ca.341-270 a.C.) e seus seguidores como para Zenão de Cítio e demais estoicos o principal objetivo da filosofia deveria ser a obtenção da serenidade de espírito. As duas escolas também se assemelham na crença de que esse objetivo passa por uma espécie de harmonização entre o indivíduo e a natureza, mas divergem quanto à forma de se realizar essa harmonização. Para Epicuro, a sintonia com a natureza supõe a aceitação das necessidades e desejos naturais e dos prazeres sensoriais. Dessa forma, ele preconiza a fruição moderada dos prazeres e a comedida gratificação dos desejos. [ 45 ] Os estoicos, por outro lado, sustentavam a crença de que o cosmos e os seres humanos partilhavam do mesmo logos divino. O ideal filosófico de vida seria, na concepção dos estoicos, a adesão à necessidade racional da natureza e o desenvolvimento de uma absoluta imperturbabilidade ( ataraxia ) em relação aos fatos e eventos do mundo. [ 46 ] A Antiguidade tardia viu, ainda, o florescimento de uma nova interpretação do platonismo, de acentuada tendência mística – o chamado Neoplatonismo. Seu principal representante, Plotino (205-270), defendeu que o princípio fundamental e divino do universo seria o Uno e que desse princípio fundamental emanavam novas realidades, de diferentes graus de perfeição. O universo material e sensível – o 'mundo das sombras' da alegoria platônica – seria uma emanação distante do Uno, e, por isso, apresentaria os traços de imperfeição e inconstância que o caracterizam. [ 47 ] Império Romano Ver artigos principais: Filosofia greco-romana e Filosofia na Roma Antiga O pensamento filosófico no Império Romano foi basicamente um prolongamento da filosofia helenística /grega. Influenciados pelo estoicismo e pelo epicurismo , seus filósofos preocupavam-se principalmente com moral e ética . Alguns de seus maiores nomes foram Sêneca , Epiteto e o imperador Marco Aurélio . África Ver artigo principal: Filosofia africana Ver também: Filosofia no Egito Antigo A filosofia desenvolvida no Antigo Egito caracterizava-se pela flexibilidade, pragmatismo e a busca pelo controle das emoções . [ 48 ] De modo geral, a filosofia africana foi fortemente influenciada pela filosofia helenística (na Idade Antiga ), pelas filosofias cristã (antiguidades clássica e tardia) e islâmica (desde o período medieval ). Filosofia oriental Ver artigo principal: Filosofia oriental China Ver artigos principais: Filosofia chinesa e Taoismo O filósofo K'ung-fu-tzu ( Confúcio , 551 a.C. – 479 a.C. ) desenvolveu o sistema filosófico-religioso do Confucionismo . Este, valoriza os preceitos da bondade , cortesia , moral, integridade , fidelidade e honra . [ 49 ] Outros filósofos importantes foram: Mozi ( 470 a.C. - 391 a.C. ), fundador do Moísmo que enfatiza o pragmatismo . Chuang-Tzu : ( 369 a.C. - 286 a.C. ) considerado um precursor do antinomismo , anarquismo , multiculturalismo e relatividade e, que criticava tanto confucionistas quanto moístas. Índia Ver artigo principal: Filosofia hindu Adi Shankara 1904, por Raja Ravi Varma O período entre o quinto e nono século d.C foi a mais brilhante época no desenvolvimento da filosofia indiana, hindu e budista, filosofias que floresceram lado a lado. [ 50 ] Destas várias escolas de pensamento, a não-dualista Advaita Vedanta emergiu como a mais influente [ 50 ] e a escola mais dominante. [ 50 ] Os principais filósofos dessa escola foram Gaudapada, Adi Shankara e Vidyaranya. Advaita Vedanta rejeita o teísmo e o dualismo, insistindo que Brahma a realidade final é sem partes ou atributos... um sem um segundo. Uma vez que Brahma não tem propriedades, não contém diversidade interna e é idêntico com o conjunto da realidade, não pode ser entendido como Deus. [ 50 ] Brahma apesar de ser indescritível é melhor descrito como Satchidananda (Existência, Consciência e Bem-Aventurança) por Shankara . Advaita inaugurou uma nova era na filosofia indiana e, como resultado, muitas novas escolas de pensamento surgiram no período medieval. Filosofia medieval Ver artigos principais: Filosofia medieval e História da filosofia ocidental Europa Ver artigos principais: Filosofia cristã , Filosofia platônica-cristã , Filosofia bizantina e Visão de mundo cristã São Tomás de Aquino , por Carlo Crivelli , século XV, na National Gallery A filosofia medieval é a filosofia da Europa ocidental , oriental ( Império Bizantino ) e do Oriente Médio durante a Idade Média . Começa, aproximadamente, com a cristianização do Império Romano e encerra-se com a Renascença . A filosofia medieval pode ser considerada, em parte, como prolongamento da filosofia greco-romana [ 51 ] e, em parte, como uma tentativa de conciliar o conhecimento secular e a doutrina sagrada. [ 52 ] A Idade Média carregou por muito tempo o epíteto depreciativo de 'idade das trevas', atribuído pelos humanistas renascentistas . e a filosofia desenvolvida nessa época padeceu do mesmo desprezo. No entanto, essa era de aproximadamente mil anos foi o mais longo período de desenvolvimento filosófico na Europa e um dos mais ricos. Jorge Gracia defende que “em intensidade, sofisticação e aquisições, pode-se corretamente dizer que o florescimento filosófico no século XIII rivaliza com a época áurea da filosofia grega no século IV a. C.”. [ 53 ] Entre os principais problemas discutidos nessa época estão a relação entre fé e razão, a existência e unidade de Deus, o objeto da teologia e da metafísica, os problemas do conhecimento, dos universais e da individualização. Entre os filósofos medievais do ocidente, merecem destaque Agostinho de Hipona , Boécio , Anselmo de Cantuária , Pedro Abelardo , Alberto Magno , Roger Bacon , Boaventura de Bagnoregio , Tomás de Aquino , João Duns Escoto , Guilherme de Ockham , Hugo de São Vitor , Eckhart de Hochheim e Raimundo Lúlio . no oriente os bizantinos Prisco de Pânio , Leão, o Matemático e Miguel Pselo . na civilização islâmica, Avicena , Averrois , Avempace , Alfarábi , Al-Kindi e Al-Ghazali . entre os judeus, Moisés Maimônides ( ver: Filosofia judaica ). Tomás de Aquino (1225-1274), fundador do tomismo , exerceu influência inigualável na filosofia e na teologia medievais. Em sua obra, ele deu grande importância à razão e à argumentação, e procurou elaborar uma síntese entre a doutrina cristã e a filosofia aristotélica. A filosofia de Tomás de Aquino representou uma reorientação significativa do pensamento filosófico medieval, até então muito influenciado pelo neoplatonismo e sua reinterpretação agostiniana. Oriente Médio Ver artigos principais: Filosofia islâmica e Filosofia islâmica clássica No pensamento islâmico, o que se refere à filosofia durante a ' idade de ouro islâmica ', tradicionalmente datada entre os séculos 8 e 12, pode-se distinguir duas correntes principais. A primeira é a Kalam , que tratou principalmente de teologia islâmica. Estas incluem as Mu'tazili e Ash'ari . A outra é Falsafa, que foi fundada em interpretações do aristotelismo e neoplatonismo . Houve tentativas por filósofos-teólogos posteriores a harmonizar ambas as tendências, nomeadamente através de Avicena que fundou a escola do Avicennismo entre outros. Filosofia do Renascimento Ver artigo principal: Filosofia do Renascimento O Homem vitruviano , de Leonardo Da Vinci , resume vários dos ideais do pensamento renascentista. A transição da Idade Média para a Idade Moderna foi marcada pelo Renascimento e pelo Humanismo . [ 54 ] Nesse período de transição, a redescoberta de textos da Antiguidade [ 55 ] contribuiu para que o interesse filosófico saísse dos estudos técnicos de lógica , metafísica e teologia e se voltasse para estudos ecléticos nas áreas da filologia , da moralidade e do misticismo . Os estudos dos clássicos e das letras receberam uma ênfase inédita e desenvolveram-se de modo independente da escolástica tradicional. A produção e disseminação do conhecimento e das artes deixam de ser uma exclusividade das universidades e dos acadêmicos profissionais, e isso contribui para que a filosofia vá aos poucos se desvencilhando da teologia. Em lugar de Deus e da religião, o conceito de homem assume o centro das ocupações artísticas, literárias e filosóficas. [ 56 ] O renascimento revigorou a concepção da natureza como um todo orgânico, sujeito à compreensão e influência humanas. De uma forma ou de outra, essa concepção está presente nos trabalhos de Nicolau de Cusa , Giordano Bruno , Bernardino Telesio e Galileu Galilei . Essa reinterpretação da natureza é acompanhada, em muitos casos, de um intenso interesse por magia , hermetismo e astrologia – considerados então como instrumentos de compreensão e manipulação da natureza. À medida que a autoridade eclesial cedia lugar à autoridade secular e que o foco dos interesses voltava-se para a política em detrimento da religião, as rivalidades entre os Estados nacionais e as crises internas demandavam não apenas soluções práticas emergenciais, mas também uma profunda reflexão sobre questões pertinentes à filosofia política . Desse modo, a filosofia política, que por vários séculos esteve dormente, recebeu um novo impulso durante o Renascimento. Nessa área, destacam-se as obras de Nicolau Maquiavel e Jean Bodin . [ 57 ] Filosofia moderna Ver artigo principal: Filosofia do século XVII , Filosofia moderna e Iluminismo René Descartes , fundador da filosofia moderna e do racionalismo. por Frans Hals , c. 1649-1700, no Museu do Louvre A filosofia moderna é caracterizada pela preponderância da epistemologia sobre a metafísica . A justificativa dos filósofos modernos para essa alteração estava, em parte, na ideia de que, antes de querer conhecer tudo o que existe, seria conveniente conhecer o que se pode conhecer. [ 58 ] Geralmente considerado como o fundador da filosofia moderna, [ 59 ] o cientista, matemático e filósofo francês René Descartes (1596-1650) redirecionou o foco da discussão filosófica para o sujeito pensante. O projeto de Descartes era o de assentar o edifício do conhecimento sobre bases seguras e confiáveis. Para tanto, acreditava ele ser necessário um procedimento prévio de avaliação crítica e severa de todas as fontes do conhecimento disponível, num procedimento que ficou conhecido como dúvida metódica . Segundo Descartes, ao adotar essa orientação, constatamos que resta como certeza inabalável a ideia de um eu pensante: mesmo que o sujeito ponha tudo em dúvida, se ele duvida, é porque pensa. e, se pensa, é porque existe. Essa linha de raciocínio foi celebrizada pela fórmula “ penso, logo existo ” ( cogito ergo sum ). [ 60 ] [ 61 ] A partir dessa certeza fundamental, Descartes defendia ser possível deduzir rigorosamente, ao modo de um geômetra, outras verdades fundamentais acerca do sujeito, da natureza do conhecimento e da realidade. No projeto cartesiano estão presentes três pressupostos básicos: (1) a matemática , ou o método dedutivo adotado pela matemática, é o modelo a ser seguido pelos filósofos. (2) existem ideias inatas, absolutamente verdadeiras, que de alguma forma estão desde sempre inscritas no espírito humano. (3) a descoberta dessas ideias inatas não depende da experiência – elas são alcançadas exclusivamente pela razão. Esses três pressupostos também estão presentes nas filosofias de Gottfried Wilhelm Leibniz (1646-1716), Christian Wolff (1679-1754) e Baruch Spinoza (1632-1677), e constituem a base do movimento filosófico denominado racionalismo . [ 62 ] Se os racionalistas priorizavam o modelo matemático, a filosofia antagônica – o empirismo – enfatizava os métodos indutivos das ciências experimentais. O filósofo John Locke (1632-1704) propôs a aplicação desses métodos na investigação da própria mente humana. Em patente confronto com os racionalistas, Locke argumentou que a mente chega ao mundo completamente vazia de conteúdo – é uma espécie de lousa em branco ou tabula rasa . e todas as ideias com que ela trabalha são necessariamente originárias da experiência. [ 63 ] Esse pressuposto também é adotado pelos outros dois grandes filósofos do empirismo britânico, George Berkeley (1685-1753) e David Hume (1711-1776). John Locke influenciou também a filosofia política, sendo um dos principais teóricos na base do conceito moderno de democracia liberal. [ 64 ] As ideias do empirismo inglês também se difundiram na França. e o entusiasmo com as novas ciências levou os intelectuais franceses a defender uma ampla reforma cultural, que remodelasse não só a forma de se produzir conhecimento, mas também as formas de organização social e política. Esse movimento amplo e contestatório ficou conhecido como Iluminismo . Os filósofos iluministas rejeitavam qualquer forma de crença que se baseasse apenas na tradição e na autoridade, em especial as divulgadas pela Igreja Católica . Um dos marcos do Iluminismo francês foi a publicação da Encyclopédie . Elaborada sob a direção de Jean le Rond d’Alembert e Denis Diderot , essa obra enciclopédica inovadora incorporou vários dos valores defendidos pelos iluministas e contou com a colaboração de vários de seus nomes mais destacados, como Voltaire , Montesquieu e Rousseau . Em 1781, Immanuel Kant publicou a sua famosa Crítica da Razão Pura , em que propõe uma espécie de síntese entre as teses racionalistas e empiristas. Segundo Kant, apesar de o nosso conhecimento depender de nossas percepções sensoriais, essas não constituem todo o nosso conhecimento, pois existem determinadas estruturas do sujeito que as antecedem e tornam possível a própria formação da experiência. O espaço, por exemplo, não é uma realidade que passivamente assimilamos a partir de nossas impressões sensoriais. Ao contrário, somos nós que impomos uma organização espacial aos objetos. Do mesmo modo, o sujeito não aprende, após inúmeras experiências, que todas as ocorrências pressupõem uma causa. antes, é a estrutura peculiar do sujeito que impõe aos fenômenos uma organização de causa e efeito. Uma das consequências da filosofia kantiana é estabelecer que as coisas em si mesmas não podem ser conhecidas. A fronteira de nosso conhecimento é delineada pelos fenômenos , isto é, pelos resultados da interação da realidade objetiva com os esquemas cognitivos do sujeito. Filosofia do século XIX Ver artigo principal: Filosofia do século XIX Geralmente se considera que depois da filosofia de Kant tem início uma nova etapa da filosofia, que se caracterizaria por ser uma continuação e, simultaneamente, uma reação à filosofia kantiana. Nesse período desenvolve-se o idealismo alemão ( Fichte , Schelling e Hegel ), que leva as ideias kantianas às últimas consequências. A noção de que há um universo inteiro (a realidade em si mesma) inalcançável ao conhecimento humano, levou os idealistas alemães a assimilar a realidade objetiva ao próprio sujeito no intuito de resolver o problema da separação fundamental entre sujeito e objeto. Assim, por exemplo, Hegel postulou que o universo é espírito. O conjunto dos seres humanos, sua história, sua arte, sua ciência e sua religião são apenas manifestações desse espírito absoluto em sua marcha dinâmica rumo ao autoconhecimento. [ 65 ] Enquanto na Alemanha , o idealismo apoderava-se do debate filosófico, na França, Auguste Comte retomava uma orientação mais próxima das ciências e inaugurava o positivismo e a sociologia . Na visão de Comte, a humanidade progride por três estágios : o estágio teológico, o estágio metafísico e, por fim, o estágio positivo. No primeiro estágio, as explicações são dadas em termos mitológicos ou religiosos. no segundo, as explicações tornam-se abstratas, mas ainda carecem de cientificidade. no terceiro estágio, a compreensão da realidade se dá em termos de leis empíricas de “sucessão e semelhança” entre os fenômenos. [ 66 ] Para Comte, a plena realização desse terceiro estágio histórico, em que o pensamento científico suplantaria todos os demais, representaria a aquisição da felicidade e da perfeição. [ 67 ] Também no campo do desenvolvimento histórico, Marx e Engels davam uma nova formulação ao socialismo . Eles fazem uma releitura materialista da dialética de Hegel no intuito de analisar e condenar o sistema capitalista . Desenvolvem a teoria da mais-valia , segundo a qual o lucro dos capitalistas dependeria inevitavelmente da exploração do proletariado. Sustentam que o estado, as formas político-institucionais e as concepções ideológicas formavam uma superestrutura construída sobre a base das relações de produção [ 68 ] e que as contradições resultantes entre essa base econômica e a superestrutura levariam as sociedades inevitavelmente à revolução e ao socialismo. No campo da ética, os filósofos ingleses Jeremy Bentham (1748-1832) e John Stuart Mill (1806-1873) elaboram os princípios fundamentais do utilitarismo . [ 69 ] Para eles, o valor ético não é algo intrínseco à ação realizada. esse valor deve ser mensurado conforme as consequências da ação, pois a ação eticamente recomendável é aquela que maximiza o bem-estar na coletividade. Talvez a teoria que maior impacto filosófico provocou no século XIX não tenha sido elaborada por um filósofo. Ao propor sua teoria da evolução das espécies por seleção natural , Charles Darwin (1809-1882) estabeleceu as bases de uma concepção de mundo profundamente revolucionária. O filósofo que melhor percebeu as sérias implicações da teoria de Darwin para todos os campos de estudo foi Herbert Spencer (1820-1903). Em várias publicações, Spencer elaborou uma filosofia evolucionista que aplicava os princípios da teoria da evolução aos mais variados assuntos, especialmente à psicologia, ética e sociologia. Também no século XIX surgem filósofos que colocam em questão a primazia da razão e ressaltam os elementos voluntaristas e emotivos do ser humano e de suas concepções de mundo e sociedade. Entre esses destacam-se Arthur Schopenhauer (1788-1860), Søren Kierkgaard (1813-1855) e Friedrich Nietzsche (1844-1900). Tomando como ponto de partida a filosofia kantiana, Schopenhauer defende que o mundo dos fenômenos – o mundo que representamos em ideias e que julgamos compreender – não passa de uma ilusão e que a força motriz por trás de todos os nossos atos e ideias é uma vontade cega, indomável e irracional. Kierkgaard condena todas as grandes elaborações sistemáticas, universalizantes e abstratas da filosofia. Considerado um precursor do existencialismo, Kierkgaard enfatiza que as questões prementes da vida humana só podem ser superadas por uma atitude religiosa. essa atitude, no entanto, demanda uma escolha individual e passional contra todas as evidências, até mesmo contra a razão. [ 70 ] Nietzsche, por sua vez, anuncia que “ Deus está morto ”. e declara, portanto, a falência de todas as concepções éticas, políticas e culturais que se assentam na doutrina cristã. Em substituição aos antigos valores, Nietzsche prescreve um projeto de vida voluntarista aos mais nobres, mais capazes, mais criativos - em suma, àqueles em que fosse mais forte a vontade de potência . [ 71 ] Filosofia do século XX Ver artigo principal: Filosofia do século XX Edmund Husserl , o pai da Fenomenologia No século XX, a filosofia tornou-se uma disciplina profissionalizada das universidades, semelhante às demais disciplinas acadêmicas. Desse modo, tornou-se também menos geral e mais especializada. Na opinião de um proeminente filósofo: “A filosofia tem se tornado uma disciplina altamente organizada, feita por especialistas para especialistas. O número de filósofos cresceu exponencialmente, expandiu-se o volume de publicações e multiplicaram-se as subáreas de rigorosa investigação filosófica. Hoje, não só o campo mais amplo da filosofia é demasiadamente vasto para uma única mente, mas algo similar também é verdadeiro em muitas de suas subáreas altamente especializadas.” [ 72 ] Nos países de língua inglesa, a filosofia analítica tornou-se a escola dominante. Na primeira metade do século, foi uma escola coesa, fortemente modelada pelo positivismo lógico , unificada pela noção de que os problemas filosóficos podem e devem ser resolvidos por análise lógica. Os filósofos britânicos Bertrand Russell e George Edward Moore são geralmente considerados os fundadores desse movimento. Ambos romperam com a tradição idealista que predominava na Inglaterra em fins do século XIX e buscaram um método filosófico que se afastasse das tendências espiritualistas e totalizantes do idealismo. Moore dedicou-se a analisar crenças do senso comum e a justificá-las diante das críticas da filosofia acadêmica. Russell, por sua vez, buscou reaproximar a filosofia da tradição empirista britânica e sintonizá-la com as descobertas e avanços científicos. Ao elaborar sua teoria das descrições definidas , Russell mostrou como resolver um problema filosófico empregando os recursos da nova lógica matemática . A partir desse novo modelo proposto por Russell, vários filósofos se convenceram de que a maioria dos problemas da filosofia tradicional, se não todos, não seriam nada mais que confusões propiciadas pelas ambiguidades e imprecisões da linguagem natural. Quando tratados numa linguagem científica rigorosa, esses problemas revelar-se-iam como simples confusões e mal-entendidos. Ludwig Wittgenstein , o mais importante filósofo analítico do século XX Uma postura ligeiramente diferente foi adotada por Ludwig Wittgenstein , discípulo de Russell. Segundo Wittgenstein, os recursos da lógica matemática serviriam para revelar as formas lógicas que se escondem por trás da linguagem comum. Para Wittgenstein, a lógica é a própria condição de sentido de qualquer sistema linguístico. [ 73 ] Essa ideia está associada à sua teoria pictórica do significado, segundo a qual a linguagem é capaz de representar o mundo por ser uma figuração lógica dos estados de coisas que compõem a realidade. Sob a inspiração dos trabalhos de Russell e de Wittgenstein, o Círculo de Viena passou a defender uma forma de empirismo que assimilasse os avanços realizados nas ciências formais, especialmente na lógica. Essa versão atualizada do empirismo tornou-se universalmente conhecida como neopositivismo ou positivismo lógico. O Círculo de Viena consistia numa reunião de intelectuais oriundos de diversas áreas (filosofia, física, matemática, sociologia, etc.) que tinham em comum uma profunda desconfiança em relação a temas de teor metafísico. Para esses filósofos e cientistas, caberia à filosofia elaborar ferramentas teóricas aptas a esclarecer os conceitos fundamentais das ciências e revelar os pontos de contatos entre os diversos ramos do conhecimento científico. Nessa tarefa, seria importante mostrar, entre outras coisas, como enunciados altamente abstratos das ciências poderiam ser rigorosamente reduzidos a frases sobre a nossa experiência imediata. [ 74 ] Fora dos países de língua inglesa, floresceram diferentes movimentos filosóficos. Entre esses destacam-se a fenomenologia, a hermenêutica , o existencialismo e versões modernas do marxismo . Para Edmund Husserl , o traço fundamental dos fenômenos mentais é a intencionalidade . A estrutura da intencionalidade é constituída por dois elementos: noesis e noema . O primeiro elemento é o ato intencional. e o segundo é o objeto do ato intencional. A ciência da fenomenologia trata do significado ou da essência dos objetos da consciência. A fim de revelar a estrutura da consciência, o fenomenólogo deve pôr entre parêntesis a realidade empírica. Segundo Husserl, os procedimentos fenomenológicos desvelam o ego transcendental – que é a própria base e fonte de unidade do eu empírico. [ 75 ] Coube a um dos alunos de Husserl, o filósofo alemão Martin Heidegger (1889-1976), construir uma filosofia que mesclasse a fenomenologia, a hermenêutica e o existencialismo. O ponto de partida de Heidegger foi a questão clássica da metafísica: 'o que é o ser?'. Mas, na abordagem de Heidegger, a resposta a essa questão passa por uma análise dos modos de ser do ser humano – que foi por ele denominado Dasein (Ser-aí). O Dasein é o único ser que pode se admirar com a sua própria existência e indagar o sentido de seu próprio ser. O modo de existir do Dasein está intimamente conectado com a história e a temporalidade e, em vista disso, questões sobre autenticidade, cuidado, angústia , finitude e morte tornam-se temas centrais na filosofia de Heidegger. [ 75 ] No final do século XVIII houve a fundação da escola tradicionalista, conhecida como conservadorismo tradicionalista, 'conservadorismo tradicional', tradicionalismo , conservadorismo burkeano , conservadorismo clássico ou (no Reino Unido e Canadá ) torismo (de Tory ), que descreve uma filosofia política enfatizando a necessidade de aplicação dos princípios da lei natural e transcendentes morais: ordem, tradição , hierarquia e unidade orgânica, classicismo e alta cultura, e as esferas de intersecção de lealdade. [ 76 ] Alguns tradicionalistas abraçaram os rótulos de ' reacionário ' e ' contrarrevolucionário ', desafiando o estigma que acompanha estes termos desde o Iluminismo. Este estigma acompanha o Tradicionalismo desde seu desenvolvimento na Europa do século XVIII, principalmente em resposta à Guerra Civil Inglesa e da Revolução Francesa . Em meados do século XX, a escola tradicionalista começou a organizar-se a sério como uma força intelectual e política. Esta expressão mais moderna do conservadorismo tradicionalista começou entre um grupo de professores universitários dos EUA (rotulado de ' novos conservadores ' pela imprensa popular) que rejeitou as noções de individualismo , o liberalismo , a modernidade e o progresso social , promoveu a renovação cultural e educacional, e reavivou o interesse na Igreja , a família , o Estado , comunidade local, etc. [ 77 ] Movimentos filosóficos da atualidade Ver também: Filosofia pós-moderna Filosofia clínica A filosofia clínica é um termo utilizado para definir diversos conceitos filosóficos, voltado à 'terapia da alma', usando o potencial prático da filosofia como recurso terapêutico para indivíduos, organizações ou empresas através de consultas individuais, discussões de grupo, seminários, palestras, viagens ou cafés filosóficos. No Brasil o termo está fortemente vinculado ao movimento realizado pelo filósofo Lúcio Packter e vem sendo apontado como uma ferramenta terapêutica de grande monta. [ 78 ] Ver também Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema: Definições no Wikcionário Livros e manuais no Wikilivros Citações no Wikiquote Textos originais no Wikisource Imagens e media no Commons Commons Wikisource Wikiquote Wikilivros Wikcionário Anti-intelectualismo Artes liberais Conhecimento Cosmovisão Filosofia Portuguesa História da filosofia no Brasil História das ideias História das mentalidades História intelectual Intelectualismo Metafilosofia Mulheres na filosofia Sabedoria Referências ↑ [in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-20 13:49:01]. Disponível na Internet: http://www.infopedia.pt/$filosofia ] ↑ Priberam ↑ a b c Teichman, J.. Evans, K. C. Philosophy: a beginner's guide . 3rd ed. Oxford: Blackwell. ↑ a b Chauí, Marilena. Convite à Filosofia . pág. 19. ↑ (em francês ) R. Bödéus, 'philosophía', in (dir.) Jacob, André, Encyclopédie philosophique universelle , vol. 2: Les notions philosophiqe , tome 2, Paris, PUF. ↑ (em francês ) Alquié, F., Signification de la philosophie , Paris, 1971. ↑ Simmel, Georg. 'On the nature of philosophy'. In: A Collection of Essays. pág. 282 . ↑ Metafísica , Livro I, capítulo 2. Na edição da coleção Os Pensadores de 1973 (1.ª ed.), o trecho encontra-se à pág. 213. ↑ a b c d e Ferrater-Mora, José. Dicionário de Filosofia . São Paulo: Loyola, 2.a ed., 2005. Tomo II. pp. 1044-1050 . ↑ Lindberg, D. The beginnings of western science . Chicago: University of Chicago Press, 2007. ISBN 9780226482057 . p. 242. ↑ “Philosophia est rerum humanarum divinarumque cognitio cum studio bene vivendi coniuncta.” Etymologiae . Tradução para o inglês: The etimologies of Isidore of Seville . Cambridge: C.U.P. p. 79 . ↑ Ver, por exemplo, o aforismo III do Novum Organum : 'Ciência e poder do homem coincidem, uma vez que, sendo a causa ignorada, frustra-se o efeito. Pois a natureza não se vence, se não quando se lhe obedece. E o que à contemplação apresenta-se como causa é regra na prática' (São Paulo: Nova Cultural, 1999. Coleção 'Os Pensadores'). ↑ Descartes, R. Princípios da Filosofia . Lisboa: Edições 70. p. 22. ↑ Quinton, Anthonny. Filosofia . Crítica: revista de filosofia . Acesso em 26/01/2011. ↑ Prado Jr., Caio. O que é filosofia . São Paulo: Brasiliense, 1981 ↑ Strawson, Peter. Filosofia como Gramática Conceptual . Acesso em 06/12/2010 ↑ Russell, B. Os problemas da filosofia . Capítulo 15 . ↑ Popper, K. Conjecturas e Refutações . 3a. ed. Brasilia: EdUnB, 1994. Cap. 4, 'Retorno aos Pré-Socráticos', pp. 163s. ↑ Steup, M. The Analysis of Knowledge . Stanford Encyclopedia of Philosophy . Acesso em: 28/01/2011. ↑ Broad, C. D. Some Methods of Speculative Philosophy . Acesso em 28/01/2011. ↑ Blackburn, S. Pense : uma introdução à filosofia. Lisboa: Gradiva, 2001. ISBN 9789726627906 . Cap. 2. ↑ Bunnin, N.. Yu, J (eds.) The Blackwell dictionary of Western philosophy . Blackwell, 2004. Blackwell Reference Online . Acesso: 12 de março de 2011. ↑ a b c d e Solomon, R. C. & Higgins, K. M. The big questions: a short introduction to philosophy . p. 7 . ↑ Copi, I. M. Introdução à lógica . 2.ª ed. São Paulo: Mestre Jou, 1978. p. 19. ↑ Bailey, Andrew. First philosophy : values and society. Broadview Press, 2004. ISBN 9781551116570 . p. 1. ↑ Morente, M. G. Fundamentos de filosofia : lições preliminares. São Paulo: Mestre Jou, 1980. cap. 1 . ↑ Huisman, Denis & Vergez, André. Curso moderno de filosofia : introdução à filosofia das ciências. Rio de Janeiro: Livraria Freitas Bastos, 1980. p. 155-158 . ↑ Versão eletrônica do diálogo platônico Teeteto . p. 16. ↑ Aristotle, Metaphysics . The Internet Classics Archive . ↑ a b c Magee, Bryan. História da Filosofia . São Paulo: Edições Loyola, 2001. pp. 7-9 ↑ Coupe, Laurence. Myth . 2nd. ed. London. New York: Routledge, 2009. p. 9. ISBN 9780415442848 ↑ Morgan, Katheryn. Myth and Philosophy . Cambridge: Cambridge University Press, 2004. p. 17. ISBN 0521621801 ↑ Vernant, Jean-Pierre. Myth and Society in Ancient Greece . London: Methuen, 1982: 'o conceito de mito peculiar à antiguidade clássica tornou-se, assim, claramente definido pela oposição entre mythos e logos , desde então vistos como termos separados e contrastantes' (p. 187). ↑ Aristóteles. Metafísica , III, 4. ↑ Reale, Giovanni. Antiseri, Dario. História da Filosofia . São Paulo: Paulus, 1990. ISBN 8505010760 . V. 1. pp. 14-16. ↑ Reale, Giovanni. Antiseri, Dario. História da Filosofia . São Paulo: Paulus, 1990. ISBN 8505010760 . V. 1. p. 26. ↑ Bornheim, G. Os filósofos pré-socráticos . p. 13 . ↑ Guerreiro, Mario A. L. Pré-socráticos : a invenção da filosofia. p. 40 . ↑ Chauí, M. Introdução à história da filosofia . p. 95 . ↑ Chauí, M. Introdução à história da filosofia . p. 105 . ↑ Zilles, U. Teoria do conhecimento . p. 59 . ↑ Stone, I. F. O julgamento de Sócrates . p. 61 . ↑ Morente, Manuel García. 'Lecciones Preliminares de Filosofía,' in Obras Completas . Barcelona: Anthropos. Madrid: Fundación Caja de Madrid, 1996. V. I. ISBN 8476584962 , pp. 81-87 ↑ Durant, Will. A História da Filosofia . São Paulo: Nova Cultural, s/d. ISBN 8535106952 . p. 75 ↑ Reale, Giovanni. História da filosofia antiga : os sistemas da Era Helenística. São Paulo: Loyola, 2008. pp. 214s . ↑ Reale, Giovanni. História da filosofia antiga : os sistemas da Era Helenística. São Paulo: Loyola, 2008. p. 361 . ↑ Cooper, D. E. Filosofias do Mundo . São Paulo: Loyola, 2002. ISBN 8515023164 . p. 167. ↑ Bleiberg, Edward (2005). ' Ancient Egypt 2675-332 B.C.E.: Philosophy '. In Bleiberg, Edward, et al. Arts and Humanities Through the Eras. Vol. 1: Ancient Egypt 2675-332 B.C.E. Detroit: Gale. págs. 182–197. ↑ Confucio (1989). «Intruduzione ( por Anne Cheng)». Confucio - Dialoghi (em italiano). [S.l.]: Arnaldo Mondadori. ISBN 88-04-32463-5 ↑ a b c d ='Gandhi And Mahayana Buddhism' ↑ Segundo Rafael Guerrero, 'houve filosofia nessa época porque houve continuidade e sobrevivência da filosofia antiga: os medievais se preocuparam em assimilar, à medida que lhes foi possível, a prática e o saber das gerações anteriores.' Historia de la Filosofía Medieval . p. 10 ↑ The Blackwell Dictionary of Western Philosophy . Verbete 'Medieval Philosophy' : 'O tema central da filosofia medieval foi a tentativa de unir a fé à razão.' ↑ Gracia, Jorge. Medieval Philosophy. In: The Blackwell Companion to Philosophy . pp. 619s ↑ Charles Schmitt e Quentin Skinner (eds.), The Cambridge History of Renaissance Philosophy . Cambridge University Press, 1988, p. 5, define o período da filosofia do Renascimento como o intervalo que vai “da época de Ockham até os trabalhos revisionistas de Bacon, Descartes e seus contemporâneos”. ↑ Copenhaver, B.. Schmitt, C. Renaissance Philosophy , Oxford University Press, 1992, p. 4: “pode-se considerar como marco da filosofia da Renascença o amplo e acelerado interesse, estimulado por novos textos disponíveis, por fontes primárias do pensamento grego e romano que eram até então desconhecidos ou dos quais pouco se sabia ou pouco se havia lido”. ↑ Gracia, Jorge. In: Bunnin, N.. Tsui-James, E.P. (eds.), The Blackwell Companion to Philosophy , Blackwell, 2002, p. 621: 'os humanistas ... recolocaram o homem no centro das atenções e canalizaram seus esforços no sentido de recuperar e transmitir o saber clássico, particularmente o da filosofia de Platão.” ↑ von Fritz, Kurt. Rev. Maurer, Armand. Levi, Albert W.. Stroll, Avrum. Wolin, Richard, «Western philosophy» (em inglês ), Encyclopædia Britannica Online ↑ Ver §4 da introdução de An essay concerning human understandig , de John Locke. a introdução do Tratado da natureza humana , de David Hume. e o prefácio da primeira edição da Crítica da razão pura , de Kant. ↑ Russell, Bertrand. History of Western Philosophy . London: Routledge, 2004. ISBN 9780415325059 . p. 511 . ↑ Descartes, R. Discurso do Método . 4ª. parte. ↑ Cottingham, J. Descartes . São Paulo: Ed. Unesp, 1999. p. 24 . ↑ Magee, Bryan. História da Filosofia . São Paulo: Edições Loyola, 2001. p. 83 ↑ Durant, Will. A História da Filosofia . São Paulo: Nova Cultural, s/d. ISBN 8535106952 . p. 247 ↑ Como Tudo Funciona ↑ Solomon, R. C. Higgins, K. M. The Big Questions . pp. 135s . ↑ Cooper, D. E. Filosofias do Mundo . p. 371 . ↑ Russell, B. História do Pensamento Ocidental . pp. 442s . ↑ William Outhwaite (ed.), The Blackwell dictionary of modern social thought . p. 44 . ↑ Hegenberg, L. Filosofia moral . V. 1 (Ética). Rio de Janeiro: E-papers, 2010. ISBN 8576502607 . pp. 115-22. ↑ Solomon, R. C. & Higgins, K. M. The big questions: a short introduction to philosophy . 8th ed. ISBN 9780495595151 . p.66 ↑ Raeper, W. Smith, L. Introdução ao estudo das ideias : religião e filosofia no passado e no presente. 2ª. ed. São Paulo: Loyola, 2001. ISBN 8515015684 . pp. 116-20. ↑ Soames, Scott. Philosophical analysis in the twentieth century . Princeton: Princeton University Press, 2003. V. 2. p. 463 ↑ Glock, Hans-Johann. Dicionário Wittgenstein . Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. ISBN 8571104409 . p. 237 (Verbete 'Lógica'). ↑ Galvão, Paulo. 'Positivismo Lógico,' in Branquinho, João. Murcho, Desidério. Gomes, Nelson Gonçalves (orgs.) Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos . São Paulo: Martins Fontes, 2006. pp. 577-80. ↑ a b Bunnin, N.. Yu, J (eds.) The Blackwell dictionary of Western philosophy . Blackwell, 2004. Blackwell Reference Online . Acesso em 28/03/2011. ↑ Frohnen, Bruce, Jeremy Beer, and Jeffrey O. Nelson, ed. (2006) American Conservatism: An Encyclopedia Wilmington, DE: ISI Books, pp. 870-875. ↑ Frohnen, Bruce, Jeremy Beer, and Jeffrey O. Nelson, ed. (2006) American Conservatism: An Encyclopedia Wilmington, DE: ISI Books, p. 870. ↑ «A Filosofia e seus usos: crítica e acomodação (tese de doutourado de Marli Aparecida Pechula)» (PDF) . diaadiaeducacao.pr.gov.br . 2007 . Consultado em 22 de abril de 2012 Bibliografia Livros introdutórios BLACKBURN, Simon . Pense : uma introdução à filosofia. Lisboa: Gradiva, 2001. ISBN 9789726627906 . BUNNIN, Nicholas. TSUI-JAMES, E. P. (Orgs.) Compêndio de Filosofia . 2.ª ed. São Paulo: Loyola, 2007. ISBN 9788515030477 . CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia . 7. ed. 2. reimp. São Paulo: Ática, 2000. COLCHETE, Eliane e MORAIS JUNIOR, Luis Carlos de. A formação da filosofia contemporânea . Rio de Janeiro: Litteris, 2014. DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? Trad. Bento Prado Jr. E Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro, 34, 1992. MURCHO, Desidério . Filosofia em Directo . Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2011. NAGEL, Thomas . Que Quer Dizer Tudo Isto? Uma iniciação à filosofia. Lisboa: Gradiva: 1995. ISBN 9789726624219 . PAIM, Antonio. História das Ideias Filosóficas no Brasil . 2 ed. São Paulo, Edusp/Grijalbo, 1974. PAPINEAU, David (Org.) Filosofia : grandes pensadores, principais fundamentos e escolas filosóficas. São Paulo: Publifolha, 2009. ISBN 9788579141058 . Antologias BONJOUR, Laurence. BAKER, Ann. Filosofia : textos fundamentais comentados. 2.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. ISBN 8536321199 . MARCONDES, Danilo. Textos Básicos de Filosofia : dos pré-sócráticos a Wittgenstein. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. ISBN 9788571105201 . NICOLA, Ubaldo. Antologia Ilustrada de Filosofia : das origens à Idade Moderna. Rio de Janeiro: Globo, 2005. ISBN 8525038997 . VVAA. Os Filósofos através dos Textos : de Platão a Sartre. São Paulo: Paulus, 1997. ISBN 8534909806 .q=Discurso%20do%20M%C3%A9todo%20descartes Introduções à história da filosofia DURANT, Will . A História da Filosofia . São Paulo: Nova Cultural, s/d. ISBN 8535106952 . ONFRAY, Michel . Contra-história da filosofia 1 : as sabedorias antigas. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2008. Idem. Contra-história da filosofia 2 : o cristianismo hedonista. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2008. Idem. Contra-história da filosofia 3 : os libertinos barrocos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009. Idem. Contra-história da filosofia 4 : os ultras das Luzes. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009. KENNY, Anthony . Uma Nova História da Filosofia Ocidental . São Paulo: Loyola, 2008. 4v. ISBN 9788515035267 . MAGEE, Bryan. História da Filosofia . São Paulo: Edições Loyola, 2001. ISBN 8515019299 . REALE, Giovanni. ANTISERI, Dario. História da Filosofia . São Paulo: Paulus, 1990. 3v. ISBN 8505010760 . RUSSELL, Bertrand . História do Pensamento Ocidental . Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. ISBN 8500013559 . Obras de referência BLACKBURN, Simon . Dicionário Oxford de Filosofia . Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010. ISBN 8571104026 . BRANQUINHO, João. MURCHO, Desidério. GOMES, Nelson Gonçalves (orgs.) Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos . São Paulo: Martins Fontes, 2006. ISBN 8533623259 . FERRATER-MORA, José. Dicionário de Filosofia . 2ª. ed. São Paulo: Loyola, 2004. 4v. ISBN 8515018691 . Ligações externas Portal de Filosofia do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Santa Catarina . Portal de Filosofia Veritas – Revista de Filosofia da PUCRS Stanford Encyclopedia of Philosophy The Internet Encyclopedia of Philosophy v • e Correntes filosóficas Escola jônica Milésios · Mobilismo · Hilozoísmo Escola itálica Eleatas · Pitagorismo Escola da pluralidade / pluralista Pluralismo · Atomismo Escola sofística Sofismo · Relativismo Escolas socráticas : Cínicos · Cirenaicos · Megários · Platonismo Escola peripatética Aristotelismo Escola epicurista Epicurismo · Hedonismo · Eudemonismo Escola estoica Paleo-estoicismo · Médio-estoicismo · Neo-estoicismo ou estoicismo imperial · Cosmopolitismo Escola cética Pirronismo Escola platônica Médio-platonismo eclético · Médio-platonismo ortodoxo · Neoplatonismo monista · Neoplatonismo dualista Escola esotérica Helenismo · Neopitagorismo · Gnosticismo · Cabalismo Filosofia medieval Medievalismo · Averroísmo · Alquimismo · Avicenismo · Rabinismo · Monopsiquismo Escolástica Patrística · Realismo · Nominalismo · Conceitualismo · Hilemorfismo Filosofia cristã Agostianismo · Pelagianismo · Semipelagianismo · Tomismo · Monergismo · Sinergismo · Sinergismo arminiano Filosofia renascentista Renascentismo · Arminianismo · Calvinismo · Luteranismo · Classicismo · Hermetismo · Humanismo · Antropocentrismo · Heliocentrismo · Maquiavelismo Filosofia moderna Racionalismo clássico · Ceticismo · Cartesianismo · Empirismo · Inatismo Filosofia iluminista Iluminismo · Ilustracionismo · Enciclopedismo · Neoclassicismo · Contratualismo · Fisiocratismo · Intelectualismo · Racionalismo · Liberalismo · Individualismo · Voluntarismo · Laicismo · Secularismo · Anticlericalismo · Deísmo · Cientificismo · Naturalismo · Fisicalismo · Materialismo · Reducionismo · Holismo · Determinismo · Indeterminismo · Compatibilismo · Fatalismo · Mecanicismo · Vitalismo Filosofia contemporânea Romantismo · Analiticismo · Continentalismo · Hegelianismo · Idealismo · Kantianismo · Apriorismo · Criticismo · Marxismo · Materialismo histórico · Materialismo dialético · Progressivismo · Positivismo · Utilitarismo · Pragmatismo · Niilismo · Particularismo moral · Amoralismo · Neoescolasticismo · Neotomismo · Neopositivismo · Neokantismo · Perenialismo · Historicismo · Escola de Frankfurt · Fenomenologia · Fenomenalismo · Formalismo · Estruturalismo · Solipsismo · Objetivismo · Existencialismo · Absurdismo · Construcionismo Filosofia da mente Conectivismo · Eliminativismo · Emergentismo · Monismo anômalo · Interacionismo · Naturalismo biológico · Externalismo · Fiabilismo · Millianismo · Descritivismo · Prescritivismo Filosofia pós-moderna Pós-modernismo · Pós-estruturalismo · Neoconfucionismo · Desconstrucionismo · Epifenomenalismo · Funcionalismo v • e Filosofia Tradicional Metafísica Epistemologia Lógica Ética Estética Temas Ação Arte Biologia Ciência Computação Direito Economia Educação Filosofia Física Guerra História Informação Linguagem Literatura Matemática Mente Natureza humana Política Psicologia Religião Tecnologia Escolas e correntes filosóficas Por era Antiga Ocidental Medieval Renascença Moderna Contemporânea Antiga Chinesa Agriculturalismo Confucianismo Legalismo Logicianos Moísmo Naturalismo chinês Neotaoísmo Taoísmo Yangismo Zen Greco - Romana Aristotelismo Cinismo Epicurismo Estoicismo Neoplatonismo Peripatética Platonismo Pré-socrática Pitagorismo Sofismo Indiana Budista Cārvāka Hindu Jainista Persa Mazdakismo Zoroastrismo Zurvanismo séculos IX-XVI Cristã da Europa Escolasticismo Humanismo Tomismo Leste Asiático Confucianismo coreano Rigaku Neoconfucionismo Indiana Navya-Nyāya Vishishtadvaita Dvaita Islâmica Averroísmo Avicenismo Iluminacionismo Kalam Sufi Judaica Judeu-Islâmicas Moderna séculos XVII–XIX Anarquismo Cartesianismo Materialismo dialético Empiricismo Existencialismo Fenomenologia Hegelianismo Idealismo absoluto Idealismo Kantinismo Kokugaku Liberalismo clássico Marxismo Modernismo Neokantismo Neotomismo Novo Confucianismo Pragmatismo Racionalismo Transcendentalismo Utilitarismo Contemporânea séculos XX–XXI Analítica Consequencialismo Círculo de Viena Epistemologia naturalizada Falsificacionismo Feminismo analítico Filosofia da linguagem comum Filosofia experimental Fundacionalismo e Coerentismo Internalismo e externalismo Positivismo lógico Positivismo jurídico Kantianismo Quietismo Rawlsianismo Epistemologia reformada Filosofia pós-analítica Utilitarismo contemporâneo Neoaristotelismo Wittgensteinismo Continental Construtivismo social Desconstrução Escola de Frankfurt Estruturalismo Existencialismo Filosofia feminista Filosofia pós-moderna Pós-estruturalismo Teoria crítica Escola de Quioto Traduzir (em inglês ) Posições filosóficas Estética Formalismo Teoria institucional da arte Resposta estética Ética Consequencialismo Egoísmo ético Deontologia Ética da virtude Ética feminista Livre-arbítrio Compatibilismo Determinismo Libertarianismo Metafísica Atomismo Dualismo Monismo Naturalismo Epistemologia Construcionismo Empirismo Idealismo epistemiológico Particularismo epistemiológico Racionalismo Ceticismo filosófico Solipsismo Mente Behaviorismo Eliminativismo Epifenomenalismo Functionalismo (filosofia da mente) Norma Absolutismo moral Particularismo Relativismo Nihilismo Ceticismo Universalismo Ontologia Ação Evento Processo Realidade Anti-realismo Conceitualismo Fisicalismo Idealismo Materialismo Naturalismo Nominalismo Realismo Por localidade, Listas Por região Americana Aztec Britânica Alemã Africana Etíope Chinesa Coreana Dinamarquesa Eslovena Francesa Indiana Indonesia Iraniana Grécia Italiana Japonesa Paquistanesa Ocidental Oriental Polonesa Romena Russa Listas Cronologia Lista de tópicos básicos Movimentos Publicações Portal Glossário Categoria Portal da filosofia Portal do pensamento Obtida de ' https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Filosofia&oldid=50839377 ' Categoria : Filosofia Categorias ocultas: !CS1 italiano-fontes em língua (it) !Páginas que usam links mágicos ISBN Menu de navegação Ferramentas pessoais Não autenticado Discussão Contribuições Criar uma conta Entrar Domínios Artigo Discussão Variantes Vistas Ler Ver código-fonte Ver histórico Mais Busca Navegação Página principal Conteúdo destacado Eventos atuais Esplanada Página aleatória Portais Informar um erro Loja da Wikipédia Colaboração Boas-vindas Ajuda Página de testes Portal comunitário Mudanças recentes Manutenção Criar página Páginas novas Contato Donativos Imprimir/exportar Criar um livro Descarregar como PDF Versão para impressão Noutros projetos Wikimedia Commons Wikilivros Wikiquote Wikiversidade Ferramentas Páginas afluentes Alterações relacionadas Carregar ficheiro Páginas especiais Hiperligação permanente Informações da página Elemento Wikidata Citar esta página Noutros idiomas Acèh Afrikaans Alemannisch አማርኛ Aragonés Ænglisc العربية مصرى অসমীয়া Asturianu Aymar aru Azərbaycanca تۆرکجه Башҡортса Boarisch Žemaitėška Беларуская Беларуская (тарашкевіца)‎ Български भोजपुरी Bislama বাংলা བོད་ཡིག Brezhoneg Bosanski Буряад Català Mìng-dĕ̤ng-ngṳ̄ Нохчийн Cebuano ᏣᎳᎩ کوردی Corsu Čeština Kaszëbsczi Чӑвашла Cymraeg Dansk Deutsch Zazaki Ελληνικά English Esperanto Español Eesti Euskara Estremeñu فارسی Suomi Võro Føroyskt Français Nordfriisk Furlan Frysk Gaeilge 贛語 Gàidhlig Galego Avañe'ẽ Gaelg 客家語/Hak-kâ-ngî עברית हिन्दी Fiji Hindi Hrvatski Kreyòl ayisyen Magyar Հայերեն Interlingua Bahasa Indonesia Interlingue Igbo Ilokano Ido Íslenska Italiano ᐃᓄᒃᑎᑐᑦ/inuktitut 日本語 Patois La .lojban. Basa Jawa ქართული Qaraqalpaqsha Taqbaylit Kabɩyɛ Қазақша Kalaallisut ភាសាខ្មែរ ಕನ್ನಡ 한국어 Kurdî Кыргызча Latina Ladino Lëtzebuergesch Лезги Limburgs Ligure Lumbaart ລາວ Lietuvių Latviešu मैथिली Malagasy Олык марий Македонски മലയാളം Монгол मराठी Bahasa Melayu Malti Mirandés မြန်မာဘာသာ Эрзянь مازِرونی Nāhuatl Plattdüütsch Nedersaksies नेपाली नेपाल भाषा Nederlands Norsk nynorsk Norsk Novial Nouormand Occitan Livvinkarjala Oromoo ਪੰਜਾਬੀ Papiamentu Picard Pälzisch Polski Piemontèis پنجابی Ποντιακά پښتو Runa Simi Rumantsch Română Armãneashti Русский Русиньскый Kinyarwanda संस्कृतम् Саха тыла Sardu Sicilianu Scots Sängö Srpskohrvatski / српскохрватски සිංහල Simple English Slovenčina Slovenščina Soomaaliga Shqip Српски / srpski Sranantongo Sesotho Seeltersk Basa Sunda Svenska Kiswahili தமிழ் తెలుగు Тоҷикӣ ไทย Türkmençe Tagalog Tok Pisin Türkçe Xitsonga Татарча/tatarça Тыва дыл ئۇيغۇرچە / Uyghurche Українська اردو Oʻzbekcha/ўзбекча Vèneto Tiếng Việt Volapük Walon Winaray Wolof 吴语 IsiXhosa მარგალური ייִדיש Yorùbá Vahcuengh Zeêuws 中文 文言 Bân-lâm-gú 粵語 IsiZulu Editar hiperligações Esta página foi editada pela última vez à(s) 17h30min de 24 de dezembro de 2017. Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) . pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso . Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais Programadores Declaração sobre cookies Versão móvel



https://pt.wikipedia.org/wiki/Filosofia
  Filosofia – Wikipédia, a enciclopédia livre Filosofia Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Nota: Para outros significados, veja Filosofia (desambiguação) . Filosofia O pensador , de Auguste Rodin , representação clássica de um homem imerso em pensamentos. Origem do nome Φιλοσοφία, grego Origem Grécia , séc. VII a.C., Tales de Mileto Influências mitologia Influenciados ... a situar a investigação filosófica nos limites do que pode ser avaliado pela experiência. Segundo ... operam não são adequadamente derivadas da experiência. De maneira análoga, Kant , ao elaborar sua ... chamado de 'experiência de pensamento') é a elaboração de uma situação puramente hipotética – geralmente ... transcendentais – foi concebido por Kant, e consiste em tomar como dados os fatos da experiência, e ... pura do espaço é uma das condições necessárias pressupostas pela experiência dos objetos externos CACHE

Filosofia – Wikipédia, a enciclopédia livre Filosofia Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Nota: Para outros significados, veja Filosofia (desambiguação) . Filosofia O pensador , de Auguste Rodin , representação clássica de um homem imerso em pensamentos. Origem do nome Φιλοσοφία, grego Origem Grécia , séc. VII a.C., Tales de Mileto Influências mitologia Influenciados arte , ciência , política , direito , ética , teologia , religião Principais nomes Heráclito · Confúcio · Demócrito · Sócrates · Platão · Aristóteles · Epicuro · Agostinho · Avicena · Aquino · Escoto · Ockham · Maquiavel · Bacon · Descartes · Vico · Leibniz · Espinoza · Hobbes · Berkeley · Locke · Montesquieu · Hume · Rousseau · Voltaire · Burke · Kant · Hegel · Kierkegaard · Schopenhauer · Mill · Marx · Nietzsche · Peirce · Husserl · Definição é o estudo de questões fundamentais relacionadas à existência , ao conhecimento , à verdade , aos valores morais e estéticos , à mente e à linguagem . Conhecida por estimular o pensamento lógico e crítico Pretende construir concepções abrangentes de mundo Divide-se em Filosofia ocidental , Filosofia oriental Ramificações epistemologia , ontologia , ética , metafísica , filosofia social , filosofia política , estética , lógica Filosofia (do grego Φιλοσοφία, philosophia, literalmente «amor pela sabedoria» [ 1 ] [ 2 ] ) é o estudo das questões gerais e fundamentais relacionadas com a natureza da existência humana . do conhecimento . da verdade . dos valores morais e estéticos . da mente . da linguagem , bem como do universo em sua totalidade. [ 3 ] O termo foi cunhado por Pitágoras (570 – 495 a.C). Ao examinar tais questões, a filosofia se distingue da mitologia e da religião por sua ênfase em argumentação racional. por outro lado, diferencia-se também das pesquisas científicas por geralmente não recorrer a procedimentos empíricos em suas investigações. Entre seus métodos, estão a argumentação racional , a análise conceitual , a dialética , a hermenêutica , a fenomenologia , as experiências de pensamento e outros métodos investigativos a priori . A Filosofia é o saber mais abrangente – na medida em que ocupa-se com os grandes temas da humanidade. A partir dela, são fundamentadas e desenvolvidas teorias , metodologias , pesquisas , projetos educacionais , bem como elabora-se, inclusive, a própria fundamentação racional das instituições do conhecimento humano, i.e., as instituições científicas , artísticas , religiosas e culturais . Por razões de conveniência e especialização, as disciplinas filosóficas foram classificadas em várias subáreas temáticas ou campos de estudo e investigação, entre os quais destacam-se principalmente a Metafísica (cujo ramo basilar é conhecido como Ontologia ). a Epistemologia , a Lógica , a Ética (ou filosofia moral ), a Estética (ou filosofia da arte ), filosofia da mente , filosofia das ciências naturais e sociais , filosofia da religião , filosofia da matemática , filosofia da linguagem , filosofia da física e filosofia política . Índice 1 Definição de filosofia 1.1 Etimologia 1.2 Conceito de filosofia 2 Métodos da filosofia 3 Disciplinas filosóficas 4 Cronologia 5 História 5.1 Pensamento mítico e pensamento filosófico 5.2 Filosofia antiga 5.2.1 Babilônia 5.2.2 Grécia Antiga 5.2.3 Império Romano 5.3 África 5.4 Filosofia oriental 5.4.1 China 5.4.2 Índia 5.5 Filosofia medieval 5.5.1 Europa 5.5.2 Oriente Médio 5.6 Filosofia do Renascimento 5.7 Filosofia moderna 5.8 Filosofia do século XIX 5.9 Filosofia do século XX 5.10 Movimentos filosóficos da atualidade 5.10.1 Filosofia clínica 6 Ver também 7 Referências 8 Bibliografia 9 Ligações externas Definição de filosofia Etimologia Filósofo em Meditação , detalhe de Rembrandt , 1632, no Museu do Louvre A palavra 'filosofia' (do grego ) é uma composição de duas palavras: philos (φίλος) e sophia (σοφία). A primeira é uma derivação de philia (φιλία) que significa amizade, amor fraterno e respeito entre os iguais. a segunda significa sabedoria ou simplesmente saber. Filosofia significa, portanto, amizade pela sabedoria, amor e respeito pelo saber. e o filósofo, por sua vez, seria aquele que ama e busca a sabedoria, tem amizade pelo saber, deseja saber. [ 4 ] A tradição atribui ao filósofo Pitágoras de Samos (que viveu no século V a.C. ) a criação da palavra. Conforme essa tradição, Pitágoras teria criado o termo para modestamente ressaltar que a sabedoria plena e perfeita seria atributo apenas dos deuses. os homens, no entanto, poderiam venerá-la e amá-la na qualidade de filósofos. [ 4 ] A palavra philosophía não é simplesmente uma invenção moderna a partir de termos gregos, [ 5 ] mas, sim, um empréstimo tomado da própria língua grega. Os termos φιλοσοφος ( philosophos ) e φιλοσοφειν ( philosophein ) já teriam sido empregados por alguns pré-socráticos [ 6 ] ( Heráclito , Pitágoras e Górgias ) e pelos historiadores Heródoto e Tucídides . Em Sócrates e Platão, é acentuada a oposição entre σοφία e φιλοσοφία, em que o último termo exprime certa modéstia e certo ceticismo em relação ao conhecimento humano. Conceito de filosofia Para os eruditos o conceito de 'filosofia' sofreu, no transcorrer da história, várias alterações e restrições em sua abrangência. As concepções do que seja a filosofia e quais são os seus objetos de estudo também se alteram conforme a escola ou movimento filosófico. Essa variedade presente na história da filosofia e nas escolas e correntes filosóficas torna praticamente impossível elaborar uma definição universalmente válida de filosofia. Definir a filosofia é realizar uma tarefa metafilosófica . Em outras palavras, é fazer uma filosofia da filosofia. O sociólogo e filósofo alemão Georg Simmel ressaltou esse ponto ao dizer que um dos primeiros problemas da filosofia é o de investigar e estabelecer a sua própria natureza. Talvez a filosofia seja a única disciplina que se volte para si mesma dessa maneira. O objeto da física não é, certamente, a própria ciência da física, mas os fenômenos ópticos e elétricos , entre outros. A filologia ocupa-se de registros textuais antigos e da evolução das línguas, mas não se ocupa de si mesma. A filosofia, no entanto, move-se neste curioso círculo: ela determina os pressupostos de seu método de pensar e os seus propósitos através de seus próprios métodos de pensar e propósitos. Não há como apreender o conceito de filosofia fora da filosofia. pois somente a filosofia pode determinar o que é a filosofia. [ 7 ] Platão e Aristóteles concordam em caracterizar a filosofia como uma atividade racional estimulada pelo assombro ou admiração. Mas, para Platão, o assombro é provocado pela instabilidade e contradições dos seres que percebemos pelos sentidos. A filosofia, no quadro platônico, seria a tentativa de superar esse mundo de coisas efêmeras e mutáveis e apreender racionalmente a realidade última, composta por formas eternas e imutáveis que, segundo Platão, só podem ser captadas pela razão . Para Aristóteles, ao contrário, não há separação entre, de um lado, um mundo apreendido pelos sentidos e, de outro lado, um mundo exclusivamente captado pela razão. A filosofia seria uma investigação das causas e princípios fundamentais de uma única e mesma realidade . O filósofo, segundo Aristóteles, “conhece, na medida do possível, todas as coisas, embora não possua a ciência de cada uma delas por si”. [ 8 ] A filosofia almejaria o conhecimento universal, não no sentido de um acúmulo enciclopédico de todos os fatos e processos que se possam investigar, mas no sentido de uma compreensão dos princípios mais fundamentais, dos quais dependeriam os objetos particulares a que se dedicam as demais ciências, artes e ofícios. Aristóteles considera que a filosofia, como ciência das causas e princípios primordiais , acabaria por identificar-se com a teologia , pois Deus seria o princípio dos princípios. [ 9 ] As definições de filosofia elaboradas depois de Platão e Aristóteles separaram a filosofia em duas partes: uma filosofia teórica e uma filosofia prática . Como reflexo da busca por salvação ou redenção pessoal, a filosofia prática foi gradativamente se tornando um sucedâneo da fé religiosa e acabou por ganhar precedência em relação à parte teórica da filosofia. A filosofia passa a ser concebida como uma arte de viver, que forneceria aos homens regras e prescrições sobre como agir e como se portar diante das inconstâncias do mundo. Essa concepção é muito clara em diversas correntes da filosofia helenística, como, por exemplo, no estoicismo e no neoplatonismo . [ 9 ] As definições de filosofia formuladas na Antiguidade persistiram na época de disseminação e consolidação do cristianismo , mas isso não impediu que as concepções cristãs exercessem influência e moldassem novas maneiras de se entender a filosofia. As definições de filosofia elaboradas durante a Idade Média foram coordenadas aos serviços que o pensamento filosófico poderia prestar à compreensão e sistematização da fé religiosa. e, desse modo, a filosofia passa a ser concebida como “serva da teologia” ( ancilla theologiae ). [ 9 ] Segundo São Tomás de Aquino , por exemplo, a filosofia pode auxiliar a teologia em três frentes: (1) ela pode demonstrar verdades que a fé já toma como estabelecidas, tais como a existência de Deus e a imortalidade da alma . (2) pode esclarecer certas verdades da fé ao traçar analogias com as verdades naturais. e (3) pode ser empregada para refutar ideias que se oponham à doutrina sagrada . [ 10 ] Os medievais também mantiveram a acepção de filosofia como saber prático, como uma busca de normas ou recomendações para se alcançar a plenitude da vida. Santo Isidoro de Sevilha , ainda no século VII, definia a filosofia como “o conhecimento das coisas humanas e divinas combinado com uma busca pela vida moralmente boa” [ 11 ] Frontispício da Instauratio Magna , de Francis Bacon , 1620. Na parte inferior está escrito: Multi pertransibunt et augebitur scientia ('Muitos passarão, e o conhecimento aumentará'). As colunas representam as limitações da filosofia antiga e medieval. Tanto na Idade Média como em qualquer outra época da história ocidental, a compreensão do que é a filosofia reflete uma preocupação com questões essenciais para a vida humana em seus múltiplos aspectos. As concepções de filosofia do Renascimento e da Idade Moderna não são exceções. Também aí as noções do que seja a filosofia sintetizam as tentativas de oferecer respostas substantivas aos problemas mais inquietantes da época. O advento da era moderna fez ruir as próprias bases da sabedoria tradicional. e impôs aos intelectuais a tarefa de encontrar novas formas de conhecimento que pudessem restabelecer a confiança no intelecto e na razão. Para Francis Bacon - um dos primeiros filósofos modernos - a filosofia não deveria se contentar com uma atitude meramente contemplativa, como queriam os antigos e medievais. ao contrário, deveria buscar o conhecimento das essências das coisas a fim de obter o controle sobre os fenômenos naturais e, portanto, submeter a Natureza aos desígnios humanos. [ 12 ] Para Descartes , a filosofia, na qualidade de metafísica , é a investigação das causas primeiras, dos princípios fundamentais. Esses princípios devem ser claros e evidentes, e devem formar uma base segura a partir da qual se possam derivar as outras formas de conhecimento. É nesse sentido, entendendo-se a filosofia como o conjunto de todos os saberes e a metafísica como a investigação das primeiras causas, que se deve ler a famosa metáfora de Descartes: “Assim, a Filosofia é uma árvore, cujas raízes são a Metafísica, o tronco a Física, e os ramos que saem do tronco são todas as outras ciências”. [ 13 ] Após Descartes, a filosofia assume uma postura crítica em relação a suas próprias aspirações e conteúdos. Os empiristas britânicos, influenciados pelas novas aquisições da ciência moderna, dedicaram-se a situar a investigação filosófica nos limites do que pode ser avaliado pela experiência. Segundo a orientação empirista, argumentos tradicionais da filosofia, como as demonstrações da existência de Deus, da imortalidade da alma e de essências imutáveis seriam inválidos, uma vez que as ideias com que operam não são adequadamente derivadas da experiência. De maneira análoga, Kant , ao elaborar sua doutrina da filosofia transcendental , rejeita a possibilidade de tratamento científico de muitos dos problemas da filosofia tradicional, uma vez que a adequada solução deles demandaria recursos que ultrapassam as capacidades do intelecto humano. O empirismo britânico e o idealismo de Kant acentuam uma característica frequentemente destacada na filosofia: a de ser um 'pensar sobre o pensamento' [ 14 ] ou um 'conhecer o conhecimento'. [ 15 ] Essa concepção reflexiva da filosofia, do pensamento que se volta para si mesmo, influenciará vários autores e escolas filosóficas, tanto do século XIX como do século XX. A fenomenologia , por exemplo, considerará a filosofia como um empreendimento eminentemente reflexivo. Segundo Edmund Husserl - o fundador da fenomenologia - a filosofia é uma ciência rigorosa dos fenômenos tal como nos aparecem, ou seja, tal como é a nossa consciência deles. Para descrevê-los, o filósofo deve pôr entre parênteses todas as suas pressuposições e preconceitos (até mesmo a certeza de que os objetos existem) e restringir-se apenas aos conteúdos da consciência. Com a virada linguística do início do século XX, muitos filósofos passam a considerar a filosofia como uma análise de conceitos. Para Wittgenstein , os problemas filosóficos tradicionais são todos resultantes de confusões linguísticas. e a tarefa do filósofo seria a de esclarecer o modo como os conceitos são empregados a fim de explicitar tais confusões. Numa abordagem mais positiva sobre a atividade filosófica, Strawson considera que a filosofia é análoga à gramática: assim como os estudiosos da gramática explicitam as regras que os falantes inconscientemente empregam, a filosofia explicitaria conceitos-chave que, na construção de nossas concepções e argumentos, adotamos sem ter plena consciência de suas implicações e relações. [ 16 ] A lista de concepções da filosofia propostas ao longo de sua história pode ser estendida indefinidamente. Sua variedade é tão grande que dificilmente se pode encontrar um elemento que perpasse todas as concepções em todas as épocas. Mas não se pode esquecer que as antigas concepções de filosofia tornaram-se algo obsoleto frente ao avanço de outras disciplinas que antes se abrigavam à sombra, excessivamente vasta, da filosofia. As concepções de autores antigos e medievais, e mesmo de alguns modernos, consideravam indiscriminadamente como filosóficas investigações que hoje denominamos simplesmente de científicas. Assuntos como as leis do movimento, a estrutura da matéria e o funcionamento dos processos psicológicos – que hoje consideramos como temas da física, da química e da psicologia, respectivamente – eram todos reunidos na noção de filosofia natural . Após a revolução científica do século XVII, as investigações da filosofia natural foram gradualmente se desvencilhando da filosofia e se constituíram em domínios específicos e independentes de pesquisa. De certa forma, os problemas clássicos da filosofia formam hoje um conjunto de assuntos elusivos que não se dobraram à metodologia indutiva e experimental das ciências. [ 17 ] Mas isso não implica dizer que a filosofia atual seja mero resíduo do processo de crescimento e consolidação da ciência moderna. Dizer isso seria esquecer o aspecto profundamente dinâmico e reflexivo da filosofia. A reflexão filosófica não é algo que ocorra num limbo intelectual: ela acompanha de perto a evolução das ciências, da política, da religião e das artes. [ 9 ] Essa evolução tende a apresentar novos problemas e desafios que, por escaparem ao estrito domínio da disciplina em que surgiram, podem ser chamados de 'filosóficos'. Talvez não haja uma resposta categórica à pergunta “O que é filosofia?”. [ 9 ] Os filósofos divergem entre si sobre o que fazem, os problemas filosóficos ramificam-se indefinidamente e os métodos variam conforme a concepção do que seja o trabalho filosófico. Talvez a afirmação de Simmel de que só é possível entender a filosofia no âmbito da filosofia possa ser tomada como uma advertência quando contrastada com o amplo espectro de conceitos sobre a sua natureza: ao adotar uma das diferentes orientações filosóficas, tratamos de determinados problemas e adotamos determinados métodos para tentar esclarecê-los. mas, dado que há outras concepções, conforme outros métodos e conforme outras finalidades, devemos modestamente reconhecer que essas concepções alternativas têm o mesmo direito de ostentar o título de “filosofia” que a nossa concepção. Métodos da filosofia Discussão noite adentro , de William Blades : o debate franco de ideias, conforme os padrões da argumentação lógica, é uma das características centrais da atividade filosófica. Os trabalhos filosóficos são realizados mediante técnicas e procedimentos que integram os cânones do pensamento racional. Tradicionalmente, a filosofia destaca e privilegia a argumentação lógica, em linguagem natural ou em linguagem simbólica, como a ferramenta por excelência da apresentação e discussão de teorias filosóficas. A argumentação lógica está associada a dois elementos importantes: a articulação rigorosa dos conceitos e a correta concatenação das premissas e conclusões , de modo que essas últimas sejam derivações incontestáveis das primeiras. Toda a ideia filosófica relevante é inevitavelmente submetida a escrutínio crítico. e a presença de falhas na argumentação ( falácias , sofismas , etc.) é frequentemente o primeiro alvo das críticas. Desse modo, o destino de uma tese qualquer que não esteja amparada por argumentos sólidos e convincentes será, frequentemente, severamente rejeitada por parte da comunidade filosófica. Embora a reflexão sobre os princípios e métodos da lógica só tenha sido realizada pela primeira vez por Aristóteles, a ênfase na argumentação lógica e na crítica à solidez dos argumentos é uma característica que acompanha a filosofia desde os seus primórdios. A própria ruptura entre o pensamento mítico-religioso e o pensamento racional é assinalada pela adoção de uma postura argumentativa e crítica em relação às explicações tradicionais. Quando Anaximandro rejeitou as explicações de seu mestre – Tales de Mileto – e propôs concepções alternativas sobre a natureza e estrutura do cosmos , o pensamento humano dava seus primeiro passos em direção ao debate franco, público e aberto de ideias, orientado apenas por critérios racionais de correção, como forma destacada de se aperfeiçoar o conhecimento. e abandonava, assim, as narrativas tradicionais sobre a origem e composição do universo, apoiadas na autoridade inquestionável da tradição ou em ensinamentos esotéricos. [ 18 ] Mas não se podem restringir os métodos da filosofia apenas à ênfase geral na argumentação lógica e na crítica sistemática às teorias apresentadas. Nas grandes tradições da história da filosofia, podem ser identificadas duas orientações bem abrangentes, cujos objetivos e técnicas tendem a diferir radicalmente: existem as escolas que privilegiam uma abordagem analítica dos problemas filosóficos e aquelas que optam por uma abordagem predominantemente sintética ou sinóptica . [ 3 ] Kant deduzindo coisas que não são passíveis de ser experienciadas. Trabalho artístico de Friedrich Hagermann , 1801 A orientação analítica é exemplificada nos trabalhos filosóficos que se dedicam à decomposição de um conceito em suas partes constituintes e ao exame criterioso das relações lógicas e conceptuais explicitadas pela análise. O exemplo clássico é a análise do conceito de conhecimento . A reflexão sobre a natureza do conhecimento levou os filósofos a decompor a noção de conhecimento em três noções associadas: crença , verdade e justificação . Para que algo seja conhecimento é imprescindível que seja antes uma crença – em outras palavras, o conhecimento é uma espécie diferenciada do gênero mais abrangente da crença. A pergunta óbvia que essa primeira constatação sugere é: o que diferencia, então, o conhecimento das demais formas de crença? Nesse ponto, o exame do conceito conduz a duas noções distintas. Em primeiro lugar, à noção de verdade. Intuitivamente separamos as crenças falsas das verdadeiras. É por isso que mantemos a crença de que Papai Noel existe num patamar diferente da crença de que a Lua gira em torno da Terra – quem sustenta a primeira, tem apenas uma crença. quem sustenta a última, provavelmente sabe algo sobre o sistema solar, pois exprime uma crença verdadeira. Mas, para que seja promovida à condição de conhecimento, a crença precisa de algo mais: ela precisa ser apoiada por alguma espécie de justificação. Além de sustentar uma crença verdadeira, o sujeito deve ser capaz de apresentar os meios ou as fontes, consideradas universalmente legítimas, que lhe propiciaram chegar à crença em questão. Feito esse exame, a conclusão é a célebre fórmula: o conhecimento é crença verdadeira justificada . [ 19 ] Nesse e em muitos outros casos envolvendo noções filosoficamente relevantes, o trabalho de análise é capaz de explicitar pressupostos importantes implicitamente presentes no uso dos conceitos. A outra orientação – a sintética – percorre o caminho oposto ao da análise. Os adeptos dessa orientação buscam elaborar uma síntese de várias noções relevantes e apresentá-las como um todo harmônico. [ 3 ] Às vezes chamada de “filosofia especulativa”, essa orientação filosófica pretende revelar princípios universais que possam reunir organicamente vários elementos díspares, que aparentemente não guardam relações relevantes entre si. [ 20 ] Um caso paradigmático dessa orientação é a filosofia hegeliana, cujo fito é integrar numa dinâmica panteísta a evolução das mais diversas formas de manifestação da cultura humana – artes, leis, governos, religiões, ciências e filosofias. Desde o surgimento da ciência moderna, vários filósofos buscaram separar a investigação filosófica da investigação científica por meio de uma caracterização dos métodos peculiares à filosofia. Como as ciências especiais privilegiam a investigação empírica, especialmente por adoção de métodos experimentais, defendeu-se que a adoção de métodos a priori (isto é, de métodos que antecedem a investigação empírica ou são dela independentes ) seria o traço definidor do trabalho filosófico. Nos casos da argumentação lógica, da análise conceptual e da síntese compreensiva não há necessidade de observação dos fenômenos para que se decida se uma conclusão é ou não é logicamente correta, se um conceito está sendo ou não corretamente empregado ou se uma visão sinóptica é ou não é incoerente. Isso não implica um divórcio entre a ciência e a filosofia. Ao contrário, implica que os filósofos estão aptos a analisar os conceitos e argumentos das ciências especiais, e, nesse domínio, podem prestar um serviço relevante ao aperfeiçoamento das teorias científicas. O dilema do bonde é um experimento mental para ilustrar e colocar à prova distintas teorias éticas Além das orientações metodológicas acima explicadas, há outras duas estratégias que podem ser caracterizados como métodos a priori . Os experimentos mentais e os argumentos transcendentais . Um experimento mental (às vezes também chamado de 'experiência de pensamento') é a elaboração de uma situação puramente hipotética – geralmente impossível de ser construída na prática – por meio da qual o filósofo testa os limites de determinados pressupostos ou conceitos. O experimento mental mais famoso da história da filosofia é a hipótese do Gênio Maligno concebida por Descartes: ao imaginar um deus onipotente que se dedica a ludibriá-lo, Descartes leva o ceticismo ao seu extremo a fim de identificar uma certeza inabalável capaz de superar até mesmo a hipótese do Gênio Maligno. (Essa hipótese recebeu uma roupagem moderna na elaboração de outro experimento mental – o cérebro numa cuba ). [ 21 ] O outro método – o dos argumentos transcendentais – foi concebido por Kant, e consiste em tomar como dados os fatos da experiência, e deduzir coisas que não são passíveis de ser experienciadas, mas que constituem a própria condição de possibilidade daqueles fatos. Com essa espécie de argumento, Kant concluiu, por exemplo, que a forma pura do espaço é uma das condições necessárias pressupostas pela experiência dos objetos externos, pois sem ela tal experiência seria impossível. [ 22 ] Embora o emprego da lógica formal, da análise conceptual e dos experimentos mentais sejam constantes na filosofia contemporânea, predomina hoje, sobretudo na tradição analítica, a orientação que se convencionou chamar de naturalismo filosófico . Essa orientação tem suas origens nos trabalhos do filósofo americano Willard Van Orman Quine (1908-2000) que criticam a distinção entre questões conceptuais e empíricas. Os adeptos do naturalismo rejeitam a suposição de que a filosofia se diferencie das ciências por um conjunto de métodos próprios: os problemas filosóficos e os científicos pertencem a uma única e mesma esfera e, portanto, os métodos científicos, historicamente bem-sucedidos, devem também ser aplicados à problemática filosófica. Disciplinas filosóficas Ver artigo principal: Áreas da filosofia A filosofia é geralmente dividida em áreas de investigação específica. Em cada área, a pesquisa filosófica dedica-se à elucidação de problemas próprios, embora sejam muito comuns as interconexões. As áreas tradicionais da filosofia são as seguintes: Metafísica : ocupa-se da elaboração de teorias sobre a realidade e sobre natureza fundamental de todas as coisas. O objetivo da metafísica é fornecer uma visão abrangente do mundo – uma visão sinóptica que reúna em si os diversos aspectos da realidade. Uma das subáreas da metafísica é a ontologia (literalmente, a ciência do 'ser'), cujo tema principal é a elaboração de escalas de realidade. Nesse sentido, a ontologia buscaria identificar as entidades básicas ou elementares da realidade e mostrar como essas se relacionam com os demais objetos ou indivíduos - de existência dependente ou derivada. [ 23 ] Epistemologia ou teoria do conhecimento : é a área da filosofia que estuda a natureza do conhecimento , sua origem e seus limites. Dessa forma, entre as questões típicas da epistemologia estão: “O que diferencia o conhecimento de outras formas de crença?”, “O que podemos conhecer?”, “Como chegamos a ter conhecimento de algo?”. [ 23 ] Lógica : é a área que trata das estruturas formais do raciocínio perfeito – ou seja, daqueles raciocínios cuja conclusão preserva a verdade das premissas. Na lógica são estudados, portanto, os métodos e princípios que permitem distinguir os raciocínios corretos dos raciocínios incorretos. [ 24 ] Ética ou filosofia moral : é a área da filosofia que trata das distinções entre o certo e o errado, entre o bem e o mal. Procura identificar os meios mais adequados para aprimorar a vida moral e para alcançar uma vida moralmente boa. Também no campo da ética dão-se as discussões a respeito dos princípios e das regras morais que norteiam a vida em sociedade, e sobre quais seriam as justificativas racionais para adotar essas regras e princípios. [ 23 ] Filosofia política : é o ramo da filosofia que investiga os fundamentos da organização sociopolítica e do Estado. São tradicionais nessa área, as hipóteses sobre o contrato original que teria dado início à vida em sociedade, instituído o governo , os deveres e os direitos dos cidadãos . Muitas dessas situações hipotéticas são elaboradas no intuito de recomendar mudanças ou reformas políticas aptas a aproximar as sociedades concretas de um determinado ideal político. [ 23 ] Estética ou filosofia da arte : entre as investigações dessa área, encontram-se aquelas sobre a natureza da arte e da experiência estética, sobre como a experiência estética se diferencia de outras formas de experiência, e sobre o próprio conceito de belo . [ 23 ] Metafilosofia : é a 'filosofia da filosofia'. Procura determinar, entre outras coisas, o que é, suas limitações e o objetivo da filosofia enquanto ramo do saber humano. Cronologia Ver artigo principal: Cronologia da filosofia História Ver artigo principal: História da filosofia A filosofia ocidental surgiu na Grécia antiga no século VI a.C. A partir de então, uma sucessão de pensadores originais – como Tales , Xenófanes , Pitágoras , Heráclito e Protágoras – empenhou-se em responder, racionalmente, questões acerca da realidade última das coisas, das origens e características do verdadeiro conhecimento, da objetividade dos valores morais, da existência e natureza dos deuses (ou de Deus ). Muitas das questões levantadas por esses antigos pensadores são, ainda, temas importantes da filosofia contemporânea . [ 25 ] Durante as Idades Antiga e Medieval , a filosofia compreendia praticamente todas as áreas de investigação teórica. Em seu escopo figuravam desde disciplinas altamente abstratas – em que se estudavam o 'ser enquanto ser' e os princípios gerais do raciocínio – até pesquisas sobre fenômenos mais específicos – como a queda dos corpos e a classificação dos seres vivos . Especialmente a partir do século XVII , vários ramos do conhecimento começam a se desvencilhar da filosofia e a se constituir em ciências independentes com técnicas e métodos próprios (priorizando, sobretudo, a observação e a experimentação). [ 26 ] Apesar disso, a filosofia atual ainda pode ser vista como uma disciplina que trata de questões gerais e abstratas que sejam relevantes para a fundamentação das demais ciências particulares ou demais atividades culturais. A princípio, tais questões não poderiam ser convenientemente tratadas por métodos científicos. [ 27 ] Por razões de conveniência e especialização, os problemas filosóficos são agrupados em subáreas temáticas: entre elas as mais tradicionais são a metafísica , a epistemologia , a lógica , a ética , a estética e a filosofia política . Platão , 427-347 a.C. cópia romana em mármore de um original grego do último quarto do século IV a.C., nos Museus Vaticanos As atividades a que nos dedicamos cotidianamente pressupõem a aceitação de diversas crenças e valores de que nem sempre estamos cientes. Acreditamos habitar um mundo constituído de diferentes objetos, de diversos tamanhos e cores. Acreditamos que esse mundo organiza-se num espaço tridimensional e que o tempo segue a sua marcha inexorável numa única direção. Acreditamos que as pessoas ao redor são em tudo semelhantes a nós, vêem as mesmas coisas, têm os mesmos sentimentos e sensações e as mesmas necessidades. Buscamos interagir com outras pessoas, e encontrar alguém com quem compartilhar a vida e, talvez, constituir família, pois tudo nos leva a crer que essa é uma das condições para a nossa felicidade . Periodicamente reclamamos de abusos na televisão, em propagandas e noticiários, na crença de que há certos valores que estão sendo transgredidos por puro sensacionalismo . Em todos esses casos, nossas crenças e valores determinam nossas ações e atitudes sem que eles sequer nos passem pela cabeça. Mas eles estão lá, profundamente arraigados e extremamente influentes. Enquanto estamos ocupados em trabalhar, pagar as contas ou divertir-nos, não vemos necessidade de questionar essas crenças e valores. Mas nada impede que, em determinado momento, façamos uma reflexão profunda sobre o significado desses valores e crenças fundamentais e sobre a sua consistência. É nesse estado de espírito que formularemos perguntas como: “O que é a realidade em si mesma?”, “O que há por trás daquilo que vejo, ouço e toco?”, “O que é o espaço? E o que é o tempo?”, “Se o que aconteceu há um centésimo de segundo já é passado, será que o presente não é uma ficção?”, “Será que tudo o que acontece é sempre antecedido por causas ?”, “O que é a felicidade? E como alcançá-la?”, “O que é o certo e o errado?”, “O que é a liberdade ?”. De onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? por Paul Gauguin , 1897/98, no Museu de Belas Artes de Boston Essas perguntas são tipicamente filosóficas e refletem algo que poderíamos chamar de atitude filosófica perante o mundo e perante nós mesmos. É a atitude de nos voltarmos para as nossas crenças mais fundamentais e esforçar-nos por compreendê-las, avaliá-las e justificá-las. Muitas delas parecem ser tão óbvias que ninguém em sã consciência tentaria sinceramente questioná-las. Poucos colocariam em questão máximas como “Matar é errado”, “A democracia é melhor que a ditadura ”, “A liberdade de expressão e de opinião é um valor indispensável”. Mas, a atitude filosófica não reconhece domínios fechados à investigação. Mesmo em relação a crenças e valores que consideramos absolutamente inegociáveis, a proposta da filosofia é a de submetê-los ao exame crítico, racional e argumentativo, de modo que a nossa adesão seja restabelecida em novo patamar. Em outras palavras, a proposta filosófica é a de que, se é para sustentarmos certas crenças e valores, que sejam sustentados de maneira crítica e refletida. Muitos autores identificam essa atitude filosófica com uma espécie de habilidade ou capacidade de se admirar com as coisas, por mais prosaicas que sejam. Na base da filosofia, estaria a curiosidade típica das crianças ou dos que não se contentam com respostas prontas. Platão , um dos pais fundadores da filosofia ocidental, afirmava que o sentimento de assombro ou admiração está na origem do pensamento filosófico: A admiração é a verdadeira característica do filósofo. Não tem outra origem a filosofia. — Platão, Teeteto . [ 28 ] Na mesma linha, afirmava Aristóteles : Os homens começam e sempre começaram a filosofar movidos pela admiração. — Aristóteles, Metafísica , I 2. [ 29 ] Embora essa capacidade de admirar-se com a realidade possa estar na origem do pensamento filosófico, isso não significa que tal admiração provoque apenas e tão somente filosofia. O sentimento religioso, por exemplo, pode igualmente surgir dessa disposição: a aparente perfeição da natureza , as sincronias dos processos naturais, a complexidade dos seres vivos podem causar profunda impressão no indivíduo e levá-lo a indagar se o responsável por tudo isso não seria uma Inteligência Superior. Uma paisagem que a todos parecesse comum e sem atrativos poderia atrair de modo singular o olho do artista e fazê-lo criar uma obra de arte que revelasse nuances que escaparam ao olhar comum. Analogamente, embora a queda de objetos seja um fenômeno corriqueiro, se nenhum cientista tivesse considerado esse fenômeno surpreendente ou digno de nota, não saberíamos nada a respeito da gravidade . Esses exemplos sugerem que, além de certa atitude em relação à nossa experiência da realidade, há um modo de interpelar a realidade e nossas crenças a seu respeito que diferenciariam essa investigação da religião , da arte e da ciência . Ao contrário da religião, que se estabelece entre outras coisas sobre textos sagrados e sobre a tradição, a filosofia recorre apenas à razão para estabelecer certas teses e refutar outras. Como já mencionado acima a filosofia não admite dogmas . Não há, em princípio, crenças que não estejam sujeitas ao exame crítico da filosofia. Disso não decorre um conflito irreconciliável entre a filosofia e a religião. Há filósofos que argumentam em favor de teses caras às religiões, como, por exemplo, a existência de Deus e a imortalidade da alma . Mas um argumento propriamente filosófico em favor da imortalidade da alma apresentará como garantias apenas as suas próprias razões: ele apelará somente ao assentimento racional, jamais à fé ou à obediência . [ 30 ] Os artistas assemelham-se aos filósofos em sua tentativa de desbanalizar a nossa experiência do mundo e alcançar assim uma compreensão mais profunda de nós mesmos e das coisas que nos cercam. Mas a forma em que apresentam seus resultados é bastante diferente. Os artistas recorrem à percepção direta e à intuição . [ 30 ] enquanto a filosofia tipicamente apresenta seus resultados de maneira argumentativa, lógica e abstrata. Mas, se essa insistência na razão diferencia a filosofia da religião e da arte, o que a diferenciaria das ciências, uma vez que também essas privilegiam uma abordagem metódica e racional dos fenômenos? A diferença é que os problemas tipicamente filosóficos não podem ser resolvidos por observação e experimentação . [ 30 ] Não há experimentos e observações empíricas que possam decidir qual seria a noção de “ direitos humanos ” mais adequada do ponto de vista da razão. O mesmo vale para outras noções, tais como “liberdade”, “justiça” ou “falta moral”. Não há como resolver em laboratório questões como: “quando tem início o ser humano?”, “os animais podem ser sujeitos de direitos?”, “em que medida o Estado pode interferir na vida dos cidadãos?”, “As entidades microscópicas postuladas pelas ciências têm o mesmo grau de realidade que os objetos da nossa experiência cotidiana (pessoas, animais, mesas, cadeiras, etc.)?”. Em resumo, quando um tópico é defendido ou criticado com argumentos racionais, e essa defesa ou ataque não pode contar com observações e experimentos para a sua solução, estamos diante de um debate filosófico. Pensamento mítico e pensamento filosófico Como em muitas outras sociedades antigas, as narrativas míticas desempenhavam uma função central na sociedade grega. Além de estabelecer marcos importantes na vida social, os mitos gregos promoviam uma concepção de mundo de natureza religiosa que propiciava respostas às principais indagações existenciais que desde sempre inquietaram o espírito humano. Os eventos históricos, os fenômenos naturais e os principais eventos da vida humana (nascimento, casamento, doença e morte) eram entrelaçados às histórias tradicionais sobre conflitos entre deuses , intercâmbios entre deuses e homens e feitos memoráveis de semideuses . Originalmente, a palavra grega mythos significava simplesmente palavra ou fala. [ 31 ] mas o termo remetia também à noção de uma palavra proferida com autoridade. [ 32 ] As histórias épicas de Homero , permeadas de intervenções sobrenaturais, ou a teogonia de Hesíodo eram mythos no sentido de serem anúncios revestidos de autoridade, dignos de crédito e reverência. Gradualmente, o termo foi assumindo outro sentido e já à época de Platão e Aristóteles o mythos era empregado para caracterizar histórias fictícias ou absurdas que se afastariam do logos - isto é, do discurso racional. [ 33 ] Aristóteles, por exemplo, considerava a filosofia como um empreendimento intelectual completamente distinto das elaborações mitológicas. Na Metafísica , ao tratar do problema da incorruptibilidade, Aristóteles menciona Hesíodo e, logo em seguida, descarta peremptoriamente suas opiniões, pois, segundo ele, “não precisamos perder tempo investigando seriamente as sutilezas dos criadores de mitos.” [ 34 ] Pode-se dizer que a filosofia surge como uma espécie de rompimento com a visão mítica do mundo. Enquanto os mitos se organizavam em narrações, imagens e seres particulares, a filosofia inaugurava o discurso argumentativo, abstrato e universal. Além disso, ao contrário dos autores de mitos, os filósofos gregos tentaram com afinco elaborar concepções de mundo que fossem isentas de contradições e imperfeições lógicas. Desse modo, não é sem razão que muitos autores enfatizam o caráter de ruptura e divergências ao comparar o advento da filosofia com a tradição mítica da Grécia antiga . Mas, embora sejam inegáveis as diferenças, mais recentemente vários estudiosos têm apontado os pontos de continuidade e semelhança entre as primeiras elucubrações filosóficas dos gregos e as suas concepções mitológicas. [ 35 ] Para esses autores, as peculiaridades da tradição mítica grega favoreceram o surgimento da filosofia grega e os primeiros filósofos empenharam-se numa espécie dessacralização e despersonalização das narrativas tradicionais sobre o surgimento e organização do cosmos. Filosofia antiga Ver artigo principal: Filosofia antiga e Filosofia clássica Babilônia Ver artigo principal: Filosofia babilônica Grécia Antiga Ver artigos principais: Pré-socráticos , Filosofia da Grécia Antiga e Lista de filósofos platônicos antigos A filosofia antiga teve início no século VI a.C. e se estendeu até a decadência do império romano no século V d.C. Pode-se dividi-la em quatro períodos: (1) o período dos pré-socráticos . (2) um período humanista, em que Sócrates e os sofistas trouxeram as questões morais para o centro do debate filosófico. (3) o período áureo da filosofia em Atenas , em que despontaram Platão e Aristóteles. (4) e o período helenístico . Às vezes, se distingue um quinto período, que compreende os primeiros filósofos cristãos e os neoplatonistas. [ 36 ] Os dois autores mais importantes da filosofia antiga em termos de influência posterior foram Platão e Aristóteles. Os primeiros filósofos gregos, geralmente chamados de pré-socráticos, dedicaram-se a especulações sobre a constituição e a origem do mundo. O principal intuito desses filósofos era descobrir um elemento primordial, eterno e imutável que fosse a matéria básica de todas as coisas. Essa substância imutável era chamada de physis (palavra grega cuja tradução literal seria natureza, mas que na concepção dos primeiros filósofos compreendia a totalidade dos seres, inclusive entidades divinas), [ 37 ] e, por essa razão, os primeiros filósofos também foram conhecidos como os physiologoi (literalmente “fisiólogos”, isto é, os filósofos que se dedicavam ao estudo da physis ). [ 38 ] A questão da essência material imutável foi a primeira feição assumida por uma inquietação que percorreu praticamente toda a filosofia grega. Essa inquietação pode ser traduzida na seguinte pergunta: existe uma realidade imutável por trás das mudanças caóticas dos fenômenos naturais? Já os próprios pré-socráticos propuseram respostas extremas a essa pergunta. Parmênides de Eleia defendeu que a perene mutação das coisas não passa de uma ilusão dos sentidos, pois a razão revelaria que o Ser é único, imutável e eterno. [ 39 ] Heráclito de Éfeso , por outro lado, defendeu uma posição diametralmente oposta: a própria essência das coisas é mudança, e seriam vãos os esforços para buscar uma realidade imutável. [ 40 ] Tais especulações, que combinavam a oposição entre realidade e aparência com a busca de uma matéria primordial, culminaram na filosofia atomista de Leucipo e Demócrito . Para esses filósofos a substância de todas as coisas seriam partículas minúsculas e invisíveis – os átomos – em perene movimentação no vácuo. E os fenômenos que testemunhamos cotidianamente são resultado da combinação, separação e recombinação desses átomos. A teoria de Demócrito representou o ápice da filosofia da physis , mas também o seu esgotamento. As transformações sociopolíticas, especialmente em Atenas, já impunham novas demandas aos sábios da época. A democracia ateniense solicitava novas habilidades intelectuais, sobretudo a capacidade de persuadir. É nesse momento que se destacam os filósofos que se dedicam justamente a ensinar a retórica e as técnicas de persuasão – os sofistas. O ofício dessa nova espécie de filósofos trazia como pressuposto a ideia de que não há verdades absolutas. O importante seria dominar as técnicas da boa argumentação, pois, dominando essas técnicas, o indivíduo poderia defender qualquer opinião, sem se preocupar com a questão de sua veracidade. De fato, para os sofistas, a busca da verdade era uma pretensão inútil. A verdade seria apenas uma questão de aceitação coletiva de uma crença, e, a princípio, não haveria nada que impedisse que o que hoje é tomado como verdade, amanhã fosse considerado uma tolice. [ 41 ] O contraponto a esse relativismo dos sofistas foi Sócrates. Embora partilhasse com os sofistas certa indiferença em relação aos valores tradicionais, Sócrates dedicou-se à busca de valores perenes. Sócrates não deixou nenhum registro escrito de suas ideias. Tudo o que sabemos dele chegou-nos através do testemunho de seus discípulos e contemporâneos. Segundo dizem, Sócrates teria defendido que a virtude é conhecimento e as faltas morais provêm da ignorância. [ 42 ] O indivíduo que adquirisse o conhecimento perfeito seria inevitavelmente bom e feliz. Por outro lado, essa busca simultânea do conhecimento e da bondade deve começar pelo exame profundo de si mesmo e das crenças e valores aceitos acriticamente. Segundo contam, Sócrates foi um inquiridor implacável e fez fama por sua habilidade de levar à exasperação os seus antagonistas. Ao concidadão que se dizia justo, Sócrates perguntava “O que é a justiça?”, e depois se dedicava a demolir todas as tentativas de responder à pergunta. A Morte de Sócrates , Jacques-Louis David , 1787, no Metropolitan Museum of Art A atitude de Sócrates acabou por lhe custar a vida. Seus adversários conseguiram levá-lo a julgamento por impiedade e corrupção de jovens. Sócrates foi condenado à morte – mais especificamente, a envenenar-se com cicuta . Segundo o relato de Platão, o seu mais famoso discípulo, Sócrates cumpriu a sentença com absoluta serenidade e destemor. Coube a Platão levar adiante os ensinamentos do mestre e superá-los. Platão realiza a primeira grande síntese da filosofia grega. Em seus diálogos , combinam-se as antigas questões dos pré-socráticos com as urgentes questões morais e políticas, o discurso racional com a intuição mística, a elucubração lógica com a obra poética, os mitos com a ciência. Segundo Platão, os nossos sentidos só nos permitem perceber uma natureza caótica, em que as mudanças e a diversidade aparentam não obedecer a nenhum princípio regulador. mas a razão, ao contrário, é capaz de ir além dessas aparências e captar as formas imutáveis que são as causas e modelos de tudo o que existe. A geometria fornece um bom exemplo. Ao demonstrar seus teoremas os geômetras empregam figuras imperfeitas. Por mais acurado que seja o compasso , os desenhos de círculos sempre conterão irregularidades e imperfeições. As figuras sensíveis do círculo estão sempre aquém de seu modelo – e esse modelo é a própria ideia de círculo, concebível apenas pela razão. O mesmo ocorre com os demais seres: os cavalos que vemos são todos diferentes entre si, mas há um princípio unificador – a ideia de cavalo – que nos faz chamar a todos de cavalos. Com os valores, não seria diferente. As diferentes opiniões sobre questões morais e estéticas devem-se a uma visão empobrecida das coisas. Os que empreenderem uma busca sincera alcançarão a concepção do Belo em si mesmo e do Bem em si mesmo. Ao contrário do que o termo 'ideias' possa sugerir, Platão não as considera como meras construções psicológicas. ao contrário, ele lhes atribui realidade objetiva. As ideias constituem um mundo suprassensível – ou seja, uma dimensão que não podemos ver e tocar, mas que podemos captar como os “olhos” da razão. Essa é a famosa teoria das ideias de Platão. Ele a ilustra numa alegoria igualmente célebre – a alegoria da caverna . Platão nos convida a imaginar uma caverna em que se acham vários prisioneiros. Eles estão amarrados de tal maneira que só podem ver a parede do fundo da caverna. Às costas dos prisioneiros há um muro da altura de um homem. Por trás desse muro, transitam várias pessoas carregando estátuas de diversas formas – todas elas são réplicas de coisas que vemos cotidianamente (árvores, pássaros, casas etc.). Há também uma grande fogueira, atrás desse muro e dos carregadores. A luz da fogueira faz com que as sombras das estátuas sejam projetadas sobre o fundo da parede. Os barulhos e falas dos carregadores reverberam no fundo da caverna, dando aos prisioneiros a impressão de que são oriundos das sombras que eles veem. Nessa situação imaginária, os prisioneiros pensariam que as sombras e os ecos constituem tudo o que existe. Como nunca puderam ver nada além das sombras projetadas na parede da caverna, acreditam que apenas as sombras são reais. Após apresentar esse cenário, Platão sugere que, se um desses prisioneiros conseguisse se libertar, veria, com surpresa, que as estátuas que sempre estiveram atrás dos prisioneiros são mais reais do que aquelas sombras. Ao sair da caverna, a luz o ofuscaria. mas, após se acostumar com a claridade, veria que as coisas da superfície são ainda mais reais do que as estátuas. Esse prisioneiro que se liberta é o filósofo, e a sua jornada em direção à superfície representa a o percurso da razão em sua lenta ascensão ao conhecimento perfeito. A Escola de Atenas representa os mais importantes filósofos, matemáticos e cientistas da Antiguidade por Rafael , 1509, nos Museus Vaticanos Aristóteles, discípulo de Platão e preceptor de Alexandre, o Grande , rejeitou a teoria das ideias. Para ele, a hipótese de uma realidade separada e independente, constituída apenas por entidades inteligíveis, era uma duplicação do mundo absolutamente desnecessária. [ 43 ] Na visão de Aristóteles, a essência de uma coisa não consiste numa ideia suplementar e separada, mas numa forma que lhe é imanente. Essa forma imanente é o que dá organização e estrutura à matéria, e propicia, no caso dos organismos vivos, o seu desenvolvimento conforme a sua essência. Aristóteles também divergiu de Platão sobre o valor da experiência na aquisição do conhecimento. Enquanto na filosofia platônica, há uma perene desconfiança em relação ao saber derivado dos sentidos, na filosofia aristotélica o conhecimento adquirido pela visão, audição, tato etc. é considerado como o ponto de partida do empreendimento científico. Aristóteles foi um pesquisador infatigável, e seus interesses abarcavam praticamente todas as áreas do conhecimento. Foi o fundador da biologia . e o criador da lógica como disciplina. Fez contribuições originais e duradouras em metafísica e teologia, ética e política, psicologia e estética. Além de ter contribuído nas mais diversas disciplinas, Aristóteles realizou a primeira grande sistematização das ciências, organizando-as conforme seus métodos e abrangência. Em cada uma das disciplinas que criou, ou ajudou a criar, Aristóteles cunhou uma terminologia que até hoje está presente no vocabulário científico e filosófico: como exemplos, podem-se mencionar as palavras substância, categoria, energia, princípio e forma. [ 44 ] Na transição do século IV para o século III a.C. , durante o período helenístico, formam-se duas escolas filosóficas cujos ensinamentos representam uma clara mudança de ênfase em relação à Academia de Platão e à escola peripatética de Aristóteles. Sua preocupação é principalmente a redenção pessoal. Tanto para Epicuro (ca.341-270 a.C.) e seus seguidores como para Zenão de Cítio e demais estoicos o principal objetivo da filosofia deveria ser a obtenção da serenidade de espírito. As duas escolas também se assemelham na crença de que esse objetivo passa por uma espécie de harmonização entre o indivíduo e a natureza, mas divergem quanto à forma de se realizar essa harmonização. Para Epicuro, a sintonia com a natureza supõe a aceitação das necessidades e desejos naturais e dos prazeres sensoriais. Dessa forma, ele preconiza a fruição moderada dos prazeres e a comedida gratificação dos desejos. [ 45 ] Os estoicos, por outro lado, sustentavam a crença de que o cosmos e os seres humanos partilhavam do mesmo logos divino. O ideal filosófico de vida seria, na concepção dos estoicos, a adesão à necessidade racional da natureza e o desenvolvimento de uma absoluta imperturbabilidade ( ataraxia ) em relação aos fatos e eventos do mundo. [ 46 ] A Antiguidade tardia viu, ainda, o florescimento de uma nova interpretação do platonismo, de acentuada tendência mística – o chamado Neoplatonismo. Seu principal representante, Plotino (205-270), defendeu que o princípio fundamental e divino do universo seria o Uno e que desse princípio fundamental emanavam novas realidades, de diferentes graus de perfeição. O universo material e sensível – o 'mundo das sombras' da alegoria platônica – seria uma emanação distante do Uno, e, por isso, apresentaria os traços de imperfeição e inconstância que o caracterizam. [ 47 ] Império Romano Ver artigos principais: Filosofia greco-romana e Filosofia na Roma Antiga O pensamento filosófico no Império Romano foi basicamente um prolongamento da filosofia helenística /grega. Influenciados pelo estoicismo e pelo epicurismo , seus filósofos preocupavam-se principalmente com moral e ética . Alguns de seus maiores nomes foram Sêneca , Epiteto e o imperador Marco Aurélio . África Ver artigo principal: Filosofia africana Ver também: Filosofia no Egito Antigo A filosofia desenvolvida no Antigo Egito caracterizava-se pela flexibilidade, pragmatismo e a busca pelo controle das emoções . [ 48 ] De modo geral, a filosofia africana foi fortemente influenciada pela filosofia helenística (na Idade Antiga ), pelas filosofias cristã (antiguidades clássica e tardia) e islâmica (desde o período medieval ). Filosofia oriental Ver artigo principal: Filosofia oriental China Ver artigos principais: Filosofia chinesa e Taoismo O filósofo K'ung-fu-tzu ( Confúcio , 551 a.C. – 479 a.C. ) desenvolveu o sistema filosófico-religioso do Confucionismo . Este, valoriza os preceitos da bondade , cortesia , moral, integridade , fidelidade e honra . [ 49 ] Outros filósofos importantes foram: Mozi ( 470 a.C. - 391 a.C. ), fundador do Moísmo que enfatiza o pragmatismo . Chuang-Tzu : ( 369 a.C. - 286 a.C. ) considerado um precursor do antinomismo , anarquismo , multiculturalismo e relatividade e, que criticava tanto confucionistas quanto moístas. Índia Ver artigo principal: Filosofia hindu Adi Shankara 1904, por Raja Ravi Varma O período entre o quinto e nono século d.C foi a mais brilhante época no desenvolvimento da filosofia indiana, hindu e budista, filosofias que floresceram lado a lado. [ 50 ] Destas várias escolas de pensamento, a não-dualista Advaita Vedanta emergiu como a mais influente [ 50 ] e a escola mais dominante. [ 50 ] Os principais filósofos dessa escola foram Gaudapada, Adi Shankara e Vidyaranya. Advaita Vedanta rejeita o teísmo e o dualismo, insistindo que Brahma a realidade final é sem partes ou atributos... um sem um segundo. Uma vez que Brahma não tem propriedades, não contém diversidade interna e é idêntico com o conjunto da realidade, não pode ser entendido como Deus. [ 50 ] Brahma apesar de ser indescritível é melhor descrito como Satchidananda (Existência, Consciência e Bem-Aventurança) por Shankara . Advaita inaugurou uma nova era na filosofia indiana e, como resultado, muitas novas escolas de pensamento surgiram no período medieval. Filosofia medieval Ver artigos principais: Filosofia medieval e História da filosofia ocidental Europa Ver artigos principais: Filosofia cristã , Filosofia platônica-cristã , Filosofia bizantina e Visão de mundo cristã São Tomás de Aquino , por Carlo Crivelli , século XV, na National Gallery A filosofia medieval é a filosofia da Europa ocidental , oriental ( Império Bizantino ) e do Oriente Médio durante a Idade Média . Começa, aproximadamente, com a cristianização do Império Romano e encerra-se com a Renascença . A filosofia medieval pode ser considerada, em parte, como prolongamento da filosofia greco-romana [ 51 ] e, em parte, como uma tentativa de conciliar o conhecimento secular e a doutrina sagrada. [ 52 ] A Idade Média carregou por muito tempo o epíteto depreciativo de 'idade das trevas', atribuído pelos humanistas renascentistas . e a filosofia desenvolvida nessa época padeceu do mesmo desprezo. No entanto, essa era de aproximadamente mil anos foi o mais longo período de desenvolvimento filosófico na Europa e um dos mais ricos. Jorge Gracia defende que “em intensidade, sofisticação e aquisições, pode-se corretamente dizer que o florescimento filosófico no século XIII rivaliza com a época áurea da filosofia grega no século IV a. C.”. [ 53 ] Entre os principais problemas discutidos nessa época estão a relação entre fé e razão, a existência e unidade de Deus, o objeto da teologia e da metafísica, os problemas do conhecimento, dos universais e da individualização. Entre os filósofos medievais do ocidente, merecem destaque Agostinho de Hipona , Boécio , Anselmo de Cantuária , Pedro Abelardo , Alberto Magno , Roger Bacon , Boaventura de Bagnoregio , Tomás de Aquino , João Duns Escoto , Guilherme de Ockham , Hugo de São Vitor , Eckhart de Hochheim e Raimundo Lúlio . no oriente os bizantinos Prisco de Pânio , Leão, o Matemático e Miguel Pselo . na civilização islâmica, Avicena , Averrois , Avempace , Alfarábi , Al-Kindi e Al-Ghazali . entre os judeus, Moisés Maimônides ( ver: Filosofia judaica ). Tomás de Aquino (1225-1274), fundador do tomismo , exerceu influência inigualável na filosofia e na teologia medievais. Em sua obra, ele deu grande importância à razão e à argumentação, e procurou elaborar uma síntese entre a doutrina cristã e a filosofia aristotélica. A filosofia de Tomás de Aquino representou uma reorientação significativa do pensamento filosófico medieval, até então muito influenciado pelo neoplatonismo e sua reinterpretação agostiniana. Oriente Médio Ver artigos principais: Filosofia islâmica e Filosofia islâmica clássica No pensamento islâmico, o que se refere à filosofia durante a ' idade de ouro islâmica ', tradicionalmente datada entre os séculos 8 e 12, pode-se distinguir duas correntes principais. A primeira é a Kalam , que tratou principalmente de teologia islâmica. Estas incluem as Mu'tazili e Ash'ari . A outra é Falsafa, que foi fundada em interpretações do aristotelismo e neoplatonismo . Houve tentativas por filósofos-teólogos posteriores a harmonizar ambas as tendências, nomeadamente através de Avicena que fundou a escola do Avicennismo entre outros. Filosofia do Renascimento Ver artigo principal: Filosofia do Renascimento O Homem vitruviano , de Leonardo Da Vinci , resume vários dos ideais do pensamento renascentista. A transição da Idade Média para a Idade Moderna foi marcada pelo Renascimento e pelo Humanismo . [ 54 ] Nesse período de transição, a redescoberta de textos da Antiguidade [ 55 ] contribuiu para que o interesse filosófico saísse dos estudos técnicos de lógica , metafísica e teologia e se voltasse para estudos ecléticos nas áreas da filologia , da moralidade e do misticismo . Os estudos dos clássicos e das letras receberam uma ênfase inédita e desenvolveram-se de modo independente da escolástica tradicional. A produção e disseminação do conhecimento e das artes deixam de ser uma exclusividade das universidades e dos acadêmicos profissionais, e isso contribui para que a filosofia vá aos poucos se desvencilhando da teologia. Em lugar de Deus e da religião, o conceito de homem assume o centro das ocupações artísticas, literárias e filosóficas. [ 56 ] O renascimento revigorou a concepção da natureza como um todo orgânico, sujeito à compreensão e influência humanas. De uma forma ou de outra, essa concepção está presente nos trabalhos de Nicolau de Cusa , Giordano Bruno , Bernardino Telesio e Galileu Galilei . Essa reinterpretação da natureza é acompanhada, em muitos casos, de um intenso interesse por magia , hermetismo e astrologia – considerados então como instrumentos de compreensão e manipulação da natureza. À medida que a autoridade eclesial cedia lugar à autoridade secular e que o foco dos interesses voltava-se para a política em detrimento da religião, as rivalidades entre os Estados nacionais e as crises internas demandavam não apenas soluções práticas emergenciais, mas também uma profunda reflexão sobre questões pertinentes à filosofia política . Desse modo, a filosofia política, que por vários séculos esteve dormente, recebeu um novo impulso durante o Renascimento. Nessa área, destacam-se as obras de Nicolau Maquiavel e Jean Bodin . [ 57 ] Filosofia moderna Ver artigo principal: Filosofia do século XVII , Filosofia moderna e Iluminismo René Descartes , fundador da filosofia moderna e do racionalismo. por Frans Hals , c. 1649-1700, no Museu do Louvre A filosofia moderna é caracterizada pela preponderância da epistemologia sobre a metafísica . A justificativa dos filósofos modernos para essa alteração estava, em parte, na ideia de que, antes de querer conhecer tudo o que existe, seria conveniente conhecer o que se pode conhecer. [ 58 ] Geralmente considerado como o fundador da filosofia moderna, [ 59 ] o cientista, matemático e filósofo francês René Descartes (1596-1650) redirecionou o foco da discussão filosófica para o sujeito pensante. O projeto de Descartes era o de assentar o edifício do conhecimento sobre bases seguras e confiáveis. Para tanto, acreditava ele ser necessário um procedimento prévio de avaliação crítica e severa de todas as fontes do conhecimento disponível, num procedimento que ficou conhecido como dúvida metódica . Segundo Descartes, ao adotar essa orientação, constatamos que resta como certeza inabalável a ideia de um eu pensante: mesmo que o sujeito ponha tudo em dúvida, se ele duvida, é porque pensa. e, se pensa, é porque existe. Essa linha de raciocínio foi celebrizada pela fórmula “ penso, logo existo ” ( cogito ergo sum ). [ 60 ] [ 61 ] A partir dessa certeza fundamental, Descartes defendia ser possível deduzir rigorosamente, ao modo de um geômetra, outras verdades fundamentais acerca do sujeito, da natureza do conhecimento e da realidade. No projeto cartesiano estão presentes três pressupostos básicos: (1) a matemática , ou o método dedutivo adotado pela matemática, é o modelo a ser seguido pelos filósofos. (2) existem ideias inatas, absolutamente verdadeiras, que de alguma forma estão desde sempre inscritas no espírito humano. (3) a descoberta dessas ideias inatas não depende da experiência – elas são alcançadas exclusivamente pela razão. Esses três pressupostos também estão presentes nas filosofias de Gottfried Wilhelm Leibniz (1646-1716), Christian Wolff (1679-1754) e Baruch Spinoza (1632-1677), e constituem a base do movimento filosófico denominado racionalismo . [ 62 ] Se os racionalistas priorizavam o modelo matemático, a filosofia antagônica – o empirismo – enfatizava os métodos indutivos das ciências experimentais. O filósofo John Locke (1632-1704) propôs a aplicação desses métodos na investigação da própria mente humana. Em patente confronto com os racionalistas, Locke argumentou que a mente chega ao mundo completamente vazia de conteúdo – é uma espécie de lousa em branco ou tabula rasa . e todas as ideias com que ela trabalha são necessariamente originárias da experiência. [ 63 ] Esse pressuposto também é adotado pelos outros dois grandes filósofos do empirismo britânico, George Berkeley (1685-1753) e David Hume (1711-1776). John Locke influenciou também a filosofia política, sendo um dos principais teóricos na base do conceito moderno de democracia liberal. [ 64 ] As ideias do empirismo inglês também se difundiram na França. e o entusiasmo com as novas ciências levou os intelectuais franceses a defender uma ampla reforma cultural, que remodelasse não só a forma de se produzir conhecimento, mas também as formas de organização social e política. Esse movimento amplo e contestatório ficou conhecido como Iluminismo . Os filósofos iluministas rejeitavam qualquer forma de crença que se baseasse apenas na tradição e na autoridade, em especial as divulgadas pela Igreja Católica . Um dos marcos do Iluminismo francês foi a publicação da Encyclopédie . Elaborada sob a direção de Jean le Rond d’Alembert e Denis Diderot , essa obra enciclopédica inovadora incorporou vários dos valores defendidos pelos iluministas e contou com a colaboração de vários de seus nomes mais destacados, como Voltaire , Montesquieu e Rousseau . Em 1781, Immanuel Kant publicou a sua famosa Crítica da Razão Pura , em que propõe uma espécie de síntese entre as teses racionalistas e empiristas. Segundo Kant, apesar de o nosso conhecimento depender de nossas percepções sensoriais, essas não constituem todo o nosso conhecimento, pois existem determinadas estruturas do sujeito que as antecedem e tornam possível a própria formação da experiência. O espaço, por exemplo, não é uma realidade que passivamente assimilamos a partir de nossas impressões sensoriais. Ao contrário, somos nós que impomos uma organização espacial aos objetos. Do mesmo modo, o sujeito não aprende, após inúmeras experiências, que todas as ocorrências pressupõem uma causa. antes, é a estrutura peculiar do sujeito que impõe aos fenômenos uma organização de causa e efeito. Uma das consequências da filosofia kantiana é estabelecer que as coisas em si mesmas não podem ser conhecidas. A fronteira de nosso conhecimento é delineada pelos fenômenos , isto é, pelos resultados da interação da realidade objetiva com os esquemas cognitivos do sujeito. Filosofia do século XIX Ver artigo principal: Filosofia do século XIX Geralmente se considera que depois da filosofia de Kant tem início uma nova etapa da filosofia, que se caracterizaria por ser uma continuação e, simultaneamente, uma reação à filosofia kantiana. Nesse período desenvolve-se o idealismo alemão ( Fichte , Schelling e Hegel ), que leva as ideias kantianas às últimas consequências. A noção de que há um universo inteiro (a realidade em si mesma) inalcançável ao conhecimento humano, levou os idealistas alemães a assimilar a realidade objetiva ao próprio sujeito no intuito de resolver o problema da separação fundamental entre sujeito e objeto. Assim, por exemplo, Hegel postulou que o universo é espírito. O conjunto dos seres humanos, sua história, sua arte, sua ciência e sua religião são apenas manifestações desse espírito absoluto em sua marcha dinâmica rumo ao autoconhecimento. [ 65 ] Enquanto na Alemanha , o idealismo apoderava-se do debate filosófico, na França, Auguste Comte retomava uma orientação mais próxima das ciências e inaugurava o positivismo e a sociologia . Na visão de Comte, a humanidade progride por três estágios : o estágio teológico, o estágio metafísico e, por fim, o estágio positivo. No primeiro estágio, as explicações são dadas em termos mitológicos ou religiosos. no segundo, as explicações tornam-se abstratas, mas ainda carecem de cientificidade. no terceiro estágio, a compreensão da realidade se dá em termos de leis empíricas de “sucessão e semelhança” entre os fenômenos. [ 66 ] Para Comte, a plena realização desse terceiro estágio histórico, em que o pensamento científico suplantaria todos os demais, representaria a aquisição da felicidade e da perfeição. [ 67 ] Também no campo do desenvolvimento histórico, Marx e Engels davam uma nova formulação ao socialismo . Eles fazem uma releitura materialista da dialética de Hegel no intuito de analisar e condenar o sistema capitalista . Desenvolvem a teoria da mais-valia , segundo a qual o lucro dos capitalistas dependeria inevitavelmente da exploração do proletariado. Sustentam que o estado, as formas político-institucionais e as concepções ideológicas formavam uma superestrutura construída sobre a base das relações de produção [ 68 ] e que as contradições resultantes entre essa base econômica e a superestrutura levariam as sociedades inevitavelmente à revolução e ao socialismo. No campo da ética, os filósofos ingleses Jeremy Bentham (1748-1832) e John Stuart Mill (1806-1873) elaboram os princípios fundamentais do utilitarismo . [ 69 ] Para eles, o valor ético não é algo intrínseco à ação realizada. esse valor deve ser mensurado conforme as consequências da ação, pois a ação eticamente recomendável é aquela que maximiza o bem-estar na coletividade. Talvez a teoria que maior impacto filosófico provocou no século XIX não tenha sido elaborada por um filósofo. Ao propor sua teoria da evolução das espécies por seleção natural , Charles Darwin (1809-1882) estabeleceu as bases de uma concepção de mundo profundamente revolucionária. O filósofo que melhor percebeu as sérias implicações da teoria de Darwin para todos os campos de estudo foi Herbert Spencer (1820-1903). Em várias publicações, Spencer elaborou uma filosofia evolucionista que aplicava os princípios da teoria da evolução aos mais variados assuntos, especialmente à psicologia, ética e sociologia. Também no século XIX surgem filósofos que colocam em questão a primazia da razão e ressaltam os elementos voluntaristas e emotivos do ser humano e de suas concepções de mundo e sociedade. Entre esses destacam-se Arthur Schopenhauer (1788-1860), Søren Kierkgaard (1813-1855) e Friedrich Nietzsche (1844-1900). Tomando como ponto de partida a filosofia kantiana, Schopenhauer defende que o mundo dos fenômenos – o mundo que representamos em ideias e que julgamos compreender – não passa de uma ilusão e que a força motriz por trás de todos os nossos atos e ideias é uma vontade cega, indomável e irracional. Kierkgaard condena todas as grandes elaborações sistemáticas, universalizantes e abstratas da filosofia. Considerado um precursor do existencialismo, Kierkgaard enfatiza que as questões prementes da vida humana só podem ser superadas por uma atitude religiosa. essa atitude, no entanto, demanda uma escolha individual e passional contra todas as evidências, até mesmo contra a razão. [ 70 ] Nietzsche, por sua vez, anuncia que “ Deus está morto ”. e declara, portanto, a falência de todas as concepções éticas, políticas e culturais que se assentam na doutrina cristã. Em substituição aos antigos valores, Nietzsche prescreve um projeto de vida voluntarista aos mais nobres, mais capazes, mais criativos - em suma, àqueles em que fosse mais forte a vontade de potência . [ 71 ] Filosofia do século XX Ver artigo principal: Filosofia do século XX Edmund Husserl , o pai da Fenomenologia No século XX, a filosofia tornou-se uma disciplina profissionalizada das universidades, semelhante às demais disciplinas acadêmicas. Desse modo, tornou-se também menos geral e mais especializada. Na opinião de um proeminente filósofo: “A filosofia tem se tornado uma disciplina altamente organizada, feita por especialistas para especialistas. O número de filósofos cresceu exponencialmente, expandiu-se o volume de publicações e multiplicaram-se as subáreas de rigorosa investigação filosófica. Hoje, não só o campo mais amplo da filosofia é demasiadamente vasto para uma única mente, mas algo similar também é verdadeiro em muitas de suas subáreas altamente especializadas.” [ 72 ] Nos países de língua inglesa, a filosofia analítica tornou-se a escola dominante. Na primeira metade do século, foi uma escola coesa, fortemente modelada pelo positivismo lógico , unificada pela noção de que os problemas filosóficos podem e devem ser resolvidos por análise lógica. Os filósofos britânicos Bertrand Russell e George Edward Moore são geralmente considerados os fundadores desse movimento. Ambos romperam com a tradição idealista que predominava na Inglaterra em fins do século XIX e buscaram um método filosófico que se afastasse das tendências espiritualistas e totalizantes do idealismo. Moore dedicou-se a analisar crenças do senso comum e a justificá-las diante das críticas da filosofia acadêmica. Russell, por sua vez, buscou reaproximar a filosofia da tradição empirista britânica e sintonizá-la com as descobertas e avanços científicos. Ao elaborar sua teoria das descrições definidas , Russell mostrou como resolver um problema filosófico empregando os recursos da nova lógica matemática . A partir desse novo modelo proposto por Russell, vários filósofos se convenceram de que a maioria dos problemas da filosofia tradicional, se não todos, não seriam nada mais que confusões propiciadas pelas ambiguidades e imprecisões da linguagem natural. Quando tratados numa linguagem científica rigorosa, esses problemas revelar-se-iam como simples confusões e mal-entendidos. Ludwig Wittgenstein , o mais importante filósofo analítico do século XX Uma postura ligeiramente diferente foi adotada por Ludwig Wittgenstein , discípulo de Russell. Segundo Wittgenstein, os recursos da lógica matemática serviriam para revelar as formas lógicas que se escondem por trás da linguagem comum. Para Wittgenstein, a lógica é a própria condição de sentido de qualquer sistema linguístico. [ 73 ] Essa ideia está associada à sua teoria pictórica do significado, segundo a qual a linguagem é capaz de representar o mundo por ser uma figuração lógica dos estados de coisas que compõem a realidade. Sob a inspiração dos trabalhos de Russell e de Wittgenstein, o Círculo de Viena passou a defender uma forma de empirismo que assimilasse os avanços realizados nas ciências formais, especialmente na lógica. Essa versão atualizada do empirismo tornou-se universalmente conhecida como neopositivismo ou positivismo lógico. O Círculo de Viena consistia numa reunião de intelectuais oriundos de diversas áreas (filosofia, física, matemática, sociologia, etc.) que tinham em comum uma profunda desconfiança em relação a temas de teor metafísico. Para esses filósofos e cientistas, caberia à filosofia elaborar ferramentas teóricas aptas a esclarecer os conceitos fundamentais das ciências e revelar os pontos de contatos entre os diversos ramos do conhecimento científico. Nessa tarefa, seria importante mostrar, entre outras coisas, como enunciados altamente abstratos das ciências poderiam ser rigorosamente reduzidos a frases sobre a nossa experiência imediata. [ 74 ] Fora dos países de língua inglesa, floresceram diferentes movimentos filosóficos. Entre esses destacam-se a fenomenologia, a hermenêutica , o existencialismo e versões modernas do marxismo . Para Edmund Husserl , o traço fundamental dos fenômenos mentais é a intencionalidade . A estrutura da intencionalidade é constituída por dois elementos: noesis e noema . O primeiro elemento é o ato intencional. e o segundo é o objeto do ato intencional. A ciência da fenomenologia trata do significado ou da essência dos objetos da consciência. A fim de revelar a estrutura da consciência, o fenomenólogo deve pôr entre parêntesis a realidade empírica. Segundo Husserl, os procedimentos fenomenológicos desvelam o ego transcendental – que é a própria base e fonte de unidade do eu empírico. [ 75 ] Coube a um dos alunos de Husserl, o filósofo alemão Martin Heidegger (1889-1976), construir uma filosofia que mesclasse a fenomenologia, a hermenêutica e o existencialismo. O ponto de partida de Heidegger foi a questão clássica da metafísica: 'o que é o ser?'. Mas, na abordagem de Heidegger, a resposta a essa questão passa por uma análise dos modos de ser do ser humano – que foi por ele denominado Dasein (Ser-aí). O Dasein é o único ser que pode se admirar com a sua própria existência e indagar o sentido de seu próprio ser. O modo de existir do Dasein está intimamente conectado com a história e a temporalidade e, em vista disso, questões sobre autenticidade, cuidado, angústia , finitude e morte tornam-se temas centrais na filosofia de Heidegger. [ 75 ] No final do século XVIII houve a fundação da escola tradicionalista, conhecida como conservadorismo tradicionalista, 'conservadorismo tradicional', tradicionalismo , conservadorismo burkeano , conservadorismo clássico ou (no Reino Unido e Canadá ) torismo (de Tory ), que descreve uma filosofia política enfatizando a necessidade de aplicação dos princípios da lei natural e transcendentes morais: ordem, tradição , hierarquia e unidade orgânica, classicismo e alta cultura, e as esferas de intersecção de lealdade. [ 76 ] Alguns tradicionalistas abraçaram os rótulos de ' reacionário ' e ' contrarrevolucionário ', desafiando o estigma que acompanha estes termos desde o Iluminismo. Este estigma acompanha o Tradicionalismo desde seu desenvolvimento na Europa do século XVIII, principalmente em resposta à Guerra Civil Inglesa e da Revolução Francesa . Em meados do século XX, a escola tradicionalista começou a organizar-se a sério como uma força intelectual e política. Esta expressão mais moderna do conservadorismo tradicionalista começou entre um grupo de professores universitários dos EUA (rotulado de ' novos conservadores ' pela imprensa popular) que rejeitou as noções de individualismo , o liberalismo , a modernidade e o progresso social , promoveu a renovação cultural e educacional, e reavivou o interesse na Igreja , a família , o Estado , comunidade local, etc. [ 77 ] Movimentos filosóficos da atualidade Ver também: Filosofia pós-moderna Filosofia clínica A filosofia clínica é um termo utilizado para definir diversos conceitos filosóficos, voltado à 'terapia da alma', usando o potencial prático da filosofia como recurso terapêutico para indivíduos, organizações ou empresas através de consultas individuais, discussões de grupo, seminários, palestras, viagens ou cafés filosóficos. No Brasil o termo está fortemente vinculado ao movimento realizado pelo filósofo Lúcio Packter e vem sendo apontado como uma ferramenta terapêutica de grande monta. [ 78 ] Ver também Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema: Definições no Wikcionário Livros e manuais no Wikilivros Citações no Wikiquote Textos originais no Wikisource Imagens e media no Commons Commons Wikisource Wikiquote Wikilivros Wikcionário Anti-intelectualismo Artes liberais Conhecimento Cosmovisão Filosofia Portuguesa História da filosofia no Brasil História das ideias História das mentalidades História intelectual Intelectualismo Metafilosofia Mulheres na filosofia Sabedoria Referências ↑ [in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-20 13:49:01]. Disponível na Internet: http://www.infopedia.pt/$filosofia ] ↑ Priberam ↑ a b c Teichman, J.. Evans, K. C. Philosophy: a beginner's guide . 3rd ed. Oxford: Blackwell. ↑ a b Chauí, Marilena. Convite à Filosofia . pág. 19. ↑ (em francês ) R. Bödéus, 'philosophía', in (dir.) Jacob, André, Encyclopédie philosophique universelle , vol. 2: Les notions philosophiqe , tome 2, Paris, PUF. ↑ (em francês ) Alquié, F., Signification de la philosophie , Paris, 1971. ↑ Simmel, Georg. 'On the nature of philosophy'. In: A Collection of Essays. pág. 282 . ↑ Metafísica , Livro I, capítulo 2. Na edição da coleção Os Pensadores de 1973 (1.ª ed.), o trecho encontra-se à pág. 213. ↑ a b c d e Ferrater-Mora, José. Dicionário de Filosofia . São Paulo: Loyola, 2.a ed., 2005. Tomo II. pp. 1044-1050 . ↑ Lindberg, D. The beginnings of western science . Chicago: University of Chicago Press, 2007. ISBN 9780226482057 . p. 242. ↑ “Philosophia est rerum humanarum divinarumque cognitio cum studio bene vivendi coniuncta.” Etymologiae . Tradução para o inglês: The etimologies of Isidore of Seville . Cambridge: C.U.P. p. 79 . ↑ Ver, por exemplo, o aforismo III do Novum Organum : 'Ciência e poder do homem coincidem, uma vez que, sendo a causa ignorada, frustra-se o efeito. Pois a natureza não se vence, se não quando se lhe obedece. E o que à contemplação apresenta-se como causa é regra na prática' (São Paulo: Nova Cultural, 1999. Coleção 'Os Pensadores'). ↑ Descartes, R. Princípios da Filosofia . Lisboa: Edições 70. p. 22. ↑ Quinton, Anthonny. Filosofia . Crítica: revista de filosofia . Acesso em 26/01/2011. ↑ Prado Jr., Caio. O que é filosofia . São Paulo: Brasiliense, 1981 ↑ Strawson, Peter. Filosofia como Gramática Conceptual . Acesso em 06/12/2010 ↑ Russell, B. Os problemas da filosofia . Capítulo 15 . ↑ Popper, K. Conjecturas e Refutações . 3a. ed. Brasilia: EdUnB, 1994. Cap. 4, 'Retorno aos Pré-Socráticos', pp. 163s. ↑ Steup, M. The Analysis of Knowledge . Stanford Encyclopedia of Philosophy . Acesso em: 28/01/2011. ↑ Broad, C. D. Some Methods of Speculative Philosophy . Acesso em 28/01/2011. ↑ Blackburn, S. Pense : uma introdução à filosofia. Lisboa: Gradiva, 2001. ISBN 9789726627906 . Cap. 2. ↑ Bunnin, N.. Yu, J (eds.) The Blackwell dictionary of Western philosophy . Blackwell, 2004. Blackwell Reference Online . Acesso: 12 de março de 2011. ↑ a b c d e Solomon, R. C. & Higgins, K. M. The big questions: a short introduction to philosophy . p. 7 . ↑ Copi, I. M. Introdução à lógica . 2.ª ed. São Paulo: Mestre Jou, 1978. p. 19. ↑ Bailey, Andrew. First philosophy : values and society. Broadview Press, 2004. ISBN 9781551116570 . p. 1. ↑ Morente, M. G. Fundamentos de filosofia : lições preliminares. São Paulo: Mestre Jou, 1980. cap. 1 . ↑ Huisman, Denis & Vergez, André. Curso moderno de filosofia : introdução à filosofia das ciências. Rio de Janeiro: Livraria Freitas Bastos, 1980. p. 155-158 . ↑ Versão eletrônica do diálogo platônico Teeteto . p. 16. ↑ Aristotle, Metaphysics . The Internet Classics Archive . ↑ a b c Magee, Bryan. História da Filosofia . São Paulo: Edições Loyola, 2001. pp. 7-9 ↑ Coupe, Laurence. Myth . 2nd. ed. London. New York: Routledge, 2009. p. 9. ISBN 9780415442848 ↑ Morgan, Katheryn. Myth and Philosophy . Cambridge: Cambridge University Press, 2004. p. 17. ISBN 0521621801 ↑ Vernant, Jean-Pierre. Myth and Society in Ancient Greece . London: Methuen, 1982: 'o conceito de mito peculiar à antiguidade clássica tornou-se, assim, claramente definido pela oposição entre mythos e logos , desde então vistos como termos separados e contrastantes' (p. 187). ↑ Aristóteles. Metafísica , III, 4. ↑ Reale, Giovanni. Antiseri, Dario. História da Filosofia . São Paulo: Paulus, 1990. ISBN 8505010760 . V. 1. pp. 14-16. ↑ Reale, Giovanni. Antiseri, Dario. História da Filosofia . São Paulo: Paulus, 1990. ISBN 8505010760 . V. 1. p. 26. ↑ Bornheim, G. Os filósofos pré-socráticos . p. 13 . ↑ Guerreiro, Mario A. L. Pré-socráticos : a invenção da filosofia. p. 40 . ↑ Chauí, M. Introdução à história da filosofia . p. 95 . ↑ Chauí, M. Introdução à história da filosofia . p. 105 . ↑ Zilles, U. Teoria do conhecimento . p. 59 . ↑ Stone, I. F. O julgamento de Sócrates . p. 61 . ↑ Morente, Manuel García. 'Lecciones Preliminares de Filosofía,' in Obras Completas . Barcelona: Anthropos. Madrid: Fundación Caja de Madrid, 1996. V. I. ISBN 8476584962 , pp. 81-87 ↑ Durant, Will. A História da Filosofia . São Paulo: Nova Cultural, s/d. ISBN 8535106952 . p. 75 ↑ Reale, Giovanni. História da filosofia antiga : os sistemas da Era Helenística. São Paulo: Loyola, 2008. pp. 214s . ↑ Reale, Giovanni. História da filosofia antiga : os sistemas da Era Helenística. São Paulo: Loyola, 2008. p. 361 . ↑ Cooper, D. E. Filosofias do Mundo . São Paulo: Loyola, 2002. ISBN 8515023164 . p. 167. ↑ Bleiberg, Edward (2005). ' Ancient Egypt 2675-332 B.C.E.: Philosophy '. In Bleiberg, Edward, et al. Arts and Humanities Through the Eras. Vol. 1: Ancient Egypt 2675-332 B.C.E. Detroit: Gale. págs. 182–197. ↑ Confucio (1989). «Intruduzione ( por Anne Cheng)». Confucio - Dialoghi (em italiano). [S.l.]: Arnaldo Mondadori. ISBN 88-04-32463-5 ↑ a b c d ='Gandhi And Mahayana Buddhism' ↑ Segundo Rafael Guerrero, 'houve filosofia nessa época porque houve continuidade e sobrevivência da filosofia antiga: os medievais se preocuparam em assimilar, à medida que lhes foi possível, a prática e o saber das gerações anteriores.' Historia de la Filosofía Medieval . p. 10 ↑ The Blackwell Dictionary of Western Philosophy . Verbete 'Medieval Philosophy' : 'O tema central da filosofia medieval foi a tentativa de unir a fé à razão.' ↑ Gracia, Jorge. Medieval Philosophy. In: The Blackwell Companion to Philosophy . pp. 619s ↑ Charles Schmitt e Quentin Skinner (eds.), The Cambridge History of Renaissance Philosophy . Cambridge University Press, 1988, p. 5, define o período da filosofia do Renascimento como o intervalo que vai “da época de Ockham até os trabalhos revisionistas de Bacon, Descartes e seus contemporâneos”. ↑ Copenhaver, B.. Schmitt, C. Renaissance Philosophy , Oxford University Press, 1992, p. 4: “pode-se considerar como marco da filosofia da Renascença o amplo e acelerado interesse, estimulado por novos textos disponíveis, por fontes primárias do pensamento grego e romano que eram até então desconhecidos ou dos quais pouco se sabia ou pouco se havia lido”. ↑ Gracia, Jorge. In: Bunnin, N.. Tsui-James, E.P. (eds.), The Blackwell Companion to Philosophy , Blackwell, 2002, p. 621: 'os humanistas ... recolocaram o homem no centro das atenções e canalizaram seus esforços no sentido de recuperar e transmitir o saber clássico, particularmente o da filosofia de Platão.” ↑ von Fritz, Kurt. Rev. Maurer, Armand. Levi, Albert W.. Stroll, Avrum. Wolin, Richard, «Western philosophy» (em inglês ), Encyclopædia Britannica Online ↑ Ver §4 da introdução de An essay concerning human understandig , de John Locke. a introdução do Tratado da natureza humana , de David Hume. e o prefácio da primeira edição da Crítica da razão pura , de Kant. ↑ Russell, Bertrand. History of Western Philosophy . London: Routledge, 2004. ISBN 9780415325059 . p. 511 . ↑ Descartes, R. Discurso do Método . 4ª. parte. ↑ Cottingham, J. Descartes . São Paulo: Ed. Unesp, 1999. p. 24 . ↑ Magee, Bryan. História da Filosofia . São Paulo: Edições Loyola, 2001. p. 83 ↑ Durant, Will. A História da Filosofia . São Paulo: Nova Cultural, s/d. ISBN 8535106952 . p. 247 ↑ Como Tudo Funciona ↑ Solomon, R. C. Higgins, K. M. The Big Questions . pp. 135s . ↑ Cooper, D. E. Filosofias do Mundo . p. 371 . ↑ Russell, B. História do Pensamento Ocidental . pp. 442s . ↑ William Outhwaite (ed.), The Blackwell dictionary of modern social thought . p. 44 . ↑ Hegenberg, L. Filosofia moral . V. 1 (Ética). Rio de Janeiro: E-papers, 2010. ISBN 8576502607 . pp. 115-22. ↑ Solomon, R. C. & Higgins, K. M. The big questions: a short introduction to philosophy . 8th ed. ISBN 9780495595151 . p.66 ↑ Raeper, W. Smith, L. Introdução ao estudo das ideias : religião e filosofia no passado e no presente. 2ª. ed. São Paulo: Loyola, 2001. ISBN 8515015684 . pp. 116-20. ↑ Soames, Scott. Philosophical analysis in the twentieth century . Princeton: Princeton University Press, 2003. V. 2. p. 463 ↑ Glock, Hans-Johann. Dicionário Wittgenstein . Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. ISBN 8571104409 . p. 237 (Verbete 'Lógica'). ↑ Galvão, Paulo. 'Positivismo Lógico,' in Branquinho, João. Murcho, Desidério. Gomes, Nelson Gonçalves (orgs.) Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos . São Paulo: Martins Fontes, 2006. pp. 577-80. ↑ a b Bunnin, N.. Yu, J (eds.) The Blackwell dictionary of Western philosophy . Blackwell, 2004. Blackwell Reference Online . Acesso em 28/03/2011. ↑ Frohnen, Bruce, Jeremy Beer, and Jeffrey O. Nelson, ed. (2006) American Conservatism: An Encyclopedia Wilmington, DE: ISI Books, pp. 870-875. ↑ Frohnen, Bruce, Jeremy Beer, and Jeffrey O. Nelson, ed. (2006) American Conservatism: An Encyclopedia Wilmington, DE: ISI Books, p. 870. ↑ «A Filosofia e seus usos: crítica e acomodação (tese de doutourado de Marli Aparecida Pechula)» (PDF) . diaadiaeducacao.pr.gov.br . 2007 . Consultado em 22 de abril de 2012 Bibliografia Livros introdutórios BLACKBURN, Simon . Pense : uma introdução à filosofia. Lisboa: Gradiva, 2001. ISBN 9789726627906 . BUNNIN, Nicholas. TSUI-JAMES, E. P. (Orgs.) Compêndio de Filosofia . 2.ª ed. São Paulo: Loyola, 2007. ISBN 9788515030477 . CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia . 7. ed. 2. reimp. São Paulo: Ática, 2000. COLCHETE, Eliane e MORAIS JUNIOR, Luis Carlos de. A formação da filosofia contemporânea . Rio de Janeiro: Litteris, 2014. DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? Trad. Bento Prado Jr. E Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro, 34, 1992. MURCHO, Desidério . Filosofia em Directo . Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2011. NAGEL, Thomas . Que Quer Dizer Tudo Isto? Uma iniciação à filosofia. Lisboa: Gradiva: 1995. ISBN 9789726624219 . PAIM, Antonio. História das Ideias Filosóficas no Brasil . 2 ed. São Paulo, Edusp/Grijalbo, 1974. PAPINEAU, David (Org.) Filosofia : grandes pensadores, principais fundamentos e escolas filosóficas. São Paulo: Publifolha, 2009. ISBN 9788579141058 . Antologias BONJOUR, Laurence. BAKER, Ann. Filosofia : textos fundamentais comentados. 2.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. ISBN 8536321199 . MARCONDES, Danilo. Textos Básicos de Filosofia : dos pré-sócráticos a Wittgenstein. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. ISBN 9788571105201 . NICOLA, Ubaldo. Antologia Ilustrada de Filosofia : das origens à Idade Moderna. Rio de Janeiro: Globo, 2005. ISBN 8525038997 . VVAA. Os Filósofos através dos Textos : de Platão a Sartre. São Paulo: Paulus, 1997. ISBN 8534909806 .q=Discurso%20do%20M%C3%A9todo%20descartes Introduções à história da filosofia DURANT, Will . A História da Filosofia . São Paulo: Nova Cultural, s/d. ISBN 8535106952 . ONFRAY, Michel . Contra-história da filosofia 1 : as sabedorias antigas. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2008. Idem. Contra-história da filosofia 2 : o cristianismo hedonista. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2008. Idem. Contra-história da filosofia 3 : os libertinos barrocos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009. Idem. Contra-história da filosofia 4 : os ultras das Luzes. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009. KENNY, Anthony . Uma Nova História da Filosofia Ocidental . São Paulo: Loyola, 2008. 4v. ISBN 9788515035267 . MAGEE, Bryan. História da Filosofia . São Paulo: Edições Loyola, 2001. ISBN 8515019299 . REALE, Giovanni. ANTISERI, Dario. História da Filosofia . São Paulo: Paulus, 1990. 3v. ISBN 8505010760 . RUSSELL, Bertrand . História do Pensamento Ocidental . Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. ISBN 8500013559 . Obras de referência BLACKBURN, Simon . Dicionário Oxford de Filosofia . Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010. ISBN 8571104026 . BRANQUINHO, João. MURCHO, Desidério. GOMES, Nelson Gonçalves (orgs.) Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos . São Paulo: Martins Fontes, 2006. ISBN 8533623259 . FERRATER-MORA, José. Dicionário de Filosofia . 2ª. ed. São Paulo: Loyola, 2004. 4v. ISBN 8515018691 . Ligações externas Portal de Filosofia do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Santa Catarina . Portal de Filosofia Veritas – Revista de Filosofia da PUCRS Stanford Encyclopedia of Philosophy The Internet Encyclopedia of Philosophy v • e Correntes filosóficas Escola jônica Milésios · Mobilismo · Hilozoísmo Escola itálica Eleatas · Pitagorismo Escola da pluralidade / pluralista Pluralismo · Atomismo Escola sofística Sofismo · Relativismo Escolas socráticas : Cínicos · Cirenaicos · Megários · Platonismo Escola peripatética Aristotelismo Escola epicurista Epicurismo · Hedonismo · Eudemonismo Escola estoica Paleo-estoicismo · Médio-estoicismo · Neo-estoicismo ou estoicismo imperial · Cosmopolitismo Escola cética Pirronismo Escola platônica Médio-platonismo eclético · Médio-platonismo ortodoxo · Neoplatonismo monista · Neoplatonismo dualista Escola esotérica Helenismo · Neopitagorismo · Gnosticismo · Cabalismo Filosofia medieval Medievalismo · Averroísmo · Alquimismo · Avicenismo · Rabinismo · Monopsiquismo Escolástica Patrística · Realismo · Nominalismo · Conceitualismo · Hilemorfismo Filosofia cristã Agostianismo · Pelagianismo · Semipelagianismo · Tomismo · Monergismo · Sinergismo · Sinergismo arminiano Filosofia renascentista Renascentismo · Arminianismo · Calvinismo · Luteranismo · Classicismo · Hermetismo · Humanismo · Antropocentrismo · Heliocentrismo · Maquiavelismo Filosofia moderna Racionalismo clássico · Ceticismo · Cartesianismo · Empirismo · Inatismo Filosofia iluminista Iluminismo · Ilustracionismo · Enciclopedismo · Neoclassicismo · Contratualismo · Fisiocratismo · Intelectualismo · Racionalismo · Liberalismo · Individualismo · Voluntarismo · Laicismo · Secularismo · Anticlericalismo · Deísmo · Cientificismo · Naturalismo · Fisicalismo · Materialismo · Reducionismo · Holismo · Determinismo · Indeterminismo · Compatibilismo · Fatalismo · Mecanicismo · Vitalismo Filosofia contemporânea Romantismo · Analiticismo · Continentalismo · Hegelianismo · Idealismo · Kantianismo · Apriorismo · Criticismo · Marxismo · Materialismo histórico · Materialismo dialético · Progressivismo · Positivismo · Utilitarismo · Pragmatismo · Niilismo · Particularismo moral · Amoralismo · Neoescolasticismo · Neotomismo · Neopositivismo · Neokantismo · Perenialismo · Historicismo · Escola de Frankfurt · Fenomenologia · Fenomenalismo · Formalismo · Estruturalismo · Solipsismo · Objetivismo · Existencialismo · Absurdismo · Construcionismo Filosofia da mente Conectivismo · Eliminativismo · Emergentismo · Monismo anômalo · Interacionismo · Naturalismo biológico · Externalismo · Fiabilismo · Millianismo · Descritivismo · Prescritivismo Filosofia pós-moderna Pós-modernismo · Pós-estruturalismo · Neoconfucionismo · Desconstrucionismo · Epifenomenalismo · Funcionalismo v • e Filosofia Tradicional Metafísica Epistemologia Lógica Ética Estética Temas Ação Arte Biologia Ciência Computação Direito Economia Educação Filosofia Física Guerra História Informação Linguagem Literatura Matemática Mente Natureza humana Política Psicologia Religião Tecnologia Escolas e correntes filosóficas Por era Antiga Ocidental Medieval Renascença Moderna Contemporânea Antiga Chinesa Agriculturalismo Confucianismo Legalismo Logicianos Moísmo Naturalismo chinês Neotaoísmo Taoísmo Yangismo Zen Greco - Romana Aristotelismo Cinismo Epicurismo Estoicismo Neoplatonismo Peripatética Platonismo Pré-socrática Pitagorismo Sofismo Indiana Budista Cārvāka Hindu Jainista Persa Mazdakismo Zoroastrismo Zurvanismo séculos IX-XVI Cristã da Europa Escolasticismo Humanismo Tomismo Leste Asiático Confucianismo coreano Rigaku Neoconfucionismo Indiana Navya-Nyāya Vishishtadvaita Dvaita Islâmica Averroísmo Avicenismo Iluminacionismo Kalam Sufi Judaica Judeu-Islâmicas Moderna séculos XVII–XIX Anarquismo Cartesianismo Materialismo dialético Empiricismo Existencialismo Fenomenologia Hegelianismo Idealismo absoluto Idealismo Kantinismo Kokugaku Liberalismo clássico Marxismo Modernismo Neokantismo Neotomismo Novo Confucianismo Pragmatismo Racionalismo Transcendentalismo Utilitarismo Contemporânea séculos XX–XXI Analítica Consequencialismo Círculo de Viena Epistemologia naturalizada Falsificacionismo Feminismo analítico Filosofia da linguagem comum Filosofia experimental Fundacionalismo e Coerentismo Internalismo e externalismo Positivismo lógico Positivismo jurídico Kantianismo Quietismo Rawlsianismo Epistemologia reformada Filosofia pós-analítica Utilitarismo contemporâneo Neoaristotelismo Wittgensteinismo Continental Construtivismo social Desconstrução Escola de Frankfurt Estruturalismo Existencialismo Filosofia feminista Filosofia pós-moderna Pós-estruturalismo Teoria crítica Escola de Quioto Traduzir (em inglês ) Posições filosóficas Estética Formalismo Teoria institucional da arte Resposta estética Ética Consequencialismo Egoísmo ético Deontologia Ética da virtude Ética feminista Livre-arbítrio Compatibilismo Determinismo Libertarianismo Metafísica Atomismo Dualismo Monismo Naturalismo Epistemologia Construcionismo Empirismo Idealismo epistemiológico Particularismo epistemiológico Racionalismo Ceticismo filosófico Solipsismo Mente Behaviorismo Eliminativismo Epifenomenalismo Functionalismo (filosofia da mente) Norma Absolutismo moral Particularismo Relativismo Nihilismo Ceticismo Universalismo Ontologia Ação Evento Processo Realidade Anti-realismo Conceitualismo Fisicalismo Idealismo Materialismo Naturalismo Nominalismo Realismo Por localidade, Listas Por região Americana Aztec Britânica Alemã Africana Etíope Chinesa Coreana Dinamarquesa Eslovena Francesa Indiana Indonesia Iraniana Grécia Italiana Japonesa Paquistanesa Ocidental Oriental Polonesa Romena Russa Listas Cronologia Lista de tópicos básicos Movimentos Publicações Portal Glossário Categoria Portal da filosofia Portal do pensamento Obtida de ' https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Filosofia&oldid=50839377 ' Categoria : Filosofia Categorias ocultas: !CS1 italiano-fontes em língua (it) !Páginas que usam links mágicos ISBN Menu de navegação Ferramentas pessoais Não autenticado Discussão Contribuições Criar uma conta Entrar Domínios Artigo Discussão Variantes Vistas Ler Ver código-fonte Ver histórico Mais Busca Navegação Página principal Conteúdo destacado Eventos atuais Esplanada Página aleatória Portais Informar um erro Loja da Wikipédia Colaboração Boas-vindas Ajuda Página de testes Portal comunitário Mudanças recentes Manutenção Criar página Páginas novas Contato Donativos Imprimir/exportar Criar um livro Descarregar como PDF Versão para impressão Noutros projetos Wikimedia Commons Wikilivros Wikiquote Wikiversidade Ferramentas Páginas afluentes Alterações relacionadas Carregar ficheiro Páginas especiais Hiperligação permanente Informações da página Elemento Wikidata Citar esta página Noutros idiomas Acèh Afrikaans Alemannisch አማርኛ Aragonés Ænglisc العربية مصرى অসমীয়া Asturianu Aymar aru Azərbaycanca تۆرکجه Башҡортса Boarisch Žemaitėška Беларуская Беларуская (тарашкевіца)‎ Български भोजपुरी Bislama বাংলা བོད་ཡིག Brezhoneg Bosanski Буряад Català Mìng-dĕ̤ng-ngṳ̄ Нохчийн Cebuano ᏣᎳᎩ کوردی Corsu Čeština Kaszëbsczi Чӑвашла Cymraeg Dansk Deutsch Zazaki Ελληνικά English Esperanto Español Eesti Euskara Estremeñu فارسی Suomi Võro Føroyskt Français Nordfriisk Furlan Frysk Gaeilge 贛語 Gàidhlig Galego Avañe'ẽ Gaelg 客家語/Hak-kâ-ngî עברית हिन्दी Fiji Hindi Hrvatski Kreyòl ayisyen Magyar Հայերեն Interlingua Bahasa Indonesia Interlingue Igbo Ilokano Ido Íslenska Italiano ᐃᓄᒃᑎᑐᑦ/inuktitut 日本語 Patois La .lojban. Basa Jawa ქართული Qaraqalpaqsha Taqbaylit Kabɩyɛ Қазақша Kalaallisut ភាសាខ្មែរ ಕನ್ನಡ 한국어 Kurdî Кыргызча Latina Ladino Lëtzebuergesch Лезги Limburgs Ligure Lumbaart ລາວ Lietuvių Latviešu मैथिली Malagasy Олык марий Македонски മലയാളം Монгол मराठी Bahasa Melayu Malti Mirandés မြန်မာဘာသာ Эрзянь مازِرونی Nāhuatl Plattdüütsch Nedersaksies नेपाली नेपाल भाषा Nederlands Norsk nynorsk Norsk Novial Nouormand Occitan Livvinkarjala Oromoo ਪੰਜਾਬੀ Papiamentu Picard Pälzisch Polski Piemontèis پنجابی Ποντιακά پښتو Runa Simi Rumantsch Română Armãneashti Русский Русиньскый Kinyarwanda संस्कृतम् Саха тыла Sardu Sicilianu Scots Sängö Srpskohrvatski / српскохрватски සිංහල Simple English Slovenčina Slovenščina Soomaaliga Shqip Српски / srpski Sranantongo Sesotho Seeltersk Basa Sunda Svenska Kiswahili தமிழ் తెలుగు Тоҷикӣ ไทย Türkmençe Tagalog Tok Pisin Türkçe Xitsonga Татарча/tatarça Тыва дыл ئۇيغۇرچە / Uyghurche Українська اردو Oʻzbekcha/ўзбекча Vèneto Tiếng Việt Volapük Walon Winaray Wolof 吴语 IsiXhosa მარგალური ייִדיש Yorùbá Vahcuengh Zeêuws 中文 文言 Bân-lâm-gú 粵語 IsiZulu Editar hiperligações Esta página foi editada pela última vez à(s) 17h30min de 24 de dezembro de 2017. Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) . pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso . Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais Programadores Declaração sobre cookies Versão móvel



http://cnpq.br/chamadas-publicas?p_p_id=resultadosportlet_WAR_resultadoscnpqportlet_INSTANCE_0ZaM&filtro=abertas&detalha=chamadaDivulgada&idDivulgacao=6282
  Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor CACHE

Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Bolsas e Auxílios / Chamadas / Chamadas públicas / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas Públicas As Chamadas Públicas para projetos de pesquisa e bolsas do CNPq estão organizadas nas abas do menu principal em 'Abertas', 'Encerradas' e 'Resultados'. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. abertas Chamadas CHAMADA MCTI/CNPQ Nº 01/2016 - Universal A presente chamada pública tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do país, em qualquer área do conhecimento. As propostas devem observar as condições específicas estabelecidas na parte II - Regulamento, anexo a esta chamada pública, que determina os requisitos relativos ao proponente, cronograma, recursos financeiros a serem aplicados nas propostas aprovadas, origem dos recursos, itens financiáveis, prazo para execução dos projetos, critérios de elegibilidade, critérios e parâmetros objetivos de julgamento e demais informações necessárias.. Foi prorrogado o prazo de submissão de propostas à Chamada MCTI/CNPq Nº 01/2016 - Universal até às 23:59h de segunda-feira, dia 29/02/2016. FAQ - Universal 2016 : link Errata N.1 de 15-01-2016 : link Errata N.2 de 27-01-16 : link Universal 01/2016 - Faixa A - até R$ 30.000,00 Universal 01/2016 - Faixa B - até R$ 60.000,00 Universal 01/2016 - Faixa C - até R$ 120.000,00 Inscrições: 12/01/2016 a 26/02/2016 Chamada link permanente Voltar Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javasc



https://pt.wikipedia.org/wiki/Experi%C3%AAncia_da_dupla_fenda
  Experiência da dupla fenda – Wikipédia, a enciclopédia livre Experiência da dupla fenda Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes , o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009) . Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé . Conteúdo sem fontes poderá ser removido ... Experiência da dupla fenda – Wikipédia, a enciclopédia livre Experiência da dupla fenda Origem ... · Tunelamento Experiências Experiência de dupla fenda Experimento de Davisson–Germer Experimento de Stern-Gerlach Experiência da desigualdade de Bell Experiência de Popper Gato de Schrödinger Problema de ... * Tsui * Ward * Wien * Wigner * Zeeman * Zeilinger * Zurek ver • editar A experiência da dupla fenda ou experiência de Thomas Young é fundamental para a determinação da natureza quântica da física atômica CACHE

Experiência da dupla fenda – Wikipédia, a enciclopédia livre Experiência da dupla fenda Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes , o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009) . Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé . Conteúdo sem fontes poderá ser removido . — Encontre fontes: Google ( notícias , livros e acadêmico ) Mecânica quântica Δ x Δ p ≥ ℏ 2 {\displaystyle {\Delta x}\,{\Delta p}\geq {\frac {\hbar }{2}}} Princípio da Incerteza Introducão a... Formulação matemática Introdução Mecânica clássica Antiga teoria quântica Interferência · Notação Bra-ket Hamiltoniano Conceitos fundamentais Estado quântico · Função de onda Superposição · Emaranhamento · Incerteza Efeito do observador Exclusão · Dualidade Decoerência · Teorema de Ehrenfest · Tunelamento Experiências Experiência de dupla fenda Experimento de Davisson–Germer Experimento de Stern-Gerlach Experiência da desigualdade de Bell Experiência de Popper Gato de Schrödinger Problema de Elitzur-Vaidman Borracha quântica Representações Representação de Schrödinger Representação de Heisenberg Representação de Dirac Mecânica matricial Integração funcional Equações Equação de Schrödinger Equação de Pauli Equação de Klein–Gordon Equação de Dirac Interpretações Copenhague · Conjunta Teoria das variáveis ocultas · Transacional Muitos mundos · Histórias consistentes Lógica quântica · Interpretação de Bohm Mecânica quântica emergente Tópicos avançados Teoria quântica de campos Gravitação quântica Teoria de tudo Mecânica quântica relativística Cientistas * Bell * Blackett * Bogolyubov * Bohm * Bohr * Bardeen * Born * Bose * de Broglie * Compton * Cooper * Dirac * Davisson * Duarte * Ehrenfest * Einstein * Everett * Feynman * Hertz * Heisenberg * Jordan * Klitzing * Kusch * Kramers * von Neumann * Pauli * Lamb * Laue * Laughlin * Moseley * Millikan * Onnes * Planck * Raman * Richardson * Rydberg * Schrödinger * Störmer * Shockley * Schrieffer * Shull * Sommerfeld * Thomson * Tsui * Ward * Wien * Wigner * Zeeman * Zeilinger * Zurek ver • editar A experiência da dupla fenda ou experiência de Thomas Young é fundamental para a determinação da natureza quântica da física atômica . Quando se tenta utilizar a eletrodinâmica e a mecânica clássica para explicar os fenômenos atômicos, os resultados a que chegamos se encontram em franca contradição com a experiência prática. Índice 1 Contradição 2 Difração de elétrons 3 Ondulatória 4 Dupla fenda 4.1 Descrição da experiência 5 Diferenças de fase 6 Mecânica quântica e mecânica clássica 7 Ver também Contradição [ editar | editar código-fonte ] O que se vê com mais clareza é a contradição a que se chega ao aplicar a eletrodinâmica ordinária ao modelo de átomo em que os elétrons se movem em torno do núcleo seguindo órbitas clássicas. Neste movimento , como em qualquer movimento acelerado das cargas , os elétrons deveriam irradiar continuamente ondas eletromagnéticas . Ao irradiar, os elétrons perderiam sua energia o que deveria conduzir no final a sua queda no núcleo atômico . Para tal, o átomo deveria ser obrigatoriamente instável. Difração de elétrons [ editar | editar código-fonte ] Simulação numérica feita a partir da equação de Schrödinger . Na animação, um pacote de ondas (modelando uma partícula quântica livre) incide sobre uma fenda dupla. Note que o padrão formado após a passagem pela fenda, coincide com o já conhecido resultado do padrão de interferência . A profunda contradição entre a teoria e a prática experimental atesta a construção de uma teoria aplicável aos fenômenos atômicos. Os fenômenos que ocorrem com partículas de massa muito pequena e em regiões muito pequenas do espaço , exige um caminho especial onde as leis e as idéias clássicas fundamentais devem ser reordenadas. O ponto de partida para esclarecer esta troca de mentalidade para a dedução das leis que regem a física atômica , foi o fenômeno observado e chamado de difração de elétrons . Na verdade, este fenômeno foi descoberto depois de criada a teoria da mecânica quântica . Se fizermos passar um feixe homogêneo de elétrons através de um prisma , o que se observa é uma figura constituída de máximos e mínimos de intensidade variável que se sucedem entre si, análoga à figura que se obtêm na difração das ondas eletromagnéticas. Ondulatória [ editar | editar código-fonte ] O comportamento das partículas materiais, os elétrons, apresentam a peculiaridade comportamental dos processos ondulatórios . A profundidade com que este fenômeno contradiz as idéias ordinárias sobre o movimento, se revela com particular evidência quando imaginamos o experimento que constitui uma idealização da difração eletrônica por um cristal . Para verificarmos a validade da natureza quântica da física atômica, existe uma experiência bastante simples de ser realizada cujos resultados foram no mínimo intrigantes quando realizados pela primeira vez. Esta experiência é a conhecida como dupla fenda. Dupla fenda [ editar | editar código-fonte ] A experiência da dupla fenda consiste em deixar que a luz visível se difracte através de duas fendas, produzindo bandas num écran . As bandas formadas, ou padrões de interferência, mostram regiões claras e escuras que correspondem aos locais onde as ondas luminosas interferiram entre si construtivamente e destrutivamente. Descrição da experiência [ editar | editar código-fonte ] Experimento de fenda dupla No caso da realização da experiência da dupla fenda com um feixe eletrônico , imaginemos uma tela opaca aos elétrons, e nela fazemos duas pequenas fendas. Observando o passar do feixe de elétrons por uma destas fendas, com a outra fechada, obtemos numa tela plana (ou écran) colocada atrás da fenda uma certa figura de distribuição das intensidades. da mesma maneira obtemos outra figura semelhante à primeira abrindo a segunda fenda e fechando a primeira. Mas, observando a imagem que se faz dos elétrons passando pelas duas fendas abertas ao mesmo tempo , baseando-nos nas idéias ordinárias, deveríamos observar uma figura consistente onde houvesse a simples superposição dos feixes complementares. Ou seja, a soma natural dos dois feixes que se projetariam na tela, uma vez que cada elétron partícula material movendo-se em sua trajetória fixa e bem delineada passa pela fenda sem exercer influência alguma sobre os outros elétrons que passam pela outra fenda. Resultados do experimento de fenda dupla O fenômeno da difração eletrônica mostra que na realidade obtemos uma figura de difração que ocorre em virtude da interferência e não se reduz de modo algum à simples soma das figuras produzidas por cada uma das fendas separadamente. Isso pode ser explicado simplesmente se for observado que em pontos mais distantes do lado direito da figura as ondas provenientes do 'slit' direito chegam primeiro do que as ondas do 'slit' esquerdo ocasionando um atraso no comprimento de onda original(que estavam exatamente sobrepostos no ponto central entre os 'slits') gerando uma destruição ou construção da luz. Diferenças de fase [ editar | editar código-fonte ] Está claro que é impossível fazer coincidir este resultado com a idéia de movimento dos elétrons por uma trajetória. Pois a interferência que aparece é devido à somatória ora construtiva, ora destrutiva que indica diferenças de fase, isto é, neste caso, se há diferença de fase, então temos a natureza ondulatória dos elétrons que devem ser encarados, em analogia, como onda eletromagnética que se propaga pelo espaço e não como partícula material com movimento balístico, isto é disparada.. Mecânica quântica e mecânica clássica [ editar | editar código-fonte ] A experiência da dupla fenda prova inequivocamente a chamada mecânica quântica , ou ondulatória , que deve basear-se em noções essencialmente diferentes da mecânica clássica . Pois na quântica não existe o conceito de trajetória da partícula . Esta circunstância constitui o conteúdo do chamado princípio da incerteza , ou princípio da indeterminação , que é um dos fundamentais da mecânica quântica e foi proposto em 1927 por Werner Heisenberg . Ver também [ editar | editar código-fonte ] Experimento da dupla fenda de Aephraim Steinberg O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Experiência da dupla fenda Este artigo sobre física é um esboço . Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o . v • e v • e Campos de estudo da Física Mecânica clássica Cinemática Estática Dinâmica Mecânica dos corpos rígidos Mecânica dos fluidos Mecânica de Lagrange Mecânica hamiltoniana Ondulatória Acústica Óptica Termofísica Termodinâmica Calorimetria Teoria cinética dos gases Mecânica estatística Eletromagnetismo Eletricidade Eletromagnetismo Eletrostática Magnetostática Magnetismo Óptica Relatividade Relatividade restrita Relatividade geral Mecânica quântica Mecânica ondulatória Teoria quântica de campos Física aplicada Físico-química Astrofísica Geofísica Biofísica Física médica Física matemática Meteorologia física Matéria condensada Física mesoscópica Obtida de ' https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Experiência_da_dupla_fenda&oldid=50074966 ' Categorias : Experimentos de física Cosmologia Ondulatória Categorias ocultas: !Artigos que carecem de fontes desde Junho de 2009 !Esboços sobre física !Esboços maiores que 5000 bytes Menu de navegação Ferramentas pessoais Não autenticado Discussão Contribuições Criar uma conta Entrar Domínios Artigo Discussão Variantes Vistas Ler Editar Editar código-fonte Ver histórico Mais Busca Navegação Página principal Conteúdo destacado Eventos atuais Esplanada Página aleatória Portais Informar um erro Loja da Wikipédia Colaboração Boas-vindas Ajuda Página de testes Portal comunitário Mudanças recentes Manutenção Criar página Páginas novas Contato Donativos Imprimir/exportar Criar um livro Descarregar como PDF Versão para impressão Noutros projetos Wikimedia Commons Ferramentas Páginas afluentes Alterações relacionadas Carregar ficheiro Páginas especiais Hiperligação permanente Informações da página Elemento Wikidata Citar esta página Noutros idiomas Alemannisch العربية Català Čeština Dansk Deutsch Ελληνικά English Español Eesti Euskara فارسی Suomi Français עברית हिन्दी Magyar Հայերեն Bahasa Indonesia Italiano 日本語 ქართული 한국어 Lietuvių Nederlands ଓଡ଼ିଆ Polski Română Sicilianu Simple English Slovenčina Svenska தமிழ் Tagalog Türkçe Українська Tiếng Việt 中文 Editar ligações Esta página foi editada pela última vez à(s) 23h17min de 8 de outubro de 2017. Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) . pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso . Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais Programadores Declaração sobre cookies Versão móvel



http://www.cnpq.br/web/guest/organograma/
  Organograma - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para CACHE

Organograma - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Institucional / Organograma / Organograma Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu navegador não suporta inline frames ou está configurado para não exibir inline frames. O conteúdo pode ser visualizado no código fonte da página: http://estatico.cnpq.br/portal/organograma/organograma.html?. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



https://www.maisasas.com/cases
  Experiências únicas vão potencializar suas ações de marketing | +Asas blog Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência Toggle navigation Menu Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência blog Conheça nossos cases Aproveite para ter ideias de ações ... somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência ... de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência blog Conheça nossos cases Aproveite para ter ideias de ações incríveis para seus clientes e colaboradores Experiência Bossa Sunset para colaboradores e ... Experiência: Bossa Sunset Experiência de barco para a Nike, indo do Rio até Niterói com uma parada no MAC Público-alvo: Jornalistas Internacionais Ação: Ação de relacionamento Experiência: Velejar é CACHE

Experiências únicas vão potencializar suas ações de marketing | +Asas blog Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência Toggle navigation Menu Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência blog Conheça nossos cases Aproveite para ter ideias de ações incríveis para seus clientes e colaboradores Experiência Bossa Sunset para colaboradores e influenciadores da AMBEV Público-alvo: Colaboradores e Influenciadores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Bossa Sunset Experiência de barco para a Nike, indo do Rio até Niterói com uma parada no MAC Público-alvo: Jornalistas Internacionais Ação: Ação de relacionamento Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Experiência Bossa Sunset com cocktail e DJ para 100 donos de concessionárias AUDI Público-alvo: Donos de concessionárias Ação: Ação de relacionamento Experiência: Bossa Sunset Experiência de barco pela Baía de Guanabara especialmente feita para a Uber. Um dia realmente mágico! Público-alvo: Top Motoristas Mundo Ação: Premiação Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Experiências diversas realizadas para os principais clientes e parceiros da marca Público-alvo: Principais clientes e parceiros Ação: Associação de marca e Fidelização Experiência: Diversas Experiência para a reunião co-criativa da Fanta, com passeio de jipe, duelo de videogame e outras surpresas Público-alvo: Youtubers Ação: Engajamento Experiência: Segredinhos da Urca Especial Leia mais+ Experiência Café Cultural, com degustação e bate-papo sobre café para os anfitriões do Airbnb de Santa Teresa Público-alvo: Anfitriões Ação: Fidelização Experiência: Café da Manhã Cultural Leia mais+ Experiência Photo Mobile para a comunidade de cariocas engajados com o Google Maps Público-alvo: Heavy Users Ação: Engajamento Experiência: Photo Mobile especial Leia mais+ Experiência Por Trás da Xícara de Café para premiar donos de concessionárias da Nissan Público-alvo: Donos de concessionárias Ação: Premiação Experiência: Por Trás da Xícara de Café Alguns dos principais clientes do Google participaram da experiência Todos na Cozinha em uma linda casa no Rio Público-alvo: Principais clientes Ação: Fidelização Experiência: Todos na Cozinha Experiência Bossa Sunset para divulgar novidades da marca para jornalistas nacionais e internacionais Público-alvo: Jornalistas Nacionais e Internacionais Ação: Apresentação de Novas Tecnologias Experiência: Bossa Sunset Experiência de passeio de barco com SUP, bloco de carnaval, comidinhas e fantasias Público-alvo: Principais Clientes Ação: Ação de relacionamento Experiência: Standup Leia mais+ Nesta campanha de Dia dos Namorados, a FARM convidou 6 casais apaixonados para um fim de semana de sonhos Público-alvo: Principais clientes Ação: Ação de relacionamento Experiência: Camping do Amor Leia mais+ Picnic Sensorial para a equipe de contato com clientes. Público-alvo: Colaboradores Ação: Ação de Relacionamento Experiência: Picnic Sensorial Sports World convidou a Deloitte para uma experiência única de gastronomia: Todos na Cozinha Público-alvo: Colaboradores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Todos na Cozinha Experiência de barco pela Baía de Guanabara com almoço exclusivo, seguido por um Stand Up Paddle no mar Público-alvo: Embaixadores Ação: Fidelização Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Leia mais+ Experiência Vibe Bonita para algumas das principais clientes da marca. Foi um dia de atividades únicas só para elas Público-alvo: Top Clients Ação: Fidelização Experiência: Vibe Bonita Leia mais+ Experiência Pedra do Sal, o Berço do Rio para parceiros SEBRAE Público-alvo: Parceiros Ação: Lazer fora do óbvio Experiência: Pedra do Sal, o Berço do Rio Workshop realizado para a marca Nativa Spa do grupo O Boticário Público-alvo: Colaboradores Nativa Spa Ação: Reunião de co-criação Experiência: Experiência Photo Mobile no Pão de Açúcar para 60 participantes de um evento internacional no Rio Público-alvo: Participantes de Convenção Ação: Lazer fora do óbvio Experiência: Photo Mobile Além de patrocinar os happy hours da comunidade de anfitriões +Asas, faz product placement e ativação de conteúdo nas experiências que tem a ver com a branding persona da marca Público-alvo: Co-branded, influenciadores (anfitriões +Asas) Ação: Associação de marca e Ativação de conteúdo Experiência: Diversas Campanha de Dia dos Namorados com a experiência Expedição Floresta da Tijuca para clientes da marca Público-alvo: Clientes Ação: Campanha Dia dos Namorados Experiência: Expedição Floresta da Tijuca Experiência Pic Nic Sensorial para a confraternização de fim de ano da equipe de marketing da marca Público-alvo: Equipe de Marketing Ação: Confraternização Fim de Ano Experiência: Pic Nic Sensorial Leia mais+ Experiência Aloha Canoa para algumas das principais clientes da FARM, com muita animação e música ao vivo Público-alvo: Principais clientes Ação: Ação de relacionamento Experiência: Aloha Canoa Leia mais+ Experiências para as pessoas que tiveram uma impressão ruim com o serviço do Airbnb durante a Copa do Mundo Público-alvo: Clientes Ação: Engajamento (Recuperação de clientes) Experiência: Segredinhos da Urca e Pedra do Sal o Berço do Samba Experiência Todos na Cozinha para influenciadores, com a proposta de divulgar a marca ao grupo Público-alvo: Influenciadores Ação: Divulgação da Marca Experiência: Todos na Cozinha Experiência para influenciadores da marca com muita alegria, comida e, claro, cerveja gelada Público-alvo: Influenciadores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Todos na Cozinha Experiência com Picnic na Lagoa Rodrigo de Freitas, com comidinhas e uma incrível performance de acroyoga Público-alvo: Jornalistas e Influenciadores Ação: Divulgação da Marca Experiência: Picnic Mari Leia mais+ Conecte-se com a gente Mais Asas Instagram by @maisasas +55 21 98121-7458 maisasas@maisasas.com Termos de uso Privacidade Experiências Ofereça uma experiência Nossos cases blog



http://www.cnpq.br/web/guest/indicadores1/
  Indicadores de Pesquisa - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência ... javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript CACHE

Indicadores de Pesquisa - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Institucional / Estatísticas e Indicadores / Indicadores de Pesquisa / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Indicadores de pesquisa Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Indicadores por grande área do conhecimento Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Indicadores das grandes áreas do conhecimento (comparações entre a grande área e o total) Tabelas 1, 2, 3, 4 Número de instituições e de grupos de pesquisa Recursos humanos e linhas de pesquisa Participação % dos recursos humanos e das linhas de pesquisa Relações entre as principais dimensões Tabela 5 Número de autores e a produção científica dos pesquisadores doutores Tabelas 6, 7 Média anual da produção científica dos pesquisadores doutores Produção científica por pesquisador doutor/ano Tabelas 8, 9, 10 Número de autores e da produção técnica dos pesquisadores doutores Média anual da produção técnica dos pesquisadores doutores Produção técnica por pesquisador doutor/ano Tabelas 11,12, 13 Número de orientações concluídas pelos pesquisadores doutores Média anual de orientações concluídas pelos pesquisadores doutores Orientações concluídas por pesquisador doutor/ano Tabelas 14,15, 16 Investimentos em bolsas e no fomento à pesquisa segundo linhas de atuação Participação percentual das linhas de atuação Nº de bolsas de produtividade, nº de doutores, relação bolsas/doutor e investimentos/doutor Perfil das grandes áreas do conhecimento (comparações entre a grande área e o total) Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Engenharias e Ciências da Computação Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Lingüísticas, Letras e Artes Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Indicadores por região geográfica Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Indicadores segundo regiões geográficas (comparações entre as regiões) Tabelas 1, 2, 3, 4 Número de instituições e de grupos de pesquisa Recursos humanos e linhas de pesquisa Participação % dos recursos humanos e das linhas de pesquisa Relações entre as principais dimensões Tabela 5 Número de autores e da produção científica dos pesquisadores doutores Tabelas 6, 7 Média anual da produção científica dos pesquisadores doutores Produção científica por pesquisador doutor/ano Tabelas 8, 9, 10 Número de autores e da produção técnica dos pesquisadores doutores Média anual da produção técnica dos pesquisadores doutores Produção técnica por pesquisador doutor/ano Tabelas 11,12, 13 Número de orientações concluídas pelos pesquisadores doutores Média anual de orientações concluídas pelos pesquisadores doutores Orientações concluídas por pesquisador doutor/ano Tabelas 14,15, 16 Investimentos em bolsas e no fomento à pesquisa segundo linhas de atuação Participação percentual das linhas de atuação Nº de bolsas de produtividade, nº de doutores, relação bolsas/doutor e investimentos/doutor Perfil das regiões geográficas (comparações entre a região e o total do Brasil) Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Documento completo em pdf Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para java



http://www.cnpq.br/web/guest/demanda-e-atendimento/
  Demanda e atendimento - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler CACHE

Demanda e atendimento - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais CNPq Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Alto Contraste 3 Painel de Demanda e Atendimento Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu navegador não suporta inline frames ou está configurado para não exibir inline frames. O conteúdo pode ser visualizado no código fonte da página: http://estatico.cnpq.br/bi/DemandaAtendimento/painel-demanda-atendimento/painel-bolsa-pais/index.html?. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



http://www.cnpq.br/web/guest/instituicoes/
  Instituições - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está CACHE

Instituições - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Parcerias / Instituições / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Instituições Parceiras Conheça nossos principais parceiros institucionais. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



https://goo.gl/pCccKc
  CORI - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está CACHE

CORI - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Parcerias / CORI / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. CORI O Comitê de Negociação e Relacionamento Institucional (CORI) foi instituído com o objetivo de definir as diretrizes para o desenvolvimento de parcerias estratégicas entre o CNPq, empresas, indústrias e organizações privadas, com ou sem fins lucrativos. A finalidade é estreitar relações entre instituições de ensino superior como universidades e centros de pesquisa, por exemplo, e empresas e indústrias que desejam aplicar recursos em P&D com eficiência e efetividade. Nesse sentido, e em atendimento à missão do CNPq de fomentar ciência, tecnologia e inovação e atuar na formulação de suas políticas, contribuindo para o avanço das fronteiras do conhecimento, o desenvolvimento sustentável e a soberania nacional, o CNPq torna público seu interesse em realizar parcerias com empresas, indústrias e organizações privadas, com ou sem fins lucrativos por meio de Chamamento Público. Para acessar o texto integral do chamamento, clique no link abaixo e faça o download do arquivo: Chamamento público Para iniciar o processo de participação, empresas, indústrias e organizações privadas, com ou sem fins lucrativos devem manifestar seu interesse preenchendo o formulário eletrônico disponível no link abaixo. O processo divide-se em três fases: cadastramento, seleção e habilitação. Formulário Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://dreamempregos.com
  Vagas Atualizadas – FEVEREIRO 23/02 | Dream Empregos VAGAS ATUALIZADAS - BLOG QUEM SOMOS PROCURE UMA VAGA CONTATO Vagas Atualizadas – FEVEREIRO 23/02 BARREIRAS Analista Comercial: Com experiência em CPR’s, Garantias e Créditos Agrícolas, entre outras. COD01 Analista de Rota (03 vagas): Com ou sem experiência, Superior completo, CNH: D. COD02 Call center: Com experiência, sexo feminino, CNH. COD03 ... UMA VAGA CONTATO Vagas Atualizadas – FEVEREIRO 23/02 BARREIRAS Analista Comercial: Com experiência em ... experiência, Superior completo, CNH: D. COD02 Call center: Com experiência, sexo feminino, CNH. COD03 Comprador: com experiência, sexo masculino, CNH, Disponibilidade de viagens quando for necessário. COD04 Caixa/ Atendente (Churrascaria 4 Vagas): Experiência na área. Sexo feminino .Bom atendimento ... Próprio. COD05 Caixa Operacional (POSTO 2 vagas): Experiência na área. Sexo Masculino. Nível superior CACHE

Vagas Atualizadas – FEVEREIRO 23/02 | Dream Empregos VAGAS ATUALIZADAS - BLOG QUEM SOMOS PROCURE UMA VAGA CONTATO Vagas Atualizadas – FEVEREIRO 23/02 BARREIRAS Analista Comercial: Com experiência em CPR’s, Garantias e Créditos Agrícolas, entre outras. COD01 Analista de Rota (03 vagas): Com ou sem experiência, Superior completo, CNH: D. COD02 Call center: Com experiência, sexo feminino, CNH. COD03 Comprador: com experiência, sexo masculino, CNH, Disponibilidade de viagens quando for necessário. COD04 Caixa/ Atendente (Churrascaria 4 Vagas): Experiência na área. Sexo feminino .Bom atendimento. É desejável que já tenha trabalho com atendimento ao público Pró ativo. Com iniciativa Transporte Próprio. COD05 Caixa Operacional (POSTO 2 vagas): Experiência na área. Sexo Masculino. Nível superior (desejável) Transporte próprio. Horários e salários a combinar. Rápida aprendizagem. Facilidade com cálculos. Detalhista. Pro ativo. Tenham referencias COD 06 Cozinheira: Experiência na área. Se possível que tenha transporte próprio. Dinâmica. Criativa. COD07 Enfermeiro do T rabalho : Com formação na área e experiência, sexo masculino . COD08 Estoquista: Com experiência, sexo masculino. COD09 Esteticista: Com experiência. COD10 Gerente: Com experiência em liderança, ambos sexos, Nível superior em Administração. COD11 Gerente de Churrascaria/ Lanchonete (1 VAGA): Experiência na área. Ambos os sexos. Transporte próprio. Disponibilidade para trabalhar feriados e finais de semana. Salário a combinar. Pró ativo. Senso de liderança. COD 12 Monitora de Sala: Sem experiência, formação na área de pedagogia ou letras. COD13 Mecânico: Com experiência anterior na função de mecânico comprovada na Carteira de trabalho 21 a 40 anos, CNH:D ou E, Salario bruto: 2.200,00, Benefícios: vale refeição, cesta básica, plano de saúde, seguro de vida(opcional). COD14 Técnico Segurança do Trabalho: Com experiência. COD15 Técnico Edificações: Com experiência. COD16 Técnico em Refrigeração: Com experiência. COD17 Vendedor Externo: Com experiência, Moto, CNH, Disponibilidade de viagens. COD18 Vendedor Externo: Com experiência, trabalhar em Barreiras . COD19 Serviços gerais: Com experiência, sexo feminino. COD20 Supervisor Armazém PCD: Ensino Superior Completo, Pacote Office Desejável ter experiência em Liderar Equipe. COD21 Operador de maquina Industrial Especialmente em maquina empacotadeira : Com experiência ou em Técnico. COD22 Propagando /Publicidade: Com experiência. COD23 Representante comercial : Com experiência, na área de vendas externas, na região oeste da Bahia, Barreira, Luis Eduardo Magalhães, Formosa do Rio Preto, e demais cidades do oeste. Acima de 30 Anos, 2 Grau completo, Remuneração: Fixo R$ 954,00 ( apos terceiro mês de trabalho ), comissão de 4% com base nas vendas realizada pelo representante. COD24 FAZENDAS Apontador de Campo: Com experiência, comprovada, sexo masculino. COD01 Almoxarife: com experiência, conhecimentos em compras. COD02 Almoxarifado: com experiência, e noção de informática, organização e conhecimento em peças agrícolas. (disponibilidade para fazenda). COD03 Auxiliar Administrativo : Com experiência, sexo masculino, para fazenda. COD04 A uxiliar de cozinha : Com experiência, sexo feminino. COD05 Auxiliar de Cozinha: Experiência, Sexo masculino, Ensino Fundamental Completo. Salario R$ 1.273,79 COD06 Auxiliar de almoxarifado: Sexo Masculino, ensino médio completo, noções de informática, CNH e experiência. COD 07 Coordenador de Irrigação: com muita experiência em pivôs nas culturas de soja, milha e Algodão. COD08 Cozinheira: Com experiência, reside na fazenda. COD09 Cozinheira: com solida experiência, para trabalhar no Piauí (600 km de LEM) . COD10 Casal: homem sendo pra serviços gerais (necessário saber op. maquinas também), esposa cozinheira, ambas as funções com solida experiência na área e que sejam registrada em CTPS, indispensável possui as referencias conforme os registros em carteira de trabalho. Desejável que não tenha filhos, porem se tiver no máximo 01. COD 11 C hefe de cozinha : com experiência na função e que já tenha trabalhado em fazenda. COD12 Dosador: Ensino médio com experiência ou se for técnico não precisa ter experiência. Tem que ter CNH no mínimo B. Não pode ter receio em mexer com defensivo agrícola. COD13 Eletricista de Máquinas e Veículos: Experiência em CTPS. Efetuar manutenção elétrica preventiva e corretiva em componentes de veículos de médio e grande porte e máquinas agrícolas, avaliando o desgaste das peças e realizando a troca, caso necessário, a fim de manter os maquinários em funcionamento o maior tempo possível. Efetuar manutenção preventiva e corretiva em painéis de controle de maquinários e implementos agrícolas. Desmontar e reparar chicotes elétricos, controladores e painéis em veículos automotivos em geral do setor agrícola. Examinar e reparar fusíveis, lâmpadas, alternadores, motores de partida, instalação de alarme e acessórios. COD14 Gerente de fazenda: com experiência, necessário conhecimento em manutenção de máquinas agrícolas, defensivos e aplicação de produtos. COD15 Gerente de Produção Agrícola: Com experiência, planejamento e execução de todas as atividades agrícolas dentro da empresa. – Formação de equipe. – Acompanhar e coordenar revisão e manutenção de maquinas e equipamentos. – Coordenar aplicação de defensivos agrícolas terrestre. – coordenar colheita, plantio e preparação de solo. (disponibilidade para fazenda). COD16 Jardineiro: com experiência, transporte próprio , vai e volta todos os dias. COD17 Mecânico : Com experiência em máquinas agrícolas e todos os tipos de Solda.. COD 18 Monitor de pragas, com experiência de no mínimo 01 ano de preferencia com culturas de algodão e milho, necessário ter curso de técnico agrícola. COD19 Monitor Agrícola: Experiência em Monitoramento (Soja ou Algodão) Técnico Agrícola e/ou Engenheiro Agrônomo. Disponibilidade para residir em Fazenda. CREA. CNH “AB´. COD20 Operador de colheitadeira : com experiência mínimo de 01 ano. COD21 Porteiro Diurno: Com experiência, Jornada de 12×36,Com habilitação A, e possuir moto, Salario de 1.030,00 + 70,00 ajuda de combustível. Benefícios: Plano de saúde e Odontológico, Seguro de vida, Vale Alimentação COD22 Padeiro: Com experiência para trabalhar em fazenda. COD23 Serviços gerais(04 vagas): Com experiência MINIMA de 01 em carteira , necessário ensino fundamental completo , sexo masculino. COD24 Torneiro Mecânico : Experiência em CTPS. Experiência com máquinas e ferramentas para usinar peças metálicas e similares. COD25 Técnico agrícola: Com experiência, Com experiência de no mínimo 01 ano e 6 meses, com CREA ativo com CREA ativo. COD 26 Técnico Agrícola: com disponibilidade para viagens, e ter a habilitação há mais de 2 anos. COD27 Vaqueiro: Com idade entre 30 a 45 anos, casado, com experiência de no mínimo 3 anos. COD28 FAZENDA Eletricista: Com experiência em parte elétrica de pivô e de rede elétrica alta e baixa , sexo masculino. Operador de caldeira : Com experiência, função comprovada em carteira. Operador de Secador: Com experiência, função comprovada em carteira. Operador de K3 e KTR: Com experiência, função comprovada em carteira. Tratorista: Com experiência com cultura de café. ATENÇÃO! ENTREVISTA TODAS AS QUINTAS-FEIRA DAS 07: AS 11:00 DA MANHA. Fazenda fica localizada após o Posto Cerradão. Portando. carteira de habilitação e o currículo. Importante informar que o deslocamento e para entrevista o custo e organização e do candidato e não é permitida a vinda de acompanhantes (somente candidato) Candidatos interessados em vagas operacionais de verão vir calcado e vestido para realizar teste pratica Todas as vagas ficam alojadas na fazenda de segunda a sexta, tem transporte de ida e vinda da fazenda saída / retorno de Luiz Eduardo Magalhães. LUIS EDUARDO MAGALHÃES Cod.01- Atendente Garçonete / Garçom, seja uma pessoa dinâmica, comunicativo, hábil, pro-ativo, ágil, bom relacionamento ,Organizado. Requisitos: 2º grau completo. Residir em LEM (próximo aos bairros florais léa, santa cruz , ou as proximidades do Jd. Paraiso. ).Disponibilidade de horário. tarde/noite, semana e finais de semana. Experiência profissional comprovada. Habilidade em informática. Referência atualizada. Cód. 02- Auxiliar de cozinha, seja uma pessoa dinâmica, comunicativo, hábil, pro-ativo, ágil, bom relacionamento ,Organizado. Requisitos: 1º grau completo. Residir em LEM (próximo aos bairros florais léa, santa cruz , ou as proximidades do Jd. Paraiso ).Disponibilidade de horário tarde/noite, semana e finais de semana. Experiência profissional no cargo. Conhecimento em higienização de utensílios, alimentos e ambiente. Preferência: Curso de higiene e manipulação de alimentos. Referência comprovada e atualizada. Cód. 03- Aux. Administrativo- Com experiência em construtora. Cód. 04- (10 vagas) de auxiliar de obras- Com experiência Cod.05- Auxiliar de mecânico, com experiência em maquinas pesadas. Cod.06- Aplicador de insulfilm , com experiência. Cód. 07- Administrativo fiscal/Financeiro, com experiência comprovada em CTPS , sexo feminino ,precisa esta cursando ou concluído ensino superior em ADM, Ciencias contábeis ou logística, seja uma pessoa proativa, boa dicção, informática básica, Excel intermediário, sexo feminino. Cód. 08- Arte finalista , com experiência, sexo masculino. Cod.09- Chapeador de carro , com experiência. Obs: Ja para entrevista . Cód. 10- Coordenador de segurança, com formação em engenharia de segurança. Cod.11- Classificador , sexo masculino , com experiência em grãos. Cód. 12- Eletricista de auto elétrica , com experiência, para trabalhar com ônibus. Cód. 13- Encarregado de loja, seja uma pessoa dinâmica, comunicativo, hábil, pro-ativo, ágil, bom relacionamento ,Organizado. -Conhecimentos de: 1- Processos básicos de liderança e gestão de pessoal. 2- Métodos básicos de controle contábil e gestão financeira. 3- Sistemas básicos de administração da produção e de gerenciamento do estoque. 4- Normas de segurança alimentar para supervisão. 5- Princípios de armazenamento e conservação de alimentos e bebidas. 6- Termos técnicos relativos ao serviço de alimentos e bebidas. 7- Funções e responsabilidades dos diversos serviços de um restaurante. 8- Normas de etiqueta à mesa e no salão. 9- Procedimentos de emergência em caso de incêndio, roubo e falta de energia. -Habilidades para: 1- Comunicação verbal clara, articulada e expressiva com emprego de gramática e Vocabulário adequados. 2-Troca de feedback . 3- Atuação de forma independente para acelerar decisões. 4- Tomada de decisões. 5- Lideranças para dirigir, supervisionar e conviver com a equipe 6- Equilíbrio emocional perante reclamação, situação imprevista e pressão de tempo. Cód. 14 – ( 06 vagas) para oficiais de obras, com experiência. Cod.15- Operador de caixa, com experiência, sexo feminino, boa informática, pessoa proativa, boa aparência. Cod.16- Domestica , com experiência, não ter filhos pequenos, residir nos bairros próximos ao centro, acima de 30 anos, trabalhar no horário comercial, não ter alergia a animais. Cod.17- Domestica, com experiência, necessário cozinhar, de preferencia com as referencias dos antigos empregos, casa fica prox. ao clube rio de pedras no Jd. Paraiso. Cód. 18- Domestica, com experiência, lavar , passar e cozinha, trabalhar meio período ( 07:30 horas as 12h) , renumeração de 600 reais, pref. Por pessoas que morem prox. Ao Jardim paraíso . Cód. 19- Departamento pessoal , com experiência comprovada de no mínimo 2 anos, que sabe fazer todas rotinas do departamento pessoal. Cód. 20- Fiscal , com experiência em escritório contábil, ambos os sexos. Necessário está cursando ou concluído ensino superior em ciências contábeis. Cód. 21- Gerente – Com experiência, de preferencia do ramo de móveis, ambos os sexos. Cod.22- Gerente Comercial, com experiência solida na área, ambos os sexos. Cód. 23- Gerente de granja, com solida experiência, formação em zootecnia ou med. Veterinária. Cód.24- Logística de grãos- Com experiência comprovada em transportado de grãos, sexo masculino, pessoa proativa, que tenha uma boa dicção, idade ate 45 anos, que tenha informática básica , com espirito de liderança. Cód. 25- Mecânico, com solida experiência na função. Cód.26- Mecânico Diesel, com solida experiência na área. Salario variável de 2.000 a 3.000,trabalhar em Roda Velha . Cód. 27- Mecânico industrial, com solida experiência na função. Cod.28- Motorista, com cnh E, com experiência e estabilidade nos empregos. Cod.29- Mecânico de auto, com experiência . Cód. 30- Mecânico de linha amarela , com experiência Cód. 31- Representante Comercial- Tem que ter o RC, com CNH A/B, ambos os sexos, com experiência em vendas. Vai atuar em LEM e Roda Velha. COD. 32- Representante Comercial: Com experiência em vendas. Sexo masculino. Cód. 33- Professor de pilates, com experiência. Cód. 34- Instalador de som , com experiência. Cód.35- Serviços gerais, com experiencia, para fazer os serviços das empresas (seis salas, 1 banheiro, 1 almoxarifado pequeno) e fazer café , onde terá uma carga horária de 04 horas diária, totalizando 24 horas semanais (das 6:00 as 8:00 e das 12 as 14:00 de segunda a sexta-feira e sábado das 6 as 10:00), consequentemente o pagamento será meio salário mínimo. Preferência para pessoas que moram nos Bairros Jardim Imperial e Jardim das Acácias . Cod.36- Serviços gerais, seja uma pessoa dinâmica, comunicativo, hábil, pro-ativo, ágil, bom relacionamento ,Organizado. No mínimo ensino fundamental completo, com experiência, disponibilidade para trabalhar a noite e nos finais de semana, salario compatível com a função, ajuda de custo e bonificação, morar próximo aos bairros do Jardim paraíso. Cód. 37- Supervisor de campo, com experiência em plantio e pastagem na área pecuária , formação em agrônomo ou técnico. Cód.38- Torneiro Mecânico- Com experiência. Cod.39- Torneiro Mecânico , com experiência . Cód. 40- Técnico de Segurança do trabalho , com experiência de no mínimo 1 ano, sem preferência de sexo ou idade. Cod. 41- Telemarketing/ Call Center – com experiencia, sexo feminino Cod.42- Pintor automotivo , com experiência em funilaria também . Encaminhamento gratuito para esta vaga. Cod.43- Vendedor Externo de Pneus Agrícolas, Experiência no segmento de concessionárias, preferencialmente venda de pneus. Conhecimentos de pacote Office especificamente Excel intermediário ou avançado. Conhecimentos de calculadora HP12C. Ensino Médio Completo. Desejável estar cursando nível superior em Administração. Idade entre 25 a 45, sexo feminino ou Masculino. Indispensável: Habilitação B, potencial para aprendizagem, dinamismo, cuidado com o aspecto pessoal (postura e imagem), aptidão para trabalhar na área comercial (foco no cliente e no resultado) Descrição das atividades: Realizar vendas de pneus agrícolas, com base em prospecção de clientes e no cadastro de clientes de sua área de atuação. Apresentar relatório com informações sobre negociação comercial contendo valores e formas de pagamento e data de entrega ao cliente para assegurar a venda e a entrega dentro do prazo acordado. Planejar semana de trabalho através de relatórios específicos para tal fim. Prestar contas de todas as atividades bem como de despesas em relatório específico para tal fim. Apresentar relatório com informações sobre negociação comercial contendo valores e formas de pagamento e data de entrega ao cliente para assegurar a venda e a entrega dentro do prazo acordado. Cód.44- Vendedor , com solida experiência em vendas de veículos/maquinas. Cód. 45- Vendedor externo para area comercial -(02 vagas) Com experiencia comprovada em CTPS em vendas de maquinas agrícolas, salario e mais comissão a combinar, idade entre 24 a 35 anos. Cod.46- Vendedor , com experiência, sexo masculino , necessário ter CNH. Cod.47- Vendedora, com experiência, sexo feminino, boa informática, pessoa proativa, boa aparência. Cód. 48- Vendedora- Com experiência, sexo feminino. NEWSLETTER Cadastre-se e receba novidades sobre vagas de emprego em seu e-mail. Digite aqui o seu e-mail: Rua Severino Vieira, s/n - Centro Barreiras - BA Siga-nos nas Redes Sociais Área do usuário Login Senha esqueci a senha | cadastre-se dreamempregos@gmail.com 77 3613-5153 77 9927-1377 | 9863-3295 © 2017. Dream Cursos. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Maquinarama



https://www.oracle.com/applications/customer-experience/index.html
  CX - Soluções de Experiência do Cliente | Oracle Brasil Página Inicial Ir para Conteúdo Ir para Pesquisa Oracle Menu Fazer Login Conta Conta da Oracle Sair da Conta Conta Ajuda Conta da Oracle Gerencie sua conta e acesse um conteúdo personalizado. Fazer Login Criar uma conta Conta na Nuvem Acesse seu painel na nuvem, gerencie pedidos e muito mais. Fazer login País / Região Ligar Oracle Brasil Customer ... CX - Soluções de Experiência do Cliente | Oracle Brasil Página Inicial Ir para Conteúdo Ir para ... Customer Experience Oracle CX — Soluções para Experiência do Cliente Oracle CX Cloud Proporcione ... Redefinem a Experiência do Cliente As inovações de CX mais recentes da Oracle - Oracle Engagement Cloud e Oracle Adaptive Intelligent Applications - estão redefinindo a experiência do cliente. Ler ... . Saiba mais Escolha um Foco para Suas Necessidades de Experiência do Cliente Marketing Veja como o CACHE

CX - Soluções de Experiência do Cliente | Oracle Brasil Página Inicial Ir para Conteúdo Ir para Pesquisa Oracle Menu Fazer Login Conta Conta da Oracle Sair da Conta Conta Ajuda Conta da Oracle Gerencie sua conta e acesse um conteúdo personalizado. Fazer Login Criar uma conta Conta na Nuvem Acesse seu painel na nuvem, gerencie pedidos e muito mais. Fazer login País / Região Ligar Oracle Brasil Customer Experience Oracle CX — Soluções para Experiência do Cliente Oracle CX Cloud Proporcione experiências de marca personalizadas, conectadas e consistentes com um conjunto de aplicativos que abrange todo o ciclo de vida do cliente. Saiba mais sobre o CX Cloud Suite A Forrester Indica a Oracle Líder nem Wave para Pacotes de CRM Descubra o que a Forrester disse sobre o Oracle CX Cloud Suite em comparação com o Salesforce em seu último relatório. Leia aqui Além de 360: Novos Aplicativos em Nuvem Redefinem a Experiência do Cliente As inovações de CX mais recentes da Oracle - Oracle Engagement Cloud e Oracle Adaptive Intelligent Applications - estão redefinindo a experiência do cliente. Ler a publicação no blog Oracle usou as soluções Oracle CX Cloud para transformar seus processos de vendas. Saiba mais Escolha um Foco para Suas Necessidades de Experiência do Cliente Marketing Veja como o Marketing Moderno funciona. CX para Marketing Vendas Venda a qualquer hora, em qualquer lugar, em qualquer aparelho. CX para Vendas Serviços Permita que os funcionários atendam os clientes rapidamente. CX para Serviços Comércio Ofereça uma experiência relevante do cliente nos canais. CX para Comércio Social Permita a realização de negócios socialmente sem a complexidade dos silos sociais. CX para Redes Sociais CPQ Venda mais e com maior rapidez usando a solução líder Configure, Price, Quote. CX para CPQ Data Cloud Soluções orientadas por dados para obter melhores resultados de marketing. CX para Data Cloud Nuvem de fidelidade Aumente o valor do cliente e a rentabilidade. CX para Nuvem de Fidelidade Oracle Customer Experience Completo Conectado Orientado por Dados Moderno Adaptado a Setores 20 % perda estimada da receita anual para negócios que não oferecem uma experiência do cliente positiva (Fonte: Visões Globais sobre Como Ter Sucesso na Era da Experiência do Cliente, Oracle, 2013) O pacote de soluções abrangentes da Oracle para marketing, e-commerce, vendas, serviços e mídias sociais ajuda você a oferecer ótimas experiências do cliente que estimulam apoio e crescimento de receita. Relatório de analistas: Ovum: A Experiência do Cliente (CX, Customer Experience) da Oracle é um Modelo para a Próxima Geração de Plataformas de Fornecimento de Serviços Independente da forma e do local em que seus clientes interagem com seu negócio, a Oracle conecta essas interações com a sua marca, oferecendo suporte a todas as funções voltadas para o cliente, aperfeiçoando sua experiência. Vídeo: Avaya Simplifica os Processos de Negócios com o Oracle Cloud (2:00) Vídeo: Mapeamento da Jornada de Experiência do Cliente com o Oracle CX (1:24) Análise avançada preditiva, conhecimento de mídias sociais e recomendações em tempo real podem dar a você um conjunto de ideias que ajudam a reduzir custos, aumentar receitas e manter o valor da marca. Artigo: Fairmont Hotels usa dados do cliente para aprimorar sua reputação pelo envolvimento perfeito com o cliente Vídeo: D&M Group Gerencia os Negócios com as Soluções Oracle Cloud (2:01) Modernize seus negócios com tecnologias móveis, sociais e de análise avançada. Os melhores aplicativos integrados do mercado ajudam você a vencer a concorrência. Vídeo: O CEO Mark Hurd compartilha a visão de CX no Modern CX 2016 Vídeo: Cummins Integra Tecnologias para Inteligência de Mercado (2:02) Seu setor enfrenta desafios exclusivos. As Soluções do Setor para Experiência do Cliente são personalizadas para suprir as necessidades da sua empresa. CX para Banco , CX para Comunicações , CX para Varejo Ver tudo Setores O Oracle CX Leva Simplicidade e Visibilidade para Kenya Airways “ Foi realmente incrível vermos um serviço mais consistente para nossos clientes de alto valor. ” – Doreen Okiri, Gerente de Implementação de Sistemas de Suporte a Negócios, Kenya Airways Com Oracle CX, a TH March Criou Um Novo Patamar de Negócios na Nuvem “ O mais gratificante para mim é o fato de ter aberto os olhos e renovado a maneira de pensar sobre os negócios. ” – Mark Smith, Presidente, TH March Satisfação dos Clientes na Panasonic Computer Products Europe “ Nossa mudança para o Oracle CX Cloud realmente foi uma parte muito importante da nossa estratégia, para nossa visão de satisfação dos clientes e superação de suas expectativas. ” – Rhiannon Ainge, Gerente de Marketing e Sistemas, Panasonic Computer Products Europe Em Destaque Blog Além de 360: Novos Aplicativos em Nuvem Redefinem a Experiência do Cliente As inovações de CX mais recentes da Oracle - Oracle Engagement Cloud e Oracle Adaptive Intelligent Applications - estão redefinindo a experiência do cliente. Ler a publicação no blog abrir fechar Artigo Esteja no Momento: CX Integrado na Era da Insatisfação Consumidores insatisfeitos não vão esperar pela sua solução. Você deve atendê-los no momento de inspiração. Ler o artigo abrir fechar Relatório Chave de Integração Multifuncional para que a Transformação Digital Aconteça Technology Business Research identifica o Oracle Engagement Cloud como pioneira na integração de centros de compras para oferecer a melhor experiência do cliente. Ler o relatório (PDF) abrir fechar Vamos Começar Mude para a Nuvem rapidamente Veja os Setores de CX (Customer Experience, Experiência do cliente) Parceiro com Oracle CX Entre em Contato com o Departamento de Vendas Entre em Contato Demonstração Social Inscreva-se Estamos aqui para ajudar Procure um Especialista em Vendas> Ligue para a Oracle 551151893137 0800-891-4433 Receba uma Chamada da Oracle Contatos Globais Localize um Parceiro Diretório de Suporte Tours Rápidos Faça um tour agora Siga Facebook Twitter LinkedIn Youtube Blog Informativo Siga o Oracle Corporate no Facebook Twitter LinkedIn Google Plus Youtube Diretório de Mídias Sociais da Oracle Diretório de RSS da Oracle Inscreva-se por tópico Centro de Assinaturas Entre em Contato Conosco Vendas: 0800-891-4433 Contatos Globais Diretório de Suporte Sobre a Oracle Informações sobre a Empresa Comunidades Carreiras Nuvem Visão geral de Soluções em Nuvem Software (SaaS) Plataforma (PaaS) Infraestrutura (IaaS) Dados (DaaS) Teste em Nuvem Grátis Eventos Oracle OpenWorld Oracle Code JavaOne Todos os Eventos da Oracle Ações Principais Faça o Download do Java Faça o Download do Java para Desenvolvedores Experimente o Oracle Cloud Inscreva-se para Receber E-mails Notícias Redação Revistas Histórias de Sucesso de Clientes Blogs Tópicos Principais ERP, EPM (Finanças) HCM (RH, Talento) Marketing CX (Vendas, Serviço, Comércio) Soluções Setoriais Banco de Dados MySQL Middleware Java Sistemas Projetados Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube Feed RSS da Oracle Oracle Aplicativos em Nuvem Integrados & Serviços de Plataforma © Oracle Mapa do Site Condições de Uso e Privacidade Escolhas de Anúncios



http://www.cnpq.br/web/guest/pesquisa-e-noticia/
  Pesquisa e Notícia - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor CACHE

Pesquisa e Notícia - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Popularização da Ciência / Mídia / Pesquisa e Notícia / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Sua pesquisa pode virar notícia Este espaço está reservado para contato com a equipe da Popularização da Ciência e envio de informações sobre projetos apoiados pelo CNPq. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Nome completo Instituição E-mails de contato Telefone Título da pesquisa Processo Resumo Material para divulgação Enviar Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/outras/
  Outras - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência CACHE

Outras - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Popularização da Ciência / Programa Editorial / Outras / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Revistas apoiadas pelo CNPq e pela CAPES - Outras Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Anais da Academia Brasileira de Ciencias Sexualidad, Salud y Sociedad (Rio de Janeiro) Revista Estudos Feministas Estudos Avançados (USP) Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/jovens-pesquisadoras1/
  Jovens Pesquisadoras - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para CACHE

Jovens Pesquisadoras - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Programas / Mulher e Ciência / Projetos / Jovens Pesquisadoras / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Jovens Pesquisadoras Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 1ª Edição - Jovens Pesquisadoras - Ciência também é coisa de mulher . Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



http://www.cnpq.br/web/guest/tutorial/
  Tutorial - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu CACHE

Tutorial - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Programas / REBIOTERIO / Tutorial / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Tutorial Este tutorial contriburá para que a importação e o desembaraço de animais vivos estejam ao alcance dos pesquisadores e aconteça de maneira mais fácil e eficaz, respeitando todos os trâmites legais, assim como a integridade dos animais. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Tutorial para auxiliar pesquisadores na importação de animais para experimentação Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/tutorial/
  Tutorial - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu CACHE

Tutorial - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Programas / REBIOTERIO / Tutorial / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Tutorial Este tutorial contriburá para que a importação e o desembaraço de animais vivos estejam ao alcance dos pesquisadores e aconteça de maneira mais fácil e eficaz, respeitando todos os trâmites legais, assim como a integridade dos animais. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Tutorial para auxiliar pesquisadores na importação de animais para experimentação Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/fotos/
  Fotos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu CACHE

Fotos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Prêmios / Pesquisador Emérito / Fotos / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Fotos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Solenidade de entrega 2009 não informado não informado - Solenidade de entrega 2009 Seu browser não esta habilitado para javascript Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



https://www.maisasas.com/corporate_experience
  Experiências únicas vão potencializar suas ações de marketing | +Asas blog Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência Toggle navigation Menu Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência blog Experiências únicas vão potencializar suas ações de marketing ... somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência ... de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência blog Experiências únicas vão potencializar suas ações de ... Experiência Bossa Sunset para colaboradores e influenciadores da AMBEV Público-alvo: Colaboradores e Influenciadores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Bossa Sunset Experiência de barco para ... : Ação de relacionamento Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Experiência Bossa Sunset com CACHE

Experiências únicas vão potencializar suas ações de marketing | +Asas blog Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência Toggle navigation Menu Sobre o +Asas Quem somos Blog Imprensa Clientes Corporativo Experiências Rio de Janeiro São Paulo Ofereça uma experiência blog Experiências únicas vão potencializar suas ações de marketing O +Asas ajuda a sua empresa a engajar clientes, colaboradores e parceiros com ações de brand experience. Através de experiências exclusivas garantimos uma memória positiva e duradoura vinculada à sua marca. Vem nos conhecer melhor! Como funciona Quero saber + Conheça alguns de nossos clientes Como funciona Escolha abaixo o público da sua campanha Clientes Colaboradores Descubra Ajudamos você a escolher as experiências que tem tudo a ver com a essência da sua marca Presenteie Envie os convites para impactar clientes e parceiros com momentos únicos e exclusivos Crie memórias inesquecíveis Ative ainda mais a sua marca com ações de marketing diferenciadas e exclusivas Descubra Ajudamos você a escolher as experiências que tem tudo a ver com a cultura da sua empresa Presenteie Envie os convites para incentivar ou premiar colaboradores com momentos únicos Crie memórias inesquecíveis Engaje colaboradores com ações de incentivo e premiação diferenciadas e exclusivas Previous Next Conheça nossos cases Aproveite para ter ideias de ações incríveis para seus clientes e colaboradores Experiência Bossa Sunset para colaboradores e influenciadores da AMBEV Público-alvo: Colaboradores e Influenciadores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Bossa Sunset Experiência de barco para a Nike, indo do Rio até Niterói com uma parada no MAC Público-alvo: Jornalistas Internacionais Ação: Ação de relacionamento Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Experiência Bossa Sunset com cocktail e DJ para 100 donos de concessionárias AUDI Público-alvo: Donos de concessionárias Ação: Ação de relacionamento Experiência: Bossa Sunset Experiência de barco pela Baía de Guanabara especialmente feita para a Uber. Um dia realmente mágico! Público-alvo: Top Motoristas Mundo Ação: Premiação Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Experiências diversas realizadas para os principais clientes e parceiros da marca Público-alvo: Principais clientes e parceiros Ação: Associação de marca e Fidelização Experiência: Diversas Experiência para a reunião co-criativa da Fanta, com passeio de jipe, duelo de videogame e outras surpresas Público-alvo: Youtubers Ação: Engajamento Experiência: Segredinhos da Urca Especial Leia mais+ Experiência Café Cultural, com degustação e bate-papo sobre café para os anfitriões do Airbnb de Santa Teresa Público-alvo: Anfitriões Ação: Fidelização Experiência: Café da Manhã Cultural Leia mais+ Experiência Photo Mobile para a comunidade de cariocas engajados com o Google Maps Público-alvo: Heavy Users Ação: Engajamento Experiência: Photo Mobile especial Leia mais+ Experiência Por Trás da Xícara de Café para premiar donos de concessionárias da Nissan Público-alvo: Donos de concessionárias Ação: Premiação Experiência: Por Trás da Xícara de Café Alguns dos principais clientes do Google participaram da experiência Todos na Cozinha em uma linda casa no Rio Público-alvo: Principais clientes Ação: Fidelização Experiência: Todos na Cozinha Experiência Bossa Sunset para divulgar novidades da marca para jornalistas nacionais e internacionais Público-alvo: Jornalistas Nacionais e Internacionais Ação: Apresentação de Novas Tecnologias Experiência: Bossa Sunset Experiência de passeio de barco com SUP, bloco de carnaval, comidinhas e fantasias Público-alvo: Principais Clientes Ação: Ação de relacionamento Experiência: Standup Leia mais+ Nesta campanha de Dia dos Namorados, a FARM convidou 6 casais apaixonados para um fim de semana de sonhos Público-alvo: Principais clientes Ação: Ação de relacionamento Experiência: Camping do Amor Leia mais+ Picnic Sensorial para a equipe de contato com clientes. Público-alvo: Colaboradores Ação: Ação de Relacionamento Experiência: Picnic Sensorial Sports World convidou a Deloitte para uma experiência única de gastronomia: Todos na Cozinha Público-alvo: Colaboradores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Todos na Cozinha Experiência de barco pela Baía de Guanabara com almoço exclusivo, seguido por um Stand Up Paddle no mar Público-alvo: Embaixadores Ação: Fidelização Experiência: Velejar é preciso para as Cagarras Leia mais+ Experiência Vibe Bonita para algumas das principais clientes da marca. Foi um dia de atividades únicas só para elas Público-alvo: Top Clients Ação: Fidelização Experiência: Vibe Bonita Leia mais+ Experiência Pedra do Sal, o Berço do Rio para parceiros SEBRAE Público-alvo: Parceiros Ação: Lazer fora do óbvio Experiência: Pedra do Sal, o Berço do Rio Experiência Photo Mobile no Pão de Açúcar para 60 participantes de um evento internacional no Rio Público-alvo: Participantes de Convenção Ação: Lazer fora do óbvio Experiência: Photo Mobile Além de patrocinar os happy hours da comunidade de anfitriões +Asas, faz product placement e ativação de conteúdo nas experiências que tem a ver com a branding persona da marca Público-alvo: Co-branded, influenciadores (anfitriões +Asas) Ação: Associação de marca e Ativação de conteúdo Experiência: Diversas Campanha de Dia dos Namorados com a experiência Expedição Floresta da Tijuca para clientes da marca Público-alvo: Clientes Ação: Campanha Dia dos Namorados Experiência: Expedição Floresta da Tijuca Experiência Pic Nic Sensorial para a confraternização de fim de ano da equipe de marketing da marca Público-alvo: Equipe de Marketing Ação: Confraternização Fim de Ano Experiência: Pic Nic Sensorial Leia mais+ Experiência Aloha Canoa para algumas das principais clientes da FARM, com muita animação e música ao vivo Público-alvo: Principais clientes Ação: Ação de relacionamento Experiência: Aloha Canoa Leia mais+ Experiências para as pessoas que tiveram uma impressão ruim com o serviço do Airbnb durante a Copa do Mundo Público-alvo: Clientes Ação: Engajamento (Recuperação de clientes) Experiência: Segredinhos da Urca e Pedra do Sal o Berço do Samba Experiência Todos na Cozinha para influenciadores, com a proposta de divulgar a marca ao grupo Público-alvo: Influenciadores Ação: Divulgação da Marca Experiência: Todos na Cozinha Experiência para influenciadores da marca com muita alegria, comida e, claro, cerveja gelada Público-alvo: Influenciadores Ação: Ação de relacionamento Experiência: Todos na Cozinha Experiência com Picnic na Lagoa Rodrigo de Freitas, com comidinhas e uma incrível performance de acroyoga Público-alvo: Jornalistas e Influenciadores Ação: Divulgação da Marca Experiência: Picnic Mari Leia mais+ Ver mais cases Veja o que oferecemos Entenda melhor como são algumas de nossas experiências assistindo a vídeos inspiradores Uber Cup winners had a phenomenal time at +Asas experience Jeff Miller, UBER São Francisco, USA Foi tudo como planejado, vocês pensaram em todos os detalhes e inclusive excedeu minhas expectativas. Mariana Marques, Google São Paulo Muito bom saber que posso contar com o +Asas para surpreender nossos clientes e parceiros Alan Crean, Mastercard Entre em contato * Nome completo * E-mail Telefone Empresa Como você nos encontrou? Anúncio no Google (Adwords) Anúncio no Facebook Busca (Google, Yahoo, Bing etc) Publicação no Facebook E-Mail Marketing Indicação de colega da empresa Indicação de amigos/família Já ganhei/utilizei Imprensa (TV, jornal, site etc) Blog Recebi uma ligação comercial Outro * Mensagem Conecte-se com a gente Mais Asas Instagram by @maisasas +55 21 98121-7458 maisasas@maisasas.com Termos de uso Privacidade Experiências Ofereça uma experiência Nossos cases blog



http://www.cnpq.br/web/guest/premios-apresentacao/
  Apresentação - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está CACHE

Apresentação - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Prêmios / Apresentação / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Prêmios O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é pioneiro na concessão de prêmios no Brasil. Desde a década de 70, os prêmios do CNPq cumprem o papel de instrumentos de divulgação e valorização da política de desenvolvimento científico e tecnológico, contribuindo para uma articulação efetiva com entidades parceiras dos setores público e privado. Os agraciados são estudantes e pesquisadores renomados, que representam as duas pontas da cadeia de produção de ciência, tecnologia e inovação. Com temáticas, categorias e públicos variados, os prêmios incentivam a formação e o aprimoramento do quadro de pesquisadores brasileiros nas diversas áreas do conhecimento. Visite os hotsites dos prêmios organizados e apoiados pelo CNPq clicando nos links abaixo. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Tem como objetivos estimular a reflexão crítica e impulsionar a pesquisa sobre as desigualdades... SAIBA MAIS Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia É uma iniciativa da Reunião especializada de Ciência e Tecnologia do Mercosul (Recyt), do Minis... SAIBA MAIS Prêmio Almirante Álvaro Alberto para Ciência e Tecnologia Consiste na mais importante honraria em ciência e tecnologia do País. É entregue em reconhecime... SAIBA MAIS Prêmio José Reis Concebido em 1978, é direcionado para jornalistas profissionais, pesquisadores, escritores, ins... SAIBA MAIS Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia É uma iniciativa da Reunião especializada de Ciência e Tecnologia do Mercosul (Recyt), do Minis... SAIBA MAIS Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Tem como objetivos estimular a reflexão crítica e impulsionar a pesquisa sobre as desigualdades... SAIBA MAIS Prêmio de Fotografia - Ciência & Arte Lançado em 2011, durante as comemorações dos 60 anos do CNPq, foi concebido como um marco para ... SAIBA MAIS Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica Concebido em 1978, é direcionado para jornalistas profissionais, pesquisadores, escritores, ins... SAIBA MAIS Prêmio Jovem Cientista Tem como objetivos promover a reflexão e a pesquisa, revelar talentos e investir em estudantes ... SAIBA MAIS Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Instituído em 2003, teve sua abrangência ampliada em 2012, quando ganhou a denominação atual. T... SAIBA MAIS Menção Especial de Agradecimento Instituído em 2005, consiste na concessão de diploma e medalha aos colaboradores - pessoa físic... SAIBA MAIS Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://brasilruralaventura.com.br/galeria_detalhe.asp?ID=74
  Brasil Rural Aventura - Vivendo Experiências! - Cadastre-se | Recomende este site HOME Fale Conosco/Reservas Instituto Brasil Rural Loja Virtual Artigos Turismo Rural DESTINOS INFORMAÇÕES GERAIS Galeria de Fotos Galeria de Vídeos Cadastre sua Agências Parceiros REDES SOCIAIS (11) 3032-7926 info@brasilrural.tur.br Escolha um destino Galeria de Fotos Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência ... Experiência « voltar Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário CACHE

Brasil Rural Aventura - Vivendo Experiências! - Cadastre-se | Recomende este site HOME Fale Conosco/Reservas Instituto Brasil Rural Loja Virtual Artigos Turismo Rural DESTINOS INFORMAÇÕES GERAIS Galeria de Fotos Galeria de Vídeos Cadastre sua Agências Parceiros REDES SOCIAIS (11) 3032-7926 info@brasilrural.tur.br Escolha um destino Galeria de Fotos Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência « voltar Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Peru Rural, Natural e Comunitário. Arequipa Experiência Miraflores Lima Miraflores LIma Miraflores Lima Miraflores Lima Tradiçao Alma do Peru Termos e Condições de Uso C© 2017 Brasil Rural. Todos os Direitos reservados. by GUES



http://www.cnpq.br/web/guest/apresentacao-acesso-a-informacao/
  Apresentação - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está CACHE

Apresentação - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Acesso à Informação / Apresentação / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Acesso à Informação Bem-vindo! Nesta seção são divulgadas informações sobre a Lei de Acesso à Informação, tais como os temas tratados na lei, os procedimentos para solicitação de acesso e mecanismos recursais, estatísticas de acesso, entre outras informações. Ao disponibilizar este espaço o CNPq espera ir além do cumprimento da determinação legal, diminuindo e facilitando o trabalho de todos os cidadãos que necessitam e buscam dados e informações públicas acumuladas durante o desempenho de suas atribuições institucionais. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://digabahia.com.br/vagas-de-emprego-para-hoje-77/
  Diga Bahia | Vagas de emprego para hoje - Diga Bahia Quem Somos Links Úteis Trânsito ao Vivo! Chicossauro-Rex Toggle navigation Home Notícias Salvador Bahia Brasil TV Diga Empresas & Negócios Esporte Mercado de Trabalho Agenda Entrevistas Contato Vagas de emprego para hoje Postado em 05/05/2017 7:30 O SineBahia acaba de divulgar as vagas de emprego para esta sexta-feira (5). Há oportunidades para ... completo em marketing, Administração e publicidade/CNH A/B Possuir veículo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas SORVETEIRO Ensino médio completo Disponibilidade de horário Experiência ... Hidráulica, CFTV, controle de acesso, inter Fone, grupos geradores e pabx Não exige experiência 02 vagas ... , gestão De negócios ou áreas afins/CNH B Experiência em Call Center Experiência mínima de 03 meses na carteira 01 vaga MARMORISTA Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga CACHE

Diga Bahia | Vagas de emprego para hoje - Diga Bahia Quem Somos Links Úteis Trânsito ao Vivo! Chicossauro-Rex Toggle navigation Home Notícias Salvador Bahia Brasil TV Diga Empresas & Negócios Esporte Mercado de Trabalho Agenda Entrevistas Contato Vagas de emprego para hoje Postado em 05/05/2017 7:30 O SineBahia acaba de divulgar as vagas de emprego para esta sexta-feira (5). Há oportunidades para Salvador e interior do estado. Os interessados devem se dirigir à unidade central do SineBahia, situada na Avenida ACM nº. 3359 – Edf. Torres do Iguatemi, ou aos postos do SAC. Imprescindível portar número do PIS, PASEP ou NIS. Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade. Nas demais cidades, os candidatos devem buscar os postos do SineBahia em cada município. Vagas exclusivas para as unidades de Salvador (05.05) PROMOTOR DE VENDAS Ensino superior completo em marketing, Administração e publicidade/CNH A/B Possuir veículo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas SORVETEIRO Ensino médio completo Disponibilidade de horário Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga ELETROTÉCNICO(Estágio) Ensino médio incompleto/CNH A Noções em algumas dessas áreas: Manutenção antena coletiva, alarme Automatização de portões, bombas de água Hidráulica, CFTV, controle de acesso, inter Fone, grupos geradores e pabx Não exige experiência 02 vagas ASSISTENTE DE VENDAS Ensino superior completo em administração, Economia, marketing, comércio, gestão De negócios ou áreas afins/CNH B Experiência em Call Center Experiência mínima de 03 meses na carteira 01 vaga MARMORISTA Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga PROFESSORES DE CURSOS LIVRES Ensino superior completo em produção cultural, gestão de eventos, relações públicas ou publicidade e propaganda Experiência com produção de eventos culturais, sociais ou empresariais Experiência mínima de 06 meses na carteira 12 vagas AJUDANTE DE FARMÁCIA(Exclusiva para PCD) Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas TÉCNICO DE ENFERMAGEM (Exclusiva para PCD) Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 03 vagas EMPACOTADOR, A MÃO (Exclusiva para PCD) Ensino fundamental completo Não exige experiência 05 vagas TÉCNICO DE ENFERMAGEM (Exclusiva para PCD) Ensino médio completo Conhecimento em informática Curso técnico em enfermagem Experiência mínima de 06 meses na carteira 05 vagas REPOSITOR DE MERCADORIAS (Exclusiva para PCD) Ensino médio incompleto Experiência mínima de 03 meses na carteira 03 vagas Vagas exclusivas para as unidades de Senhor do Bonfim AÇOUGUEIRO Ensino fundamental incompleto Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga COZINHEIRO Ensino médio incompleto Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga SUPERVISOR DE VENDAS Ensino médio completo/CNH A/B Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga VENDEDOR EXTERNO Ensino médio completo/CNH A Possuir moto Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga AUXILIAR DE ALMOXARIFADO Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga PROMOTOR DE VENDAS Ensino médio completo/CNH A Possuir moto Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga PADEIRO Ensino fundamental incompleto Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga DENTISTA Ensino superior completo em odontologia Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 vaga Vagas exclusivas para as unidades de Itabuna AGENTE DE VENDAS DE SERVIÇOS(Exclusiva para PCD) Ensino Fundamental Completo Não exige experiência 01 vaga AUXILIAR DE LIMPEZA (Exclusiva para PCD) Ensino Fundamental Completo Não exige experiência 01 vaga CONFERENTE DE MERCADORIA Ensino Médio Incompleto Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas PREPARADOR DE TINTAS AUTOMOTIVAS Ensino Médio Incompleto Experiência mínima de 06 meses na área 02 vagas CALDEIREIRO Ensino Fundamental Completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas MOTORISTA DE ÔNIBUS RODOVIÁRIO Ensino Médio Completo/CNH D Experiência mínima de 06 meses na carteira como motorista de ônibus ou caminhão 30 vagas MOTORISTA DE TÁXI Habilitação B com perfil do profissional 03 vagas SOLDADOR Ensino Fundamental Completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas ELETRICISTA INDUSTRIAL Ensino Fundamental Completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas PINTOR INDUSTRIAL Ensino Fundamental Completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 vagas REPRESENTANTE COMERCIAL Ensino Médio Completo/CNH B Experiência mínima de 06 meses na área Carro próprio Core atualizado 03 vagas RELOJOEIRO (MANUTENÇÃO) Experiência mínima de 06 meses na área 01 vaga TÉCNICO ELETRÔNICO DE CELULAR Ensino Médio Completo Experiência mínima de 06 meses na área 01 vaga Vagas exclusivas para as unidades de Jequié REPOSITOR DE MERCADORIAS(Exclusiva para PCD) Ensino fundamental incompleto Não exige experiência 02 vagas SUPERVISOR DE VENDAS Ensino superior incompleto – Administração Experiência mínima de 06 meses na carteira Habilitação A/B 01 vaga INSTALADOR DE ALARMES Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga AJUDANTE DE PADEIRO Ensino fundamental incompleto Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga CONFEITEIRO Ensino fundamental incompleto Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga COZINHEIRA Ensino médio incompleto Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga VENDEDOR INTERNO Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na função 03 vagas TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL Ensino médio completo Experiência mínima de 06 meses na função 01 vaga Comentários: ANUNCIANTES MAIS LIDAS Famosos Naiara Azevedo anuncia volta ao Instagram após ter conta rackeada e fotos excluídas 24 de maio de 2017 Salvador Reforma da Ponta de Humaitá deve começar ainda em 2017 8 de julho de 2017 Agenda Chefs baianos darão aulas gratuitas de gastronomia no Festival da Primavera 19 de setembro de 2017 Entrevistas Gleisi Hoffmann fala sobre os novos desafios do PT e a crise política brasileira 3 de julho de 2017 Opinião Jolivaldo Freitas: Bahia e Vitória são bons 14 de agosto de 2017 Opinião Eduardo Frederico: Algo que ELES não querem que a gente veja 19 de julho de 2017 Diga Salvador Quem Somos | Links Úteis | Trânsito ao vivo | Chicossauro-rex Todos os Direitos Reservados à Diga Bahia / Diga Salvador



https://itunes.apple.com/br/app/elo7/id963226839?mt=8&utm_source=footer&utm_medium=desktop
  Elo7 na App Store Abrir Menu Fechar Menu Apple Sacola Apple Mac iPad iPhone Watch TV Music Suporte Buscar em apple.com Sacola Prévia da App Store Este app está disponível somente na App Store para dispositivos iOS. Elo7 4+ Elo7 Nº 27 em Compras 1.2K avaliações Grátis Capturas de tela iPhone Apple Watch Descrição O Elo7 é o maior e mais completo site de produtos criativos e autorais do Brasil. Uma ... de atualizações 2.22.3 8 de jan de 2018 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.22.2 2 de jan de 2018 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.22.1 2 de nov de 2017 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.22.0 30 de out de 2017 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.21.0 17 de out de 2017 - Se precisar, você pode liberar ... correções de bugs em geral. 2.19.0 28 de ago de 2017 Melhorias na experiência em geral e correções CACHE

Elo7 na App Store Abrir Menu Fechar Menu Apple Sacola Apple Mac iPad iPhone Watch TV Music Suporte Buscar em apple.com Sacola Prévia da App Store Este app está disponível somente na App Store para dispositivos iOS. Elo7 4+ Elo7 Nº 27 em Compras 1.2K avaliações Grátis Capturas de tela iPhone Apple Watch Descrição O Elo7 é o maior e mais completo site de produtos criativos e autorais do Brasil. Uma grande vitrine que atrai milhões de visitantes, colocando as facilidades da internet a serviço do bom gosto, para consumidores exigentes que não abrem mão de qualidade e exclusividade. Os vendedores do Elo7 estão sempre prontos para criar produtos incríveis, feitos sob medida e realmente, fora de série! Baixe o aplicativo e leve o Elo7 junto com você! Veja os principais recursos do aplicativo Elo7: - Encontre milhares de produtos fora de série via o buscador do Elo7 ou selecione uma das 22 categorias de produtos do aplicativo. - Os produtos do Elo7 estão organizados em categorias, entre elas as principais são: Acessórios, Aniversário e Festas, Bebê, Bijuterias, Bolsas e Carteiras, Casa, Casamento, Convites, Decoração, Infantil, Jogos e Brinquedos, Joias, Lembrancinhas, Roupas, Técnicas de Artesanato e Materiais e Insumos para o artesanato. - Ache mais fácil o que você procura com os filtros de categoria, por preço, relevância, lojas, palavras-chave e outros critérios. - Visualize galerias de imagens com zoom dos produtos. - Entre em contato com o vendedor e faça perguntas para tirar dúvidas ou pedir a personalização do produto. - Visualize as avaliações do vendedor para fazer uma compra segura. - Compre facilmente através do carrinho de compras otimizado para acesso via o aplicativo. - Faça o seu pagamento seguro com cartão de crédito, boleto, débito online ou depósito na conta do vendedor. - Acompanhe a entrega dos seus pedidos via notificações e mensagens diretas com o vendedor enquanto o seu pedido é produzido. - Marque seus produtos favoritos para não perder de vista os produtos em que você está interessado. - Compartilhe produtos com amigos através do Facebook e Pinterest. - E muito mais! -------------------- Se você é um vendedor do Elo7, baixe o Talk7, o app de mensagens para vendedores, já disponível na App Store Novidades Histórico de atualizações Histórico de atualizações 2.22.3 8 de jan de 2018 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.22.2 2 de jan de 2018 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.22.1 2 de nov de 2017 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.22.0 30 de out de 2017 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. 2.21.0 17 de out de 2017 - Se precisar, você pode liberar espaço no seu celular ao selecionar 'Limpar dados do aplicativo' quando fazer login no Elo7. - Melhorias e correções de bugs em geral. 2.20.0 11 de set de 2017 - Se precisar, você pode liberar espaço no seu celular ao selecionar 'Limpar dados do aplicativo' quando fazer login no Elo7. - Melhorias e correções de bugs em geral. 2.19.0 28 de ago de 2017 Melhorias na experiência em geral e correções de erros. 1.8.1 8 de ago de 2017 Melhorias na experiência em geral e correções de erros. 2.18.0 14 de jul de 2017 Melhorias na experiência em geral e correções de erros. 2.17.0 12 de jun de 2017 Melhorias na experiência em geral e correções de erros. 2.15.3 17 de abr de 2017 - Melhor experiência de recebimento de notificação Atualização anterior: - Melhor experiência de navegação nos Favoritos - Encontre facilmente as lojas que você ama. É só escolher entre Produtos e Lojas na busca. 2.15.1 9 de abr de 2017 - Melhor experiência de navegação nos Favoritos Atualização anterior: - Encontre facilmente as lojas que você ama. É só escolher entre Produtos e Lojas na busca. 2.15.0 3 de abr de 2017 - Melhor experiência de navegação nos Favoritos Atualização anterior: - Encontre facilmente as lojas que você ama. É só escolher entre Produtos e Lojas na busca. 2.14.1 27 de mar de 2017 - Melhor experiência de navegação nos Favoritos Atualização anterior: - Encontre facilmente as lojas que você ama. É só escolher entre Produtos e Lojas na busca. 2.14.0 21 de mar de 2017 - Melhor experiência de navegação nos Favoritos Atualização anterior: - Encontre facilmente as lojas que você ama. É só escolher entre Produtos e Lojas na busca. 2.13.0 27 de jan de 2017 - Encontre facilmente as lojas que você ama. É só escolher entre Produtos e Lojas na busca. - Melhorias e correções de bugs. 2.12.0 6 de jan de 2017 Melhorias e correções de bugs 2.11.1 28 de nov de 2016 Elo7 Friday: Produtos exclusivos com descontos a partir de 50% 2.11.0 23 de nov de 2016 Correções e pequenos problemas. 2.10.1 10 de nov de 2016 Obrigado pelo feedback de todos: - Correção de um problema que estava afetando a experiência de compra de alguns usuários 2.10.0 10 de out de 2016 Melhorias de performance e usabilidade. 2.8.1 22 de set de 2016 Correções de pequenos problemas. 2.8.0 6 de set de 2016 Novo aplicativo Elo7 para Apple Watch! Use o Elo7 no seu Apple Watch para ler e responder mensagens rapidamente e ter acesso aos detalhes dos seus pedidos. Correções de pequenos problemas. 2.6.4 26 de ago de 2016 Novo aplicativo Elo7 para Apple Watch! Use o Elo7 no seu Apple Watch para ler e responder mensagens rapidamente e ter acesso aos detalhes dos seus pedidos. Correções de pequenos problemas. 2.6.3 23 de ago de 2016 Novo aplicativo Elo7 para Apple Watch! Use o Elo7 no seu Apple Watch para ler e responder mensagens rapidamente e ter acesso aos detalhes dos seus pedidos. Correções de pequenos problemas. 8 de jan de 2018 Versão 2.22.3 - Melhorias na experiência e correções de bugs em geral. Opiniões de clientes 4.8 de 5 1.2K avaliações 1.2K avaliações Excelente aplicativo. 14 de set de 2017 EdiFrencken Consigo comprar e me comunicar com os vendedores de forma eficiente. Amei. Excelente aplicativo. 14 de set de 2017 EdiFrencken Consigo comprar e me comunicar com os vendedores de forma eficiente. Amei. Ótimo aplicativo 12 de set de 2017 Belemoran Consigo comprar e me comunicar com os vendedores de forma eficiente. Amei. Ótimo aplicativo 12 de set de 2017 Belemoran Consigo comprar e me comunicar com os vendedores de forma eficiente. Amei. Amei o aplicativo 14 de set de 2017 Matheusamor0210 Excelente, encontro de tudo, muito prático! Simplesmente perfeito! Amei o aplicativo 14 de set de 2017 Matheusamor0210 Excelente, encontro de tudo, muito prático! Simplesmente perfeito! Informações Vendedor Elo7 Servicos de Informatica S/A Tamanho 36.6 MB Categoria Compras Compatibilidade Requer o iOS 9.0 ou posterior. Compatível com iPhone, iPad e iPod touch. Idiomas Inglês Classificação indicativa Classificação +4 Copyright © 2008-2016 Elo7 Preço Grátis Site do desenvolvedor Suporte do app Site do desenvolvedor Suporte do app Compatível com Compartilhamento familiar Até seis membros da família poderão usar este app com o Compartilhamento familiar ativado. Mais deste desenvolvedor Ver tudo Talk7 Compras Você também pode curtir Ver tudo Magazine Luiza Compras Tricae - Loja infantil online Compras enjoei Compras Dinda - Roupa Infantil Online Compras Walmart.com – Sua Loja Virtual Compras Zattini Compras Outras formas de comprar: visite uma Apple Store , ligue para 0800-761-0867 ou encontre um revendedor autorizado . Apple Music e iTunes Store são fornecidos pela Apple Inc. R. Leopoldo Couto de Magalhães Jr. ,700, 7º andar, Itaim Bibi, São Paulo CEP 04542000 Brasil Copyright © 2018 Apple Inc. Todos os direitos reservados. Apple Computer Brasil Ltda. CPNJ: 00.623.904/0003-35 Política de Privacidade Política de vendas Avisos legais Mapa do site



https://pt.wikipedia.org/wiki/Categoria%3AExperi%C3%AAncias_no_CERN
  Categoria:Experiências no CERN – Wikipédia, a enciclopédia livre Ajuda Categoria:Experiências no CERN Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Páginas na categoria 'Experiências no CERN' Esta categoria contém as seguintes 25 páginas (de um total de 25). A ACE (experiência) ALEPH ALICE (experiência) ALPHA (experiência) AMS ATLAS (experiência) ATRAP C CAST (experiência) ... (experiência) ALEPH ALICE (experiência) ALPHA (experiência) AMS ATLAS (experiência) ATRAP C CAST (experiência) CLOUD (experiência) CMS (experiência) CNGS COMPASS D DELPHI (experiência) DIRAC E Espectômetro Magnético Alpha Experiências não LHC L L3 (experiência) LHCb (experiência) LHCf (experiência) O OPAL OPERA S Solenoide de Múon Compacto T TOTEM (experiência) U UA1 (experiência) UA2 Obtida de ' https CACHE

Categoria:Experiências no CERN – Wikipédia, a enciclopédia livre Ajuda Categoria:Experiências no CERN Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Páginas na categoria 'Experiências no CERN' Esta categoria contém as seguintes 25 páginas (de um total de 25). A ACE (experiência) ALEPH ALICE (experiência) ALPHA (experiência) AMS ATLAS (experiência) ATRAP C CAST (experiência) CLOUD (experiência) CMS (experiência) CNGS COMPASS D DELPHI (experiência) DIRAC E Espectômetro Magnético Alpha Experiências não LHC L L3 (experiência) LHCb (experiência) LHCf (experiência) O OPAL OPERA S Solenoide de Múon Compacto T TOTEM (experiência) U UA1 (experiência) UA2 Obtida de ' https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Categoria:Experiências_no_CERN&oldid=50009438 ' Categorias : CERN Experimentos de física Menu de navegação Ferramentas pessoais Não autenticado Discussão Contribuições Criar uma conta Entrar Domínios Categoria Discussão Variantes Vistas Ler Editar Editar código-fonte Ver histórico Mais Busca Navegação Página principal Conteúdo destacado Eventos atuais Esplanada Página aleatória Portais Informar um erro Loja da Wikipédia Colaboração Boas-vindas Ajuda Página de testes Portal comunitário Mudanças recentes Manutenção Criar página Páginas novas Contato Donativos Imprimir/exportar Criar um livro Descarregar como PDF Versão para impressão Ferramentas Páginas afluentes Alterações relacionadas Carregar ficheiro Páginas especiais Hiperligação permanente Informações da página Elemento Wikidata Noutros idiomas English Français Editar hiperligações Esta página foi editada pela última vez à(s) 11h40min de 2 de outubro de 2017. Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) . pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso . Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais Programadores Declaração sobre cookies Versão móvel



http://www.cnpq.br/web/guest/chamadas-publicas?p_p_id=resultadosportlet_WAR_resultadoscnpqportlet_INSTANCE_0ZaM&filtro=abertas%2F
  Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor CACHE

Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Bolsas e Auxílios / Chamadas / Chamadas públicas / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas Públicas As Chamadas Públicas para projetos de pesquisa e bolsas do CNPq estão organizadas nas abas do menu principal em 'Abertas', 'Encerradas' e 'Resultados'. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Digite um termo Ano - Chamadas Ano Chamada 2018 2017 2016 2015 2014 2013 2012 2011 2010 2009 2008 2007 2006 Buscar Limpar filtros CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 A presente chamada pública tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. As propostas devem observar as condições específicas estabelecidas na parte II - Regulamento, anexo a esta chamada pública, que determina os requisitos relativos ao proponente, cronograma, recursos financeiros a serem aplicados nas propostas aprovadas, origem dos recursos, itens financiáveis, prazo para execução dos projetos, critérios de elegibilidade, critérios e parâmetros objetivos de julgamento e demais informações necessárias. Linha 1 - Pesquisa em patógenos e parasitas emabelhas nativas e em Apis mellifera Linha 2 - Monitoramento e avaliação da situação dasabelhas nativas no Brasil Linha 3 - Avaliação de ecotoxicidade de agrotóxicos paraespécies nativas selecionadas Linha 4 - Quantificação e caracterização de recursosambientais coletados por espécies de abelhas nativas Linha 5 - Avaliação bioeconômica do serviço depolinização na produtividade agrícola por culturarelevante Inscrições: 30/11/2017 a 09/02/2018 Chamada Link Permanente Mostrando 1-1 de 1 resultados. Página: 1 Primeiro Anterior Próximo Último 180422 Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



http://www.cnpq.br/web/guest/premios2/
  Prêmios - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu CACHE

Prêmios - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Popularização da Ciência / Prêmios / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Prêmios O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é pioneiro na concessão de prêmios no Brasil. Desde a década de 70 os prêmios do CNPq cumprem o papel de instrumentos de divulgação e valorização da política de desenvolvimento científico e tecnológico, contribuindo para uma articulação efetiva com entidades parceiras dos setores público e privado. Os agraciados são estudantes e pesquisadores que representam as duas pontas da cadeia de produção de ciência, tecnologia e inovação. Com temáticas, categorias e públicos variados, os prêmios incentivam a formação e o aprimoramento do quadro de pesquisadores brasileiros nas diversas áreas do conhecimento. Visite os hotsites dos prêmios organizados e apoiados pelo CNPq e outros externos que tratam da temática ciência, tecnologia e inovação. Saiba mais. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Prêmio Jovem Cientista Tem como objetivos promover a reflexão e a pesquisa, revelar talentos e investir em estudantes ... SAIBA MAIS Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Instituído em 2003, teve sua abrangência ampliada em 2012, quando ganhou a denominação atual. T... SAIBA MAIS Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia É uma iniciativa da Reunião especializada de Ciência e Tecnologia do Mercosul (Recyt), do Minis... SAIBA MAIS Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Tem como objetivos estimular a reflexão crítica e impulsionar a pesquisa sobre as desigualdades... SAIBA MAIS Prêmio Petrobras de Tecnologia Promover a cooperação entre o PETRÓLEO BRASILEIRO S.A - PETROBRAS e o Conselho Nacional de Dese... SAIBA MAIS Prêmio de incentivo em ciência e tecnologia para o SUS Os candidatos podem concorrer em quatro diferentes categorias: tese de doutorado (com premiação... SAIBA MAIS Prêmio Bimbo Panamericano Prêmio Panamericano Bimbo em Nutrição, Ciência e Tecnologia de Alimentos. A premiação foi criad... SAIBA MAIS Prêmio Santander Ciência e Inovação Estimula a produção da pesquisa científica, de caráter inovador, da comunidade acadêmica e reco... SAIBA MAIS 8º Prêmio de Ciência e Tecnologia do PIAUÍ tem como objetivo incentivar a produção de trabalhos na área de ciência e tecnologia, e é abert... SAIBA MAIS Prêmio FINEP de Inovação O Prêmio FINEP é o mais importante instrumento de estímulo e reconhecimento à inovação no País.... SAIBA MAIS Prêmio CAPES de Tese Serão premiadas as melhores teses de doutorado selecionadas em cada uma de 48 áreas do conhecim... SAIBA MAIS Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação Projetos inovadores realizados por empresas e institutos de ciência e tecnologia serão premiado... SAIBA MAIS Prêmio Fundação Conrado Wessel A Fundação Conrado Wessel atribui um prêmio anual denominado PRÊMIO FCW ou 'PRÊMIO FUNDAÇÃO CON... SAIBA MAIS Prêmio SME de Ciência, Tecnologia e Inovação A Sociedades Mineiras de Engenheiros - SME convida os alunos dos cursos de Engenharia, Arquitet... SAIBA MAIS For Women In Science - L'Oréal A cada ano, jovens doutoras que desenvolvem trabalhos científicos em instituições brasileiras d... SAIBA MAIS Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica Concebido em 1978, é direcionado para jornalistas profissionais, pesquisadores, escritores, ins... SAIBA MAIS Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



http://www.cnpq.br/web/guest/nordeste/
  Nordeste - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor CACHE

Nordeste - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Popularização da Ciência / Museus e Centros de Ciência / Nordeste / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Museus e Centros de Ciência no Nordeste Museus e Centros de Ciência no Nordeste. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Alagoas Museu de História Natural Usina Ciência Bahia Jardim Botânico de Salvador Museu Antares de Ciência e Tecnologia Museu de Arqueologia e Etnologia Museu de Ciência e Tecnologia da Bahia Museu Geológico da Bahia Zoológico de Salvador Ceará Museu do Eclipse Parque Botânico do Ceará Planetário Rubens de Azevedo Seara da Ciência Maranhão Laboratório de divulgação científica ¿ Ilha da Ciência Paraíba Jardim botânico de João Pessoa Benjamim Maranhão Planetário da Fundação Espaço Cultural da Paraíba Vale dos Dinossauros Pernambuco Espaço Ciência - Museu Interativo de Ciência Jardim Botânico do Recife Parque Estadual Dois Irmãos Museu de Ciências Nucleares Piauí Fundação Museu do Homem Americano Rio Grande do Norte Museu Câmara Cascudo Museu de Paleontologia Vingt-Um Rosado Sergipe Museu de Arqueologia de Xingo Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



http://www.cnpq.br/web/guest/solicitacoes-indeferidas/
  Solicitações Indeferidas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência ... javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript CACHE

Solicitações Indeferidas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Serviços / Acesso ao Patrimonio Genético / Solicitações Indeferidas / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Solicitações Indeferidas Veja nos links abaixo o extrato das solicitações de Acesso ao Patrimônio Genético indeferidas pelo CNPq. 2015 2014 2013 2012 2011 2010 Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/esqueceu-sua-senha/
  Esqueceu sua senha? - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência CACHE

Esqueceu sua senha? - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Serviços / Esqueceu sua senha? / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Esqueceu sua senha? Caso tenha esquecido sua senha e, além disso, o seu e-mail cadastrado esteja desatualizado, precisará enviar um e-mail para suporte-senha@cnpq.br Para sua própria segurança, informe no e-mail de solicitação os seguintes dados: Seu nome completo. Seu CPF. Seu RG. Sua data de nascimento. O nome completo de sua mãe. O nome completo de seu pai. O seu e-mail atual, para envio da senha. Solicitamos que somente envie pedidos de senha para este e-mail se tiver esquecido a senha e se o seu e-mail cadastrado no Currículo Lattes estiver desatualizado. Se tiver apenas esquecido a senha, solicite-a AQUI . Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://cnpq.br/web/guest/parcerias-nacionais
  Nacionais - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite CACHE

Nacionais - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais CNPq Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Alto Contraste 3 Parcerias Nacionais Download Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Toggle navigation todas regiões Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul UF AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO de todas modalidades Acordo Convênio Outros Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



http://cnpq.br/parcerias-nacionais/
  Nacionais - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... . Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite CACHE

Nacionais - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais CNPq Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Alto Contraste 3 Parcerias Nacionais Download Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Toggle navigation todas regiões Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul UF AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO de todas modalidades Acordo Convênio Outros Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript



http://www.cnpq.br/web/guest/chamadas-publicas?p_p_id=resultadosportlet_WAR_resultadoscnpqportlet_INSTANCE_0ZaM&filtro=encerradas&detalha=chamadaDivulgada&desc=chamadas&idDivulgacao=7802
  Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor CACHE

Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Bolsas e Auxílios / Chamadas / Chamadas públicas / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas Públicas As Chamadas Públicas para projetos de pesquisa e bolsas do CNPq estão organizadas nas abas do menu principal em 'Abertas', 'Encerradas' e 'Resultados'. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. encerradas Chamadas Chamada CNPq/MCTIC/BRICS 29/2017 A presente chamada pública tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. As propostas devem observar as condições específicas estabelecidas na parte II - Regulamento, anexo a esta chamada pública, que determina os requisitos relativos ao proponente, cronograma, recursos financeiros a serem aplicados nas propostas aprovadas, origem dos recursos, itens financiáveis, prazo para execução dos projetos, critérios de elegibilidade, critérios e parâmetros objetivos de julgamento e demais informações necessárias. CHAMADA N. 2 BRICS-STI/CNPQ Inscrições: 27/10/2017 a 27/12/2017 Chamada link permanente Voltar Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/chamadas-publicas?p_p_id=resultadosportlet_WAR_resultadoscnpqportlet_INSTANCE_0ZaM&filtro=abertas&detalha=chamadaDivulgada&desc=chamadas&idDivulgacao=7842
  Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor CACHE

Chamadas públicas - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Bolsas e Auxílios / Chamadas / Chamadas públicas / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Chamadas Públicas As Chamadas Públicas para projetos de pesquisa e bolsas do CNPq estão organizadas nas abas do menu principal em 'Abertas', 'Encerradas' e 'Resultados'. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. abertas Chamadas CHAMADA CNPQ/MCTIC/IBAMA/ASSOCIAÇÃO ABELHA Nº 32/2017 A presente chamada pública tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. As propostas devem observar as condições específicas estabelecidas na parte II - Regulamento, anexo a esta chamada pública, que determina os requisitos relativos ao proponente, cronograma, recursos financeiros a serem aplicados nas propostas aprovadas, origem dos recursos, itens financiáveis, prazo para execução dos projetos, critérios de elegibilidade, critérios e parâmetros objetivos de julgamento e demais informações necessárias. Linha 1 - Pesquisa em patógenos e parasitas emabelhas nativas e em Apis mellifera Linha 2 - Monitoramento e avaliação da situação dasabelhas nativas no Brasil Linha 3 - Avaliação de ecotoxicidade de agrotóxicos paraespécies nativas selecionadas Linha 4 - Quantificação e caracterização de recursosambientais coletados por espécies de abelhas nativas Linha 5 - Avaliação bioeconômica do serviço depolinização na produtividade agrícola por culturarelevante Inscrições: 30/11/2017 a 09/02/2018 Chamada link permanente Voltar Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



http://www.cnpq.br/web/guest/cartao-pesquisa/
  Cartão Pesquisa - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso ... experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência CACHE

Cartão Pesquisa - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Bolsas e Auxílios / Auxílios / Cartão Pesquisa / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Cartão Pesquisa Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 1 - Email do Pesquisador Caso sua proposta seja aprovada pelo CNPq, você receberá um comunicado no endereço eletrônico registrado no seu Currículo Lattes com orientações para a criação de um endereço eletrônico no CNPq, o Email do pesquisador. A criação do Email do Pesquisador garante a segurança e a confiabilidade da comunicação entre CNPq e o Pesquisador. A partir de então, toda a comunicação entre você e o CNPq se dará por meio deste novo canal. 2 - Comunicado de concessão Após a criação do seu Email de Pesquisador, você receberá neste endereço eletrônico, um comunicado de concessão, contendo os valores aprovados e um link para formalizar a implementação do seu benefício. 3 - Informar agência para geração do cartão pesquisa Ao clicar no link disponível no comunicado, serão solicitadas suas credenciais de acesso à Plataforma Carlos Chagas. Após informar seu CPF e senha, informe a agência bancária do Banco do Brasil de sua preferência para o recebimento do seu Cartão Pesquisador. 4 - Assinatura eletrônica do termo de concessão Após informar a agência do banco do Brasil, leia e registre o aceite ao Termo de Concessão. 5 - Criação de senha de uso do Cartão Pesquisa Com a informação da agência bancária, o CNPq enviará ao Banco do Brasil uma solicitação eletrônica para a geração do seu cartão Pesquisador. Você receberá um novo comunicado eletrônico solicitando que compareça à agência informada ao CNPq para a criação da senha de utilização do seu Cartão Pesquisador. Você poderá criar sua senha diretamente no Caixa ou junto ao atendimento pessoa-física na sua agência do Banco do Brasil. Não esqueça de levar a documentação solicitada. 6 - Cartão preparado para receber créditos Após criação da sua senha, o Banco do Brasil comunica automaticamente ao CNPq que o seu cartão está pronto para receber os créditos referentes ao seu auxílio. 7 - Recebimento do Cartão Pesquisa Você receberá seu Cartão Pesquisador, em até 8 dias, no endereço de correspondência registrado em seu Currículo Lattes. Leia as orientações de como desbloquear seu cartão, antes de iniciar o seu uso. 8 - Como usar o Cartão Pesquisa Na liberação dos recursos pelo CNPq, você receberá um comunicado contendo o seu limite de crédito e como poderá ser usado o seu Cartão Pesquisa. O cartão deverá ser utilizado na função 'crédito' e através de suas funcionalidades será possível a realização de compras em estabelecimentos comerciais no país e exterior, inclusive via Internet. Nos TAA - Terminais de Auto Atendimento será possível realizar saques e pagamentos de boletos bancários. Os extratos relativos à utilização do Cartão Pesquisa serão disponibilizados através dos TAA após o dia 28 de cada mês. Maiores informações podem ser acessadas pelo endereço http://ftp.cnpq.br/pub/cartao/manual_cartao.pdf Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://cnpq.br/itinerantes/
  Itinerantes - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma CACHE

Itinerantes - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Popularização da Ciência / Feiras e Mostras de Ciência / Itinerantes / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Feiras Itinerantes Feiras Itinerantes de Popularização da Ciência apoiadas pelo CNPq. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Norte Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. 2ª Caravana da Ciência do Amapá - 2014 - AP Governo do Amapá Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Nordeste Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2014 em Caxias - MA UEMA - Universidade Estadual do Maranhão - MA Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Centro-Oeste Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Astronomia Itinerante: Diálogos do Mito ao Hubble - MS UEMS - Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Sudeste Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Grupo de Teatro: ALQUIMIA - Projeto de Divulgação Científica UNESP - Universidade Estadual Paulista Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Região Sul Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Astronomia Itinerante no Pampa - RS UFPEL - Universidade Federal de Pelotas - RS Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascr



http://bemyfrag.com.br/tag/experiencia-de-compra-2/
  experiência de compra | BeMyFrag! Início Conexões BeMyFrag Biblioteca de Estudo Sobre / Contato Pesquisar por: Tag: experiência de compra set 13 2017 por Isaac Niche Saga de Gêmeos Saint Cloth Legend : All Center : Experiência de Compra #16 Posted in BMF! , Experiência de Compra Experiência de compra no site All Center, com o Saga de Gêmeos Saint Cloth Legend . Ficou com curiosidade para saber o que ... experiência de compra | BeMyFrag! Início Conexões BeMyFrag Biblioteca de Estudo Sobre / Contato Pesquisar por: Tag: experiência de compra set 13 2017 por Isaac Niche Saga de Gêmeos Saint Cloth Legend : All Center : Experiência de Compra #16 Posted in BMF! , Experiência de Compra Experiência de ... Center Cavaleiros do Zodíaco Cloth Myth compras na internet Compras On-line experiência de compra ... : DXRACER BRASIL : Experiência de Compra #14 Posted in BMF! , Experiência de Compra Nova experiência de CACHE

experiência de compra | BeMyFrag! Início Conexões BeMyFrag Biblioteca de Estudo Sobre / Contato Pesquisar por: Tag: experiência de compra set 13 2017 por Isaac Niche Saga de Gêmeos Saint Cloth Legend : All Center : Experiência de Compra #16 Posted in BMF! , Experiência de Compra Experiência de compra no site All Center, com o Saga de Gêmeos Saint Cloth Legend . Ficou com curiosidade para saber o que rolou? Então: Dá o PLAY ! via IFTTT Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Tags: All Center Cavaleiros do Zodíaco Cloth Myth compras na internet Compras On-line experiência de compra Saga de Gêmeos Saint Cloth Legend Saint Seiya ago 08 2017 por Isaac Niche Cadeira RC Series #2 : DXRACER BRASIL : Experiência de Compra #14 Posted in BMF! , Experiência de Compra Nova experiência de compra da Dx Racer Brasil , comprei mais uma Cadeira RC series , agora na cor azul. Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Tags: bemyfrag compras na internet Compras On-line DX Racer DX Racer Brasil experiência de compra youtube youtuber brasil mar 19 2017 por Isaac Niche Kinotoys – Experiência de Compra #13 Posted in BMF! , Experiência de Compra , Isaac Niche Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Tags: Compra on-line Corrida Maluca experiência de compra funk Kinotoys Muttley fev 09 2017 por Isaac Niche 2.000 views : DX Racer – Experiência de Compra Posted in BMF! , Experiência de Compra , Isaac Niche Chegou a 2.000 visualizações o vídeo da minha Experiência de Compra na DX Racer Brasil ! Eu fiquei tão feliz que tive que fazer essa postagem comemorativa! Ihuuuuul ! Fiquei particularmente feliz com essa Experiência de Compra porque tive pude ajudar muitas pessoas e isso me deixou muito satisfeito, sem contar com ótimo feedback da galera que interagiu nos comentário. Estou com aquela sensação de dever cumprido! Se você ainda não viu essa história, está esperando o que? Coloquei os dois vídeos aqui na sequência para você assistir! DÁ O PLAY! Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Te vejo na próxima, Isaac Niche Tags: Cadeira Gamer Compra on-line Comprar Cadeira Gamer DX Racer DX Racer Br DX Racer Brasil experiência de compra Gamer Room Geek Decor Nerd Decor nerd room dez 13 2016 por Isaac Niche Nordweg : Black Friday – Experiência de Compra #10 Posted in BMF! , Experiência de Compra , Isaac Niche Tags: Compra internet confiável Comprar na Internet Compras On-line experiência de compra Mochila Nordweg Nordweg dez 07 2016 por Isaac Niche Dell : Inspiron 15 Gaming – Experiência de Compra #9 Posted in Experiência de Compra , Isaac Niche , Jogos no Brasil , YouTube Gamer Tags: Comprar Dell Dell Dell Inspirion 15 Gaming experiência de compra isaac niche Notebook Dell Notebook Gamer nov 28 2016 por Isaac Niche Black Friday : Amazon.com.br – Experiência de Compra #8 Posted in Experiência de Compra , Isaac Niche Tags: amazon.com.br black friday compras na internet Compras On-line experiência de compra fazendo compras isaac niche nov 08 2016 por Isaac Niche Gwent Set Card Game / JINX.com – Experiência de Compra #7 Posted in BMF! , Experiência de Compra , Isaac Niche Não esqueça de se inscrever no canal no youtube . Tags: Comprando na Internet Comprar na Internet Comprar on-line compras na internet experiência de compra Experiência de Compra #7 Gwent Gwent Set Card Game Jinx JINX.com set 23 2016 por Isaac Niche Pós-Venda – Kindle / Amazon – Experiência de Compra #6 Posted in Experiência de Compra , Isaac Niche Tags: amazon Compra on-line comprando compras na internet experiência de compra kindle jul 29 2016 por Isaac Niche Cadeira RC Series – DXRACER BRASIL – Experiência de Compra #4 Posted in BMF! , Experiência de Compra , Isaac Niche Tags: Cadeira Cadeira Gamer compra na internet Compra on-line DXRACER DxRacer Brasil experiência de compra Previous Posts Curta no Facebook Pesquisar por: bemyfrag – youtube bemyfrag network – youtube Arquivos setembro 2017 agosto 2017 março 2017 fevereiro 2017 janeiro 2017 dezembro 2016 novembro 2016 outubro 2016 setembro 2016 agosto 2016 julho 2016 junho 2016 maio 2016 abril 2016 março 2016 fevereiro 2016 janeiro 2016 dezembro 2015 setembro 2015 julho 2015 junho 2015 maio 2015 abril 2015 março 2015 fevereiro 2015 janeiro 2015 novembro 2014 outubro 2014 setembro 2014 agosto 2014 julho 2014 dezembro 2013 Categorias André Fawkes ArtPost BeMyFrag Network BeMyMusic BeMyTrip BMF Vlog BMF! Colecionadores & Tesouros Colecionando Design E-Sports E3 2016 Experiência de Compra Game Room : A Missão Gameplay Político Isaac Niche Jogos no Brasil Mamatinha Meus Livros Mundo dos Jogos Nintendo Odir Pinheiro Parceiros BeMyFrag RetroGaming Rodrigo Pires RPG Vinícius Niche YouTube Gamer Facebook REALIZAÇÃO Copyright © 2017 BeMyFrag!. Versão Padawan lvl 1 Início Conexões BeMyFrag Biblioteca de Estudo Sobre / Contato



https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-688359163-adaptador-hub-switch-3x1-3-portas-hdmi-para-tv-ps3-xbox-_JM
  Adaptador Hub Switch 3x1 - 3 Portas Hdmi Para Tv Ps3 Xbox - R$ 25,99 em Mercado Livre Mercado Livre Brasil - Onde comprar e vender de Tudo Cadastre-se Entre Contato Vender null Buscar Categorias Ofertas da semana Lojas oficiais Seu histórico Suas compras Vender Você também pode se interessar: htv 5 - caixa amplificada bluetooth - iptv - vaporizador ervas - aiwa Voltar à lista Eletrônicos, Áudio e ... ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 06/2/2018 11 ... contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 06/2 ... ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 06/2/2018 11 ... muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 01/2/2018 09:33 Faça ... proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 01/2/2018 09:24 Faça uma denúncia Tenho uma TV com CACHE

Adaptador Hub Switch 3x1 - 3 Portas Hdmi Para Tv Ps3 Xbox - R$ 25,99 em Mercado Livre Mercado Livre Brasil - Onde comprar e vender de Tudo Cadastre-se Entre Contato Vender null Buscar Categorias Ofertas da semana Lojas oficiais Seu histórico Suas compras Vender Você também pode se interessar: htv 5 - caixa amplificada bluetooth - iptv - vaporizador ervas - aiwa Voltar à lista Eletrônicos, Áudio e Vídeo Acessórios para Áudio e Vídeo Switches HDMI Compartilhar Compartilhar Vender um igual Itens Inclusos 1 HUB HDMI FRETE PELE MERCADO ENVIOS Opiniões sobre o produto 4.4 Média entre 119 opiniões Daria 5* se não fosse o controle! No meu caso o hub funcionou sem a fonte. Liguei o aparelho dos canais na porta 1, o chromecast na porta ... 2 e a porta 3 eu vou usar para o home theater. Uma pena o controle remoto não funcionar. O botão veio afundado e não funciona. Como eu precisava logo do produto, resolvi não devolve-lo por causa do controle. Fora o controle que parece ser de brinquedo, é uma boa saída para quem tem poucas portas hdmi na tv. No meu caso o hub funcionou sem a fonte. Liguei o aparelho dos canais na porta 1, o chromecast na porta 2 e a porta 3 eu vou usar para o home theater. Uma pena o controle remoto não funcionar. O botão veio afundado e não funciona. Como eu precisava logo do produto, resolvi não devolve-lo por causa do controle. Fora o controle que parece ser de brinquedo, é uma boa saída para quem tem poucas portas hdmi na tv. O usuário contratou o serviço em maio de 2017 Muito bom mas precisa da fonte 5v pra ligar recept O produto é muito bom pois eu não sabia, mas ele muda automaticamente quando vc desliga um aparelho conectado ... e liga o outro que já está conectado sem precisar apertar o botão ou ligar pelo controle para alternar entre eles porém se você for utilizar com receptor sky ou similares terá que ligar uma fonte 5v nele (que pena que essa fonte não acompanha o produto se não eu dava 5*). O produto é muito bom pois eu não sabia, mas ele muda automaticamente quando vc desliga um aparelho conectado e liga o outro que já está conectado sem precisar apertar o botão ou ligar pelo controle para alternar entre eles porém se você for utilizar com receptor sky ou similares terá que ligar uma fonte 5v nele (que pena que essa fonte não acompanha o produto se não eu dava 5*). O usuário contratou o serviço em agosto de 2015 Otimo para TVs que tem pouca HDMI. Eu achei muito bom o produto, fácil de usar, e ele mesmo identifica qual hdmi esta conectada e liga, ... não precisa posicionar manualmente qual aparelho que vai ligar, a única coisa que deixa a desejar é o comprimento do cabo, podia ser 1 metro maior, pois pequenino deste jeito acaba ficando pendurado na tv. Mas eu gostei do produto, provavelmente vá comprar outro mais adiante para outra tv. Eu achei muito bom o produto, fácil de usar, e ele mesmo identifica qual hdmi esta conectada e liga, não precisa posicionar manualmente qual aparelho que vai ligar, a única coisa que deixa a desejar é o comprimento do cabo, podia ser 1 metro maior, pois pequenino deste jeito acaba ficando pendurado na tv. Mas eu gostei do produto, provavelmente vá comprar outro mais adiante para outra tv. O usuário contratou o serviço em agosto de 2015 Muito bom. O produto atendeu a minha necessidade, pois minha tv-monitor só tem 2 entradas hdmi e eu precisava ligar ... 3 aparelhos (pc, tv digital e chrome cast). O único ponto negativo é que, sempre que eu ligo a tv, o hub liga e seleciona a hdmi do chrome cast automaticamente, mesmo eu tendo deixado selecionado na hdmi da tv digital anteriormente. O produto atendeu a minha necessidade, pois minha tv-monitor só tem 2 entradas hdmi e eu precisava ligar 3 aparelhos (pc, tv digital e chrome cast). O único ponto negativo é que, sempre que eu ligo a tv, o hub liga e seleciona a hdmi do chrome cast automaticamente, mesmo eu tendo deixado selecionado na hdmi da tv digital anteriormente. O usuário contratou o serviço em outubro de 2017 NÃO FUNCIONA !!! O produto não funciona corretamente, já troquei os cabos hdmi por outros de alta definição e também tentei ... utilizar com a fonte de energia. Comprei dois aparelhos.. . Eu um tentei ligar o receptor da net com o playstation 3. . No outro o aparelho da net com um dvd. . Dá falha de sinal !!!. O produto não funciona corretamente, já troquei os cabos hdmi por outros de alta definição e também tentei utilizar com a fonte de energia. Comprei dois aparelhos.. . Eu um tentei ligar o receptor da net com o playstation 3. . No outro o aparelho da net com um dvd. . Dá falha de sinal !!!. O usuário contratou o serviço em fevereiro de 2017 Ver todas as opiniões Perguntas e respostas Qual informação você precisa? Custo e prazo de envio Meios de pagamento e promoções Garantia Tem dúvidas? Estes atalhos ajudarão você a encontrar o que busca. Ou pergunte ao vendedor Últimas perguntas Muito obrigado então, não dá pra mim, quem sabe em uma próxima vez. Faça uma denúncia tem cabo hdmi 15 metros Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse SIRI6670751, nao temos . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 06/2/2018 11:16 Faça uma denúncia Tem outra fora de envio fora essa? Tá mais caro que o produto Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse JEOVASILVA_CONCEICAO, somente mercado envios . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 06/2/2018 11:15 Faça uma denúncia Tem switch USB também? Se tiver manda o link aí dos dois juntos Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse JOÃO ROMEU, nao somente este . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 06/2/2018 11:03 Faça uma denúncia Eu preciso ligar a Net o home e o PS3 este aparelho serve? Ou preciso da fonte? E se precisar vc tem a fonte? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse FEAL7870141, serve sim em qq entrada hdmi, nao precisa de fonte este modelo atual . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 01/2/2018 09:33 Faça uma denúncia Tenho uma TV com apenas uma entrada HDMI preciso de duas. Quero ligar um Conversor Digital + um Notebook, funciona com o seu aparelho ? Não vou utilizar os dos ao mesmo tempo, quero apenas para evitar a troca de cabos toda vez que eu for usar. Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse RONALDHP, sim serve . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 01/2/2018 09:24 Faça uma denúncia Tenho uma TV com apenas uma entrada HDMI preciso de duas. Quero ligar um Conversor Digital + um Notebook, funciona com o seu aparelho ? Não vou utilizar os dos ao mesmo tempo, quero apenas para evitar a troca de cabos toda vez que eu for usar. Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse SIFA8250467, sim serve sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 01/2/2018 08:58 Faça uma denúncia Boa noite. Tenho uma tv com dois hdmi é preciso de três. Esse produto pode ser usado pro meu caso? Tipo eu ligaria um videogame e o chromecast nele. Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse SULLYVANSANTOS, sim este mesmo . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 01/2/2018 08:52 Faça uma denúncia eu to com dois monitores hdmi, porém meu pc só tem uma saída hdmi. se eu ligar esse hub no pc, consigo ligar os dois monitores nesse hub e usá-los? vou precisar de algo a mais? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse CASSIANOJUNIORJORGERICARDO, sim consegue vc so tera que alternar a chave seletora para o monitor que quiser visualizar . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 29/1/2018 12:26 Faça uma denúncia Funciona com o chomecast. Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse SARO1921854, sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 29/1/2018 12:23 Faça uma denúncia Boa noite Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse JMO1398579, boa noite . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 24/1/2018 17:07 Faça uma denúncia amigo eu consigo usar pra tranferir a imagem de um notebook para 3 telas auxiliares atravez desse adaptador? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse GABRIELMARTONI2011, nao esse é o http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-772104755-splitter-distribuidor-hdmi-1x4-divisor-full-hd-14-3d-1080p-_JM . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 23/1/2018 12:24 Faça uma denúncia e necessario o uso de fonte ou e so ligar na tv e conectar o receptor da tv e o notebook? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse ALCA3057000, nao necessita de fonte este modelo . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 23/1/2018 12:23 Faça uma denúncia Funciona PS4? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse FABRICIO.N.GARCIA, qq entrada hdmi . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 23/1/2018 12:20 Faça uma denúncia Boa tarde amigo É só ligar na tv e ligas os HDMI no nele?? Vi comentário sobre fonte é necessário? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse FABRICIO.N.GARCIA, sim, esse nao necessita fonte . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 23/1/2018 12:20 Faça uma denúncia Ainda possui Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse GERSONARAGO, Temos sim a pronta entrega . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 22/1/2018 11:08 Faça uma denúncia Boa noite !!! Quantos fica o frete para 78824040 ? Grato Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse LORDTHE, ele marca automatico embaixo do preço . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 22/1/2018 11:07 Faça uma denúncia Amigo, boa tarde! Por acaso você teria um switche como esse, entretanto, com entrada P2? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse GUPA98827, nao temos . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 22/1/2018 10:37 Faça uma denúncia Bom dia! Estou comprando mais de um produto, tem como por no mesmo frete? O frete que estava barato acabou ficando caro Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse DANIELE LUCHESI, Apenas colocando no carrinho . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 18/1/2018 12:01 Faça uma denúncia Boa tarde...minha tv tem 2 entrada hdmi e eu preciso de 3 entrada....isso resolveria meu caso? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse FEDA1890529, Funciona sim amigo, esse produto é para seu equipamento . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 16/1/2018 10:58 Faça uma denúncia Boa noit amigo tenho um ps3 TV e um som romitit este adaptador mim atende Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse PEMA6306470, se todos forem HDMI sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 16/1/2018 10:54 Faça uma denúncia Boa noite amigo tenho uma TV com uma saída HDMI quero ligar um receptor de tv e um x-box esse aparelho esse produto me serve Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse WALLACE2006F, Funciona sim amigo, esse produto é para seu equipamento . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 16/1/2018 10:53 Faça uma denúncia Ola, a porta HDMI de minha Smart TV Samsung queimou, porém, a TV pega normal os canais TV aberta, Netflix, e TV fechada via conexão de áudio, só que a conexão via áudio não é muito boa, será que com este aparelho adaptador Hub resolve ? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse JOAOGUEDESBRAZGUEDES, esse HUB ele aumentas as portas, vc precisa de uma porta pelo menos funcionando . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 16/1/2018 10:46 Faça uma denúncia BOA TARDE AMIGO... VC TEM ALGUM QUE SERVE PARA SAIR DO APARELHO E TRANSFORMA EM DUAS SAIDA HDM1 PARA TV DIFERENTES ? ( tipo assim tem um aparelho e quero jogar a imagem para duas tv ) Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse ATM_ALASKA, NAO TENHO . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 15/1/2018 11:16 Faça uma denúncia Funciona com ps4? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse RAPHALCAO, sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 15/1/2018 11:13 Faça uma denúncia Funciona com ps4? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse RAPHALCAO, sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 15/1/2018 11:13 Faça uma denúncia caso compre poderia rertirar em maos Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse LEANDROLIMA481, No Momento nao trabalhamos com Retira, me passa seu Cep que Calculo o Envio . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 15/1/2018 11:06 Faça uma denúncia Tem pronta entrega? Faça uma denúncia Oi MUNIZDASILVAROLFHERMAN , Temos sim a pronta entrega 11/1/2018 16:15 Faça uma denúncia olá.gostaria saber sim posso ligar minha sky tv e em outra porta um EZcard Faça uma denúncia Oi JORGERAMIROVILLAFANI , pode se ambas tiverem entrada hdmi 08/1/2018 14:26 Faça uma denúncia Olá amigo ele seleciona sozinho assim que eu desligar e ligar outro aparelho ou tenho que toda vez ir no botão e selecionar manualmente a porta HDMI que vai ser usada? Funciona com chomecast? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse DANIEL GT2011, é manual . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 28/12/2017 10:10 Faça uma denúncia Vcs tem o Chromecast? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse ELIANAANA2006, somente este . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 26/12/2017 11:50 Faça uma denúncia Tenho um projetor com uma entrada de HDMI ,preciso conectar um monitor. Esse adorador me atende? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse NATHALIASANTOS327, precisa ver qual a entrada do monitor se for hdmi sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 26/12/2017 11:45 Faça uma denúncia Tenho uma tv com apenas uma saída HDMI e preciso conectar o decoder da tv a cabo e crhomecast. Como faço para escolher a porta? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse ELIANAANA2006, tem um botao select que muda de porta no aparelho . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 26/12/2017 11:34 Faça uma denúncia Tem como ligar o ps4 em duas tvs?Alternar entre a TV da sala e do meu quarto. Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse CAMARGOLUCAS74, serve em qq entrada hdmi . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 21/12/2017 16:42 Faça uma denúncia Boa tarde meu nome é Adriano, gostaria de saber qual o tamanho do Cabo ? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse ADRIANOMONTEIRODEARAUJO, 15 cm deste que e fixo no equiamento mas liga hdmi de diversos tamanhos . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 21/12/2017 10:32 Faça uma denúncia Qual e o tamanho desse cabo ele ja e fixo? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse RAFAELBANASCIMENTO, 15cm e fixo . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 20/12/2017 09:48 Faça uma denúncia Boa tarde. Minha tv é 4k, funciona com os demais aparelhos? Sky e Playstation 4? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse ADOLFO_BASAGLIA, funciona em qq entrada hdmi . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 20/12/2017 09:47 Faça uma denúncia boa tarde amigo, com esse produto resolve o problema de eu ter somente duas HDMI e ter 3 aparelhos para conectar na TV? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse RAFAELBANASCIMENTO, O Adaptador Hub Switch 3x1 permite ampliar uma entrada hdmi para 3 entradas hdmi, . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 20/12/2017 09:44 Faça uma denúncia Olá, boa noite! Mesmo que uma das portas do switch fique vaga ele ainda funcionará perfeitamente? Também não haverá problemas se um dos aparelhos conectados ao switch (por exemplo, o home theater) estiver desligado? Qual é a marca do adaptador? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse KWSAT, sim, nao sei te dizer se todos tem que estar ligados mas acredito que nao, produto importado . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 18/12/2017 11:52 Faça uma denúncia Me tira uma dúvida?. Já tenho um monitor hdmi conectado no meu macbook. Tenho um outro monitor lg vga e gostaria de conecta-no meu MacBook para poder usar as 3 telas ao mesmo tempo (tela do notebook, tela do monitor hdmi e a tela deste monitor vga). O que eu precisaria para fazer isso ? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse CRISTIANORIZO, Infelizmente nao tenho essa informação. . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 18/12/2017 11:51 Faça uma denúncia Serve para mim ligar no receptor sky e usar em 3 tv? Faça uma denúncia Muito obrigado pelo seu interesse BRUNO62K, sim . Agradeço o contato, e ficaremos muito felizes em poder lhe proporcionar essa experiência de compra. Att Juliana 18/12/2017 11:49 Faça uma denúncia Ver mais perguntas Novo - 972 vendidos Adaptador Hub Switch 3x1 - 3 Portas Hdmi Para Tv Ps3 Xbox 119 opiniões R$ 25 , 99 5 x R$ 5 67 sem juros Mais informações Envio para todo o país Saiba os prazos de entrega e as formas de envio. Calculador de frete Devolução grátis por 7 dias A partir da data que receber o produto Quantidade: Você superou o limite de estoque disponível. Adicionar aos favoritos Compra Garantida , receba o produto que está esperando ou devolvemos o dinheiro. Você ganha 12 Mercado Pontos. Informação sobre o vendedor Localização Santo André , São Paulo MercadoLíder Gold É um dos melhores do site! Vermelho Laranja Amarelo Verde claro Verde 3924 vendas nos últimos 4 meses. Presta um bom atendimento Entrega os produtos dentro do prazo Ver mais dados deste vendedor Garantia Compra Garantida com o Mercado Pago Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro Garantia do vendedor GARANTIA TOTAL Saiba mais sobre garantia Meios de pagamento Cartões de crédito Pague em até 15x! Boleto bancário Conheça outros meios de pagamento Formas de entrega Frete com o Mercado Envios. É o serviço do Mercado Livre que permite que você receba os seus produtos de forma rápida e segura. Saiba mais sobre as formas de envio Publicidade Anúncio #688359163 Faça uma denúncia Mais informações Sobre o Mercado Livre Investor relations Mapa do site Tendências Outros sites Desenvolvedores Mercado Pago Mercado Envios Mercado Shops Mercado Livre Publicidade Vale-Presente Mercado Livre Contato Comprar Vender Solução de problemas Segurança Redes sociais Twitter Facebook Instagram YouTube Minha conta Entre Vender Copyright © 1999-2018 Ebazar.com.br LTDA. Trabalhe conosco Termos e condições Políticas de privacidade Contato CNPJ n.º 03.007.331/0001-41 / Av. das Nações Unidas, nº 3.003, Bonfim, Osasco/SP - CEP 06233-903 - empresa do grupo Mercado Livre. Baixe grátis o App do Mercado Livr



http://www.cnpq.br/web/guest/contatos1/
  Contatos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não CACHE

Contatos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Institucional / Contatos / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Contatos e horário de atendimento Atendimento ao público De segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h00 e de 14h00 às 18h30. Endereço SHIS QI 1 Conjunto B - Blocos A, B, C e D - Lago Sul - Brasília/DF - Cep: 71605-001. Onde estamos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/relatorios-tecnicos/
  Relatórios Técnicos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil ... para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma CACHE

Relatórios Técnicos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Programas / AEX (Expedição Científica) / Relatórios Técnicos / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Relatórios Técnicos A instituição brasileira coordenadora das atividades deverá enviar ao CNPq, em até 60 dias, contado do término das atividades autorizadas, um relatório técnico final que deverá conter, pelo menos, as seguintes informações: - resultados parciais ou totais alcançados. - principais obstáculos ou dificuldades encontrados. - discriminação e quantidade do material coletado, bem como o seu destino. - compromissos quanto às ações futuras estabelecidas com os participantes estrangeiros, e - indicação de quaisquer agressões e/ou violações ao equilíbrio ecológico e ao meio ambiente que porventura forem observadas. Nos casos de autorizações para atividades com prazo superior a um ano, a instituição brasileira deve enviar ao CNPq, a cada seis meses, um relatório sucinto, informando o desenvolvimento dos trabalhos e os principais resultados alcançados. Os roteiros para a elaboração dos relatórios parciais e final então em: - Relatório Técnico Parcial - Relatório Técnico Final Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Voltar para o topo Atuação Acesso à Informação Institucional Bolsas e Auxílios Programas Prêmios Popularização da Ciência Comunicação Parcerias Serviços Ferramentas Ouvidoria Central de Atendimento Agência de Viagem Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Livro Eletrônico Dados abertos Suporte a Propriedade Intelectual Redes Sociais Twitter YouTube SoundCloud RSS O que é? Assine Navegação Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site Acesso a informação Governo Federal Desenvolvido em Liferay Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascript seu browser não esta habilitado para javascri



http://www.cnpq.br/web/guest/contatos/
  Contatos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não ... melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à ... Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu CACHE

Contatos - Portal CNPq Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Brasil Acesso à informação menu icon Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Acessibilidade Alto Contraste Mapa do Site CNPq Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Youtube SoundClound Twitter RSS Perguntas frequentes Central de Atendimento Serviços E-mail do Pesquisador Área de imprensa Você está aqui: CNPq / Assuntos / Programas / Mulher e Ciência / Contatos / MENU Assuntos Institucional Apresentação Organograma Competências Base Jurídica Regimento Interno PO-951 Lei nº 1.310 Decreto nº 8.866 Conselho Deliberativo Agenda de autoridades Presidência Diretoria - DCOI Diretoria - DEHS Diretoria - DABS Diretoria - DGTI Diretoria Executiva Comitês de Assessoramento Membros dos Comitês Critérios de Julgamento Renovação de CAs Normas do CA Calendário Comissão de Integridade Apresentação Composição Diretrizes Documentos da CIAC Quem é quem Propriedade Intelectual SESPI Restrição de Acesso à Informação Normas Comissão de Ética Pública Apresentação Informes Normas Gerais Normas Específicas Ofícios Documentos da CEP Gestão de Documentos História A Criação Questão Nuclear Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Servidores Estatísticas e Indicadores Apresentação Bolsas e auxilios Séries Históricas Demanda e atendimento Indicadores de Pesquisa Titulação de Bolsistas Grupos de Pesquisa - Censos Contatos Bolsas e Auxílios Apresentação Bolsas Modalidades Cartão Bolsista no Exterior Auxílio deslocamento Bolsistas Egressos (Exterior) Auxílios Apresentação Cartão Pesquisa Chamadas Abertas Encerradas Resultados Calendário regular Tabelas de valores Bolsas No país No exterior Fomento Tecnológico Diárias para auxílios Calendários Bolsas no país Bolsas no exterior Auxílios Prestação de contas Bolsas e Auxílios Vigentes Bolsas Projetos de Pesquisa Eventos Científicos Pesquisador Visitante Periódicos Científicos Mapa de Investimentos Programas Apresentação ALI Apresentação Histórico Chamadas Públicas Publicações CBAB Apresentação RHAE Apresentação Arquivos Serviços Mulher e Ciência Apresentação Ações Histórico Eventos Pioneiras da Ciência do Brasil - 5ª Edição Estatísticas Publicações Vídeos Projetos Pioneiras da Ciência Jovens Pesquisadoras Contatos PELD Apresentação Histórico Sítios PELD Chamadas Públicas Parcerias Eventos Publicações Estatísticas Galeria de Imagens ILTER Repositório de dados PELD Selo PELD Contato PROANTAR Apresentação PPBIO Apresentação Ciência sem Fronteiras Cooperação Internacional Apresentação Bolsas Organismos Convênios Bilaterais CIAM CERN Ciências do Mar CPLP PROSUL CYTED Mata Atlântica PROÁFRICA IBAS Programa MCT-Mz SISBIOTA Apresentação REFLORA Apresentação Rede PRÓ CENTRO-OESTE Apresentação Programas Institucionais de Iniciação C&T Apresentação Ensino Superior PIBIC PIBIC nas Ações Afirmativas PIBITI PICME Ensino Fundamental / Médio PIBIC Ensino Médio PIC-OBMEP IC-Jr/FAPs Formulários e Orientações Para o Gestor Institucional Para o Comitê Externo e Institucional Para o Coordenador Para o Estudante Reunião Anual 2014 Reunião Anual 2015 Painel ICT PROTAX Apresentação BIONORTE Apresentação Arquipélago e Ilhas Oceânicas Apresentação Importações para Pesquisa Apresentação CNPq Expresso TIP Credenciamento Pessoa Física Pessoa Jurídica AEX (Expedição Científica) Isenção de Autorização Como solicitar Requisitos Emissão do Visto Formulários e Documentos Autorizações Prévias Análise da Proposta Alteração de Projetos Vigentes Relatórios Técnicos Legislação In English (summary) Contato REBIOTERIO Apresentação Tutorial Prêmios Apresentação Menção Especial de Agradecimento Regulamento Agraciados Pesquisador Emérito Regulamento Agraciados Fotos Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica Prêmio Fotografia-Ciência & Arte Prêmio Almirante Álvaro Alberto Prêmio Jovem Cientista Prêmio José Reis Popularização da Ciência Por que popularizar? Fazendo Divulgação Científica Apresentação Entrevistas Links Interessantes Prêmios Pioneiras da ciência Museus e Centros de Ciência Apresentação Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Olimpíadas científicas Feiras e Mostras de Ciência Apresentação Feiras Nacionais Feiras Estaduais Feiras Municipais Itinerantes Semana Nacional de CT&I Relatórios de pesquisa Memória do CNPq Bibliografia Dirigentes Programa Editorial Apresentação Ciências Agrárias Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Exatas e da Terra Ciências Humanas Ciências Sociais Aplicadas Linguística, Letras e Artes Engenharias Multidisciplinar Outras Calendário Contato Destaque Iniciação científica Pesquisador emérito Pesquisador sênior Mídia Imagens da Ciência Vídeos Publicações Pesquisa e Notícia Comunicação Imprensa Cadastro de jornalistas Fale com a Coordenação Publicações Impressos Identidade visual Marca CNPq Manual de aplicação Área de Imprensa Parcerias Apresentação Instituições Nacionais Internacionais CORI Investimentos em CT&I Serviços Ferramentas Ouvidoria Apresentação Histórico Publicações e Documentos Legislação Fale com a ouvidoria Central de Atendimento Emissão de Contra-cheques Declaração de Rendimentos Assinador Digital Consultar Autenticidade de Documentos Autenticador Digital Gerador GRU Sua Senha Esqueceu sua senha? Cadastrar Usuário Acesso ao Patrimonio Genético Nova Lei da Biodiversidade Autorizações Concedidas Solicitações Indeferidas Livro Eletrônico Suporte a Propriedade Intelectual Mapa de Investimento Importações para pesquisa Cartilha de segurança para internet Carta ao Cidadão Expedição Científica Acesso à Informação Apresentação Institucional Ações e Programas PPA Processos de Contas Anuais Convênios Despesas Licitações e Contratos Contratos Licitações Terceirização Consultas Públicas Servidores Perguntas frequentes Lei - Acesso a Informação SIC Sistema e-SIC Informações Classificadas PDTIC Planejamento Estratégico Dados abertos Apresentação Consulta de dados Centrais de Conteúdos Áudios Vídeos Imagens Dados Abertos Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor experiência. Contatos Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Central de Atendimento Tels: 61 3211-4000 (das 8:30h às 18:30h - horário de Brasília/DF) Secretaria de Políticas para as Mulheres - SPM Via N1 Leste s/nº - Pavilhão de Metas Praça dos Três Poderes - Zona Cívica Administrativa CEP 70150-908 Tels: 61 34115874 mulhereciencia@spmulheres.gov.br Seu browser não está habilitado para ler javascript. Habilite para uma melhor